sexta-feira, 31 de maio de 2019

Texto: Castle

Olá amores,


Eu ainda não estou pronta para escrever algo no gênero fantasia, mas quando ouvi a música Castle da Halsey, achei que poderia começar com algo baseado em uma das minhas personagens preferidas, mas que infelizmente, foi desmoralizada por roteiristas homens. Daenerys Targayen de Game of Thrones. Espero que gostem!


"Estou caminhando em direção ao meu destino. Muitos homens tentaram me parar usando não apenas violência, como também a vaidade ou o amor. Bruxas me jogaram pragas, fui queimada viva e perdi todos aqueles que amava. Mas não desisti por nada. Muito pelo contrário, só me fez ter mais certeza de que estou no caminho certo, sabe por quê? Porque eu estou incomodando aqueles que roubaram o meu lugar de direito.

Cresci aprendendo a liderar, mas já era como se eu tivesse nascido com este instinto, com esses ensinamentos. A diferença entre eu e meus antepassados é que aprendi o dom da clemência desde cedo. E talvez eu não o esteja usando com a frequência que deveria, porém se eu quero um dia ser rainha, preciso tomar decisões difíceis. 

Se eu sou um dragão, vou agir como tal. Vou conseguir aquilo que me pertence, levando comigo aqueles que permaneceram ao meu lado, que lutaram por mim e que acima de tudo, acreditam que eu posso fazer sim a diferença em um reino que até então só conhece a miséria e tirania.

Sigo em direção ao trono. Vou fazer o que for necessário. Meu povo está comigo. Se não for pelo amor, que seja pela dor. Eu posso mostrar a todos minha força e sabedoria. Ser mulher é isso. Ser rainha é isso. Vou lidar com as consequências, com meus dragões ao lado, eu quebrarei a roda."


- Alessandra Salvia

terça-feira, 28 de maio de 2019

Cinema: Aladdin

Olá amores,

A ansiedade estava alta, então eu já fui conferir a grande estreia da semana, ou até mesmo do mês: Aladdin na versão live action produzida pela Disney e só tenho elogios a fazer.


Acho que todos sabem um pouco sobre a história do Aladdin, certo? Um ladrão que encontra uma lâmpada mágica cujo gênio lhe concede 3 desejos e um deles será torná-lo um príncipe para poder assim, casar com a princesa Jasmine, seu grande amor.


UM CLÁSSICO! Impossível não se apaixonar por essa história cuja mensagem é de amizade, liberdade e aceitação pessoal. Aladdin é mais que um musical infantil, ele nos mostra o quanto os amigos são importantes e que a ganância não leva a lugar algum na vida. Principalmente, que isso pode lhe custar tudo aquilo que você é e já possui. 

Essa versão é bem fiel a original, porém com mais detalhes e mais explicações. Temos nossas canções amadas e coreografias impecáveis, mas sem dúvida o que mais gostei foi que a Jasmine é a dona do filme e seu emponderamento faz total diferença para que a obra cresça e acompanhe o mundo de hoje. Ela mostra as garotas que é possível ter voz sim e conseguir aquilo que se quer. Tanto que uma música especial para ela foi criada: "Ninguém me Cala" (ou na versão original 'Speechless'). Ah, e ela também ganhou uma melhor amiga, Dália, super divertida e companheira. 


Importante dizer que houveram alguma declarações que o tigre Rajah não estaria, mas ele está sim, ok? Não precisa se preocupar. 

Todas as cenas foram produzidas com um cuidado excepcional. O elenco foi escolhido a dedo e não existe ator melhor para interpretar o gênio da lâmpada do que Will Smith. Ele soube representar Robbie Willians com maestria e com certeza, fez a diferença. E por mais que a maioria das pessoas tenham reclamado que ele não fica azul o tempo todo no filme, há uma grande explicação para isso e acho que vocês vão se arrepender de terem criticado antes de assistirem.


Agora, em relação ao Aladdin, vou repetir uma frase da minha mãe: ele saiu do desenho de tão perfeito que foi. E como antagonista, temos Jafar que poderia ser melhor, mas ok. Deixarei passar, porque ele foi um bom ator nas cenas finais, rs. Só espero que se fizerem "O Retorno de Jafa", ele esteja um pouco mais com 'cara de mau'. (Ei, Disney, faz o filme 2 sim. Nunca te pedi nada!)


Não vejo a hora de assistir ao filme de novo, em todas as versões possíveis: dublado e legendado. Minha experiência foi em 3D e não me arrependi, acho que foi uma boa utilização do recurso, sem excessos. E como vocês sabem, eu amo easter eggs e vou contar algumas curiosidades a vocês:
  • A lâmpada chegou a aparecer nas ruínas em uma cena de Moggli:

  • E o castelo durante a música "A Vontade" em A Bela e a Fera com a Emma Watson:


Interessante, né? "Aladdin" é um marco para a Disney que novamente acertou numa releitura. A promessa que deixa para "O Rei Leão" em julho é positiva e faz com que torçamos para mais lives action. Este, foi perfeito do início ao fim e não mudaria nenhum detalhe!

Espero que corram aos cinemas para também se divertirem e cantarem a plenos pulmões: UM  MUNDO IDEAAAAAAAAL... 

Ah! E aproveitando o espaço, quero indicar a vocês o site do Danilo, o SAIBA MAIS (clique AQUI para visitar), um espaço recheado de dicas cinematográficas para quem ama cinema, assim como nós! 😉

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia





domingo, 26 de maio de 2019

Exposição: 50 anos TV Cultura

Olá amores,


Vou adiar uma semaninha a resenha do clássico do mês, só para conseguir mostrar a vocês uma exposição super bacana que está acontecendo no shopping Eldorado aqui em SP. A TV Cultura está comemorando 50 anos no ar e tem muita história para contar. Então, senta que lá vem exposição! 😉


Para quem cresceu assistindo as programações da emissora, a exposição vai emocionar. Seguem algumas fotos:


Há várias TVs com áudios espalhados pelo espaço e alguns telefones também possuem conteúdo interativo. 

Algumas paredes possuem quadrinhos com a opção de vira-vira também com informações e perguntas para o público.

Com o Garibaldo da Vila Sésamo

Minha mãe se emocionou muito voltando a infância na Vila Sésamo
E eu com o Glub Glub... Como amava!


Esse é o radio original do Lucas Silva e Silva, do Mundo da Lua. Estava com o ator que o cedeu para a exposição.

Rádio verdadeiro da Rosa, empregada da casa dos Silva e Silva (ela ouvia Ney Nunes, rs)

Um dos meus espaços favoritos dessa exposição: Mundo da Lua

Traje usado pelo Euclides no Rá Tim Bum

Arinelson, o apresentador do jornal Rá Tim Bum

Prof. Tibúrcio, quem lembra?

Silvia do Rá Tim Bum

 O verdadeiro ratinho do castelo Rá Tim Bum ♥

Parede do quarto do Nino em Castelo Rá Tim Bum

Celeste do Castelo Rá Tim Bum

E também teve selfie com o Porteiro 

Quem lembra da Ilha Rá Tim Bum? 

E do Cocoricó? 

E outro favorito: O XIIIIIS do X-Tudo *----*

AQUI deixarei o link do site da exposição para vocês comprarem o ingresso com antecedência, pois estava com uma fila considerável para adquirir na bilheteria do local e o bom é que tudo tem hora marcada. Detalhe: a exposição dura em torno de 40 à 45 minutos, porém você pode ficar quanto tempo quiser lá dentro, eles não te colocam para fora não. A única regra é que você não pode voltar ao cenário anterior.

São mais de 40 espaços para tirarmos fotos e relembrarmos momentos mágicos da nossa infância. A exposição ficará aberta ao público até dia 30/06/2019. Vou deixar alguns vídeos que fiz lá no stories do instagram como "destaques", assim quem quiser dar uma conferida, vai conseguir. 

Espero que tenham gostado desse tipo de postagem, pretendo trazer sempre mais novidades à vocês!

- Alesssandra Salvia

sexta-feira, 24 de maio de 2019

Aniversário de 5 anos do 'Estante da Ale'

Olá amores, 

Como estão? Confesso para vocês que essa semana está sendo uma verdadeira emoção, pois o blog está fazendo aniversário! Já são 5 anos de vida literária ativa com vocês e mais de 20 como leitora, mas para agradecer vou fazer um sorteio de marcadores super especial! 


O sorteio será feito pelo Instagram @estantedaale no dia 26 de maio, um dia após o aniversário oficial do blog e terão algumas surpresas, pois alguns marcadores irão autografados!!!! Incrível, né? ♥ 

Para participar, as regras são básicas:

- Seguir o ig @estantedaale;
- Comentar na publicação oficial do sorteio marcando um amigo;
- Residir em território nacional;
- O ganhador tem o prazo de 24h para entrar em contato, caso não o faça sortearei novamente o kit; 

Vamos comemorar com muito amor! Quero agradecer a cada um de vocês por fazerem o blog ser um sucesso. Vocês não me deixam desistir e digo com todo o coração que faço exatamente o que eu amo ♥

- Alessandra Salvia

terça-feira, 21 de maio de 2019

Série: Game Of Thrones - Season 8

Olá amores,


Após oito temporadas intensas, Game Of Thrones (exibida pela HBO) chegou ao seu final e é impossível não fazer uma postagem sem spoilers, então caso você ainda não tenha assistido ao episódio de domingo, favor parar por aqui. Agora, em relação aos livros, não posso afirmar nada, pois a série literária escrita por George R R Martin ainda não teve seu final, mas o próprio autor afirmou que será diferente.



Sendo uma das histórias mais icônicas de todos os tempos, GOT é sinônimo de polêmica desde que matou seu protagonista na primeira temporada. A partir daí, todos os fãs sabem que não devem criar expectativas, mas, infelizmente, essa temporada 8 exagerou. E não pelo fato de mortes surpeendentes.



Para mim, o grande problema dessa temporada final foi a desconstrução de personagens femininas para enaltecer os masculinos. Senti que os roteiristas estavam brincando conosco, cheio de fan-service e diálogos absurdos para àqueles que estavam  sete temporadas sendo construídos. Como uma amiga mesmo me disse, eles estavam mais preocupados em realizar o próximo projeto que é Star Wars, do que finalizar GOT com (no mínimo) coerência, afinal, não sei se vocês sabem mas a série, inicialmente, deveria ter 10 temporadas.

Em relação ao "grandioso episódio final" (ironicamente falando), eu vou citar personagem por personagem somente para eu demonstrar minha dor com a perda de rumo:
  • Daenerys era movida por salvar inocentes e para demonstrar a diferença entre ela e Jon, a colocam fazendo tudo aquilo que ela sempre foi contra. Entendo que existe a questão de: ou é seguida pelo amor ou pelo medo. O amor ela nunca teria, então bora queimar geral. Porém, acho que a personalidade dela é mais do que isso. Ela até tentou se defender no último momento, mas não foi o suficiente. Já a pintaram de assassina e uma assassina pior que a Cersei! Pár, pára, pára. Precisávamos de mais tempo em tela da personagem para seu desenvolvimento. E cá entre nós, depois do episódio 7 e 8 (destruição da cidade + destruição do trono de ferro), vocês não acharam que os dragões foram fracos na luta contra os White-Walkers?
  • White-Walkers: sete temporadas botando medo para serem derrotados em 1 episódio só? Sério mesmo?
  • Já a Sansa falar que amadureceu por ter sido estuprada? Que desserviço social, HBO! Faltou e muito respeito aqui para com já passou por isso. Só gostei do final da personagem como Rainha do Norte, infelizmente, sei que se o Rei dos Sete (ops, Seis) Reinos não fosse um Stark, ela não teria conseguido isso;
  • Arya desistiu de matar a Cersei só com algumas palavras do Cão de Caça? Como se toda a trajetória da personagem não tivesse existido. Eu acho que ela morreria sim para vingar a família. Seu final como aventureira, foi coerente com a personagem, só que eu queria algo melhor para ela, confesso;
  • Cersei Lannister. A vilã que teve seu final romantizado. E sejamos sinceros, NINGUÉM queria que os Lannisters morressem apenas soterrados, né? A gente queria ver ela pagando por pelo menos algumas das atrocidades que fez durante toda a série. 
  • Brienne of Tarth poderia ter se tornado algo mais relevante do Reino, ou será que ela vai para Winterfell com Sansa? Por um momento, achei que ela iria colocar a mão na barriga e escrever: 'Jamie Lannister deixa um filho';
  • E por falar em Jamie, morreu como gostaria. Nos braços da mulher que ama. Final coerente para um personagem que teve um crescimento positivo na série;
  • Tyrion Lannister, um dos melhores personagens por sua inteligente e posicionamento político. Vê-lo decepcionado com Daenerys foi bem impactante, por mais que eu não quisesse que aquilo acontecesse. Se o trono deveria ser de um homem, que fosse de Tyrion;
  • John Snow, o forte canditado ao trono também não foi o eleito. O que me faz ficar ainda mais irritada com a importância que deram ao personagem mais aleatório de todos. Fizemos tantas teorias, tantas suposições e ele termina exatamente como tudo começou? Achei muito fraco, porém como eu não estava muito feliz com a maneira que o idolatravam, aceito esse final tranquilamente, rs;
  • Agora, a grande decepção. O novo Rei. Bran Stark? Sério mesmo, produção? Ele fez um discurso para a Sansa dizendo que não era Lorde, não era Stark, não era nada e agora aceita ser Rei numa boa? Como se ele tivesse feito tudo o que fez para enfim conseguir os reinos para si e na verdade, ele fez! Uma das últimas frases dele foi: "Por que você acha que eu cheguei até aqui?". Ele armou tudo, meu povo! E só uma ressalva: ele poderia sim ser o Rei, tá? Não tenho nada contra ele, só não deveria ter sido da maneira como nos foi apresentado, ok?
Observação: Só eu achei que os problemas financeiros da coroa foram solucionados muito facilmente? Ainda mais, após uma destruição em massa e por pessoas que nunca administraram uma cidade. 


Pois é. Triste.

Existe um rumor de que os livros 6 e 7 já estão escritos e esperando a série da HBO acabar para serem lançados. Não sabemos se será igual ou não ao já apresentado. Como o próprio George R R Martin estava infeliz com o rumo da série e existem as questões de profecias totalmente ignoradas, estou otimista em esperar um final mais adequado aos livros. O único problema que vejo é a possibilidade de ver um Trono de Ferro com o Jon Snow lá, só que na atual situação, até aceito isso para ver minha Khaleesi ser representada com mais respeito. 

Minha Classificação: ♥ (1/5) - Ruim.

- Alessandra Salvia

domingo, 19 de maio de 2019

Livro: Império de Tempestades - Tomo 2 - Trono de Vidro #5

Olá amores,

Como estão? Sei que havia colocado como meta terminar de ler os livros da série 'Trono de Vidro' em 2018, porém tive alguns imprevistos e optei por lê-los com calma agora em 2019. Tanto isso é verdade que hoje voltamos as resenhas especiais da série com: "Império das Tempestades - Tomo 2" também escrito pela Sarah J. Maas e publicado pela Editora Galera Record.


Para facilitar, deixarei abaixo os links das resenhas que fiz sobre essa série, afinal, o que vamos falar hoje é sobre o 5.2 (quinto livro, parte 2):



E como já é de costume, vou fazer uma parte com e outra sem spoilers, ok? Assim, tem resenha para todos, afinal, o mundo precisa sim conhecer essa série incrivelmente bem feita e envolvente chamada: Trono de Vidro. 


SEM SPOILERS:
O mais legal em chegar até aqui na série é ver o quanto a premissa e os personagens evoluiram. A história é uma crescente e seu aprofundamento é algo que precisamos destacar a quem ainda não sabe se começa a ler ou não estas obras. De início, Trono de Vidro era para ter uma sinopse básica: e se a Cinderela fosse uma assassina? Só não contávamos a quantidade de surpresas e reviravoltas que a autora nos ofereceria. 

Há uma riqueza de detalhes, uma sociedade muito bem construída e diferentes temáticas abordadas, pois não pense que é só um livro de fantasia, não não não. Podemos dizer que é "O" livro de fantasia, com tudo aquilo que os fãs mais amam. Temos  uma mescla de problemáticas, discussões relevantes do que é certo e justo perante uma guerra, se os fins justificam os meios... Há todo um 'desenho' para a história se formar e é maravilhoso quando você chega ao final do livro 5 (desesperada, claro, porque o final é de roer as unhas) e se dá conta de tudo está se fechando e fazendo sentido!

E posso até tentar, mas não há um defeito para apontarmos. A série realmente só melhora e deixa o leitor de boca aberta pela ousadia e inteligência da autora em criar e unir tantos personagens icônicos de uma maneira equilibrada e envolvente. 



Agora, vamos a parte COM SPOILERS:
Eu estava empolgada para embarcar nessa aventura com Aelin Galathynius, a herdeira do fogo, contra os valgs, seres escuros e terríveis que querem a destruição de tudo e todos, pois senti que no Tomo 1 foi apenas a preparação para os grandes acontecimentos dessa segunda parte. E não me arrependi. O ritmo de leitura é maravilhoso, pois você não se cansa e em cada capítulo há um detalhe que faz a diferença para o rumo da história. 

"Império das Tempestades" sustenta sua história e ainda nos deixa mais empolgados pela sua continuação. O óbvio nunca acontece e seus personagens saem dos padrões. Dorian e Manon são exemplos claros de que as primeiras aparições não fazem jus à eles. A força de ambos, faz com que a Aelin não se torne protagonista sozinha. O leitor lê sobre os outros personagens com a mesma empolgação com que temos com o plot central. Lysandra, Aedion, Elide, Lorcan... Cada um mostra sua relevância e nos encanta. É impossível não torcer, não se emocionar com cada um deles.

E falando isoladamente de Aelin, só tenho elogios a fazer, pois por mais que muitas vezes, ela seja fria, arrogante e sanguinária, ela nos tira da zona de conforto que a maioria das histórias nos trazem. Aelin não é politicamente correta, ela te faz pensar em cada atitude tomada, ela age conforme é necessário e está sempre à frente, por mais que isso prejudique sua imagem para com os companheiros de viagem. Aliás, mais um adendo aqui... Falando sobre seu romance com o Rowan, um exemplo de relacionamento equilibrado e confiante. Rowan apoia Aeliln, luta a seu lado, não há conformismo ou restrições. 


Após o final dessa obra, sei que fiz a escolha certa em voltar a lê-la agora. O final me deixou arrepiada e LOUCA LOUCA LOUCA por mais. Tanto que já comecei "Torre do Alvorecer" e comprei o último livro da saga (Reino das Cinzas) que chegará em breve. Não conheço nenhuma pessoa que leu e não se entregou a esse mundo novo criado pela Sarah. Espero que tenha conseguido passar para vocês um pouquinho do meu amor por essa saga já que considero uma das melhores séries da atualidade.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Words Challenge 2019 - Touro

Olá amores,


Hoje, o Words Challenge traz uma personagem taurina: forte, amante do conforto e da vida, esforçada, sentimentalista, emotiva e que está sempre com fome, rs. Espero que gostem e não deixem de conferir o texto da Pam do Interrupted Dreamer também, tá?


Words Challenge 2019 - Touro


"- Eu estou com fome.

Ok. Meus amigos já sabiam disso. Era talvez a terceira vez que eu repetia isso dentro de um período de 15 minutos, mas que culpa eu tenho se eles só me colocam em enrrascadas? Eles me trouxeram para fazer um trilha especial em comemoração ao meu aniversário. E eu sei que deveria estar agradecida e tal, mas vocês já viram o tamanho dessa montanha?

Normalmente, eu sou corajosa e enfrento meus problemas de frente, mas, infelizmente, eu vim com esses tênis novos que fazem meu pé doer e essa blusa térmica que não me deixa tomar nem um ventinho fresco. Ai Deus, tudo dói. Se arrependimento matasse...

- Quer voltar?

Meu amigo João sussurra, já que ele percebe que não estou muito feliz com a situação. João me conhece melhor do que eu mesma. Somos amigos desde o jardim de infância e é impossível esconder a verdade dele.

- Quero, mas não vou desistir, você sabe!
- Sei, rs. Mas não custa perguntar, né? Não seria errado admitir que está difícil. Sabe que se precisar, eu posso te carregar.

Dou a maior gargalhada possível, mesmo com o fôlego me faltando.

- Você? Magricela desse jeito?
- Ei, eu estou fazendo academia há uma semana!
- Nooosssaaaaa, desculpe The Rock!
- Não me zoa! Talvez minha forma física não esteja perfeita, mas vai ficar, só me dá mais alguns meses.
- Se te faz feliz... Só estava aqui pensando... Poderíamos chegar em casa e pedir aquele hamburguer duplo com bacon do Sr. Olavo...
- Você está me boicotanto, Patrícia. Isso não é justo.
- O que não é justo? Eu querer comer um hamburguer duplo com bacon? - Eu frizo a palavra bacon só porque sei que é seu ponto fraco. Ele não vai resistir.
- Você sabe que eu amo o hamburguer do Sr. Olavo. Ok. Posso voltar a dieta na segunda-feira. 

Sorrio com orgulho. Venci. João sorri de volta como se soubesse o quanto aquilo era importante para mim. Mas o momento é quebrado quando nossa amiga Júlia grita lá da frente:

- Chegamos, pessoal! Vejam se não valeu a pena o esforço!!!!

Encaro o mirante de boca aberta. É a vista mais linda e inspiradora. Mentalmente faço uma oração agradecendo aquele momento e aquelas pessoas que me fizeram vir até aqui. Cada um do grupo senta em um local, ou para tirar fotos ou para tomar água e eu só consigo ficar hipnotizada com aquela paisagem. 

Por trás, João se aproxima de mim e coloca um pacote em minha mão que está estendida ao lado do corpo. Antes que eu possa me virar, ele se afasta e abro a caixinha pequena que contém um laço vermelho. Uma gargantilha com o pingente dourado escrito 'corajosa' reluz ao sol da tarde. Uma lágrima caí e eu nem a enxugo. Estou feliz em estar aqui. Estou feliz em viver."


- Alessandra Salvia

terça-feira, 14 de maio de 2019

Série: Shadowhunters - Season 3

Olá amores,


Como estão? Semana passada, a série "Shadowhunter" que está disponibilizada aqui no Brasil pela Netflix chegou ao seu final e eu vim falar um pouco sobre isso, afinal, foram três temporadas acompanhando a saga.


Baseando-se na série de livros "Instrumentos Mortais" da autora Cassandra Clare, "Shadowhunters" não foi uma adaptação fiel. Podemos dizer que os produtores utilizaram as ideias da Cassandra Clare para criar novas situações na série de TV. Eu, particularmente, não gosto muito dos livros, mas admiro a premissa e o mundo criado pela autora, então me aventurei nas obras chegando ao final do livro 6, o chamado "Cidade do Fogo Celestial" somente esse ano e por conta do final da série também que me empurrou, rs.


Eu queria dar spoilers nesse post, pois acho que é importante para vocês entenderem minha frustração com essa temporada final. Não vou mentir, eu até que gostava sim da série, via que o elenco estava se esforçando para melhorar, tanto que se você ver a primeira temporada e a segunda percebe nitidamente o quanto a produção como um todo estava se encontrando. Porém, veio a notícia do cancelamento e tudo foi desestabilizado. 

Essa segunda parte da terceira temporada foi fraca, rápida e decepcionante. Tudo foi muito fácil, nenhum plot foi realmente desenvolvido, as ameaças se resolveram num piscar de olhos e nem deu tempo de nos emocionarmos. Quero dizer, fora Malec que é a melhor coisa de todas nessa série. Magnus e Alec se tornaram meus personagens favoritos e deixaram no chinelo o casal Sizzy (Simon e Izzy) que até então, eram meus favoritos nos livros.


Se você está se perguntando qual o final do livro e o final da série, eu vou contar, pois vai ser o perfeito exemplo do quanto os produtores reaproveitam ideias: o final da Clary na série, é o final do Simon no livro. E eu não gostei. Não pelo fato de ser aberto, mas por achar que tornar-se humana, não condiz com a protagonista que realmente 'se encontrou' no mundo das sombras. Quantas vezes Clary disse que não trocaria aquilo por nada? Elas nasceu assim, não sabiam e no decorrer da vida achou seu lugar! Já Simon, é diferente porque ele se tornou submundano num 'acidente', não era para ser assim. Acredito que essa até seja uma fala do Magnus no epílogo do livro e fez total sentido para mim.

Outros personagens tiveram seus finais jogados também: Luke, Maia, os clãs de vampiros e seelies... Faltaram diversas explicações e sinceramente? Não precisava ser assim. Sei que o corte de orçamento foi um dos principais fatores, mas acho que a série e os fãs mereciam mais respeito. Os produtores até explicaram como seria a quarta temporada para tentar justificar o final corrido só que nada muda, né? Temos que analisar o que nos foi apresentado.


Sendo assim, finalizo dizendo que é uma pena, mas o final foi decadente perto da ascensão que a série estava tendo. Se tiver interesse, ainda recomendo a leitura dos livros, lembrando que o mundo das sombras é bem maior que Jace e Clary e temos diversas obras da Cassandra para matar a saudade dos nossos Shadowhunters.

Minha Classificação:♥ ♥ (2/5) - Regular, só Malec salva!

- Alessandra Salvia