sábado, 30 de maio de 2015

E-Reader - Lev

Olá amores!

Hoje vim contar um pouco da minha experiência com o Lev, o e-reader da Saraiva (leitor digital). Para quem não sabe, eu sou daquelas que gasta muito com livros físicos, sou uma consumista literária. Porém, pensando no geral, eu nunca me arrependi, muito pelo contrário, deixo de comprar roupas para comprar livros. A sensação de felicidade me domina, HAHAHA. 

Mas conversando com duas amigas minhas, uma tem o Lev e a outra tem um Kobo (e-reader da Livraria Cultura) e um Kindle (e-reader da Amazon), elas me perguntaram como eu fazia para armazenar meus livros, se eu ainda tinha espaço, como eu levava meus livros para o trabalho, se não amassava ao colocá-lo na bolsa... eu comecei a pensar na possibilidade de comprar um e-reader. Infelizmente, o preconceito do e-book me dominava ainda.

Na segunda vez que tocamos no assunto da leitura digital, elas começaram a falar dos livros que estavam lendo e eu não tinha dinheiro para comprá-los, (livros físicos geralmente são bem mais caros que e-books) e comecei a pesquisar. Quanto cada um desses leitores custava, quais os benefícios, memória, bateria... um site que me ajudou bastante nessa avaliação foi esse aqui: Vida Sem Papel.

Fui até uma Livraria Cultura, vi e fiz perguntas sobre o Kobo. Fui até uma loja Ponto Frio (eles vendem Kindle lá) e fiz a mesma coisa. Mas quando cheguei na Saraiva e vi o Lev com um desconto de R$110,00 e a capinha (de couro ecológico e ROSA!!!) também com desconto (uma capinha do Lev, custa R$79,90 e eu paguei R$69,90, já a capinha dos outros e-readers são R$99,00 e podem chegar a R$149,00). Eu não me aguentei!

Peguei o Lev com luz e foi a MELHOR compra que eu fiz na minha vida! HAHAHAHA
Ele deixa tudo organizado e é fácil de mexer. A Saraiva te dá alguns livros gratuitos e ainda você consegue ter acesso a uma loja Saraiva por Wi Fi (há também livros gratuitos por lá). A bateria dura bastante, você consegue ter acesso rápido e fácil a dicionários, mudar fonte, espaçamento, justificar ou não o texto, até fazer anotações durante a leitura!

Outro ponto importante que queria abordar com vocês é a questão do porquê comprar o e-reader com iluminação. Muitas pessoas me perguntam: mas não é desconfortável? Por que não compra um tablet? Os tablets hoje usam tecnologia LCD ou LED, enquanto a iluminação dos e-reader são laterais, ou seja, não agridem os olhos de quem está lendo. Ou seja, vale muito a pena pagar um pouco a mais para ter esse recurso de ler no escuro.

Vou ser sincera, paguei minha língua! Só comprarei livros físicos quando realmente forem importantes para mim, meus autores preferidos ou a diferença de preço entre e-books e físico não for grande. Vale super a pena! 

- Ale

domingo, 24 de maio de 2015

Músicas que Lembram Livros!

Oooooi pessoas!

Que tal posts de músicas? Mas e se unirmos com livros? Hoje é sobre músicas que me lembram livros! Vou selecionar 5 livros e 5 músicas que só de ouvir já me bate aquele sentimento de nostalgia para ler o livro novamente. Tentarei ser o mais original possível, sem colocar músicas famosas de trilha sonora dos filmes baseados nesses livros, tudo bem?

1)  3 Doors Down cantando Here Without You me lembra o livro: As Batidas Perdidas do Coração (Bianca Briones):


2)  Robbie Williams cantando She's The One me lembra o livro: Desculpa se te chamo de Amor (Federico Moccia):



3)  No Voice cantando Linda me lembra a série de livros: Fazendo Meu Filme (Paula Pimenta):


4)  Renato Russo/Legião Urbana cantando Por Enquanto me lembra o livro Um Herói para Ela (Lu Piras):


5) The Fray cantando Say When me lembra a série Perdida (Carina Rissi):


Depois que fechei esse post, percebi o quanto os livros nacionais são mais 'musicais' (na minha cabeça, pelo menos, HAHAHA). Foram os que eu lembrei e espero que vocês tenham gostado. Deixem nos comentários as músicas e livros que te marcaram!

- Ale

sexta-feira, 22 de maio de 2015

1 ano do Estante da Ale

Olá meus amoooooores!

Hoje o post é mais que especial por ser o PRIMEIRO ANO DO BLOG! Isso mesmo, dia 25/05/2014 o "Estante da Ale" foi criado então eu resolvi conversar um pouco com vocês sobre isso, vim mostrar esse meu universo que exploro há um aninho com vocês.


Por que eu resolvi fazer o blog?
Assim, tudo começou quando eu fazia resenhas no Skoob, algumas linhas apenas, nada grande, só para ter controle do que eu sentia quando acabava um livro. Mas com o tempo eu senti que podia me aprofundar mais. Decidi fazer o blog por ter algo meu, nem divulgo no meu facebook pessoal, pouquíssimas pessoas que convivem comigo sabem que esse mundo aqui existe, porque foi uma promessa que eu fiz a mim mesma quando comecei: não importa quantos comentários tenha, ou quantas visualizações, o importante é que eu esteja feliz com o que faço. Escrevo que eu sinto, quando eu quero. Sem obrigações e sem cobranças.

Inicialmente eram só livros? O que me fez trazer mais assuntos para o blog?
Sim, inicialmente eram só livros. Porém, minha vida não é só leitura. Eu sou uma viciada em cinema e em séries (em breve, vou trazer mais posts sobre música também, estou trabalhando nisso e vai ficar bem legal). Então eu parei, pensei e não achei certo limitar meus temas. Quero dizer também que a tendência do "Estante da Ale" é ter mais novidades, estou querendo organizar por colunas, dias semanais e logo logo vocês vão perceber a diferença. Até tentei mudar o banner, cores, mas estamos em construção ainda. HAHAHA

Qual é o livro que te fez se apaixonar pela leitura? E série? Filme? 
Eu sempre fui muito menininha, adoro romances água com açúcar e tudo mais. "O Diário da Princesa" da Meg Cabot foi o primeiro livro grosso que eu li, minha mãe comprou para mim na minha primeira Bienal do Livro (depois disso, íamos todos os anos!). Já minha primeira série foi "The O.C" foi por ela que eu me apaixonei e me viciei, assistia maratonas que nem doida. Já filmes eu sempre amei cinema, e o responsável por isso? DISNEY! Sempre no meu coração! 

Quem me deu mais apoio?
Minha mãe. Ela é minha maior motivadora, ela acredita no meu potencial e sempre me dá espaço para eu escrever e criar novas coisas. Esse um ano de blog, dedico a ela. 

E é isso pessoal! Como eu disse, em breve teremos muuuuuuitas novidades e coisas legais para conversarmos. Quero agradecer a cada um de vocês que lê, comenta, que frequenta meu blog. Obrigada pelo carinho e tempo dedicado a mim, espero retribuir a altura. Obrigada, obrigada e obrigada! 

E FELIZ ANIVERSÁRIO 'ESTANTE DA ALE'!

- Ale

sábado, 16 de maio de 2015

Resenha: A Guerra dos Tronos

Olá pessoal!

Mais uma meta de leitura terminada! Decidi que em 2015, não vou contar a quantidade de livros lidos e sim a qualidade deles. Quem vê meu blog sabe que eu tenho uma tendência enorme para ler romances, principalmente históricos. Porém, esse ano quero vencer desafios. Já consegui ler um Jane Austen e trouxe resenha para vocês (quer ler? É só clicar AQUI!). E hoje é dia de Game Of Thrones (Guerra dos Tronos): As Crônicas de Fogo e do Gelo do incrível autor George R. R. Martin publicado pelo Editora Leya. Na verdade, é uma série, até o momento temos cinco livros publicados e o autor está escrevendo o sexto. Na televisão, a série produzida pela HBO está com a quinta temporada sendo exibida.

Sinopse: 
"Uma história de lordes e damas, soldados e mercenários, assassinos e bastardos, que se juntam em um tempo de presságios malignos" (Fonte: Skoob)

Como vocês perceberam, nem o Skoob conseguiu dar informações sobre essa Saga. Vou tentar resumir. Apesar de ser totalmente impossível resumir uma história com tantos personagens, tantas histórias, intrigas, mentiras e lutas. O trono está com a família Baratheon, Robert é o rei casado com Cersei Lannister (gêmea de Jaime Lannister com quem tem um relacionamento amoroso), porém após a morte da Mão do Rei (John Arryn era um conselheiro e amigo), o Rei Robert busca o amigo Eddard Stark para ocupar o cargo. Os Starks são uma família enorme que traz a honra e verdade acima de qualquer coisa. Outro ponto importante da história é que a antiga família que ocupava o trono, os Targaryen estão em busca de um exército para retornar ao reinado.

O que eu achei?

É isso? Nããão! Muitas outros detalhes, personagens e histórias existem por trás desse pequeno resumo. Mas vamos a minha opinião em si. Eu sou uma pessoa que prefiro ler o livro antes de assistir o filme ou a série. Sempre fico comparando e algo não flui na minha leitura, acho que gosto de me surpreender com o que as páginas me mostram, não gosto de ler algo que já sei o que vai acontecer, sabe?

Isso aconteceu comigo com o livro "Dezesseis Luas" e até mesmo "Cidade dos Ossos - Instrumentos Mortais" da Cassandra Clare, porém com "As Crônicas de Gelo e Fogo" não foi assim, muito pelo contrário. Eu me apegava cada vez mais a história, os personagens que eu não gostava na série me mostraram outra perspectiva, os que eu gostava, passei a gostar ainda mais. Os produtores da série realmente fizeram um excelente trabalho nessa adaptação, bem fiéis, mas o livro tem o um toque a mais que deixou tudo simplesmente sensacional, não queria largar, parecia que estava lendo coisas inéditas. Mesmo sabendo o que iria acontecer pela série de televisão, eu conseguia me apegar mais e mais a cada palavra que eu lia.

É uma leitura MUITO cansativa. Muitos nomes e muitos detalhes, até mesmo línguas diferentes. Quando comecei a assistir a série, eu me perdia totalmente nesses nomes, mas o livro me ajudou bastante a compreender todas as intrigas e diálogos que muitas vezes se tornavam confusos para mim. É um livro para você ler descansada, com a cabeça focada na história, não é aquela leitura de final de tarde chuvosa e preguiçosa. A história te faz pensar e se surpreender como cada personagem constrói sua personalidade e se interliga aos outros. Muito violenta sim, muitas mortes, nada e nem ninguém está a salvo nessa história.

Os capítulos são alternados com personagens diferentes, os meus favoritos são os capítulos da Arya Stark e da Daenerys Targaryen, (quem me conhece que sou uma fã de carteirinha da Khaleesi, então não se surpreende com isso). E geeeente, esqueci de mencionar uma parte super importante: Daenerys Targaryen é uma filha de Dragão, sua família além de governar também tinha ligações com os Dragões (eles não morrem com o fogo), porém a muitos anos os dragões foram extintos (ou não, leia e descobrirá! HAHA). 

Só posso dizer mais uma coisa: o livro vale MUITO a pena! É incrível! Sei que é grande, denso (592 páginas!), não precisa ler toda a série em sequência, mas é o tipo de livro que todos deveriam pelo menos tentar ler uma vez na vida!

Me conta, já leu ou viu a série? Deixe seu comentário!

- Ale

sábado, 9 de maio de 2015

Feliz Dia das Mães!

Oooooi gente!

Quem se lembra do texto do Dia Internacional da Mulher: "Querida Eu Mesma"? Em especial ao Dia das Mães, escrevi um texto para a minha mãe, mas não essa mulher experiente que vive hoje comigo, mas aquela mãe de primeira viagem. Será que se eu pudesse entregar essa carta à ela há 23 anos atrás faria alguma diferença? (Sinceridade? Acho que não!).

Antes de começar, peço desculpas por fugir um pouco da temática do blog, mas eu preciso homenagear a mulher da minha vida: Fátima Salvia.

"Oi Mãe,

Eu acabei de nascer e você deve estar se perguntando como vai ser o futuro. Se você vai ser uma boa mãe, se você vai conseguir me fazer ser uma pessoa feliz, se você vai conseguir acompanhar meu crescimento. A resposta de todas essas perguntas é SIM, porém eu sei que nada do que eu fale vai tirar essa preocupação da sua cabeça. Então eu vim te contar algumas coisas que vão acontecer e você nem sabe o quanto isso marcará minha vida.

Antes de você me colocar na escolinha, ficaremos todas as tardes sentadas no chão, recortando (com tesouras sem ponta, porque você sempre vai se preocupar com a minha segurança) e colando, desenhando e pintando, brincando de boneca. Quando for maiorzinha, até me ensinar a bordar e a tricotar você vai! As agulhas de tricô serão maiores que eu, mas você terá paciência e irá sorrir quando eu acertar um ponto. 


Teremos dias de mãe e filha. Você me levará ao cinema, comeremos hamburgers com batatas fritas grandes e ao voltar para casa ficaremos assistindo televisão até de madrugada. Não se preocupe se eu quiser virar a noite acordada ou ver o sol nascer, saiba que eu nunca vou conseguir, sempre dormirei primeiro. 

Tente não ficar muito irritada quando eu ficar brava, responder mal ou chorar. A gente sempre vai voltar a se falar como se nada tivesse acontecido, ou no máximo eu vou perguntar: "a gente brigou? Você está estranha comigo" ou então "mãe, por que a gente brigou mesmo?". 

Não se preocupe se eu sofrer, faz parte da vida, o que eu preciso (e você fará sempre) é apenas me deitar no seu colo e fazer carinho no meu rosto e cabelo. Vou chorar mais que o normal e muitas vezes você vai rir quando eu estiver chorando, porque sabe que eu serei dramática e emotiva demais. Mas estará ali. Comigo. Sempre. 

Vamos enfrentar problemas, sofreremos perdas, mas eu estarei ao seu lado e tudo vai melhorar. E quando eu tiver que trabalhar, vamos continuar juntas. Se você não atender ao celular vou ligar 30 mil vezes até você aparecer. Vou ser ciumenta e vou te abraçar até a dor passar, ou pelo menos, diminuir. 

Seremos parceiras, melhores amigas. Teremos uma ligação tão única, especial que nos comunicaremos pelo olhar, você me conhecerá pela respiração. Nunca pense que não serei feliz com você, porque você será minha super heroína! É o presente mais incrível que Deus poderia ter me dado: nascer como sua filha. 

Saiba que esse bebê nos seus braços já te ama demais e não saberá viver sem você, mesmo aos 23 anos de idade. 

Feliz Dia das Mães!

- Sua Lele"

terça-feira, 5 de maio de 2015

Resenha: Trilogia Sem Limites

Olá Pessoal!

Estou empolgada e resolvi fazer um post TRIPLO hoje. Pois é. Falarei a trilogia que acabei de ler da autora Abbi Glines. Os títulos são: "Paixão Sem Limites", "Tentação Sem Limites" e por último "Amor Sem Limites" publicado pela Editora Arqueiro.

 Vamos a SINOPSE:
"Blaire Wynn não teve uma adolescência normal. Ela passou os últimos três anos cuidando da mãe doente. Após a sua morte, Blaire foi obrigada a vender a casa da família no Alabama para arcar com as despesas médicas. Agora, aos 19 anos, está sozinha e sem lugar para ficar. Então não tem outra escolha senão pedir ajuda ao pai que as abandonara. Ao chegar a Rosemary, na Flórida, ela se depara com uma mansão à beira-mar e um mundo de luxo completamente diferente do seu. Para piorar, o pai viajou com a nova esposa para Paris, deixando Blaire ali sozinha com o filho dela, que não parece nada satisfeito com a chegada da irmã postiça. Rush Finlay é filho da madrasta de Blaire com um famoso astro do rock. Ele tem 24 anos, é lindo, rico, charmoso e parece ter o mundo inteiro a seus pés. Extremamente sexy, orgulha-se de levar várias garotas para a cama e dispensá-las no dia seguinte. Blaire sabe que deve ficar longe dele, mas não consegue evitar a atração que sente, ainda mais quando ele começa a dar sinais de que sente a mesma coisa. Convivendo sob o mesmo teto, eles acabam se entregando a uma paixão proibida, sobre a qual não têm nenhum controle. Mas Rush guarda um segredo que Blaire não deve descobrir e que pode mudar para sempre as suas vidas." (Fonte: Skoob)

O que eu achei?

Vou começar com uma confissão: eu adoro romances clichês. Pronto, falei e me julguem. Aquele romance que começa do nada, ele é bad boy, ela é ingênua, ele tenta fugir, só que traz ela para perto... você já leu/viu milhares de histórias assim né? Então, se quer originalidade, não leia. HAHAHA

Quanto a personagens chatos, dê o prêmio a Nan. A irmã de Rush ganha de todos os personagens que conheço até hoje. E é ela que muitas vezes estragou minha leitura. Rush se torna um 'bundão' (Desculpe o palavreado, mas não tenho outra descrição para ele!) quando o assunto é a irmã e isso me fez querer que a Blaire seja uma mulher forte, poderosa e cheia de personalidade. E ela até tenta ser assim, mas não me convenceu. Queria mais firmeza da parte dela. Além do excesso de sexualidade do livro, claro. Muitas cenas poderiam ser facilmente cortadas.

Agora você aí do outro lado deve estar se perguntando: 'mas Ale, você só deu pontos negativos do livro'. Pois é. O primeiro volume eu li em um dia nas minhas férias, o segundo e terceiro também foram leituras rápidas, porém 'menos legais'. Se eu tivesse feito essa resenha logo depois de acabar o "Paixão Sem Limites" teria falado mil coisas boas, tem um segredo importante que determina toda a história, Rush é sexy e envolvente, Blaire é uma mulher de personalidade... mas o livro 2 (Tentação Sem Limites) desconstrói essa imagem que eu tinha deles. 

Não que eu não tenha gostado... é uma trilogia ok. Apenas isso. Não nego que o final foi bonito, me emocionou, mas era o MÍNIMO que eu esperava. Outra coisa que chamou minha atenção e eu gostei foi a mudança de perspectiva no livro 3 que os capítulos começam a ser alternados. Ora Blaire narra, ora Rush e também tem capítulos com versões de Grant e Harlow. A autora deu uma renovada no ritmo de leitura, por mais que seja o livro em que Nan bate o recorde de chatice.

Mas me conta! O que você achou da trilogia? Se não leu, gostaria de ler? Deixe seu comentário!

- Ale