terça-feira, 30 de março de 2021

Filmes de Março/2021

Olá amores,

Vamos falar um pouco sobre os filmes vistos agora em Março/2021? Alguns são lançamentos, outros não, mas acredito que vale a pena mencionar para conversarmos um pouquinho...



Mulan - Disponível na Disney+


O live action do clássico Disney foi... Diferente. Bom? Não é. Sejamos sinceros, quem conhece o original não tem como não sair decepcionado. Sem Mushu, sem músicas icônicas? Desculpa, mas não tinha como dar certo. Eles focaram em uma mitologia bacana, fotografia foi maravilhosa, elenco super ok, só que não é a Mulan. Ao ver de maneira independente, sem vínculo com o filme de 1998, a produção até pode agradar, mas assumo que não é meu tipo de filme. As lutas coreografadas e a utilização de magia para justificar certas cenas, não é algo que me anime e não foi uma boa experiência.



Soul - Disponível na Disney+


QUE FILME PERFEITO! Eu amooooo a sensibilidade e simplicidade da Pixar em nos contar histórias que explicam e deixam uma mensagem positiva em nosso coração. Joe, um professor de Jazz está buscando realizar seu sonho de ser um músico reconhecido e nessa trajetória, ele descobrirá o verdadeiro significado de felicidade. Lágrimas rolaram sim, não nego, só que ao término da história, eu fiquei com um quentinho tão gostoso no peito... É lindo como tudo está conecado e nos faz valorizar cada momento especial. 



Moxie - Disponível na Netflix


Outra feliz surpresa! Adaptado do livro homônimo lançado aqui no Brasil pela Editora Verus, "Moxie" é uma obra obrigatória para todos os públicos. Feminista, libertador, encorajador, que nos mostra a importância da sororidade. Mesmo tendo uma pegada mais adolescente, é impossível não terminar de assistir com uma vontade louca de gritar umas verdades ao mundo, de fazer a diferença. Na história, Vivian cria uma publicação anônima chamada 'Moxie' para unir as meninas do seu colégio contra um boy lixo (que é extremamente problemático, nada de passar pano para ele, te garanto!). RECOMENDO DE OLHOS FECHADOS!



After - We Collided - Disponível no Prime Video


Nem lembro de ter trazido a crítica do filme 1 para vocês, apenas do livro, mas como minha mãe gosta bastante de After, acabei assistindo com ela e não tem como falar outra coisa se  não: QUE FILME RUIM! Que série problemática! Quanta coisa errada num lugar só. O filme até tenta consertar algumas coisas do livro, mas o fato dos personagens serem burros, tóxicos e dependentes um do outro, não dá para defender. Ah, sem contat que o roteiro acha que a gente é trouxa, porque tem uns furos que não tem como não terem pegado em uma revisão básica... Horrível!



Eu Me Importo - Disponível na Netflix


Rosamund Pike e Eiza Gonzalez? Eu me importo sim! KKKKK Não sei de onde a Netflix tirou a ideia de que esse filme é uma comédia para classificá-lo desta forma, mas... Enfim... Aqui, Marla ganha a vida roubando idosos junto com a namorada, Fran. Tem que ter muito 'estômago' para fazer o que Marla faz, o coração fica apertadinho com tanta insensibilidade, mas é um arco interessante de se ver, principalmente, quando as golpistas batem de frente com alguém mais poderoso que elas. O final, para mim, foi muito bem escolhido e ambas as atrizes dão um show de atuação!


A Semana da Minha Vida (Disponível na Netflix)


O novo musical da Netflix foi o último filme visto do mês e foi... diferente. Acho que no início houve um excesso de musicas que não levaram a história a lugar nenhum, depois até que as coisas entraram num bom ritmo e foi ok. Vejo falhas no roteiro e poderia ser melhor, isso é um fato. Mas como um musical critão, acredito que cumpriu seu papel. Não sei se teremos continuação, mesmo tendo um final aberto a possibilidades. Não é a melhor obra da Netfilx e você pode reconhecer a protagonista do 'clássico' "Esposa de Mentirinha" do Adam Sandler e Jennifer Aniston.


Vocês já assistiram alguma das obras citadas? Quais filmes fizeram parte do seu mês de Março? Qual você me recomenda? Deixem seus comentários!

- Alessandra Salvia

domingo, 28 de março de 2021

Livro: Cinco

Olá amores,

Como muitos sabem, encontrei nos livros darks um novo mundo, no qual tudo é possível e que, ao me colocar frente a situações extremas, me faz pensar como o ser humano age, pensa e pode ser perverso. Eu amo essa coisa psicológica e ao me deparar com "Cinco", escrito por Lily White, vejo o quanto esse mistério da mente humana pode ser interessante.


A Editora The Gift Box nos trouxe em e-book (em breve, teremos o livro físico), a história de Rainey, uma garota que está contando sua versão dos fatos após ser encontrada com cinco corpos. Ela não tem porte, nem força para cometer brutais crimes, mas ela tem o que Justin precisa: informações. Ou será Rainey a culpada por toda aquela violência? Parece que o número cinco a persegue e muitos segredos precisam ser revelados.

Antes de iniciar a resenha preciso esclarecer: o livro contém gatilhos de violência, estupro, abusos e alienação parental. Por mais que eu não o veja como um livro sobre abusos, porque a maneira como Rainey se coloca em tais circunstâncias, preciso avisar os leitores mais sensíveis. A leitura me fez pensar mais em como os traumas e a insegurança afetam as pessoas e o quanto isso pode se tornar problemático

É um romance dark raíz, como a editora costuma dizer. É o dark na sua essência mais pura com um toque de suspense, já que paralelo a toda trajetória pessoal, temos que descobrir quem será o verdadeiro assassino das cinco pessoas. Confesso que em determinados momentos, eu já estava 'nem aí' para essa parte, eu queria mesmo era saber como Rainey tinha sobrevivido a tanta dor, mas... enfim... É uma história completinha e MUITO bem desenvolvida.


Lily White me encantou com a forma de nos prender a cada capítulo. São muitos personagens e no início fiquei meio bagunçada com os nomes, mas ela desenha a história bonitinha e conseguimos fazer as ligações necessárias conforme o enredo avança. Não o achei um livro surpreendente, porque eu acertei seu desfecho, porém isso não tira seu brilho. Na verdade, isso o exalta ainda mais porque tem certa coerência nas escolhas feitas pela autora e ela faz de uma maneira com que a gente 'compre' aquela ideia. 

"Cinco" é diferente de tudo que já li, pois é um livro no qual a protagonista não se coloca como vítima e é isso que mais me perturba. Fico impressionada com toda a tragédia pelo qual Rainey passa e mesmo assim ela encontra 'justificativa' para tudo, ela se deprecia e não existe a vontade de mudar. Com certeza, impacta quem lê e por isso, ressalto a importância de você saber seus limites e gatilhos antes de arriscar a leitura, ok???


Agora, quero saber: vocês ficaram interessados em arriscar a leitura? Sei que muitos não são adeptos aos darks mais pesados, mas é uma boa dica para quem quer entender o que é um dark e entrar nesse mundo obscuro.


Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 25 de março de 2021

Words Challenge 2021 - Bad Boy

Olá amores,

O Words Challenge de hoje é com um clichê que eu, pessoalmente, sou viciada: bad boys! E não nem escondo mais, viu? rs Então eis que vocês conhecerão a minha versão agora mesmo. As palavras pré determinadas para aparecerem no texto foram: céu, branco, almofada, gritar, fugir e quando. Espero que gostem e por favor, comentem, interajam que isso me anima muito!


Words Challenge 2021 - Bad Boy

 "céu estava encoberto por nuvens. Ótimo. Ninguém iria me olhar torto caso eu usasse minha velha companheira jaqueta de couro em um calor de quase 30º. Não que eu me importasse. Não me importava já há anos, mas era bom passar despercebido pelas ruas. Ainda mais quando se mora em uma cidade tão pequena, na qual tudo vira fofoca.  

Sai de casa sem me despedir. Ninguém notava minha ausência mesmo. Minha mãe estava sentada ao sofá, recostada sob as almofadas empoeiradas olhando para o nada e assim permaneceu quando a porta da frente bateu. 

- Típico filho único e mimado de uma família desestruturada. 

Ouvi a velhaca da vizinha resmungar para o dono da venda, quando passei pela calçada esburacada. Nem me dei o trabalho de mostrar o dedo do meio, nada ali valia meu tempo. E foi aí que eu simplesmente desliguei. Como se tivesse apertado um botão dentro de mim, tudo se silenciou e eu só permaneci em movimento por inércia. 

Andei durante horas em busca de algo que eu nem sabia o que seria. Só acompanhado daquele doloroso e cinzento silêncio como se o mundo ao redor não existisse. Pensei em como fugir, como me livrar daquela sensação ruim que tomava conta do meu corpo. Quando me dei conta, apertava as unhas na palma da mão de uma maneira tão forte que já podia sentir o sangue nos dedos. Porra. Não posso perder a sanidade agora. Não quando estou tão perto da minha liberdade. 

Cheguei à praça da cidade na qual várias crianças deveriam gritar umas sobre as outras. Não os ouvi. Não sorri. Tirei um maço de cigarros do bolso traseiro e os ascendi sem tomar consciência do que fazia. Inalei a fumaça com calma e mirei o outro lado do gramado, até então preto e branco, como tudo que eu via. Ou melhor dizendo, como estava acostumado a ver. 

Ali, diante dos meus olhos, um ponto cor de rosa brilhava. Como uma luz neón me atraindo para mais perto. Os longos cabelos castanhos estavam cobrindo seu rosto e isso só me instigava mais. O vazio do mundo ao redor fazia meu coração bater mais forte em busca daquele único ponto de vida. 

Ela tinha um caderno no colo, no qual várias notas musicais coloridas reluziam em diferentes intensidades. Pela primeira vez em anos, senti vontade de interação, de saber quem ela era, de saber como ela fazia para o meu silêncio ser ensurdecedor. 

Joguei o cigarro na lata de lixo mais próxima e andei com determinação até ela. Como se ímãs fossem acionados, ela levantou o rosto e nossos olhares se encontraram. Eu não disse nada e ela apenas sorriu. Sentei-me ao seu lado dando um longo suspiro enquanto ela voltava a atenção para sua composição, apenas sussurrando:

- Bem vindo ao mundo dos otários.

Aquele som. Aquele único e puro som foi o bastante para eu me sentir em casa outra vez."



- Alessandra Salvia

terça-feira, 23 de março de 2021

Série: Cobra Kai - Season 1, 2 e 3

Olá amores,

Uma das primeiras séries que estreou esse ano, foi "Cobra Kai". Temos 3 temporadas já lançadas na Netflix e hoje vim contar um pouquinho da minha experiência para vocês.


Confesso que não trouxe a crítica das temporadas anteriores antes, pois tive alguns problemas com a série, porém como minha mãe gosta, eu acabo assistindo com ela. Se você ainda não sabe, Cobra Kai é a continuação da famosa trilogia Karatê Kid. Passaram-se 30 anos e Daniel San é um grande empresário local que terá que lidar com o retorno de Johnny, um de seus grandes concorrentes. 


O que é mais legal em Cobra Kai é que vemos o passado colidir com o presente. Vemos um lado diferente da mesma história e passamos a refletir sobre a importância dos pontos de vista e o quanto somos 'manipulados' por apenas ver o lado mais óbvio das coisas. Os atores da obra original voltam para representar seus papéis e o clima nostálgico é garantido!

A integração desse clássico com uma nova geração de lutadores é outro ponto interessante. Gosto muito do elenco jovem e daquele clima clichê de romance e rivalidade adolescente. E falando a verdade, acredito que seja exatamente por isso que trago a crítica da série para vocês hoje, é por essa parte mais boba e leve que eu acredito que valha a pena dar essa dica.

Agora, o que me desanima demaaaaaaaais é o fato de tudo se basear na violência física. Eu não tenho paciência ou interesse em ficar vendo várias cenas de luta por coreografadas que sejam. Desculpa, mas eu acho muito desnecessário ficar nessa briga infantil já há 30 episódios! NÃO, gente. Isso é chato e deveríamos estar incentivando as pessoas a conversarem, a se respeitarem, não ficar brigando por nada. Quer fazer karatê? Faça como ESPORTE.


Ok, meu povo. Eu entendo que é uma ficção, é a proposta da série e tal. Respeito e assumo que a obra é para fãs de luta (quem não gosta, não assiste), porém eu acho que poderia ter apenas uma abordagem com mais responsabilidade social, sabe? Não quero ser chata, juro que não quero, mas nessa terceira temporada um determinado assunto foi abordado de uma maneira tão absurda, que eu tinha que comentar. Caso queira spoiler, selecione o parágrafo a seguir:

O personagem Miguel fica paralítico e a maneira como ele volta a andar, achei totalmente insensível e descabida. Em momento algum, NINGUÉM dá uma palavra de conforto para sua nova condição, valorizando sua vida, só falam que ele tem que se esforçar para voltar a andar. Nas poucas cenas que sua mãe aparece, ela ainda se demonstra triste e chorando. Desculpe, mas quem está assistindo isso e tem algum problema parecido só fica mais deprimido por não conseguir voltar a andar. Acho que em muitos casos falta empatia. E claro, um fisioterapeuta que coloque Johnny em seu devido lugar. Pronto. Voltamos a parte sem spoiler. 


Pois é. Cobra Kai é uma série boa, com um ritmo bom e para fãs de karatê. Poderia ter menos violência gratuita e mais competição esportiva? SIM. Mas é o que é e sinto que não posso abaixar a nota por conta disso, afinal, comecei a ver sabendo dessa 'pegada'. Sam e Robby são meus personagens favoritos e sinto que poderíamos ter tido mais deles na season 3, apesar de Sam ter seu destaque nos episódios finais.

A quarta temporada já foi confirmada e temos um gancho muito decisivo para ela. Espero que tenham gostado da dica de hoje e entendido meu posicionamento. Vocês assistem Cobra Kai? Gostam da série? Deixem seus comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ (3/5) - Boa!

- Alessandra Salvia

domingo, 21 de março de 2021

Livro: Desastre Perfeito

Olá amores, como vocês estão?

Hoje, vamos falar sobre "Desastre Perfeito" escrito por Amanda Maia que está disponível na Amazon


Assumo que será um pouco complexo falar da obra, pois sendo sincera, eu não esperava ficar tão viciada na leitura quanto fiquei. Lilah não era minha personagem favorita e muito menos Aidan, mas com o belíssimo trabalho de narrativa da Amanda e um plot de conquista beeeem gradual, eu fui fisgada totalmente!

Para quem ainda não sabe, "Desastre Perfeito" é o livro 2 da série The Reckless, sendo o primeiro livro chamado "Sintonia Perfeita", porém, como são protagonistas diferentes, ambos podem ser lidos de maneira independente. Aqui, Lilah retorna a sua cidade natal para fazer faculdade e o único que pode lhe ajudar a permanecer longe do pai abusivo, dando-lhe um emprego e proteção, é Aidan. O grande problema é que eles não se dão naaaaaaada bem

Sendo este apenas o Ato I, todo o desenrolar do casal foi sofrido e a promessa da continuação só me deixa ainda mais empolgada. (Pois é, eu amooooo um drama romântico!) Considero a história novamente muito bem construída e "real", nada é do dia para a noite e todos os personagens tomam decisões condizentes com cada situação. Não é porque é um livro de ficção que os acontecimentos devem ser fantasiosos, sabe? Essa série realmente me mostrou o quanto a autora é atenciosa com sua narrativa. Tanto isso é verdade que, por mais que o livro tenha muitas páginas, o leitor permanece fiel a obra, não dá vontade de parar de ler!!!



Isso, sem contar, os suspiros com cenas fofas, sexys e inteligentes. Lilah se tornou uma bela surpresa, uma protagonista esperta e corajosa. Enquanto Aidan cresce a cada chacoalhão que recebe. Considero essa parte da história como a grande libertação de ambos os personagens, por mais que temas como família e segundas chances sejam recorrentes, também vejo uma importante discussão sobre escolhas pessoais e liberdade para seguir seu próprio caminho

O final deixa um grande gancho para a continuação que em breve começará a ser postada no Wattpad. Já adianto que é um livro para se emocionar e se desesperar. A gente sofre, mas gosta. Aidan demora para entender o que realmente sente e acho que sua relação com Mackenzie é simplesmente um reflexo do que ele deseja para si, não o que realmente sente. Nem sei se isso faz sentido para quem  não leu o livro, então basicamente é: o conflito entre realmente amar alguém ou apenas querer ter alguém para si. Espero que no Ato II apronfudemos ainda mais na mente do baterista da The Reckless e tenhamos um grande perdão, porque já estou com meu paninho preparado para ser passado, rs. 



Bom, vocês já viram o quanto eu amei essa experiência, certo? Confesso que demorei um pouco mais para ler este segundo volume, mas foi apenas pelo fato de que eu não queria me despedir esse mundo! Incrível como fui conquistada e me sinto parte daquele grande e intenso grupo de amigos. 

Fico ansiosa por mais e indico de olhos fechados para fãs de new adults.

 

 Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia


quinta-feira, 18 de março de 2021

Primeiras Impressões: Caçadores de Almas

Olá amores,

Vamos de "Primeiras Impressões"? Hoje, vou falar um pouco sobre o que achei dos primeiros capítulos da nova versão de "Caçadores de Almas", o novo livro da Ana Beatriz Brandão que será publicado pela Editora Melhoramentos!


UAU! Acho que é uma palavra que resume essas primeiras impressões. Como vocês já sabem, eu não costumo ler muito terror e no caso de fantasias pego sempre as mais românticas, então quando vi a oportunidade de arriscar essa leitura da Ana Bia não pude deixar de aproveitar. E... UAU! Intenso, que me deixou sem fôlego e totalmente imersa nesse novo mundo que nos é apresentado.

Serena é uma garota bem cética que começa a receber mensagens dizendo que ela está sendo observada, que eles estão chegando... Ela não leva a sério os avisos e o inesperado acontece. Achei um livro mais pesado, denso e com uma pegada adulta. Não posso dar muitos spoilers e claro que só li as primeiras páginas da obra, mas adianto que toda a estrutura dessa 'fantasia sobrenatural' está muito bem embasada e vejo que os caminhos a seguir são bem variados, deixando o futuro com aquele gostinho de imprevisível, o que é perfeito para dar asas a imaginação da autora, que só nos faz surpreender.

Fiquei feliz de (finalmente!) começar a conhecer Dorian. Tenho altas expectativas com o personagem! Ouço falar dele há tempos e senti uma química forte assim que ele apareceu. Como se a ambientação do livro mudasse somente com sua menção. 

Entretanto, totalmente paralelo a Dorian e como verdadeiro destaque temos Serena. Uma protagonista emponderada. Girl power que promete colocar 'fogo no parquinho'. Ela já sofreu bastante logo de início, porém sei que ela não desistirá facilmente até chegar ao seu objetivo final.

Sendo assim, logo logo, trago a resenha completinha para vocês, porque COM CERTEZA quero continuar a descobrir o que Serena enfrentará! 


- Alessandra Salvia

#CaçadoresdeAlmas #LancamentoCaçadoresdeAlmas

terça-feira, 16 de março de 2021

Série: O Mundo Sombrio de Sabrina - Season 4 e Riverdale - Season 4/5

Olá amores,

Como duas das séries produzidas por Roberto Aguirre-Sacasa me decepcionaram este ano, resolvi fazer uma postagem dupla para demonstrar todo meu descontentamento de uma vez e simplesmente seguir em frente, ok? 


Na verdade, eu nem ia trazer essas críticas, mas como eu falo de TODAS as temporadas aqui, acho que seria muito estranho simplesmente ignorar e deixar vocês sem uma resposta. Então, bora falar de 'O Mundo Sombrio de Sabrina - Parte 4' e 'Riverdale'!


Lançada no último dia do ano passado, eu enrolei demais para ver esa temporada e para resumir digo que desastre é uma boa definição. Prometo que será a última vez que vou chamar a Sabrina de egoísta, inconsequente e chata, tá? Ela é uma irresponsável e esse desfecho só mostrou o quanto toda a série se perdeu. Nem consigo dizer que a jornada valeu a pena, porque simplesmente chegou um momento que eu não queria mais ver, sabe? Não conseguia prender minha atenção ou torcer para algum personagem. As coisas foram jogadas e sinto que a única coisa que importava para os produtores era o fan-service. 

Vale dizer que temos a participação especial das tias Hilda e Zelda originais, mas nem isso me animou. Nem isso fez a minha nota subir. Talvez eu tenha insistido na série por conta do Nick? Talvez sim. Mas acho chegar ao final e ver... aquilo, eu nem consigo expressar o quanto perda de tempo foi.

Abaixo, deixarei o trailer dessa última temporada e as minhas críticas anteriores para caso você queira ver a construção de toda a obra, apenas ressalto que não é algo que eu recomendaria:






Agora, bora falar de Riverdale? O final da temporada passada já estava bem irritante e desnecessário, mas com a estreia da quinta temporada com um episódio, no mínimo, controverso, eu desisti. Foi uma grande grande grande decepção ver uma das melhores personagens sendo totalmente descontruída por conta de um garoto irritante. E esperem, antes de virem me criticar, não estou dizendo que Betty não poderia ficar com Archie, não. Estou dizendo que a forma como tudo aconteceu foi ridícula. Não sou obrigada a ficar vendo plot de traição ou passando pano pra falta de caráter.

Uma personagem tão forte e inteligente destruída. Quanta dor no coração me dá escrever isso... Cheguei até a pensar que como Lily Reinhart e Cole Sprouse terminaram o relacionamento na vida real, isso poderia ser uma mudança para o clima não ficar tão chato nos bastidores, entretanto, nada justifica a maneira como fizeram essa alteração de par romântico

Caso queiram ver o trailer da atual temporada e as críticas passadas, abaixo deixo minhas críticas:





E vocês? Tem alguma decepção para me contar? Daquelas séries que você acompanha há anos e chega em determinado ponto só consegue pensar: 'o que tá acontecendo?'? Deixem seus comentários!

- Alessandra Salvia

domingo, 14 de março de 2021

Livro: Ash - Prisioneiros do Ritmo 1

Olá amores,

Vamos falar hoje de um livro que me enganou direitinho: "Ash" escrito por Jane Harvey-Berrick, publicado pela Editora The Gift Box! Este, é o primeiro livro da duologia Prisioneiros do Ritmo.


Eu sei, você deve estar pensando que é um romance, recheado de cenas sensuais e com a dança sendo o principal foco, certo? Errado. "Ash" é um romance dark, repleto de cenas impactantes e com personagens quebrados que precisam enfrentar seus pesadelos para enfim, serem felizes. Que tal? Ficaram mais animados? Eu, com certeza, sim!

Não esperava ficar enjoada, não esperava a intensidade de algumas cenas. Ash é um dançarino que saiu da Eslovênia para Vegas e foi surpreendido pelos chefes russos que lhe retiraram seu passaporte, cartões e celular. A máfia russa o explora, o assedia, o destrói. Por mais que ele queira fugir, parece impossível. Até que sua esperança se renova quando seu caminho cruza com o da escritora Laney. Uma moça americana que viajou a lazer com algumas amigas para Vegas. A atração é imediata, mas o que os une é ainda mais forte: é o medo, é a compaixão, é a necessidade de proteção.

Assumo para vocês que não foi uma leitura muito fácil...Não estou falando pela parte dark, mas pelo protagonista em si, não sei... Algo me afasta de Ash, no início pensei que fosse pelo fato dele ser dançarino e eu não conseguir 'visualizar' as situações, sabe? Acho que não sou tão artística assim, não tenho muita bagagem no tema, não é algo que me atraia, mas Laney mesmo não conseguiu me fazer comprar seu relacionamento. Vejo o envolvimento e o interesse se tornando amor, muito rápido. Pela parte romântica, não considero o livro arrebatador.


Agora,
em questão de drama e das reviravoltas, a autora fez um belo trabalho! Nas cenas de embate, ou até mesmo de confronto psicológico, eu fiquei totalmente imersa na leitura. Eu gosto muito de ser colocada contra a parede enquanto leio, gosto de me questionar, de tentar entender mentes perturbadas e gerar empatia. E com certeza, "Ash" sabe fazer isso com o leitor, ficamos desconfortáveis e buscando a todo momento a liberdade para os personagens, seja essa a liberdade de expressão, liberdade de ir e vir, ou de escolhas, de sentimentos... Acredito que a obra fala muito sobre essa importância de entendermos e sermos livres.

Alerto a todos de que existem muitos gatilhos e não recomendo a leitura para os mais sensíveis. Teremos no livro 2, entitulado "Luka", a história do melhor amigo de Ash que já aparece na reta final deste livro, não sei se seria uma leitura muito recomendada para mim no momento, mas é para aqueles que buscam sentir alguma coisa, por mais que não seja um romance ideal, valeu a pena como experiência dramática, como experiência dark. 


"Ash" pode prometer dança, música e ritmo, mas também nos entrega desespero, sangue e dor. É intenso, é desconfortável, é para mexer com o leitor. 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Bom!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 11 de março de 2021

Lidos e Não Resenhados #1

Olá amores,

Estou percebendo que leio alguns livros e não dá tempo de trazer uma resenha completa para vocês, então, inspirada nessa coluna que já vi no blog Prefácio da Sil e no Capítulo Treze da Mi, teremos "lidos e não resenhados" por aqui também!


Meu intuito é sempre trazer umas 3 dicas por vez de livros que eu já li e que não ganharam o merecido destaque, mas que com certeza valem a pena serem lidos! E como ponta-pé inicial na coluna, eis minhas primeiras dicas:

1) Explosivo - Jane Harvey Berrick (publicado pela Editora The Gift Box):


James é um especialista em desarmar dispositivos explosivos. Ele vive sempre a beira da morte, já que um deslize pode significar um desastre total. Quando ele é solicitado em uma missão ultrassecreta, o que ele menos esperava era se apaixonar por Amira, uma muçulmana que se infiltrará num grupo terrorista. 

A obra até pode ser um romance, mas a ação e as reflexões sociais propostas devem ser levadas em consideração. Diferenças culturais, escolhas pessoais, destino são apenas alguns dos pontos que esse primeiro volume da duologia aborda. O trabalho de pesquisa é impressionante, já que os termos, as descrições militares são muito bem colocadas e desenvolvidas. 

Sobre o que eu achei? O tombo veio. O final dessa obra me pegou totalmente desprevinida e eu JURO que não esperava. Impactante e com aquela dose de vida real necessária.

   


 2) Explosiva #2 - Jane Harvey-Berrick (publicado pela Editora The Gift Box):


A continuação de "Explosivo" permanece com mesma pegada intensa e focada no exército. James está vencendo os traumas deixados pelo final do livro 1 e o que mais gostei foi que nada é simples ou instantâneo. Tudo é um processo e mesmo com a presença de personagens já conhecidos e queridos do público, ainda precisamos ver como James conseguirá seu final feliz.

É um livro que novamente mostra o quanto as escolhas pessoais podem refletir no outro e que perdoar tanto o próximo, quanto a si mesmo é necessário para seguirmos em frente. É uma leitura bem rápida, porque você está empolgada, querendo aproveitar toda a adrenalina da história e saber o que vai acontecer, já que sabemos que tudo é possível. 



3) Além da Anatomia de um Coração - Jéssica Ribeiro (publicado pela Réserver Editora):



Um romance impactante e de destruir nosso coração. Babi não quer se envolver, mas ver no cardiologista Alex sua oportunidade de segurança, é impossível ignorá-lo. Ela joga limpo com ele, mas a atração fala mais alto. E Alec não pega leve não... Sexy, engraçado, educado... Ai Ai Ai. Só de lembrar já estou suspirando, rs. Mas é claro que o livro é para corações fortes. A carga dramática é das mais pesadas e quando eu digo que destrói, é porque ele realmente nos esmaga, viu? 

Admito que a obra não é para todo mundo exatamente por sua intesidade, mas se você está no clima, se joga! Ela é super bem desenvolvida, mescla muito bem o romantisco com cenas mais engraçadas e leves para depois pegar mais pesado nos dramas da vida real. O final da obra é belíssimo e deixa um gostinho de saudade. A escrita da Jéssica foi uma bela surpresa e vou querer acompanhar a autora daqui para frente!

Sobre o livro físico, a Réserver já abriu a pré-venda e a finalizou. Fiquem de olho nas redes sociais da editora para mais detalhes, porém o e-book está disponível no Unlimited.

 

 O que acharam desse novo tipo de coluna aqui no blog? Preferem uma resenha completinha ou são do time de quanto mais dicas melhor? 😂

- Alessandra Salvia

terça-feira, 9 de março de 2021

Série: WandaVision

Olá amores, como vocês estão?

Estou aqui para contar um pouquinho sobre minha experiência com "WandaVision" a minissérie da Marvel que foi lançada no Disney+ que retrata a vida pós-Thanos de Wanda, a Feiteiceira Escarlate.


Importante dizer que para assistir a série, você precisa obrigatoriamente ter assistido as produções anteriores do MCU, já que a história terá referências diretas a final trágico de Visão e em como Wanda reage a sua perda. Por mais que Visão apareça na série, a obra é uma continuação direta de Vingadores - Ultimato


Com 9 episódios, essa minissérie não tem previsão de continuação e afirmo para vocês que foi uma produção simplesmente impecável! De início pode parecer algo meio aleatório, mas dá para ver que há alguns segredos escondidos, cada episódio retratará um sitcom famoso, fazendo referências a décadas passadas, só que com a pegada Marvel já conhecida... O enredo é inteligente, é engraçado e muito ágil! As coisas acontecem com fluídez e num ritmo super envolvente.

Em momento algum o roteiro subjulga o telespectador, a série trabalha com o multiverso de uma maneira natural, os diferentes seres/poderes de cada personagem nos dão diversas possibilidades e é a principal graça da série: tudo é possível e mesmo assim não parece algo forçado. Na verdade, é bem emocionante e impressiona (atire a primeira pedra que não se emocionou com o último episódio!).


Wanda é uma das personagens mais poderosas de todo mundo geek. Isso é inegável e eu falo desde Guerra Infinita quando simplesmente ignoraram o fato dela controlar Thanos apenas com UMA mão. Convenhamos, se ela tivesse um pouquinho mais de auto-confiança, ela daria conta facilmente de qualquer vilão. E eis que WandaVision aconteceu. Wanda se tornou ainda mais incrível, ainda mais poderosa, ainda mais mulher. 

Gosto demaaaais da Wanda ser poderosa, ser uma super heróina e em paralelo a tudo isso, ainda querer ser uma mulher, casada e com filhos. Ela é uma representação importante para o feminismo, ela mostra que podemos ser aquilo que quisermos ser, por mais que as oportunidades dela tenham sido arrancadas, ela ainda sonha, ela ainda tem vontades e pode correr atrás dos seus desejos.

Não, Wanda não é inocente e meu pano está prontinho para ser passado. Nossa Feiticeira Escarlate finalmente viu do que é capaz e talvez, alguns tenham se machucado no meio do caminho... Entendo e respeito a dor das famílias, mas Wanda percebe e assume seus erros, consertando-os. AMO AMO AMO. Quem é perfeito, minha gente? Quem é imune a erros, principalmente quando está sofrendo? 


Outro ponto que quero destacar é a presença de alguns rostos já conhecidos do público e também que fazem links importantes a outras produções. Uma das mais gritantes é o ator Evan Peters (que eu ADOREI!), como personagem Kat Dennings retorna como Darcy (já conhecida desde Thor) e Teyonah Parris será Mônica Rambeau (filha de Maria Rambeau, melhor amiga da Capitã Marvel). Tudo se encaixa e a parte de fã do nosso coração fica SURTANDO, rs.

Já a vizinha intrometida Agnes é uma das adições mais perfeitas a série! Espero poder vê-la em outras produções e como Wanda mesmo diz... Se ela precisar, sabe onde encontrá-la! Isso me deixou muito feliz! Não quero dar spoilers, confesso que não acho o desfecho da personagem surpreendente, já que o acertei desde o início, mas vale a pena até por suas tiradas cômicas


"WandaVision" superou todas as minhas expectativas e se tornou uma das minhas séries favoritas do ano, com certeza! Nem queria me despedir, confesso! Ela trouxe aquela animação  que há tempos não sentia pelo mundo dos super-heróis. E o melhor de tudo é que a Disney+ não nos deixará órfãos por muito tempo: dia 19 de março estreia a segunda produção direcionada para o streamming, "Falcão e Soldado Invernal". Abaixo, vou deixar o trailer já liberado:


E vocês? Já assistiram? Gostaram? Querem ver? Lembrem-se apenas de que serão DUAS cenas pós créditos, ok? Valem a pena! 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia

domingo, 7 de março de 2021

Livros: Série Amores Improváveis

Olá amores,

Há algum tempo, eu li a série "Amores Improváveis" da Elle Kennedy publicada pela Editora Paralela aqui no Brasil e percebi que ainda não havia trazido resenha, por isso, esse é um compilado para vocês terem uma noção sobre meu carinho para com as obras!


Antes de falar das obras de maneira individual, acho importante dizer que toda a série é um clichêzão gostoso e é perfeita para aqueles momentos que a gente quer só fugir da tensa realidade. Não busque grandes dramas ou reviravoltas, o romance é água com açúcar, mas muito bem executado, o que torna a leitura muito viciante. Os garotos aqui são jogadores de Hóquei da faculdade Briar e com toda a certeza, vão te fazer suspirar muito! Vale dizer também que esse universo cresce e depois de "Amores Improváveis" teremos o spin-off chamado "Briar U", que também teremos resenha em breve! Agora, bora falar sobre cada um dos volumes:

O Acordo


Garret precisa aumentar as notas para permanecer no time títular de hóquei da universidade Briar e para isso, sua única esperança é a doce Hannah. Porém, como convencê-la a lhe dar aulas particulares? Talvez ajudá-la a conquistar o rapaz pelo qual ela se interessa possa ser uma grande oportunidade. E a partir daí uma improvável amizade surge e quem sabe, algo a mais também...

A leitura é fluída, os personagens são traumatizados, mas corajosos o bastante para pedirem ajuda um ao outro. Há química entre o casal principal e os próprios secundários são envolventes, o que já te dá gancho para as continuações. Todo o enredo é cativante e o leitor não consegue largar a obra até chegar ao seu final. Para mim, é um dos melhores livros do gênero.

 

O Erro


Neste volume, o foco será em Logan e Grace. Logan está apaixonado pela namorada do melhor amigo, até que Grace surge em sua vida e ele a vê como uma oportunidade para esquecer o passado. Não sei exatamente o que me fez não dar nota máxima a esse livro, mas acho que é só porque eu prefiro o anterior mesmo, Logan é um amorzinho, só não é o rapaz que mais chama minha atenção, sabe?

Porém, é importante dizer que na obra, a mágica da Elle Kennedy ainda acontece e é IMPOSSÍVEL parar de ler. Os personagens são marcantes e o mais legal é que você já termina pronto para DEVORAR a história do Dean. 

 

O Jogo


Um dos livros mais esperados. O livro do Dean e da Allie. Sem dúvidas, o livro mais divertido e dramático. Confesso que esperava gostar mais do Dean como protagonista, mas acho que ele funciona melhor como secundário dos outros, porque ele vai fazer algumas besteiras antes de ter seu final feliz e isso pode ser um pouco... decepcionante. Só que é claro que ele é o tipo de personagem que você só quer abraçar e falar que tudo ficará bem. 

Allie, por outro lado, é exatamente o tipo de protagonista que a gente espera. Ela é maravilhosa e sua química com Dean é única, ela consegue lidar com a agitação do personagem. Aqui, a gente sente aquela tensão sexual entre o casal. É um romance com uma montanha russa de sentimentos e merece muito destaque!


A Conquista


Tucker, sem dúvidas, seria o rapaz que eu escolheria para casar e ter filhos. Nesse quarto e último volume, conheceremos sua história com Sabrina, que já acontece há algum tempo, mas não é o foco nos livros anteriores, por isso, o enredo volta um pouco no tempo para contar o que estava acontecendo paralelo a Garret, Logan e Dean e de maneira alguma é repetitivo. Na verdade, é como uma despedida da série, pois lembramos de certos acontecimentos e o sorriso do leitor é inevitável. 

Para mim, este é o livro mais maduro de todos e foi uma ótima experiência, mesmo sabendo o plot central (já que a bomba nos é entregue no último momento de "O Jogo") é igualmente envolvente. E felizmente, digo que saberemos de Tucker e Sabrina logo no início de "The Chase", primeiro livro do spin off de Amores Improváveis. Ou seja, a gente nem precisa ficar com aquele sentimento de saudade por muito tempo... OBRIGADA ELLE KENNEDY! ♥


"Amores Improváveis" é uma das melhores séries de romances que eu já li. É previsível, é apaixonante, é sensível, é sensual. É perfeita para ser devorada em sequência ou como tábua de salvação para ressacas literárias. Apenas digo que é o tipo de leitura obrigatória para fãs do gênero! 

- Alessandra Salvia