sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Leitura Coletiva: Entre A Luz e a Escuridão

Olá amores,

Hoje, é dia de novidade! Se vocês já me acompanham pelo instagram sabem que estou participando da Leitura Coletiva de "Entre a Luz da Escuridão" publicado pela Editora Verus e organizada pela LC Agência de Comunicações e pela autora Ana Beatriz Brandão!


Abaixo, vou deixar a sinopse e também a resenha do livro inicial da trilogia, o chamado "Sob a Luz da Escuridão" que me tirou o sono com suas reviravoltas. A autora Ana Beatriz Brandão é uma mestre na arte de fazer os leitores sofrerem, mas te garanto que vocês ficarão felizes com isso, rs. 

Sinopse de "Sob A Luz da Escuridão":
"O mundo não está a salvo dos humanos. Da autora de O Garoto do Cachecol Vermelho.
Guerras e destruição, causadas pela ganância de um homem, quase levaram a raça humana à extinção. Com a radiação das bombas nucleares, o DNA humano sofreu mutações e uma nova espécie surgiu: os metacromos, seres especiais, com poderes extraordinários. Em meio ao caos de um mundo pós-apocalíptico, Lollipop e Jazz são resgatadas do instituto onde eram mantidas prisioneiras. Com as memórias apagadas, elas não sabem por que estavam ali nem quem as libertou.
E, enquanto buscam respostas sobre suas origens, só lhes resta lutar pela sobrevivência. Evan, um vampiro milenar, lidera com mãos de ferro uma das mais poderosas áreas do planeta. Mas quando, por obra do destino, ele reencontra a mulher que pensou estar morta há décadas, tudo desmorona e ele é obrigado a enfrentar o passado. 
Ana Beatriz Brandão apresenta um mundo totalmente novo ao leitor em Sob a Luz da Escuridão. A raça humana não é mais a mesma, novas espécies foram criadas e agora é cada um por si. Uma história eletrizante, cheia de ação, tensão e romance, que vai provocar fortes emoções no leitor. Prepare-se e escolha seu lado nessa guerra: você é um metacromo ou um Deles?"




Sinopse de "Entre A Luz da Escuridão":
"O aguardado segundo volume da série Sob a Luz da Escuridão. Da autora do best-seller O Garoto do Cachecol Vermelho.
Lollipop assume a liderança da Área 4 e comanda tudo com mãos de ferro. 
Depois que novas áreas são conquistadas, o clã está mais poderoso do que nunca. Com a ajuda de um novo aliado, Sam, Lolli e Jazz se preparam para interceptar um dos maiores contêineres enviados pelo Instituto. E, quando tudo sai do controle, um grupo de guerrilheiros precisa partir em uma missão suicida que os levará ao encontro do maior inimigo dos metacromos.
Destemida, rebelde, divertida e incansável... Uma garota repassa essas palavras em sua mente como um mantra que a mantém equilibrada e a torna forte para obedecer às ordens que recebe de uma voz desconhecida. Programada para trabalhar arrecadando dinheiro para o Instituto LTG, ela é capaz de tudo para se manter viva. Até mesmo matar."


Links de Compra



 

Vou postando nas minhas redes sociais pequenos trechos do livro e como estou me sentindo nessa troca com demais leitores, será empolgante e cheia de curiosidades. Fiquem ligados também nas redes sociais da LC Agência e da Ana Bia:






Obrigada por estarem comigo nessa jornada!

Grandes beijos

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Texto: Skyscraper

Olá amores,

Hoje, o texto surgiu de uma maneira não convencional e eu quase não o trago a vocês, rs. Espero que gostem, já que na verdade é uma continuação de um texto que já postei AQUI há algum tempo, mas que pode ser lido em separado. 



"Vejo dois jovens brigando na plataforma do metrô. O rapaz da direita me parece familiar, mas o da esquerda nunca vi na vida. Tenho certeza disso, pois eu reconheceria aqueles olhos verdes contrastando com o cabelo cor de rosa desbotado. Eles parecem ter intimidade, pois ambos se tocam o tempo todo, mesmo com a irritação em seu ápice. A química deles é perfeita. Será que eu deveria me intrometer e dizer o quanto é visível que eles se gostam? Não... Vou esperar para ver quanto tempo eles demoram para perceber isso.

Felizmente, a discussão não demora muito mais. Eles dão um beijo de cinema e eu me emocionou com a verdade daquela cena. Eu queria uma relação assim. Um cara que me amasse como realmente mereço e que estivesse disposto a se ajoelhar no chão nojento do metrô só para pedir em casamento. Pois é, acho que deve ter alguma câmera escondida por aqui, porque é exatamente o que cara de cabelo cor de rosa faz e eu corro em direção ao meu vagão para não ter que lidar com aquilo também...

Minha vida está uma bagunça completa e dói ver que todos seguem em frente, menos eu. Desde que fui abandonada no altar, me pego pensando no que fiz de errado, mesmo sabendo que não devo me responsabilizar pelas escolhas dos outros. As lembranças dos conselhos que recebi ecoam na minha mente:

- Você é mais forte do que pensa, Bia. Tudo vai passar, você só precisa de tempo.

Toco no colar em meu pescoço, um presente da minha avó para usar no grande dia. Algo antigo, azul e emprestado. Nunca lhe devolvi. Mas também ela nunca me pediu. A uso como lembrança do que enfrentei naquele trágico dia. Acho que esse acessório é para mim, o que o martelo é para o Thor, o que a varinha é para o Harry Potter, o que a estela é para os Caçadores de Sombras. É o meu super poder. É o que me faz invencível.

Como uma oração, sussurro meu mantra matinal sobre viver um dia de cada vez. Saio do metrô conseguindo finalmente respirar aliviada. Ando apressada pela Avenida Paulista em busca de um café forte antes de entrar no escritório para o dia de trabalho, antes de voltar a ser aquela garota que sorri e se esforça para todos a admirarem"




- Alessandra Salvia

terça-feira, 27 de agosto de 2019

Série: Euphoria

Olá amores,


Com a primeira temporada recém terminada, uma série que teve muito destaque por toda a mídia e público foi a chamada "Euphoria" que foi produzida e exibida pela HBO. Vamos falar um pouco sobre?


Contando não apenas a história de Rue, uma drogada recém saída da reabilitação, como também de diversos jovens a beira do caos: Jules, Nate, Cassie, Maddy, Kat, Lexi, McKay... A cada início de episódio aprofundamos em cada personagem e eu acredito que é o tipo de série que quanto menos você souber, mais impactante será, pois o papel de Euphoria é simplesmente jogar a verdade nua e crua nos seus telespectadores, sem romantização sobre as problemáticas adolescentes como drogas, sexo, abuso e violência física/psicológica.


Então, acho que já percebeu que não é uma série para pessoas sensíveis, né? Temos cenas extremamente fortes e diálogos pesados que impactam até mesmo a pessoa mais preparada. "Euphoria" veio para surpreender e tirar o telespectador da zona de conforto com todos seus personagens, mostrando não apenas sexualidades diversas, como também relacionamentos familares conturbados e muito muito muito abuso

Outros temas também abordados aqui são a pornografia, os nudes, o machismo frente a sexualidade da mulher, a exposição do adolescente à internet, aborto, gordofobia... Gente, o que não falta aqui é polêmica. E falo polêmica, porque o público não está esperando que temas tão incômodos sejam retratados abertamente como foram. Porém, deixo aqui registrado que acredito sim que quanto mais conversas tivemos sobre esses assuntos, mais fácil será lidarmos com eles para que, num futuro próximo, a gente possa evoluir e ajudar as pessoas que sofrem com mais segurança e responsabilidade.

Um ponto que merece ser mencionado é a produção da série. Jogo de câmeras, luzes, maquiagem cheia de glitter... Você fica imerso naquele mundo enquanto assiste. Ah, a trilha sonora também é muito boa. O último episódio é sensacional, pois logo emenda um clipe de 'All For Us' que é uma música MARAVILHOSA que não sai da cabeça, rs.


Zendaya é a responsável por interpretar Rue e eu só tenho elogios a sua atuação, merece um todos os prêmios possíveis por sua total entrega ao papel!!!! Ela com certeza é minha personagem favorita! E em relação a Jules, por mais que muitos a adorem, eu só posso dizer que tenho um enorme ranço por ela. Acho sim que seu relacionamento com Rue é tóxico e por mais que ela seja o motivo pelo qual Rue quer ficar sóbrea, ela também pode ser a perdição da nossa protagonista. Principalmente, se você já viu o final dessa primeira temporada, vai entender. 

E como grande vilão, destado Nate, porque se você não ficou com raiva dele, é porque não assistiu a série. Sério. Por mais que tentem justificar um pouco da personalidade dele com aquele pai escroto, não dá para ficar calmo com as cenas nas quais ele aparece. Jacob Elordi consegui meu respeito como ator também.


Produzida pelo cantor Drake, "Euphoria" foi renovada com sua segunda temporada e mesmo não tendo ideia do que nos reserva, estou bem empolgada para essa continuação. Agora, me contem: o que acharam da dica? Já assistiram Euphoria? Deixem seus comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhosa!

- Alessandra Salvia

Spoiler do episódio final/Música "All For Us" mencionada no texto:


domingo, 25 de agosto de 2019

Livro: Confidências de Uma Ex Popular

Olá amores,

Nesse mês, tivemos o incrível lançamento chamado "Confidências de Uma Ex Popular" escrito pela Ray Tavares e publicado pela Galera Record. E é claro que eu deveria pular toda a minha programação para falar desse livro, pois eu preciso desabafar sobre a importância dele nesse meu momento atual.


Se você é como eu e é apaixonado por capas, deve ter a impressão que esse livro tem uma forte pegada teen, não é mesmo? E isso (com certeza) é corroborado pelo título e pela premissa: após um grande incidente na escola anterior, Renata, uma jovem e rica garota, é obrigada pelos pais a se mudar para um colégio interno e lá ela não aprende só limites, como também o que é justiça, amizade e talvez um verdadeiro amor! 😍

Então, seguindo essa imagem de um romance adolescente, de início, você encontra uma Renata difícil e fútil. PORÉM (temos um grande porém nessa história), grandes aprendizados surgem e  toda essa obra nos traz mensagens de amadurecimento, de como encontrar seu lugar no mundo, o valor da verdadeira amizade, e também seguir seus próprios sonhos

E essas sutis mensagens com toda a certeza me deram um tapa na cara. Não quero dar spoilers, mas principalmente, toda a reta final, as cenas em que vemos como Renata lidou com a vida adulta e seguiu seu próprio caminho, me deixaram arrepiada. Fez total sentido para mim, pois de certa maneira eu vivi aquilo. Eu passiei por momentos de escolhas e tive que abrir mão de certos rótulos para estar hoje aqui, falando de livros e trabalhando em um lugar cuja sensação é de pertencimento. Quando vi Renata tomando tais decisões e sem arrependimentos, as lágrimas da leitora aqui vieram e eu precisava gritar ao mundo o quanto aquilo fazia sentido. (Depois que você ler, você pode vir conversar comigo que a gente conversa com spoilers, rs).


Ah, e é claro que existe o toque de humor da Ray que é extremamente necessário para fazer essa narrativa ser rápida, envolvente e muito divertida! As críticas socias também não poderiam estar de fora: críticas à política, à religião, ao machismo e a todas aquelas pessoas que acreditam que são superiores só por terem mais dinheiro. A autora sabe mesclar muito bem esses momentos com as risadas e os suspiros, principalmente, após conhecer Guilherme, um rapaz altruísta e que te fará ver o bolo de cenoura com outros olhos. 👀


Também preciso destacar a diversidade e a representatividade da obra. Temos vários gêneros e sexualidades abordadas com naturalidade e relevância (destaque para a Lívia, uma das melhores personagens da literatura ♥). Mas, se você está achando estranho a capa ser de uma loira de olhos verdes, te garanto que até o final você perceberá as mudanças que Renata vai ter (e não estou falando apenas do físico, ok? rs).

Desta forma, preciso finalizar dizendo que "Confidências de uma Ex Popular" nos traz coragem. Somos incentivados a sair da zona de conforto, não apenas em relação a nossa vida, mas também a nossa sociedade. Não é porque sou uma simples garota que vou abaixar a cabeça para tudo o que me impõe. Leiam esse livro, se apaixonem e chorem assim como eu. Será uma bela experiência que marcará seu coração.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Uma Amiga Indicou: Mês Especial dos Pais

Olá amores,

Esse mês foi o dia dos pais e nós do grupo "Uma Amiga Indicou" (eu, a Carol do 'A Colecionadora de Histórias', a Priih do 'Infinitas Vidas', a Carol do 'Caverna Literária' e a Pam do 'Interrupted Dreamer') fizemos duas listas para vocês: uma de pais exemplos, cheios de amor e compreensão e uma lista de pais embustes. Preparados?





Exemplo de Paizão


Alessandra: Sr Bennet (Orgulho e Preconceito)
Um exemplo de pai amoroso e compreensivo. Que busca apenas a felicidade das filhas. Um grande exemplo disso é a sua famosa frase que num momento de desespero para Lizzie acalmou seu coração: “se você não se casar com Mr. Collins, sua mãe nunca mais a verá de novo. E eu nunca mais a verei se você se casar”. É ou não é um dos maiores atos de amor, principalmente para a época representada?

Carol Antonucci: Nate Pullman (Extraordinário)
Quando se trata desse livro, todos lembram e admiram (com razão!!) a Isabel, mãe de August, mas o pai dele também é extremamente amoroso e companheiro do filho. Ele o incentiva a enfrentar seus medos, lhe dá coragem, e é uma figura paterna inspiradora. Um paizão que merece ser lembrado!

Carol Cristina: Maverick (O ódio que você semeia - Angie Thomas)
QUE PAIZÃO! Maverick (pai de Starr, Seven e Sekani) antes de se casar com a mãe dela tinha envolvimento com o tráfico local, mas mudou totalmente de vida. Virou dono de um mercadinho local, e durante o livro soube estimular o senso crítico, dar o exemplo e ensinamentos valiosos para seus filhos. Esse pai sabe quem foi e quem é, não abandona seus valores, é amoroso e presente, luta pela família e por seus semelhantes, passa por injustiças mas nunca desiste!

Pâmela: Chris Astor (A Menina que Semeava)
Esse pai é maravilhoso e lembra muito os papais que contam histórias antes de dormir para que seus filhos possam ter um bom sono, só que nesse caso não é apenas no sono. Ele passa uma barra com a filha com câncer e aindar ter que lidar com a ex-mulher insuportável…. No entanto, para ajudar a filha a ter esperança, cria um mundo maravilhoso para a mesma viver além da imaginação.


Priscilla: Sr. Covey (Trilogia Para Todos os Garotos Que Já Amei)
Viúvo e com 3 filhas mulheres, Dan Covey é um grande exemplo de pai dedicado e atencioso, que se esforça ao máximo para entendê-las e ajudá-las. Sempre buscando manter as tradições coreanas de sua falecida esposa vivas na família, o pai da Lara Jean é aquele tipo de personagem que é impossível não gostar. Seria incrível se todos os pais seguissem o exemplo do Sr. Covey e assumissem seus papeis ativamente na criação dos filhos, né não?



Pai Embuste




Alessandra: Madoc (O Príncipe Cruel - Série O Povo do Ar)
Madoc é o pai adotivo das gêmeas Jude (protagonista da série) e Taryn e também é o responsável pela morte da mãe e do verdadeiro pai das duas garotas. Acho que deu para entender o nível de crueldade desse moço, né? Sim, ele cria as órfãs, porém de uma maneira fria e distante. E nem posso contar as traições que comete no decorrer da obra, pois seria um grande spoiler.

Carol Antonucci: Donovan O’Neil (Novembro, 9)
Um cara famoso, um pai ausente, que só encontra a filha para contar as novidades de sua vida e da nova esposa, sem se tocar no quanto o evento que queimou boa parte do corpo de sua filha, ainda a traumatizava. Temos pais mais embustes que isso, certamente, mas esse ganhou meu ranço.

Carol Cristina: Anderson (Série Estilhaça-me - Tahereh Mafi)
PENSEM NUM SER DESPREZÍVEL! Anderson é o pai de Warner na série, e comandante supremo do Restabelecimento. Desgraçou com a vida do meu Aaron Warner, a cabeça do rapaz é toda psicologicamente ferrada por causa das atrocidades que o pai fazia e o obrigava a fazer também. Anderson não sente um pingo de amor por Warner, odeia tudo o que o filho ama e o faz sofrer "para que se torne melhor e mais forte". Esse é um pai que faz coisas inacreditáveis pra tentar fazer do filho um monstro como ele!

Pâmela: Sr. Thénardier (Os Miseráveis)
Ô homenzinho sem-vergonha e insuportável juntamente com a esposa, mas vamos focar no senhor. No final você até fica com um pouco de dó dele? Bem pouco, mas durante toda a obra, ele dificulta a vida de Cosette, Fantine e, mais tarde, Marius, além de ser um exemplo de corrupção em meados de 1800. Além disso, os filhos, por mais que possam parecer arrogantes, na verdade, são apenas necessitados de carinho e de um ombro e até disso eles privam o mais jovem deles. É fogo!


Priscilla: Jonny Rokeby (Série Cormoran Strike)

O pai de Strike é a personificação da babaquice: o outrora rockstar engravidou uma de suas groupies, Leda, e nunca quis envolvimento algum com ela ou com a criança. Além disso, na única vez em que Strike precisou dele (com um pedido de empréstimo financeiro), Rokeby colocou até advogados para cobrá-lo, sem o menor pudor. Outro aspecto enfurecedor é que ele tem outros filhos, para os quais ele dá suporte - ou seja, o personagem é um retrato bem realista de muuuitos exemplos de pais que encontramos por aí, que ignoram a existência dos filhos e/ou só dão importância para suas novas famílias. Péssimo!


E como uma notícia especial: a partir do mês que vem, a Laís do Tear de Informações estará conosco nessa jornada que recentemente completou 1 ano, acreditam? *-*
Mês que vem teremos mais dicas em grupo para vocês!!!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 20 de agosto de 2019

Série: Areia Movediça

Olá amores,

Recentemente, assisti a uma série da Netflix chamada "Areia Movediça" e hoje vim contar um pouco da minha experiência com a história para vocês. Preparados? Serão fortes emoções!


Para quem ainda não sabe, essa série foi uma adaptação do livro homônimo, escrito por Malin Persson Giolito e publicado pela Editora Intrínseca e nos traz a história de Maja, uma sobrevivente do massacre escolar que seu namorado organizou. Porém, será que Maja é uma vítima ou uma cúmplice? 


No decorrer dos 8 episódios da primeira temporada, somos colocados a prova diversas vezes. Todas as atitudes de Maja são analisadas, tanto do passado com o uso constante de flashbacks quanto no atual cenário, com a garota de 16 anos presa e caminhando para um julgamento. O telespectador não sabe o que pensar, mas consegue fazer diversas reflexões sobre os abusos e alienações que ocorrem na vida dos adolescentes.

Falo de alienação, pois estava muito nítido que os personagens caminhavam para o precípicio, metaforicamente falando. Ninguém entra em uma sala de aula e atira em todo mundo do nada. O uso de álcool, drogas, violência e atitudes depressivas foram ignorados pelos adultos da série e quando finalmente um professor parece se incomodar, todo o desastre acontece. E por mais incrível que pareça, eu não acho que isso seja algo absurdo. Muito pelo contrário. A série é um reflexo da realidade e retrata isso de uma maneira muito crua e chocante para incomodar quem assiste. Até mesmo o sistema carcerário da Suécia (país original da história) nos é apresentado como uma forma de complementar essa proposta.

Não é algo fácil de se assistir e temos muitas cenas expostas. Alguns dizem que a série se aproxima muito de 13 Reasons Why e eu até concordo, porém a grande diferença e vantagem de "Areia Movediça" tem um suspense inquietante e mostra claramente a dor e arrependimento como consequência de cada ato.


O uso da amizade e do amor adolescente é um contra ponto importante nessa história. Afinal, nos é mostrado todas as emoções de Maja. Sua relação com Amanda, Sebastian e Samir possuem altos e baixos, mas são todos sentimentos sinceros e que nos aproximam dos personagens. Principalmente, quando Maja começa a se aproximar de Sebastian e do sogro. Aqui temos uma importante discussão sobre quem Sebastian é e como se tornou assin. É culpa do pai e de como foi educado? Ou melhor dizendo, negligenciado? Maja não tinha responsabilidade para com o namorado, ou será que tinha?


A série é muito bem produzida e os atores souberam usar as emoções para mexer conosco. Não sei se haverá uma nova temporada, mas digo que tudo foi extremamente fechado e sem necessidade de uma continuação. 

Se você for mais sensível, não recomendo assistir, porém se é como eu, que gosta de temáticas fortes, abertas para discussão e reflexão, "Areia Movediça" é ótima. Agora, me contem, já conheciam a série? Gostaram da dica?

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Ótima!!!

- Alessandra Salvia

Capa do livro para quem se interessar!

domingo, 18 de agosto de 2019

Livro: A Pequena Livraria dos Sonhos

Olá amores,

Como estão? Vamos começar a falar aqui no blog sobre o novo selo da Editora Arqueiro, o chamado "Romances de Hoje", que tal? E para dar início, trouxe a resenha de "A Pequena Livraria dos Sonhos" escrito pela Jenny Colgan.


Antes de começar, quero dizer que o bom humor da autora já fez toda a diferença logo de início. Ela interage com o leitor e antes mesmo de conhecermos a premissa da história a gente se envolve por nos sentirmos próximos a obra. É como se a Jenny fosse nossa amiga, sabe? Ela compreende nosso amor por livros e sabe passá-lo de uma maneira incrível a protagonista Nina.

O que me leva agora a falar um pouco sobre a sinopse: Nina Redmond é uma bibliotecária prestes a perder seu emprego que após ir à uma palestra motivacional decide seguir seu sonho de abrir uma livraria. Porém, infelizmente, como o dinheiro está escasso para aluguel e investimentos, que tal pegar o valor da rescisão e comprar uma van? A livraria se torna móvel e ela ainda consegue um estoque considerável após a falência de algumas bibliotecas da cidade.

O problema? A van fica na Escócia e Nina precisa viajar para lá. A partir daí conheceremos não apenas um garota alto astral e corajosa, como também a Escócia e suas tradições. As descrições das festas, do povo, do clima... Tudo é tão real que é como viajar por aquelas páginas. E eu, como uma apaixonada por Outlander que sou, me senti ainda mais próxima àquele país. Ah, detalhe: a própria autora cita Outlander e meu coração vibra!!!


É uma delícia de história, cheia de aprendizados e mensagens positivas. Vemos Nina vencendo rótulos, dando um rumo à própria vida e seguindo um sonho que até então parecia algo impossível. É um livro inspirador, emocionante, emponderado, junto com um romance de aquecer o coração que nos faz refletir sobre quem somos e sobre ser aceito

A narrativa é em terceira pessoa e não poderia ser mais fluída, eu devorei a obra e cheguei ao final com um gostinho de quero mais. Fiquei na vontade de conhecer as dicas literárias de Nina e de poder frequentar a sua van. A autora Jenny conseguiu me passar todo o carinho com que escreveu, tornei-me próxima a Nina e quando ela sofria, eu sofria junto, quando ela sorria, eu sorria junto. Talvez, eu tenha até me identificado com ela, já que vê-la correndo atrás da própria felicidade, foi maravilhoso, pois me trouxe confiança também. Por que eu não posso fazer o mesmo? Por mais que pareça impossível, basta nos dedicarmos àquilo que queremos. 


Confesso que estou ansiosa para o próximo livro da autora, o chamado "A Padaria dos Finais Felizes". Não é uma série, mas sei que encontrarei a doçura e meiguice de Jenny Colgan e isso me deixa mega empolgada! Super recomendo a obra para quem adora um romance açúcarado cheio de emoção! 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

Words Challenge 2019 - Leão

Olá amores,

Eu e a Pâm do Interrupted Dreamer preparamos textos especiais para vocês. Confesso que este é um dos meus queridinhos, porque os personagens conversaram comigo e foi tão fácil escrevê-lo! Espero que gostem, a personagem aqui é uma leonina forte, corajosa, empolgada e não tem problema em ser o centro das atenções. Não se esqueçam de comentar, após a leitura hein? É bem importante para mim!


Words Challenge 2019 - Leão

"- Bom dia, pessoal! Por favor, acomodem-se que já já começaremos os testes para a peça teatral deste ano. É importante todos terem o texto decorado e estarem tranquilos, ninguém aqui morde, ok?

Ouço os risinhos atrás de mim. Sou a primeira da fila para o teste de Julieta, a protagonista da famosa e cruel história de amor escrita por Shakespeare. Não que eu não seja fã de clássicos ingleses, eu sou, mas confesso que por mim, estaríamos fazendo algo mais moderno como uma adaptação de "Game Of Thrones" com muitas espadas de papelão e cobertores brancos para caracterizar o lobo gigante. Garanto que todos estariam mais animados.

Olho para meu lado direito e vejo a fila de possíveis Romeu's quase vazia. Previsível. Quantos adolescentes de hoje você conhece que leram William Shakespeare? Eu tentei avisar a Sra. Roberts, só que ela preferiu me ignorar. Então... Cá estamos nós em um teste quase falido se não fosse obviamente pelo meu amor ao teatro.

Quando ouço meu nome para subir no palco e encenar a parte que escolhi, uma ansiedade toma conta do meu corpo. Sinto que poderia pular de telhados altos ou nadar durante horas. É uma adrenalina empolgante. Eu consigo, eu sei que consigo. Subo as escadas tremendo e ouço Lucas fazer uma piadinha:

- Relaxa, Luiza! Ninguém trouxe tomate para jogar em você.

Eu reviro os olhos e me concentro. Como se a própria Julieta sussurrasse as frases em meu ouvido, eu me torno a personagem. Meus ouvidos tampam e eu apenas me deixo levar. Os 6 minutos de apresentação passam voando e quando dou por mim, a Sra. Roberts está de pé aplaudindo com força. 

- Viram, pessoal? Isso que eu chamo de atuação! Obrigada pela sua participação, Luiza. Estou orgulhosa.

Eu simplesmente agradeço e saio do palco. Estou zonza. Eu não me sinto assim desde... Desde a última peça que participei há 2 anos atrás. Desde que tive que abandonar tudo para ser doadora de medula da minha irmã mais nova. A pequena Yasmin está no último banco do teatro e quase não dá para ver suas maria chiquinhas sobre as poltronas altas. 

Caminho confiante até ela e sorrio, finalmente voltando a ser eu mesma.

- Ei pequena sobrevivente, o que achou do meu teste?

A boca de Yasmin está toda suja de mousse de chocolate e eu pego um lenço no bolso para limpá-la.

- Você foi o máximo, mana! Vai conseguir!
- Obrigada, tomara que sim, eu me senti muito bem lá em cima.
- Mamãe diz que você nasceu para isso, lembra?
- Talvez sim, talvez não... Acho que nasci por outro motivo. 

Yasmin não repara na pequena lágrima de satisfação que escapa dos meus olhos enquanto a aperto contra o peito agradecendo por tê-la em minha vida.


- Alessandra Salvia