sábado, 29 de agosto de 2020

Guia de Leitura Outlander - Parte 3

Olá amores,

Vamos para a terceira parte do guia de leitura de Outlander? Hoje, vamos falar um pouco sobre a questão fantástica da série, os pontos os quais ela cria e/ou nos guia por movimentos históricos importantes


Antes de mais nada, caso você esteja chegando agora e queira ver as postagens anteriores é só clicar AQUI para ver a ordem dos livros e AQUI para descobrir quais são os spin-offs da série. Saibam que esta é uma série muito especial para mim e mesmo tendo uma mistura de fantasia com realidade, Outlander consegue ter seu lugar bem definido no gênero romance histórico. 

E para isso, vale explicar a diferença de romance histórico para romance de época. O 'histórico' tem um período específico ou algum acontecimento histórico como seu foco, podendo ter ou não romance. Já o 'de época' tem como principal tema o romance e seu desenvolvimento é baseado em costumes de determinada época, mas sem aprofundamento ou dados reais. 

Desta forma, vou listar abaixo alguns dos fatos históricos pelos quais conheceremos através dos olhos de Claire, nossa protagonista:


2ª Guerra Mundial
Outlander começa sua narrativa nos dando uma perpectiva de uma enfermeira da linha de frente da 2ª Guerra Mundial e no decorrer dos episódios podemos ver os traumas deixados pela guerra. Claire fala a todo momento da experiência profissional que esse fato histórico lhe deu, mas também não deixa de lado o horror ao nos contar sobre uma triste passagem pelas trincheiras.


Rebelião Jacobita
Durante a primeira temporada principalmente vemos os escoceses reunindo recursos para promover a rebelião jacobita que seria a volta da família Stuart ao poder. E por mais que saibamos que a causa é perdida, o patriotismo e devoção por um Rei são muito bem caracterizados. Digo por um Rei, pois não é apenas nos escoceses que vemos a fidelidade por uma causa. Os "redcoats", ou também conhecidos como casacas vermelhas, oficias britânicos são fiéis a sua superioridade e menosprezam a cultura highlander.



Batalha de Culloden
Sendo consequência direta das rebeliões Jacobitas, a Batalha de Culloden realmente aconteceu em 1746 e foi um  marco para a extinção da cultura highlander na Escócia. Muitos clãs foram dizimados e até hoje há pedras pelo vasto campo como homenagem aos mortos.


Caça a Bruxas
Especificamente abordado na primeira temporada, assim que Claire chega ao século XVIII suas habilidades e conhecimento são julgados como bruxaria. Sua amizade com Gailles Duncan não facilita as coisas e ambas são levadas a julgamento cuja punião é a fogueira. Claire faz reflexões importantes sobre o quanto a religião poderia cegar as pessoas naquela época e que simplesmente querem a punição ao terem que aceitar o diferente.


Escravidão
A abordagem da escravidão surge na história mais adiantada, quando Claire e Jamie já estão as colônias em busca de uma nova vida. O mais bacana disso tudo é que a visão da escravidão existe, mas os direitos humanos sempre são defendidos por Claire e Jamie que ajudam e protegem quando possível. Vale ressaltar também a amizade de Claire e John Albernathy, ambos médicos que sofrem preconceito, ela por ser mulher e ele negro em uma faculdade de medicina.


Colonização Americana
Fraser's Ridge não existiu, mas a forma como a America foi colonizada é bem fiel. Até mesmo a presença dos indígenas é retratada com base na realidade e o choque de culturas é inevitável. Iremos ver também aquela busca pelo tal "american dream" (sonho americano) e por mais que Claire e Jamie tenham uma vida bem sofrida, é na America que vem a esperança renovar seus corações.


Revolução Americana
Aos poucos, vemos a presença dos reguladores e o quanto cresce a tensão com os novos colonos. Jamie, como senhor de terra, precisa balancear os constantes atritos e logo mais chegaremos a guerra propriamente dita. Esta é a promessa da sexta temporada da série de TV.


Culturas
Cultura highlander, cultura inglesa, cultura indígena... São tantos detalhes e tantas nuances diferentes que é difícil pegar os detalhes a primeira vista. E até acredito que esse item é um dos que eu mais gosto. Felizmente, temos protagonistas que respeitam as diferenças e sempre estão dispostos a conhecer e a se adaptarem as realidades apresentadas. 


UAU! Acho que deu para darmos uma pela pincelada nas temáticas abordadas, mas sem spoilers, certo? Agora, analisando a parte baseada na fantasia, vemos que a viagem no tempo e suas regras ainda vem sendo construídas com muita precisão. Diana Gabaldon especifícia muito bem como a viagem é feita e por mais que pareça ser algo impossível, há tantos critérios e fatores externos que é quase como se fosse uma fórmula matemática. Acredito que esse seja mais um fator interessante ao analisarmos o plot: o uso de pedras preciosas, não é qualquer pessoas que tem o 'gene' de viajante, o fato de poder ouvir através das pedras... Nos livros, vocês podem ter uma visão bem detalhada de como tudo acontece com a personagem Geillis e até mesmo possibilidades são criadas, uma pena que na série de TV tudo foi simplificado e algumas cenas nem chegaram a acontecer, por isso eu sempre recomendo a leitura para completar a experiência da série.


Curiosidade Bônus!!!! O clã Fraser realmente existiu!!!! Na realidade, existiam dois clãs Fraser's, sendo o primeiro Fraser de Lovat e sua ramificação os Frasers das Terras Baixas. Diana Gabaldon já afirmou que Jamie faria parte da família Fraser de Lovat e isso é confirmado pelo uso das cores cinza e verde. Aproveito aqui para saber se vocês gostariam de uma postagem sobre os cenários apresentados pela série... Quem aqui desejaria muito uma viagem a Escócia? 👀

Agradeço o retorno que venho tendo com essas postagens, aos poucos vamos vencendo o droughtlander (período que passamos sem novidades sobre Outlander)! Mês que vem, tem mais!!!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

TAG Acumulador de Livros

Olá amores,

Hoje é dia de TAG! OBAAAAA! Preparados? Encontrada no canal "Livraria em Casa", vamos falar um pouco sobre meu vício em acumular livros em casa, rs. Fiquem à vontade para responderem também!


TAG Acumulador de Livros

1 – Acumulador - Qual livro que você deveria se livrar, mas por alguma razão não consegue? (Orgulho de ter lido? Foi presente? Ainda quer ler? Tem algum laço afetivo?)
Resposta: "A Rainha Vermelha", eu já li e não gostei da série. PORÉM, a edição é tão linda que ainda está aqui na minha estante só para ser admirada. rs


2 – Colecionador compulsivo – Qual livro ou edição você sonha em ter? (livro raro, autografado, primeira edição)
Resposta: Eu gostaria muito de ter o autógrafo personalizado da Colleen Hoover. Ela é uma das minhas autoras favoritas!!!


3 – Caos confortável – Qual livro da sua estante foi o mais acolhedor? Resposta: Tenho um carinho especial pela minha coleção de Harry Potter. Uma releitura sempre é bem vinda, porque gosto tanto quanto a primeira vez.





4 – Nostalgia – Qual a história interessante que você teve com algum livro que tem na estante?
Resposta: Meu pai havia acabado de falecer devido a depressão e mesmo sem saber de nada, uma livreira da Saraiva me indicou o livro "Por Lugares Incríveis". Essa foi uma leitura que me ajudou muito a entender a mente dele e a seguir em frente. Até hoje, eu não sei quem foi a livreira, não sei o motivo pelo qual ela me entregou a obra, só sei que eu precisava daquilo e a agradeço demais.



5 – Compra no impulso – Qual livro você comprou sem qualquer planejamento?
Resposta: "Verity", eu só queria e comprei. Sorte que a Amazon me deu desconto com a pré venda de menor preço garantido e ainda atrasou, dando tempo do meu cartão virar. kkkkkk


6 – Não toca nas minhas coisas! – Qual livro você não gosta de emprestar ou tem medo de perder?
Resposta: TODOS! kkkkkkkkkkkk Meu exemplar de "Como Eu Era Antes de Você" foi e nunca mais voltou, então sou traumatizada.

7 – Ansiedade – Qual livro você ficou tão animado pra ler que não quis nem sair de casa?
Resposta: Coração Sombrio da Tillie Cole, o livro 2 da série Hades Hangmen.


Gostaram??? Bora responder também???


- Alessandra Salvia

terça-feira, 25 de agosto de 2020

Série: Ragnarok - Season 1

Olá amores,

Recentemente, eu maratonei a primeira temporada da série norueguesa Ragnarok da Netflix e vim contar para vocês o que achei!


Sendo uma releitura da mitologia nórdica, a série conta a história de Magne, um garoto que descobre ter os poderes de Thor, o famoso Deus do trovão. E paralelo a isso, terá que lidar com um perigoso mal antigo...


São apenas 6 episódios com cerca de 45 minutos cada. A série é perfeita para uma maratona de final de semana e até cumpre seu papel de entreter, porém quando achamos que as coisas irão se subir de nível, ela acaba. Ok, já tivemos uma renovação, a segunda temporada vem aí, mas esse problema de desenvolvimento é nítido. Acho sim que a série tem potencial, só precisa de mais tempo. A sensação que fica é que apenas metade da temporada foi disponibilizada.

Em relação a personagens, confesso que nenhum deles me agradou. Não senti aquela empatia para torcer por eles. Tentaram fazer um triângulo amoroso com Magne, Gry e Fjor só que não há química. Ainda mais por Gry ser chata e ter valores bem controversos. Juro que não sei como alguém como Magne/Thor se apaixonou por ela! A única personagem boa nem tem grande visibilidade porque logo morre, não vou contar quem é, mas saiba que se você gostou dela nos primeiros minutos em tela, isso nem vai longe, não passa nem do episódio piloto... Uma pena...

Outro ponto que queria destacar é o quanto Laurits é insuportável! Ele é o responsável por ser o Loki na série e não sei se tenho uma referência muito boa da Marvel (Tom Hiddleston) e aí o tombo foi maior, rs. Ai gente, sinceramente, nem o Thor foi tão legal, viu? Gosto do fato de usarem um personagem com dislexia para algo tão importante e só, rs. Problema de roteiro? Acredito que sim. As atuações são fracas, mas a narrativa linear demais foi o maior problema.


Como disse acima, a Netflix já renovou e nem sei o que esperar. Vou continuar a ver apenas por inércia, naquela espera de um grande salto. Tomara que melhore! E vocês já assistiram? O que acharam? Deixem seus comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ (2/5) - Regular.

- Alessandra Salvia

sábado, 22 de agosto de 2020

Livro: O Café da Praia

Olá amores,

Recentemente, passei por uma ressaca literária forte, na qual eu achava que todos os livros estavam sendo lidos apenas por inércia, sabe? Tudo parecia apenas uma competição de porcentagens, números de páginas lidas ou até mesmo, quanto tempo para finalizar cada capítulo. Aquilo estava me deixando bem mal, então resolvi pegar um livro físico para voltar as origens e o escolhido foi "O Café da Praia" da Lucy Diamond publicado pela Editora Arqueiro.


A obra faz parte do selo 'Romances de Hoje' e eu sabia que era o tipo de leitura certeira. Eu me apaixonei demais logo pela proposta: após a morte precoce da tia, Evie herda um café na praia. Com o seu namorado sendo um maníaco por controle, ela não poderia ser mais impulsiva ao tentar levar o café para frente. Muitos problemas podem surgir, mas a pequena comunidade pode ajudar Evie a fazer acontecer. ♥

Claro, teremos uma linda história de amor por trás dessa premissa, mas realmente acredito que esses romances que a Arqueiro traz para o Brasil são mais do que seus clichês aparentes. São histórias sobre confiança, sobre recomeços, sobre esperança. É impossível ler e não se envolver com cada personagem, com cada reviravolta mesmo que esperada. A gente torce por eles. Nós nos enxergamos em cada insegurança e é uma bela fonte de inspiração para corrermos atrás dos nossos sonhos.

Evie é totalmente insegura no que faz, ela nem sabe qual seu maior propósito ou seus próximos passos, porém quando finalmente decide fazer algo por si, sem levar em consideração as críticas e comentários alheios, é quando ela se encontra. E duvido que você nunca tenha se sentido como Evie em pelo menos um momento da vida. A obra é bem transparente e nos faz refletir sobre quem somos e onde queremos chegar.

O fato de Evie não se encaixar na família é outro ponto que me chama a atenção, pois é um aprendizado, vemos que às vezes é só uma pré-concepção por sermos diferentes. Não vou dar mais detalhes, pois gostaria que vocês lessem para absorver cada mensagem. É um livro muito gostoso de ler e por vezes, necessário, principalmente no momento em que li. Confesso que precisava desse "empurrão", foi como um sacode para eu voltar a fazer aquilo que amo simplesmente por amor.

Ah, mas o livro não é apenas gostoso, ele é rápido também, não no sentido ruim, porque todo o enredo tem sua construção gradual, o que eu falo sobre rapidez é que você engata um ritmo bom de leirura. É muuuuito fluído e em poucos dias eu terminei. 


Falando agora da edição, devo elogiar muito a Editora Arqueiro por trazer uma capa linda, uma diagramação ótima e ainda aquele toque pessoal da autora com a receita do tão famoso scone da Cornualha e também com sua lista de praias favoritas! 

E pesquisando para trazer todas as informações para vocês, descobri que este é o primeiro volume de uma série!!!! Não se tem informações sobre o lançamento das outras obras por aqui (até porque parecem contos pelo número de páginas), mas posso adiantar que o livro 2 e 3 tem toques natalinos enquanto o livro 4 teremos um bebê na vida de Evie! AAAA, não vejo a hora de ter essas histórias em mãos para devorá-las! 


Espero que tenham gostado da dica de hoje! Se você procura uma história doce com reflexões positivas, "O Café da Praia" é para você! Se joga com um belo capuccino ao lado que serão horas muito bem aproveitadas!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhosa!

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 19 de agosto de 2020

Série: Doces Magnólias

Olá amores,

Existem alguns tipos de séries que considero certeiras comigo. "Doces Magnólias", sem dúvidas, entra para essa categoria. Ela é baseada no livro homônimo escrito por Sherryl Woods, mesma autora de Chesapeake Shores


Nessa primeira temporada lançada pela Netflix, podemos sentir a pegada dramática e familiar da série. São 3 amigas que se unem para abrir um SPA, um sonho de infância que está prestes a se tornar realidade. Maddie é uma mãe de 3 filhos recém separada, Dana Sue é uma chefe renomada na cidade e Helen é uma advogada super emponderada que deseja muito ser mãe. 


É ambientação é linda, a fotografia da série é ensolarada, é uma história gostosa e otimista. Por mais que tenhamos muitas problemáticas e lágrimas envolvidas, acredito que esse foco na vida real é o verdadeiro brilho da obra. A amizade das protagonistas é do tipo que a gente deseja ter, por isso, digo que o verdadeiro tema de toda a obra é o verdadeiro amor, puro e sincero amor entre amigas, entre mãe e filho, entre seres humanos. É sobre valorizar cada momento, cada pessoa que você tem ao seu lado.

Com isso, o amor romântico também será abordado. Maddie vai se envolver com o treinador de beisebol do filho mais velho. Helen com seus relacionamentos passados a serem resolvidos e Dana Sue querendo aproveitar a vida! E se você é mais jovem, terá também o plot dos filhos adolescentes que é bem encantador, Annie e Ty são uns lindinhos! E é impossível não se apaixonar! 


Aprofundando um pouco mais essa discussão sobre o amor, acredito que é uma celebração também a força da mulher. A mulher que parece frágil, que parece disponível a família, que pode ser enganada e subjulgada, mas que na verdade tem força, tem apoio, tem força de vontade para fazer as mudanças necessárias em sua vida. Feminista, emponderada, mas ao mesmo tempo doce, gentil e apaixonada.

Outro ponto positivo que quero destacar para vocês é a abordagem da fé, não há uma religião específica, mas a maneira como o roteiro cita sempre a bondade, o perdão, os recomeços é muito bonita e sempre valorizam a presença de Deus. 


A Netflix já renovou a série para sua segunda temporada e acho importante vocês saberem que a série de livros é composta por 11 volumes, ou seja, muita água ainda vai rolar e realmente espero que a Netflix a leve adiante por mais anos! Confesso para vocês que sinto muita falta de assistir séries com base na vida real, sabe? Com problemas que eu e você podemos ter, séries que tem um tom familiar e que renovam nossa esperança no ser humano.

Espero que devorem "Doces Magnólias" assim como eu o fiz! 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhosa!

- Alessandra Salvia


P.S.: Termine a série com uma vontade doida de comer guacamole, porque a cada reunião é só isso que servem! kkkkk

P.S.2: O livro baseado nessa primeira temporada já está a venda pela Editora Harlequin com a jacket da série:



domingo, 16 de agosto de 2020

Livro: Birthday Girl

Olá amores,

Como estão? Hoje, vamos falar de mais um livro da Penélope Douglas, o chamado "Birthday Girl" publicado pela The Gift Box!


O livro conta a história de Jordan e Pike, ela uma garota de 19 anos que namora Cole, filho único de Pike, sendo este um homem maduro (38 anos) que se vê atraído pela nora. Não pense que é algo forçado ou estranho. Jordan vê em Pike o seu porto seguro, ele é tudo aquilo que ela almeja em sua vida: conforto, amor e cumplicidade. Enquanto, Cole é imaturo e ingrato. Será uma trajetória de descobertas e recomeço.

Gostei muito da abordagem da diferença de idade, acho que foi algo natural e com um propósito maior. Claro, é um casal que quebra tabus e levanta questões sociais importantes em relação ao preconceito que temos para com mulheres mais novas namorando homens mais velhos, mas o que mais me empolgou foi o quanto a visão de mundo mudou e o quanto esse livro representa essa transição. Principalmente, por Pike saber que em alguns momentos ele está errado, em determinadas situações ele tem sim atitudes e visões machistas e ao expor o que pensa (muitas vezes de maneira ofensiva), observamos o quanto isso é reflexo de uma educação retrógrada, é a visão de uma geração anterior a nossa. Jordan sabe disso e o enfrenta, jamais abaixando sua cabeça, ela o incomoda até ele admitir seu erro e que pode melhorar. 

E mesmo não aprovando certas atitudes de Jordan, Pike a incentiva a ser melhor, a crescer. Acho sim que ambos são maduros, por mais que algumas atitudes sejam desnecessárias, é o ciúme e insegurança os dominando, até porque são seres humanos. Para mim, é uma visão real de um casal que erra e acerta na mesma medida, pois se tem uma coisa que Penélope Douglas não é, é politicamente correta. Sabemos que seus casais não são perfeitos, assim como qualquer ser humano. Há alguns exageros, há algumas situações que EU não perdoaria, mas é um opinião pessoal. Se aqueles personagens estão dispostos a perdoar e seguirem em frente, eu fico feliz por eles. Até porque, só quem ama consegue ver lógica em algumas escolhas. Quem nunca se apaixonou que atire a primeira pedra... rs.

Tanto isso é verdade que vejo o epílogo como uma confirmação de tudo o que senti durante a leitura. Não quero dar spoilers, porém consigo enxergar todo o arco se fechar ali, com a plenitude de pessoas maduras vivendo uma vida que gostariam de viver.


A única ressalva que faço é como Jordan e Pike se entregam a paixão. Não vi coerência na atitude da Jordan, não condiz com a personagem algo tão ousado e atrevido, eu a vejo mais doce e amorosa. A insegura garota que aceitava atitudes ridículas de Cole, não existia quando ela provocava Pike. Será que é um reflexo do sentimento avassalador que o sogro instiga nela? Pode ser. Mas mesmo assim, achei que foi algo controverso e só por isso não dou as 5 estrelinhas para a obra.

Ah, outra coisa importante. O motivo pelo qual eu, como leitora, aceitei Pike e Jordan NÃO foi pelas atitudes infantis e imaturas de Cole. Foi porque os personagens se conheceram em outras circunstâncias, não vejo como traição o que o pai fez com o filho e existe culpa no desenrolar de toda a situação. A autora foi bem sensível e não achei desrespeitoso em momento algum. Isso é um dos pontos chaves que me fez gostar da obra.

Entendo que "Birthday Girl" é um livro para poucos, porém que não seja pelo plot de diferença de idade, pois é esse tipo de situação que o livro quer combater. O livro quer celebrar o amor, quer colocar esse amor como ponto chave para a união familiar e felicidade. Até Cole, que pode ser considerado um ingrato, tem sua segunda chance comigo por aceitar que o amor pode vencer todas as barreiras.


Agora, se você já leu o livro, olha que dica bacana!!!! A The Gift Box disponibilizou um conto de Pike e Jordan de maneira GRATUITA, é um bônus para quem amou esse casal e quer passar mais um tempinho com eles. O conto se passa entre a ida ao hotel e a cena do quadriciclo. CLIQUE AQUI PARA LER. Vale dizer que é um excelente complemento ao original, porque aqui vemos que nem tudo são flores para nosso casal. 

Espero que tenham gostado da dica de hoje, o livro se encontra no Unlimited (clique AQUI!). Não esqueçam de deixarem seus comentários me contando o que acharam da dica de hoje e se querem mais resenhas de romances controversos!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 14 de agosto de 2020

Words Challenge: 2001 - Terror nos EUA

Olá amores,

A temática de hoje pode ser um pouco triste por conta do incidente ocorrido em 11 de setembro, mas o Words Challenge é um exercício que nos permite fazer a imaginação voar. Espero que vejam o quanto Jonas era especial. As palavras que eu e a Pâm do Interrupted Dreamer usamos para construir nossa história são: estremecimento, cadeira, animal, queda, respirar, encharcar.



Words Challenge: 2001 - Terror nos EUA

"Na virada do século, todos acharam que o mundo iria acabar, vários se programaram para a grande partida que não aconteceria à meia noite. Para muitos, o fim seria dali há alguns meses, com a queda de dois prédios mundialmente conhecidos dos EUA. As tais torres gêmeas.

Eu não estava lá quando tudo aconteceu. Minha família não estava lá quando aconteceu. Mas algo chamava minha atenção. Algo me atraia para esse grande parque que construíram em homenagem às vítimas do ataque terrorista e cá estou eu. 

Estou na minha terceira visita ao país e minha terceira vez aqui. Toda vez que venho, converso com alguém diferente sobre o ocorrido e novas descobertas são feitas. Acredito que quem morreu aqui, não pode ser simplesmente esquecido. De certa forma, por isso me tornei jornalista, eu quero eternizar aqueles que não tiveram tempo de fazer algo memorável por si só. 

Caminho lentamente sob a grossa chuva que caí. Vou me encharcar em minutos e nem me importo. Fico a margem da fonte cujos nomes das vítimas estão gravados. Eu sempre anoto um nome por vez em meu caderno, pois assim quando chegar em casa posso fazer uma pesquisa e descobrir quem essa pessoa era.

Mas hoje, um nome em especial chama minha atenção. Se eu não fosse tão cética, acreditaria que Deus o está iluminando nesse exato momento por entre nuvens. Aproximo-me mais e sinto o estremecimento passando pelo meu corpo. Não. Não pode ser. Aquele nome na pedra gravado. Como eu nunca o havia visto antes? Jonas. Meu Jonas. Está difícil respirar. Talvez eu desmaie...

- Ohhh, are you okay, my dear?

Uma senhora de capa de chuva transparente me ampara e me puxa para sentar em sua cadeira ali posta. Como é possível? Só consigo pensar em que grande rasteira o destino está me dando e choro. 

A senhora espera pacientemente até eu me acalmar, seu animal de estimação permanece ao lado, totalmente imóvel. Percebo que agora é a minha vez de contar uma história...   

Jonas foi meu primeiro amor, não sei se o mais intenso, só com certeza o mais calmo e generoso. Nos separamos quando ingressamos na faculdade, ele veio para os EUA através de um programa de voluntariado e eu fiquei no Brasil para estudar. Nos separamos como bons amigos que desejavam o melhor um para o outro e apenas agora a vida se encarregou de nos unir novamente. Não como eu esperava, não como eu queria. 



Jonas foi um dos bombeiros mortos ao tentar resgatar sobreviventes. Morreu como um herói e eu só consigo sentir orgulho de quem ele se tornou. Dele ser eternamente o meu Jonas." 


- Alessandra Salvia

quinta-feira, 13 de agosto de 2020

Dicas do Kindle Unlimited #4

Olá amores,

Vamos para o quarto mês seguido com nossa coluna de indicações de kindle unlimited! Vocês estão gostando? Gostaria muito de saber a opinião de vocês, lembrem-se de deixar seus comentários, ok? 


Esse mês, nossa temática será livros do gênero thrillers, já que faz muito tempo que não leio um bom suspense, que tal? 



O Sorriso da Hiena - Gustavo Ávila 

Sinopse: "O sorriso da hiena é um thriller psicológico que vai muito além da caça ao serial killer, abordando questões que colocam o próprio leitor em complexos dilemas morais. A obra, que já teve os direitos de adaptação comprados pela TV Globo, está sendo elogiada por outros escritores e formadores de opinião do mercado literário. "Ao investigar a origem do mal, Gustavo Ávila traz frescor para a literatura policial brasileira, com uma obra surpreendente e imperdível." (Raphael Montes) "Gustavo Ávila criou, com segurança e inteligência, um livro pulsante e original." (Marcelino Freire) "Eu não consegui largar este livro, de tão bom, tão bem-escrito, tão bem-elaborado que ele é." (Tatiana Feltrin)."




A Mulher da Cabine 10 - Ruth Ware

Sinopse: "Há um assassino a bordo do Aurora Boreal.
Mas como detê-lo quando ninguém acredita em sua existência?
Lo Blacklock, jornalista de uma revista de turismo, é vítima de uma invasão domiciliar. Embora tenha saído praticamente ilesa da ocorrência, ela agora tem dificuldades para dormir e vive à base de ansiolíticos. Nesta fase conturbada de sua vida, Lo recebe um convite da revista em que trabalha para cobrir a viagem inaugural de um luxuoso navio, o Aurora Boreal. Uma ótima oportunidade para ser promovida e, quem sabe, se recuperar do choque sofrido.
O cenário no interior do Aurora é fascinante: cabines luxuosas, jantares esplêndidos e convidados elegantes. No meio de uma noite, no entanto, Lo acorda com um grito, corre para a janela e vê o que lhe parece um corpo sendo jogado ao mar da cabine vizinha à sua. Mas os registros mostram que ninguém se hospedara ao seu lado e que não falta ninguém da lista de passageiros.
Lo se recusa a duvidar de seus próprios instintos e começa uma investigação para encontrar qualquer prova de que foi testemunha de um assassinato. Exausta, abalada emocionalmente e desacreditada por todos os passageiros, que seguem viagem como se nada tivesse acontecido, ela precisa encarar a possibilidade de que talvez tenha cometido um terrível engano. Ou se convencer de uma vez por todas de que está presa em um navio com um assassino à solta.
Em um cenário claustrofóbico e inquietante, A Mulher da cabine 10 é um mistério clássico na tradição de Agatha Christie, capaz de manter o leitor atento até a última página, e que estabelece de vez Ruth Ware como um dos grandes nomes do suspense contemporâneo."




A Garota Perfeita - Mary Kubica

Sinopse: "Mia, uma professora de arte de 25 anos, é filha do proeminente juiz James Dennett de Chicago. Quando ela resolve passar a noite com o desconhecido Colin Thatcher, após levar mais um bolo do seu namorado, uma sucessão de fatos transformam completamente sua vida.
Colin, o homem que conhece num bar, a sequestra e a confina numa isolada cabana, em meio a uma gelada fazenda em Minnesota. Mas, curiosamente, não manda nenhum pedido de resgate à familia da garota.
O obstinado detetive Gabe Hoffman é convocado para tocar as investigações sobre o paradeiro de Mia. Encontrá-la vira a sua obsessão e ele não mede esforços para isso.
Quando a encontra, porém, a professora esté em choque e não consegue se lembrar de nada, nem como foi parar no seu gélido cativeiro, nem porque foi sequestrada ou mesmo quem foi o mandante. Conseguirá ela recobrar a memória e denunciar o verdade vilão desta história?"




O Sol da Meia Noite - Jo Nesbo

Sinopse: "Jon Hansen está com os dias contados. E precisa fugir. Ele traiu a confiança de seu ex-chefe, o traficante mais poderoso de Oslo, que quer vê-lo morto. Uma dívida de sangue depois de um trabalho malfeito, ou, mais precisamente, não feito. Agora Jon, ou melhor, Ulf precisa se esconder. E é em um pequeno condado no extremo norte da Noruega que ele encontra refúgio. Em meio à comunidade local, ele se sente relativamente seguro e incrivelmente atraído por uma viúva cujo filho conquistou seu coração. Seus improváveis aliados o abrigam em uma cabana de caça na floresta. A companhia deles desperta no fugitivo algo que ele pensava que estivesse morto havia muito tempo... mas os dias intermináveis sob o sol da meia-noite, a solidão, a paisagem plana, monótona e desoladora vão, aos poucos, levando embora o que lhe resta de sanidade. Até o dia em que recebe a temida notícia de que os homens de seu caçador estão a caminho."




O Chamado do Cuco - Robert Galbraith

Sinopse: "Quando uma modelo problemática morre numa queda de uma sacada da Mayfair coberta de neve, supõe-se que ela tenha cometido suicídio. O irmão, porém, tem suas dúvidas e pede ao detetive Cormoran Strike para rever o caso. Strike é veterano de guerra – ferido física e psicologicamente – e sua vida é uma confusão. A investigação lhe dá um salva-vidas financeiro, mas tem um custo pessoal: quanto mais ele mergulha no complexo mundo da jovem modelo, mais sombrias ficam as coisas – e mais perto ele chega de um perigo terrível. Um mistério elegante e emocionante impregnado da atmosfera de Londres – das ruas silenciosas de Mayfair aos pubs entocados do East End e à agitação do Soho – O chamado do Cuco é um livro extraordinário. Apresentando Cormoran Strike, este é o primeiro romance policial de J.K. Rowling, escrito sob o pseudônimo de Robert Galbraith."




Sombras de um Verão - Sidney Sheldon

Sinopse: "Quando Alexia De Vere decidiu que chegaria ao topo, ela sabia que precisaria de uma boa dose de coragem, obstinação e um talento indiscutível. Mas a atual ministra do Interior e esposa de um dos aristocratas mais tradicionais da Grã-Bretanha esconde sua cota de sujeira embaixo do tapete. Roxie, a filha, está confinada em uma cadeira de rodas. O herdeiro Michael acaba de abandonar Oxford para se aventurar como empresário. Seu único conforto é o generoso e devotado marido. Quando a pressão por estar no topo já parece o suficiente, ela ainda tem de lidar com o turbilhão que um dia varreu e lavou quem ela foi, e agora volta, mais forte que nunca, para afogar e destruir Alexia, a mulher do presente."





As Gêmeas do Gelo - S.K. Tremayne

Sinopse: "Um ano depois de Lydia, uma de suas filhas gêmeasidênticas, morrer em um acidente, Angus e Sarah Moorcroft se mudam para a pequena ilha escocesa que Angus herdou da avó, na esperança de conseguirem juntar os pedaços de suas vidas destroçadas. Mas quando sua filha sobrevivente, Kirstie, afirma que eles estão confundindo a sua identidade — que ela é, na verdade, Lydia — o mundo deles desaba mais uma vez. Quando uma violenta tempestade deixa Sarah e Kirstie (ou será Lydia?) confinadas naquela ilha, a mãe é torturada pelo passado — o que realmente aconteceu naquele diafatídico, em que uma de suas filhas morreu?"


Espero que tenham gostado das dicas!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 11 de agosto de 2020

Livro: Contato de Emergência

Olá amores,

Hoje, vamos falar de "Contato de Emergência" da autora Mary H. K. Choi publicado no ano passado pela Editora Intrínseca.


A história nos conta como Penny e Sam, dois jovens universitários se utilizam como contato de emergência caso alguma crise de ansiedade ocorra, ou qualquer problemática da vida, afinal, ambos são muito solitários e através de mensagens de texto serão a salvação um do outro.

E por mais que o livro tente trazer mensagens de saúde mental e do uso da tecnologia, para mim, a história é rasa e fica cheia de "quase's lá". Ela quase atinge seu ápice, ela quase me envolveu, ela quase fez sentido. Se a autora trabalhasse um pouco melhor a empatia de Penny, metade dos problemas seriam resolvidos. Afinal, a protagonista só sabe apontar o dedo para a mãe e criticá-la, o máximo que chegamos de uma boa lição é quando Jude lhe diz umas verdades, mas mesmo assim faltam pontos a serem abordados.

Senti que a história terminou do nada e o próprio envolvimento do casal principal foi assim, sem contexto. As mensagens são um ponto positivo, pois dão agilidade a leitura e mostram o quanto os dois se completam (eles tem uma linguagem própria... bem peculiar), mas infelizmente, para mim, foi apenas isso: uma troca de mensagens malucas que não demonstram troca de confidências ou detalhes pessoais que justifiquem um sentimento. Apenas Sam se abre com Penny e quando ela o faz, não acredito que seja o bastante.


Com capítulos intercalados entre os personagens e narração em primeira pessoa, eu me senti distante do enredo. Penny é mimada e chata. Ela age como se fosse a única pessoa inteligente na face da Terra e menospreza sim as outras pessoas. E não tem como eu gostar de um livro que me passa essa impressão, sabe? Aponto o fato de existir diversidade como algo valioso na obra, só que em momento algum eu quis ser Penny, eu não quis viver aquela história, como geralmente isso acontece.

Entretanto, a história não é de todo ruim. A forma como o abuso sexual foi apresentado fez a diferença e acredito que tenha sido a parte mais sensível do enredo, fiquei com um nó na garganta pelo relato. Há também uma abordagem sincera sobre o alcoolismo, relacionamentos abusivos e problemas familiares. Tudo isso precisa ser levado em consideração ao avaliarmos o livro como um todo.

Em relação a edição, eu amei essa capa e todo a diagramação feita pela Intrínseca. Está confortável de ler e mesmo tendo assuntos pesados, achei a leitura bem fluída. Uma pena que os personagens são acompanhem o maravilhoso trabalho da editora...


Agora chegou a vez de vocês me contarem o que acham dessa obra! Querem ler? Já leram? Ficaram decepcionados? Lembrem-se: não é porque eu não gostei que vocês não gostarão, pois já vi diversas pessoas elogiando, só que (infelizmente) comigo não funcionou...

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ (3/5) - Bom!

- Alessandra Salvia