quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Livro: Quase uma Duquesa

Olá amores,

Recentemente, a autora parceira Juliana Dantas lançou na amazon a continuação do livro "Sonho de Princesa", o chamado "Quase uma Duquesa".




Caso queira conhecer a resenha do livro 1, clique AQUI, pois essa resenha é impossível não conter spoiler do primeiro volume da trilogia que também é um spin off de 'Uma Noiva de Natal', a série da Julie e do Simon que vocês também acompanham aqui no blog.

Nessa obra, Sophia é uma sonhadora vidrada na família real britânica e está fazendo de tudo para se casar com o príncipe Harry. Porém, após se apaixonar pelo fotógrado Henry, sua vida tem uma reviravolta de 180º: ele é um duque que não está contente em retornar para casa para os compromissos aristocráticos. Agora, como fazê-lo entender que tais compromissos são um privilégio não um fardo?

Como sempre, Juliana Dantas tem seu bom humor afiado e cenas bem divertidas para trazer gargalhadas de seus leitores. E por mais que Sophia esteja mais centrada, ela ainda possui sonhos e tem uma difícil missão aqui, demonstrar que seu amor por Henry é maior e mais forte do que seu desejo de ser nobre e isso acarretará em situações constrangedoras e hilárias! 

Eu não dou nota máxima para obra, novamente, por conta desse exagero de cenas de comédia. Não pense que é como Julie e Simon, não. Aqui tudo é mais comedido, mas mesmo assim não é algo que me atraia 100%, eu gosto mais quando a autora pesa a mão no drama, coisa que aqui fica em um plano bem secundário.

Esse livro também será o ponto de encontro de Julie e Simon com Sophia e Henry. Aqui, entenderemos a linha temporal de ambas as histórias e como cada detalhe se encaixa. Temos a promessa do livro 3 vindo por aí, o chamado "Um Brinde à Realeza" está previsto ainda para 2020.


"Quase uma Duquesa" é um chick-lit gostosinho e rápido de se ler. Recomendo para fãs do gênero e para quem deseja uma história tipo sessão da tarde: romantica, desastrada e encantadora!



Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

Série: Virgin River - Season 1

Olá amores,

Recentemente assisti a primeira temporada da série Virgin River que foi lançada na Netflix e mesmo sem fazer muito barulho, a série já foi renovada para sua segunda temporada, YEY!!!!!


Baseada nos romances escritos por Robin Carr (que chegará ao Brasil em Março/2020), Vingin River na verdade possui cerca de 20 livros já publicados e agora conquistará nossos corações na telinha. A série é perfeita para os fãs dos romances da Harlequin, para quem gosta de Cheesapeake Shores ou When Calls the Heart. A história nos conta a vida da enfermeira Melinda que vai para a cidade de Virgin River refazer sua vida após trágicos acidentes.


Lá, além de lidar com o mal humorado médico, o Dr. Mullins, Mel conhecerá Jack, o dono do bar que será o responsável por apresentá-la a todos na cidade. E essa química de Mel e Jack é inegável, por mais que ela sofra demais, ele será o responsável por colocar um sorriso em seu rosto novamente.


Pronto, pode suspirar, rs. Vai me dizer que essa a premissa não é envolvente? Sabemos que os problemas vão acontecer, Mel precisará aprender a seguir em frente, mas por que não ter uma cidadezinha interiorana a apoiando? Haverá muita solidariedade, muita fofoca, festas típicas e chalé reformado para aproveitamos o melhor de Virgin River!

Com flashbacks nos contando o passado de Mel, ela vai se encaixando e dando pequenos passos rumo a felicidade novamente. O ritmo da história é lento apenas em relação a evolução da protagonista (e não é uma crítica, pois condiz com os traumas por ela passados), os outros plots são muito bem desevolvidos e não enrolam. A série é perfeita para maratonar num final de semana chuvoso, com pequenas histórias a serem desenvolvidas no decorrer da cada episódio, como casos médicos ou sequestros

Pois é... É importante dizer que por mais que a série seja toda doce e calma, há seus momentos de tensão. Perto da cidade, há uma plantação de maconha e teremos alguns conflitos por conta disso. Mas não é nada forte, é mais uma tensão do que um conflito ativo. Não que isso não possa ser aprofundado na próxima temporada.

A fotografia é simples, porém bem bonita. Gostei da produção da série, não sei se pelo fato de já ser uma adaptação há a facilidade do roteiro ser mais fechado, só sei que tudo foi muito bem resolvido e com as pontas certas soltas para uma continuação. 


Desta forma, digo aos interessados que "Virgin River" é um drama gostoso de assistir cuja temática principal são os recomeços e a superação, é difícil de errar, pois quem gosta desse tipo de série, já sabe que terá 10 ótimos episódios maravilhosos pela frente...

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhosa!

- Alessandra Salvia

domingo, 23 de fevereiro de 2020

Livro: Pequenos Incêndios Por Toda Parte

Olá amores,

Como vocês sabem, eu estou fazendo um projeto para ler os livros indicados pela Reese Witherspoon em seu clube de leitura, o Hello Sunshine e o escolhido da vez foi "Pequenos Incêndios Por Toda Parte" da Celes Ng publicado pela Editora Intrínseca.


O livro terá sua adaptação pelo streamming da Hulu e será lançado em 18 de março. Reese participará como atriz e produtora da série e terá como companheira de elenco, Kerry Washington


Sendo um livro único, a história contará a vida da família Richardson, que aparentemente tem a vida perfeita em uma cidade perfeita. Só tem um problema. A casa da família sofre um incêncio misterioso. Acidente? Não. Pequenos incêndios foram inciados em diversos cômodos, ou seja, foi criminoso. Mas... Quem seria capaz disso? Muitos segredos virão a tona ao voltarmos um pouco no tempo de descobrirmos que tudo começou a desmoronar com a chegada da artista Mia Warren e sua filha na cidade.

Este, foi meu primeiro contato com a Celeste e foi bem positivo de uma maneira geral, gosto de como ela conduz a história nos dando aos poucos elementos para construir cada personagem e admiro as temáticas abordadas, porém, o que não funcionou tanto foi a narrativa, pois para contar um simples fato, há uma grande narração por trás, parece que a autora tem o enredo tão sólido em sua cabeça que cada detalhe é específicado. Infelizmente, foi isso que tornou a leitura bem mais lenta do que eu gostaria.

Em relação as temáticas, eu não posso realmente expor sobre o que o livro se trata já que seria um belíssimo spoiler, então falando de maneira genérica, o livro fala sobre: família, maternidade e também uma discussão importante sobre o papel da mulher. O livro é sim feminista e nos faz ter outros pontos de vista sobre determinadas situações que até podem ser consideradas tabus, como adoção e aborto. Ninguém pode dizer que esse  livro não é original, a autora soube desenhar toda a história e surpreender o leitor de uma maneira muito positiva.

Outra coisa, a construção dos personagens foi algo que me agradou demais! Senti cada evolução e que não existe certo ou errado, cada um tem seu ponto de vista, cada um fala o que pensa e por mais que hajam protagonistas fortes como Elena e Mia, todos os secundários são parte importante nesse quebra-cabeça. A carga dramática das duas mães atingem o leitor através dos adolescentes. Por isso, disse acima que a autora sabe como conduz a história, ela sabe o momento certo de cada reviravolta acontecer e mesmo que não seja uma uma das minhas narrativas preferidas, quero dar mais uma chance a Celeste, pois me senti envolvida (e impactada) com as reflexões propostas.



Desta forma, acredito que de "Pequentos Incêndios por Toda Parte" seja para quem busca obras mais maduras e densas. Não pense que é um livro clichê para passar o tempo e por mais que o mistério do incêndio seja o que chama a atenção a primeira vista, não é isso que te levará ao final do livro. Prepare o coração para a carga dramática!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia



sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Carnaval Book TAG

Olá amores,

Como já é tradição, em época de carnaval temos TAG especial aqui no blog! Essa foi encontrada no canal da Beatriz Paludetto e o mais difícil: só podemos responder com livros nacionais!!!!!! Preparados?





Carnaval Book TAG

Confete e serpentina: Um livro que te deixou alegre e que te fez rir durante toda a folia.
É impossível não sorrir com as atrapalhadas da Sophia ao tentar entrar no palácio para conquistar o príncipe Harry. Resenha AQUI.



Samba-enredo: Texto Literário de alta qualidade.
Que eu sou fã da Bianca, todos sabem, mas acho que preciso destacar esse livro como de alta qualidade, pois ele é um exemplo de um gênero que eu não sou muito adepta e que me prendeu pelas ligações e texto magnífico. Resenha AQUI.


Mestre-sala e porta-bandeira: Um livro com um casal arrebatador.
Quando li a pergunta, pensei direto na Cinthia Freire. Qualquer casal dela é arrebatador, mas 'Confie em Mim' foi o último livro escrito por ela que me tirou da zona de conforto e me deixou encantada ao mesmo tempo. Resenha AQUI.


Harmonia: um livro que tenha sido bom do início ao fim.
Ai que saudade de ler esse livro! Impressionante como me apeguei a ele desde o início e não queria que ele terminasse. "Treze" foi uma grata surpresa e recomendo a todos pela delícinha que é ler. Resenha AQUI.


Rainha da bateria: uma escritora que samba até com a Morte.
Acho que uma imagem fala mais que mil palavras. Ana Beatriz Brandão é uma autora que não tem medo de arriscar e massacra nossos corações. Ah, mas ficaremos felizes com isso, porque não largamos as obras dela por nada desse mundo, rs.



Bailinho infantil: um livro que os pequenos vão se divertir.
Não tenho muitos livros infantis na minha estante, mas felizmente, tenho esse pelo qual sou apaixonada. Erasmo é encantador e quebra até mesmo os corações mais duros com sua inocência e curiosidade. Resenha AQUI.


Bateria: um livro que tenha feito seu coração bater mais forte.
Sei que esse livro é controverso, mas não posso negar que mexeu bastante comigo. Voltei a ler Babi A Sette por ele. Resenha AQUI.


Adereços e Alegorias: Um livro enfeitado e com uma arte gráfica caprichada.
Que as edições da Faro são lindas e de qualidade, todo mundo sabe. Porém, em "Quando Ela Desaparecer" vemos o quanto a edição pode ajudar uma história a se tornar ainda melhor. Se torna uma experiência. Parece real. Resenha AQUI.




Consegui!!!! YAY!!!! E vocês? Façam também! Estão animados para a folia? Eu já estou contando os minutos para me jogar no sofá e fazer minha maratona de leitura, rs.

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Evento: The Gift Day - Internacional

Olá amores,

Se você é do RJ não pode perder o próximo evento da Editora The Gift Box! Será no dia 14 e 15 de Março de 2020 e contará com várias autores de romances, incluindo autores internacionais!!!


Alguns nomes já conhecidos da nossa literatura estarão lá, como Carol Dias, Helena Stein, Cristina Melo, MS Fayes, Bya Campista, Lety Friederich e Mari Salles. E como atrações internacionais, seguem um resumão:


Kennedy Ryanautora ganhadora do prêmio Rita® Awards -da Associação Americana de Escritores de Romance (RWA). Ela é a primeira autora negra indicada ao prêmio em 37 anos de existência do mesmo, ganhando na categoria de romance contemporâneo com o livro “Long Shot”, da série The Hoops. A premiação costuma ser um termômetro para a busca por livros a serem publicados fora dos EUA, e esse romance trata de um assunto sério que é o relacionamento abusivo em que a autora, inspirada em fatos reais, retrata a realidade de milhares de mulheres no mundo.


Sinopse: UM AMOR PROÍBIDO AMBIENTADO NO EXPLOSIVO MUNDO DA NBA…
Você acha que sabe como é ser a garota de um jogador?
Você não sabe.
Meu conto de fadas está de cabeça para baixo.
Um felizes para “nunca”.
Eu beijei o príncipe e ele se transformou em um sapo.
Eu era uma tola, e seu amor – uma fraude.

Agora tem um novo jogador na partida, August West.
Uma das estrelas mais brilhantes da NBA.
Bom. Proibido.
Ele me quer. Eu o quero.
Mas o meu passado, meu príncipe enganador, não quer me libertar. (Fonte: Skoob)

*Alguns aspectos dessa história podem ser sensíveis para alguns leitores.




A autora best-seller do New York Times e Usa Today, Kym Grosso, também confirmou sua presença para o lançamento do seu terceiro livro publicado pela The Gift Box Editora, “Tristan”, que faz parte da série erótica paranormal, Immortals of New Orleans, que teve seus direitos de adaptação para o cinema adquiridos pela Dreamstreet Entertainment.




Sinopse: Um romance erótico paranormal… Carismático e poderoso, o Alfa dos Lobos Liceu, Tristan Livingston está atrás de vingança após um devastador ataque à sua alcateia. Ele não só sobreviveu ao desmoronamento de um prédio, como ele orquestrou a reconstrução de seu chique clube noturno em uma semana. Determinado a fazer justiça, ele resgata uma bela testemunha que pode ser a chave para ajudá-lo a encontrar os criminosos.
Dra. Kalli Williams, veterinária dedicada, está escondendo um segredo que pode colocar em perigo não somente sua vida, mas a vida dos lobos em todo o país. Depois de ser torturada por um vampiro selvagem, ela relutantemente concorda em ajudar o sexy Alfa em sua busca para identificar os suspeitos. Suspeitos esses que a matariam imediatamente se soubessem que ela existe. Logo que Kalli se coloca nas mãos do lobo dominante, ela logo descobre que não quer nada mais do que se submeter.
Tristan, empenhado em governar sua alcateia como um lobo solitário, está inexplicavelmente atraído pela adorável e misteriosa mulher, que parece ser mais do que humana, mas não exatamente sobrenatural. Quando ele descobre o seu segredo, ele a ensina o significado de confiança, a ajudando a aprender como ser fiel à sua natureza. Após viver a vida toda sozinho, irá ele sucumbir à necessidade visceral de reivindicá-la, admitindo a conexão de alma entre um Alfa e sua companheira? E ele triunfará contra o feroz inimigo que ameaça destruir os Lobos Liceu? (Fonte: Skoob)

Aviso: Esse livro contém várias cenas eróticas de amor, incluindo um ménage m/f/m, e é destinado somente para leitores adultos.




De acordo com a diretora editorial da The Gift Box, Roberta Teixeira, a editora não poderia iniciar 2020 de forma mais promissora. “O The Gift Day tem um Line up que visa o empoderamento feminino, fator primordial e bastante esperado pelos leitores. Estamos na quarta edição internacional do evento e cada vez buscamos oferecer uma estrutura inspirada em grandes eventos internacionais, fomentando o interesse do leitor pela literatura em tempos de crise no mercado editorial”, acrescenta. Ainda segundo Roberta, são os esforços em trazer nomes relevantes no cenário estrangeiro que faz do The Gift Day um evento de tanto sucesso.


Informações do Evento:



O The Gift Day acontece em dois dias, com dinâmicas diferentes para atender ao público. No dia 14 de março, sábado, a entrada é através da compra de ingresso vip, que garante acesso ao evento de forma diferenciada, com bate-papo com os autores, sem limite de livros para autógrafo, kit extra vip contendo uma bolsa e um lançamento à escolha do leitor e coquetel. Os ingressos são limitados.

Já no dia 15, domingo, o acesso é gratuito e é preciso garantir o lançamento do autor da mesa que desejar o autógrafo, podendo autografar mais dois outros livros do mesmo autor.

Todos os lançamentos já estão disponíveis no site da editora através do link: HTTP://bit.ly/PreVendasTGB , podendo antecipar as compras e retirá-las no local.

Os ingressos para o dia 14 podem ser adquiridos pelo link http://bit.ly/TGDInternacionalVIP e, no dia 15 pelo link http://bit.ly/TGDInternacionalGratuito

SERVIÇO:
THE GIFT DAY INTERNACIONAL 2020
Local: Centro de Convenções (Bloco 02) e Business (Bloco 03) – Avenida das Américas, 1650 – Condomínio Ion Intelligent Center – em frente à estação BRT Paulo Malta Rezende, Barra da Tijuca, RJ.
Data: 14 a 15 de março
Horário: a partir das 12 horas

Siga a The Gift Box:

*Agradeço a Solange Arten, minha querida Soso, por todas as informações acima. Ela é assessora de marketing da The Gift Box e sempre muito atenciosa conosco, blogueiros literários.

- Alessandra Salvia

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Filme: Para Todos os Garotos que Já Amei - P.S. Ainda Amo Você

Olá amores,

Eu não ia trazer essa postagem para vocês, acho que mundo um pouco já está um pouco cansado de ver/falar sobre "Para Todos os Garotos que Já Amei: P.S. Ainda Amo Você", o segundo filme a trilogia que foi lançado recentemente na Netflix, porém como eu gosto de ter registro das minhas opiniões para quando o último filme for lançado, resolvi trazer sim esse conteúdo. rs


Se você já está esgotado desse filme, volte um post, tem uma resenha de um livro lindo te esperando. Agora, se você ainda acha que há espaço para falar sobre 'P.S. Ainda Amo Você' prossiga... Caso queira ainda ver minhas opinião sobre o livro clique AQUI e sobre o primeiro filme AQUI.


Começando de onde o primeiro filme parou, Lara Jean e Peter K. vão perceber que nem só de amor um relacionamento sobrevive e acho que essa temática é a mais certeira possível, pois traz aquela dose de realidade e ainda humaniza os personagens ao seu máximo, já que Lara Jean é uma garota super insegura e que não enxerga seu potencial após passar uma amizade tóxica.

Confesso que o fato de existir um triângulo amoroso me faz revirar os olhos, mas a história foge do óbvio trazendo um John Ambrose apaixonante e muitas vezes, mais carismático que o mocinho original, Peter. Bom, talvez isso não seja tão verdade, Peter K. é muito apaixonante o que estraga um pouco ele é ser vivido por Noah Centineo... Não, não pense que eu não gosto do Noah, porque eu gosto, só o acho um ator meio fraco e para as cenas mais dramáticas, faltou emoção. Porém, sou 100% Team Peter K, ok? Nem duvide disso, rs.


Agora, falando da Lara Jean, acho que a garota foi a responsável por toda a confusão acontecer, não o Peter. Por quê? Porque se ela tivesse contado ao John sobre o namoro metade das situações não existiriam. Sem contar que ela mesmo admite que o problema dela é com a Gen, não com o Peter ainda ser amigo da Gen. E falando em Gen, talvez seja a personagem mais injustiçada da obra... Não quero passar pano em nenhuma atitude da garota. O que ela fez foi muito errado, entretanto, no livro há uma explicação para o Peter ainda manter contato, aqui parece que ele só é um besta por permanecer ao lado da ex durante a separação dos pais dela. Senti que faltou profundidade nesse aspecto, coisa que o livro tem.

Só que se vocês me pedirem para escolher entre filme e livro, por incrível que pareça, eu vou escolher o filme. Para mim, super funcionou! Não me decepcionei em nada e mesmo não tendo o impacto do primeiro, é uma obra muito fofa e gostosa. Perfeita para quem ama romances adolescentes despretenciosos!


O filme 3 baseado em "Agora e Para Sempre, Lara Jean" já está confirmado e parece que até já foi filmado! Estamos esperando ansiosos por alguma novidade da Netflix e assim que souber, conto para vocês. Só não se esqueçam de deixar nos comentários o que acharam da adaptação, hein? Vou adorar saber!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

domingo, 16 de fevereiro de 2020

Livro: Dilacerada

Olá amores,

Como estão? Faz algum tempo que terminei de ler "Dilacerada" da Helô Delgado que está disponível pelo Unlimited da Amazon e só agora consegui reunir coragem para vir falar um pouquinho dessa leitura para vocês.


Para quem não conhece, a obra é um romance dramático bem do jeitinho que eu amo: sensível, doce e que destrói meu pobre coração para depois reconstruí-lo com esperança e amor ♥. É aquele famoso: você vai sofrer, mas ficará feliz por isso, sabe? Aqui, conheceremos Vivian, uma garota que narra seu passado para a psicóloga afim de tentar superar suas dores e curar velhas cicatrizes. 

Entre idas e vindas no tempo, o livro trata de temas importantes como alienação parental e perdão. E para mim, que tenho questões não resolvidas com o meu pai, não foi uma leitura fácil. Confesso que em diversos momentos (mesmo não vivendo a mesma situação que Vivian) eu me senti representada pela sua fragilidade perante o amor familiar e seus questionamentos em relação ao que seria considerado amar ou então, o que seria certo (ou não) frente as decisões tomadas por nossos pais que mudam nossa vida radicalmente

Foram pequenos ganchos que proporcionaram grandes reflexões. Durante a leitura me senti exposta, totalmente fora daquela zona de segurança que tento me manter na maior parte do tempo e como isso me fez bem... Uma simples frase sobre sermos o resultado de nossa criação me tirou um monte de dúvidas sobre o amor que meu pai sentia e que felizmente, uma decisão errada não apaga todas as outras certas. Não sei se vocês estão conseguindo entender o meu ponto de vista, talvez a resenha esteja muito pessoal, mas foi exatamente assim que me senti ao ler 'Dilacerada': a verdade nua e crua sendo jogada na minha cara. É isso que eu quis dizer com: me destruí para reconstruir, eu tive que mexer em velhas feridas para compreender certos sentimentos que possuo hoje. Sentimentos estes que compartilho com Vivian. 



Outro ponto que queria destacar é que há uma representatividade importante aqui e que não pode ser ignorada: a pequena Valéria, irmã da protagonista, tem síndrome de Down enquanto Vivian tem epilepsia. Dois temas que seriam considerados tristes e pesados, mas que ao serem retratados com tanto cuidado e carinho, se torna encantador! É um dos pontos mais bonitos da história! Valéria é uma preciosidade de menina e que deixa nosso coração quentinho a cada cena em que aparece por sua doçura e cumplicidade com a irmã.

Falando também sobre a escrita da Helô, vocês podem pensar que por ser uma história complexa por conta dos temas abordados, a narrativa é arrastada e difícil, né? Mas não, te juro que é muito pelo contrário. A escrita da Helô não te faz querer parar. Você lê uma página e se pega sorrindo para os personagens. As cenas de romance de Vivian com o melhor amigo da adolescência são apaixonantes e ambos amadurecem muito junto com o desenvolvimento da obra. Observo também que uma simples atitude de Vivian (como é um spoiler não vou falar o que é) na reta final da obra, nos mostrou o quanto o amor pode ser forte e necessário para seguirmos em frente. E essa atitude não é comum em livros de romance não, viu? 

Ah, já falando sobre o final, devo dizer que uma grande reviravolta acontece e eu não estava esperando. Foi como se um balde de água morna tivesse sido jogado em mim. Não digo balde de água fria, pois a surpresa foi boa, mas que eu não esperava, ah, meu bem... Isso eu não esperava, rs.



Agora, se você gostou da resenha e sentiu a minha empolgação lendo, este é um livro para você. É uma história que me tornou alguém melhor e recomendo para quem deseja se emocionar, para quem deseja sair daquela bolha protetora. Helô Delgado ganhou um espaço fixo no meu coração e eu leio qualquer coisa que essa mulher escrever! 



Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito! 

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020

Words Challenge: 1799 - Revolução Francesa

Olá amores,


Essa é uma das temáticas favoritas da Pâm do Interrupted Dreamer e tinha que estar na nossa linha do tempo do words challenge, rs. As palavras escolhidas para nosso desafio foram: dente, tecido, vaca, luva, rachado e pregador. E eis o resultado!



Words Challenge 2020: 1799 - Revolução Francesa


“O ano é 1799 e admito que nunca imaginaria algo assim acontecendo. A revolução é real. O povo se uniu. Sinto-me emocionada. Conseguimos! Vejo esperança nos rostos que entram em minha taverna, vejo olhos brilhando apenas por verem que há uma bandeira azul, branca e vermelha em minha parede de pedra. O teto pode estar rachado e a mesa bamba, mas minha velha companheira de luta está intacta na parede.

Lá fora, há gritaria “Liberté, égalité, fraternité”. Se eu pudesse, fechava tudo aqui e iria para as ruas com eles, mas é claro que minha mãe jamais permitiria. Ela está lá em cima, costurando vestidos cujo tecido é mais caro que o aluguel de onde moramos. Fará luvas bordadas a mão também, não tenho dúvidas já que suas clientes são muito exigentes. E enquanto isso, eu fico aqui servindo esses beberrões animados.

- Traga mais cerveja, Louise. Temos que comemorar!
- É para já Sr. Garibaldo!

Quando me viro para pegar mais uma jarra da bebida espumosa, sinto sua presença. O sino da porta toca em sequência, mas eu mesma já havia percebido sua aproximação.

Antonie é um dos maiores pregadores do liberalismo e da democracia. Também é o rapaz mais lindo que adentra minha taverna todos os dias e nunca pede nada com álcool, o que é muito estranho considerando os costumes locais.  

- Bonjour, Louise. Comment vas tu?
- Bien, Antonie. Como não poderia estar bem depois das novidades que recebi hoje mais cedo? Estava pensando quando você apareceria para me contar pessoalmente o que conseguiu.
- Eu não consegui nada, mas vim comemorar com você. Posso? – diz sentando-se.
- A luta também é sua. Merece reconhecimento. Vou pegar nossas xícaras.
- Antes que eu me esqueça, haverá uma... Comemoração. Não que eu concorde com isso, já que perdemos muitos homens nessa luta, mas em homenagem a eles, uma vaca será morta e distribuída a quem necessita. Gostaria... Gostaria de ir comigo?

Posso vê-lo ranger os dentes de nervoso. Esse não é seu primeiro convite para sairmos. Ele quer me cortejar e eu sempre evito seu flerte com medo do que o futuro poderia ser, mas agora sei que este é o momento, afinal, uma nova vida se inicia hoje e por que eu também não posso ser feliz? Sorrio e pela primeira vez em anos, aceito seu convite”.


- Alessandra Salvia