terça-feira, 19 de novembro de 2019

Série: Elite - Season 2

Olá amores,

Finalmente estou colocando a séries em dia e hoje vamos falar da segunda temporada de Elite já disponível na Netflix! A primeira temporada teve o foco em quem matou a Marina e agora vamos ver quais as consequências dessa morte para todos, inclusive um de nossos protagonistas vai desaparecer... Quem será o responsável?


Quem ainda não leu a crítica da primeira temporada, clique AQUI. Mas se já sabe o que esperar, vem descobrir o que achei dessa segunda parte cheia de dramas familiares e amizades rompidas, afinal, dificilmente as pessoas aceitam mentiras e hipocresia.

Logo de início, Christian já não esconde de ninguém que está guardando um segredo e Carla não gosta nada nada da situação. Só que ao tomar o choque com um acidente que deixa Christian paralítico, a consciência da burguesinha começa a pesar... E é aí que Samu entra para tentar arrancar a verdade de Carla. Vamos ver um trailer dessa season 2?


Pois é. Muita coisa promete e posso dizer que como um todo, eu gostei da temporada. Alguns personagens novos surgiram para enrolar ainda mais a situação como: Cayetana (uma digital influencer que mente para todos sua verdadeira origem e se tornará muito amiga de Lu), Valerio (o meio irmão de Lu) e Rebeka (filha de uma traficante que se muda para a mansão onde a família de Marina morava).

Agora, em relação aos nomes já conhecidos, acho que minha maior decepção dessa temporada foi com o casal Ander e Omar. Omar conseguindo se libertar foi sensacional, porém Ander se aproximar de Pólo foi muito frustrante. Ander termina a temporada com um grande peso na consciência e acho que é o que ele realmente merecia.

Guzmán passa por um período conturbado após a morte da irmã e ele quase entra no caminho errado, pois não tem amigos verdadeiros que o apoiam. Mesmo a Lu, ela tenta ser presente, mas não tem o vínculo necessário para ampará-lo. Então, eis que entra Nádia na jogada e só assim vemos um evolução de Guzmán. (Ah, espere. Uma pequena observação. Não estou dizendo que concordo com a traição que ocorrerá. Não, nada justifica. Ok? Apenas digo que  o envolvimento de Nadia e Gusmán é natural pelo histórico dos personagens e Lu mesmo percebendo essa química, a ignora).



E por falar em Lu, acho que ela passa um pouco dos limites nessa temporada, é chata com todo mundo... Mas tem o que merece graças a Valerio. O meio irmão me surpreendeu no desfecho dessa segunda temporada e já estou esperando mais cenas conscientes dele na season 3, que já aproveito para confirmar: Elite terá sua terceira temporada em breve já que as gravações foram simultâneas com essa temporada 2!

Falando sobre Carla, há um envolvimento amoroso improvável aqui. Ela e Samu se tornam um casal e eu que achei que não haveria química me surpreendi. Carla foi a personagem que mais cresceu. Ela tomou consciência sobre os acontecimentos da primeira temporada e sua auto confiança vive por um fio, prestes a se romper. Novamente, digo que a atriz é muito boa e merece o destaque que tem sim.



Para finalizar, vou falar um pouco sobre o drama geral do desaparecimento de um dos personagens e como o desfecho me impactou. GOSTEI DEMAIS da reviravolta, eu não esperava isso de Elite. Saíram do óbvio e mesmo sendo uma história sobre privilégios, eles conseguem fazer a diferença.

Assim que tiver notícias da próxima temporada, trago para vocês. Fiquem de olho no instagram do blog e me contem o que acharam da crítica de hoje.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

domingo, 17 de novembro de 2019

Livros: Destinos Quebrados

Olá amores, 

Como estão? Vamos conversar hoje sobre o terceiro livro da série Quebrados, o chamado "Destinos Quebrados" da autora Sofia Silva, publicado pela Editora Valentina.


Para quem ainda não conhece a série, digo que há a possibilidade da leitura ser feita de maneira separada, pois todas as histórias são independentes, porém para o leitor ter uma experiência completa e conseguir fazer todas as ligações que as obras permitem, o ideal é ler sim em sequência, ok? 

Desta vez, o foco será o casal Rafaela e Leonardo, ela uma brasileira, ele um português, ambos profissionais já conhecidos dos livros anteriores. Essa intensa história de amor será uma evolução, acompanharemos os personagens durante os anos e veremos o quanto algumas atitudes aparentemente simples podem marcar uma pessoa pelo resto da vida. 

O desenvolvimento do livro é um dos grandes pontos positivos que vou destacar, porque por mais que hajam saltos temporais e vai e volta no tempo, tudo é muito bem colocado para que o leitor fique preso àqueles personagens. Acredito que isso também é mérito da narrativa da Sofia, sempre digo que ela desenha suas histórias e é exatamente isso. É uma narrativa gostosa, bela e emocionante.

A carga dramática existe e é pesada (P.S.: MUITO pesada!). É impossível não se envolver e emocionar. A temática central daqui é a resiliência e também temos a abordagem dos traumas e de perdão. Não é apenas um capacidade de superar as adversidades, é uma histórias sobre seguir em frente sem mágoas. Rafaela é uma das protagonistas mais fortes que já 'conheci', ela é uma pessoa admirável e o fato dela sempre seguir o seu sonho para o bem maior... Sem palavras.

Acho que só lendo para entender o quanto esse livro é marcante. Tudo que eu falar, não fará jus a verdadeira história contada pela Sofia. E aproveito para dizer que você precisa estar bem emocionamente para enfrentar a obra, tá? Haverá alguns gatilhos que podem não fazer bem para algumas pessoas em momentos de fragilidade. 


Destaco também a edição de "Destinos Quebrados", a capa está maravilhosa e há pequenos trechos de "Orgulho e Preconceito" para caracterizar as diferentes partes do enredo que só deixam a edição ainda mais linda! 😍 

Caso tenham interesse, aproveito para deixar abaixo o link das resenhas das obras anteriores:






Espero que tenham gostado da dica de hoje, já leram algum livro da Sofia? Gostaram da proposta da obra? Deixem seus comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Livro: Um Bebê Inesperado

Olá amores,

Hoje, vou dar outra dica aqui da Juliana Dantas!!!! "Um Bebê Inesperado" é o terceiro livro da Julie do Simon, que se iniciou lá em "Uma Noiva de Natal" e "Um Noivado Nada Discreto" e já está disponível na Amazon!



Para iniciar, vamos falar um pouco sobre os livros anteriores: Sabe aqueles romances gostosos, divertidos e que você não cansa de ler? É esse! Julie aceita fingir ser a noiva do CEO Simon, mas eles não poderiam ser mais diferentes, ele todo sério, metódico, frio e ela uma apaixonada pela vida, cheia de desejos e opiniões. É um clichê clássico, mas que para esse final de ano é perfeito! Caso queira ler a resenha de ambos, clique AQUI.




Agora, chegou em nossos kindles o terceiro livro da série e não poderia estar mais divertido! Ok, acho que Julie exagera em muitos pontos e os tornam surreais, mas quando vemos as cenas dela se adaptando a gravidez, é impossível segurar o riso. Afinal, ela tem as mesmas dúvidas que uma mãe de primeira viagem tem, a diferença é que ela não tem medo de se meter em apuros. E que apuros.... rs.

Gostei muito do Simon nesse livro, tivemos algumas problematicas a serem desenvolvidas e consegui enxergar o sentimento dele pela Julie, algo que ficava mais concentrado na luúria nos livros anteriores. Ah, e ponto positivo para a entrada do Justin na história. Deu uma animada nas coisas e fez a Julie perceber que nem sempre tudo da certo. Super apoio a ideia de um spin off focado nesse novo personagem. Seria divertidíssimo! Só que vale dizer que existe sim um spin off dessa série que (finalmente!) teremos cross over: veremos Henry e Sophia de Um Sonho de Princesa logo logo conforme "Um Bebê Inesperado" promete!!! 



E como eu disse, só não dou nota máxima para a obra, pois senti muitas cenas absurdas nessa terceira parte da obra, como por exemplo o clube de BDSM. Ah, uma pequena observação o livro contém sim cenas adultas, mas nada parecido com 50 tons, é tudo com base na comédia, ok?

Aproveito e deixo abaixo os links de compra das obras:







Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Uma Amiga Indicou: "Deixe a Neve Cair"

Olá amores,

Nós, do grupo "Uma Amiga Indicou" (eu, a Carol do 'A Colecionadora de Histórias', a Priih do 'Infinitas Vidas', a Carol do 'Caverna Literária', a Pam do 'Interrupted Dreamer' e a Lais do 'Tear de Informações') trouxemos para vocês nossa primeira dica natalina para dar início as comemorações desta data mágica! "Deixe a Neve Cair" é a nova adaptação da Netflix!!!!




Para quem ainda não sabe, "Deixe a Neve Cair" é um livro de contos publicado pela Editora Rocco. Porém, não pense que será algo fiél ao original, aqui a palavra correta seria um filme apenas levemente baseado na obra, ok? Eu mesma li o livro em 2014 e sinceramente, lembro bem pouco do que os autores John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle retrataram. Os principais pontos como: o porquinho teve no filme, então posso dizer que a experiência foi ótima, rs. 

Agora, vamos começar a falar sobre as histórias? São três núcleos narrados ao mesmo tempo que se encaixam perfeitamente ao chegar no final. O primeiro é de Julie e Stuart, a garota que conhece o cantor famoso no trem e passará um dia cheio de reflexões. O segundo é de Duke (a Sabrina Spelmann da Netflix) e Tobin, dois melhores amigos que se envolvem num triângulo amoroso com JP (um rapaz bem legal, por sinal). E o terceiro é com Dorrie enfrentando a garota dos seus sonhos a ignorando e tendo que lidar com a melhor amiga ciumenta com o sumiço do namorado em plena véspera de Natal. Veja o trailer abaixo:


Como vocês podem ver, tem muita coisa acontecendo ao mesmo tempo e isso já é um dos pontos positivos, pois no livro você lê tudo em separado e não se envolve como o filme faz. Aqui, desde cedo você percebe como todas as histórias se conectam e pega pequenas referências. O desenvolvimento é mais gostoso e todos os personagens seguem uma crescente. Não fica desigual ou perde-se o ritmo.

O plot que mais gostei (por incrível que pareça, é o mesmo do livro) é o primeiro de Julie e Stuart. Acho que foram os personagens que tem a problemática mais profunda, pois vemos aqui reflexões como família, amadurecimento e saber seu lugar no mundo. Uma frase dita por Stuart mexeu muito comigo: "Algo ruim pode acontecer, mas algo bom também pode acontecer". Foi mais ou menos isso e me atingiu em cheio já que minha ansiedade muitas vezes me fazem surtar por coisas que nem sequer aconteceram! Será um exercício diário usar essa frase na minha vida e eu o farei.



Em segundo lugar, coloco Dorrie que é uma personagem maravilhosa demais para ficar com a sem sal da Tegan. Não sei se foi o pouco que vimos, só sei que esse relacionamento não me conquistou, existe uma mensagem de auto-aceitação ali, a amizade de Dorrie com Addie foi muito maior. E fiquei feliz de incluirem de alguma maneira o porquinho no filme, já que no livro ele é tão importante.



E em terceiro, porém não tão ruim, apenas mais fraco: Duke e Tobin que tiveram seu ponto alto num musical lindinho. Acho que esse plot foi o que mais pesou para o lado cômico, incluindo a presença de Keon (Jacob Batalon, o amigo do Homem Aranha do Tom Holland), um rapaz que quer fazer uma festa na véspera de Natal para deslanchar sua carreira como DJ. 



Outro ponto positivo da obra que preciso destacar é a diversidade no elenco. Há representatividade de gêneros e etnias, mas tudo de uma maneira natural. 

Entretanto, nem tudo são flores. O que eu posso dizer para vocês é que não acho o filme algo de Natal como nos é vendido. Ninguém vai para uma festa com os amigos nesta data, se fosse ano novo até concordava, mas a essência do Natal é mais familiar, uma data na qual valorizamos o que temos e por mais que aqui tenha a amizade e amor como pontos chaves, parece mais um filme adolescente normal, sabe? Talvez por isso eu não o avalie tão bem. É morno ao compararmos com outras obras natalinas.

Abaixo, aproveito para dizer que o livro trocará a capa (lançamento previsto para 15/11/2019):



Desta forma, finalizo dizendo que devo ter gostado do filme porque o assisti totalmente separado do livro. Quando há a comparação, pode ser um pouco frustrante. 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia



domingo, 10 de novembro de 2019

Livro: Um Lugar Bem Longe Daqui

Olá amores,

Como estão? Vamos falar sobre o livro do momento? "Um Lugar Bem Longe Daqui" é uma obra escrita pela Delia Owens e publicada aqui no Brasil pela Editora Intrínseca. Para quem tem interesse, também foi uma das escolhas de Reese Witherspoon para o seu clube do livro.



Nessa obra, conheceremos a triste e isolada vida de Kya, ou também como conhecida por todos na cidade a "Menina do Brejo". Após ser abandonada pela mãe, irmãos e pai (todos enquanto ainda  era criança), a garota precisa sobreviver no pântano que é onde mora, totalmente isolada da cidade. No decorrer dos anos, Kya se envolve com dois rapazes e como a sinopse oficial mesmo diz: o inesperado acontece. 

TODOS idolatram esse livro e eu precisava saber o real motivo. Não me arrependi. "Um Lugar bem Longe Daqui" é intenso, com a carga dramática alta e que deixa o leitor incomodado ao ver uma criança inocente pagando por erros de outras pessoas. A vida de Kya nos é detalhada para impactar. É impossível não ficar com o coração apertado por essa pequena. E como eu mesma disse para uma amiga, o que mais mexeu comigo foi o fato dela se acostumar com os abandonos. Para ela, é normal todos irem embora, já que é a única realidade que conhece. 

Conforme os anos vão se passando, algumas pessoas surgem e é inevitável ficarmos com medo por ela. Sabe aquele tipo de personagem que você só quer abraçar e dizer que tudo ficará bem? Dizer que a culpa não é dela. Dizer que ela é mais forte do que pensa simplesmente por ir contra todos ao permenecer sozinha para (enfim!) ser quem ela quer/ama ser, a garota que brinca com as gaivotas e valoriza a natureza. Pois bem, essa é nossa Kya. 



Temáticas como família e amadurecimento são recorrentes, porém acredito que o que mais vale o destaque é o preconceito. Tanto Kya (sendo excluída e taxada como selvagem) quanto Pulinho (o senhor negro dono de um posto que sempre a ajuda) são alvos de críticas e julgamentos. Sempre excluídos e a margem da sociedade, tiramos várias reflexões sobre o que poderia ter sido o futuro de ambos caso tivessem as mesmas oportunidades do que o restante da cidade. É para se pensar...

Intercalando o passado e o futuro, gosto muito da autora projetar um futuro para os personagens. Vemos todo o desenrolar da vida de Kya, Ma, Jodie, Pulinho, Tate... Por mais que algumas pessoas desapareçam no meio da história, ficaremos sabendo seus finais. Ponto muito positivo, pois isso mostra o quanto a história é fechada e coerente.  

O livro também tem uma pegada no suspense que completou o drama inicial muito bem. O ritmo de leitura acelera para sabermos o desenrolar das problemáricas, afinal, Kya em toda sua simplicidade se torna um alvo e precisamos saber qual sua verdadeira história. Não quero falar muito, pois não quero influenciar ninguém, só digo que meu palpite estava errado, rs. Ou seja, outro ponto positivo: o final foi surpreendente para mim sim. 


Não dou nota máxima para a obra, simplesmente pelo fato de achar o início um pouco maçante por conta das descrições do pântano. Custei a achar um ritmo, porém quando o encontrei, não queria parar de ler até saber qual seria o desfecho. Delia Owens tem grande mérito por nos trazer uma história sensível e envolvente. Tudo aqui tem um motivo e você só perceberá quando chegar na última página.

AH! Mais uma coisa. "Um Lugar Bem Longe Daqui" virará filme com produção da Reese Whitherspon. Ainda não temos muitas notícias, mas as trarei para vocês sim. Acompanhem o instagram do blog que lá sempre posto as novidades. 



Espero que tenham gostado da dica de hoje. Acredito que seja um dos livros mais maduros e dramáticos que trouxe para vocês e isso só me provou uma coisa: teremos mais dicas do clube de leitura Hello Sunshine por aqui, porque já encontrei afinidade, rs.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (4,5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Livro: O Que Escolhemos Esquecer

Olá amores,

Recentemente, a Juliana Dantas lançou na Amazon o chamado "O Que Escolhemos Esquecer" e chegou o momento de eu trazer a resenha para vocês já que esse livro mexeu muuuito comigo e eu precisava respirar um pouco após seu término.


Para começar, vou falar um pouco sobre a sinopse: após um grave acidente de carro, Ella acorda sem se lembrar os últimos sete anos. Até que Luke St. James aparece em seu quarto e lhe solta a bomba: eles são casados há anos! Só que Ella nem se lembra de tê-lo conhecido e assim começa a busca pela verdade.

Como todo enredo da Juliana, eu sei que vocês vão dizer que é clichê e é sim, não vou negar. Porém, a forma como ela nos traz as descobertas e o envolvimento dos personagens é a diferença. É mágico. A tensão entre Ella e Luke realmente existe e é IMPOSSÍVEL parar de ler.

O romance é ágil, pois Ella começa a ter seus falshbacks, mas nada é simples, pois a cada revelação se torna mais complicado seguir em frente. Confesso que não gostei muito de como Ella e Luke se envolveram (se fosse comigo, eu sairia correndo), porém tudo é justificável com a atração e o sentimento do casal, e convenhamos... São livros, tudo pode, tudo é lindo e faz a gente suspirar, rs. Isso definitivamente não atrapalhou minha experiência de leitura, pois (como eu já disse) a obra tocou meu coração de uma maneira bem gostosa.


E você pode estar pensando... "Alê, se o livro é tão bom, por que você demorou algumas semanas para trazê-lo para cá?" Bom, eis a resposta: esse livro traz consigo uma verdade que mexeu comigo. Não é só o amor que segura um relacionamento. Não é só aquela paixão desenfreada que nos faz feliz. Todo o livro traz uma coerência importantíssima, pois eu mesma já passei por algo assim. Só o amor não é suficiente

Há possibilidade para uma continuação e eu torço para que a autora a faça em breve, pois o final é impactante e deixa o gostinho de quero mais.

Para adquirir o livro: clique AQUI.

Também deixo a dica de que a obra encontra-se disponível no box de Romances Inesquecíveis AQUI.



Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 5 de novembro de 2019

Série: Riverdale - Season 3

Olá amores,

Sei que estou bem atrasada, mas como esse espaço é para falar sobre o que eu gosto e estou vendo/lendo, acho que posso trazer minha opinião sobre a terceira temporada de Riverdale, certo?



CERTO! Então bora lá falar sobre Betty, Jughead, Archie e Verônica, nosso grupo de amigos que mesmo sendo muito unidos tem diversas 'aventuras' separadamente. 

Vamos analisar o que cada personagem está fazendo? Após o término da segunda temporada, Archie sendo acusado de assassinato, veremos seu julgamento e suas consequências. Verônica está abrindo o Inferninho ou também conhecido como "La Bonne Nuit", sua boate secreta embaixo do Pop's. Betty precisa lidar com a misteriosa Fazenda e a lavagem cerebral que fez em sua família e Jughead quer resolver os novos assassinatos feitos em nome do Rei Gárgula, um personagem de jogo RPG que criou vida no corredor da escola e agora está partindo para toda a cidade. Ufa. É bastante coisa e se quiser, abaixo deixo um vídeo recapitulando a season 2 e com uma pequena promessa da season 3:



Agora, para resumir minha opinião, digo: os únicos plots interessantes (na minha humilde opinião) foram Jug e Betty, porque Archie e Verônica não convencem. Archie focado no boxe e Ronnie na eterna briga com sua família são mais do mesmo. O protagonista "ruivo" pode até ter traumas a serem superados, mas não prendem a atenção do telespectador. Enquanto o ponto alto da sua namorada, é o envolvimento com Reggie. É inegável a química entre Camila Mendes e Charles Melton, namorados na vida real, então deixo aqui registrado que torço demais para Veggie acontecer e rápido. rs



E por falar em química... Betty e Jug. Eita casalsão, né? Eles não precisam de cenas apelativas como Varchie (Verônica + Archie). Os beijos na testa, a troca de olhares... Tudo aqui faz sentido! Um não menospreza o outro e são seguros quanto aos seus sentimentos. Relacionamento perfeito! Assim, depois de exaltá-los, podemos seguir para a parte mais "surreal" de Riverdale que é uma pessoa fantasiada de Rei Gárgula induzindo pessoas a se sacrificarem com veneno...

Acho que Riverdale peca um pouco na sua bizarrice. Tem cenas totalmente falsas, que não dá para defender. PORÉM, sabe aquele famoso: é ruim, mas é bom? É exatamente o que acontece aqui. A gente sabe que vai ser trash e continua a ver porque vicia. Ainda mais se você (assim como eu) ama uma problemática de bailes da escola misturado com "quem matou fulano", rs.



Dessa terceira temporada, quero destacar dois episódios como os melhores até então. O primeiro é quando nossos atores interpretam os próprios pais (03x04) e o segundo é o episódio musical (03x16) que (finalmente!) tivemos a participação do Cole Sprouse cantando uma das melhores versões do cast (quer ouvir Seventeen? Clique AQUI, só lembre que pode haver spoilers). 

Para não deixar de falar da Cheryl só faço uma observação: a personagem é boa demais para estarem jogando de escanteio como fazem continuamente. ADORO a personalidade dela e a Madeleine Petsch é maravilhosa! Existe uma promessa de crescimento nessa quarta temporada por conta da saúde emocional da personagem, mas ainda  não posso dar certeza de que hove uma melhora. Ah, mas não se preocupem que já estou acompanhando a quarta temporada e dessa vez trarei a crítica em primeira mão, rs.



Ou seja, para finalizar, posso dizer que Riverdale continua sendo uma ótima opção se você busca uma série adolescente para se divertir. A mescla de suspense com romance juvenil nos tira da realidade e dá aquela sensação gostosa de que tudo sempre termina bem, rs.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - É ruim, mas é bom e eu AMO! rs

- Alessandra Salvia


P.S.1: O Archie é um protagonista chato e não merece destaque no meu post;
P.S.2: Betty é a verdadeira protagonista, carregou a temporada nas costas e muito bem obrigada;
P.S.3: A season finale foi MUITO boa, acho que uma das melhores;
P.S.4: Nunca é demais falar o quanto amamos o casal Bughead. PERFEITOS. ♥



domingo, 3 de novembro de 2019

Livro: O Beijo Traiçoeiro

Olá amores,

Há muito tempo, venho ouvindo minha mãe falar: "Alessandra, leia 'O Beijo Traiçoeiro', você vai gostar!" e eu sempre adiava, adiava e adiava. Mas finalmente chegou o dia em que dei ouvidos a ela e devorei esse livro que é o primeiro de uma trilogia escrita por Erin Beaty e publicada pela Editora Seguinte.


Nesta série, conheceremos Sage Fowler, um jovem garota que perdeu os pais e agora mora com os tios que insistem que ela precisa se casar, porém como sua personalidade é bem difícil (e a sociedade a renega), Sage acaba se tornando ajudante da casamenteira que está a caminho do Concordium, um evento na capital do reino no qual as damas nobres buscam casamentos vantajosos para a época.

Porém, não pense que é um romance de época comum. NÃO! Aqui tem muita ação com a entrada de Capitão Quinn e seus soldados Casseck e Ash. Há uma ameaça ao Rei e no meio de tantos segredos e traições, Sage se tornará uma importante figura nesse jogo de poder. E isso se tornará muito perigoso tanto para nossa jovem lady, quanto para o exército mais experiente. 

Juro para vocês que não esperava a grandiosidade da obra. Esperava algo águinha com açúcar que acabaria em casamento para Sage. E como me enganei!!!!!! O livro tem cenas que te fazem perder o fôlego (principalmente na reta final) com suas lutas e reviravoltas. É divertido, mas ao mesmo tempo romântico e cheio de aventuras. E quando digo reviravoltas, digo que há grandes chances de você ser trouxa, rs. Confesso que eu já desconfiava, mas porque havia lido a sinopse oficial/orelha do livro, então minha dica é se você puder ler a obra apenas com essa resenha, melhor!


A protagonista é inteligente, emponderada e faz a diferença para o ritmo do livro não ser entediante. Mesmo teimosa em diversas cenas, para mim, Sage é maravilhosa! Ela se arrisca pelo que considera certo e tem um grande coração. O fato dela correr atrás do seu futuro também muito me alegra, não há aquelas lamentações ou aflições, ela quer trabalhar, quer ser dona do seu próprio destino. O que para a época retratada, é uma coisa bem diferente.

Lendo algumas resenhas do skoob, vi que muitas pessoas acharam a obra machista e misógena. Vi comentários sobre as personagens femininas serem extremamente caricátas e o uso de artifícios  inadequados como a rivalidade feminina e situações no qual a arrogância predomina. E por mais que eu concorde em alguns pontos com isso, eu não enxerguei essas coisas durante a leitura. Não sei se isso é algo preocupante ou se eu simplesmente mergulhei na história, preciso pensar no que estou buscando quando leio um livro, mas o que eu posso dizer agora é que (para mim) vale muito a pena arriscar a leitura num romance com espionagem e trama política bem desenvolvida.


Espero que vocês tenham gostado da dica de hoje e entendido meu posicionamento. Acho que essa é a grande beleza da leitura, cada um interpreta a mesma história de diferentes maneiras e levanta discussões relevantes sobre a sociedade num geral e quem somos.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Texto: Ready For It?

Olá amores,

Dia de texto novo no blog! Hoje a inspiração é uma música da Taylor Swift chamada "Ready For It?" e espero que vocês gostem, acho que foge um pouco do que estou acostumada, mas valeu a pena!




"As luzes neon explodem a nossa volta. As batidas da música alta ecoam nos meus ouvidos e eu simplesmente me deixo levar. Você toca meus braços. Eu arrepio. Dançamos como se não houvesse amanhã. 

Faz anos que não me sinto tão viva assim. O DJ sabe exatamente o que precisamos. É como se cada nota musical fosse transportada pelo sangue do meu corpo. Meu coração acelera mais e mais e eu não sei mais onde estou. Aqueles olhos a minha frente hipnotizam.

Eu sei que preciso ir com calma. Não sou uma garota comum que pode conhecer alguém na balada e levar para casa. Preciso manter meus segredos a salvo. Mas por que não aproveitar o momento? Talvez ele nem se lembre de nada amanhã, talvez eu possa fazê-lo acreditar que foi um sonho.

Ele sorri como se lesse meus pensamentos. Acho que é tarde demais. Estamos conectados e algo me diz que ele não é como os outros. Ele está disposto a arriscar quando pousa os lábios macios em meu ouvido, sussurrando:

- Você está pronta para isso? 

Sorrindo como uma felina prestes a dar o bote, respondo:

- E que os jogos comecem."


- Alessandra Salvia