terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Melhores do Ano 2020

Olá amores, como estão?

A tão esperada postagem de Melhores do Ano chegou!!!! Como já fiz no ano passado, vou selecionar os 6 melhores livros, os 6 melhores filmes e 6 melhores séries de 2020 com base exclusivamente na minha opinião pessoal, então talvez as escolhas gerem algumas controversas, rs. Espero que gostem desse meu apanhado e que respeitem o que for... polêmico. rs


Importante: Não é um top 6, é uma postagem destacando 6 obras. Não consigo escolher uma só para ser o destaque do ano. 

MELHORES LIVROS DE 2020

Série Hades Hangmen - Tillie Cole


Eu roubei. É isso. Me julguem. Se eu colocasse esse tópico como livro individual ou série, dos 6 melhores livros do ano, 3 seriam Hades Hangmen. Então, toma a série toda como melhores do ano. Temos resenhas de todas as obras e a Tillie Cole tem meu coração para toda a eternidade. Flame é o melhor personagem do ano e eu nem tenho o que pensar nessa questão. Links das resenhas a seguir: Guia de Leitura Hades HangmenPrelúdio Sombrio - ResenhaCoração Sombrio - ResenhaAlma Sombria - ResenhaRedenção Sombria - Resenha.

Um Desejo Para Nós Dois - Tillie Cole


E cá estamos com Tillie Cole novamente. O que eu chorei com esse livro não está escrito. Emocionante, destruidor e apaixonante. Fiquei tão encantada com o relacionamento de Cromwell e Bonnie que foi uma obra marcante e obrigatoriamente deveria aparecer nessa postagem. Resenha AQUI.

Casa de Terra e Sangue (Cidade da Lua Crescente) - Sarah J. Maas


Minha fantasia do ano! Foi polêmica? Foi e eu sei que vou ser julgada, mas o que posso fazer? Sarah J. Maas é uma rainha no gênero e conseguiu fazer dessa nova série um sucesso. Feéricos, anjos e humanos, a mistura já conhecida surpreende num jogo de segredos e assassinatos misteriosos. Resenha AQUI.

As Três Partes de Grace 


Um dos melhores dramas que já li! Com temas relevantes a serem discutidos, como por exemplo: família, privilégios e oportunidades. A obra nos faz refletir sobre o que é amar, sobre o que é ser pai ou mãe. É um livro que mexe com nosso emocional. Me tirou da zona de conforto ao ver outras realidades que só por serem diferentes da minha, não significa que não existam. É uma daquelas leituras obrigatórias. Resenha AQUI.


Verity - Colleen Hoover


Vocês acharam que eu não iria citar Colleen Hoover? Pois acharam errado! Verity também foi lido no primeiro semestre do ano, mas é um dos melhores suspenses da minha vida. Até hoje me pego pensando no desfecho da obra e fico de boca aberta. Resenha AQUI.

The Risk - Elle Kennedy


The Risk é o livro 3 da série Briar U e foi uma delícia de ser lido!!! É aquele romance clichê sensual que deixa o coração quentinho, mas que também trata de temas relevantes. Ainda não temos resenha da obra aqui no blog, porque decidi fazer um resumão de todos os livros da autora Elle Kennedy em 2021. Ou seja, aguardem novidades!


MELHORES SÉRIES DE 2020

Spinning Out - Season 1


A série foi maratonada em janeiro e até hoje permaneceu no meu coração. Sou apaixonada por esse clima de inverno e patinação artística e, claro que, com um casal cheio de química eu só poderia ficar  ainda mais encantada. Uma pena que não foi renovada para a segunda temporada. Crítica AQUI.

Julie and the Phantoms - Season 1


Uma série musical, teen que tinha tudo para passar despercebida. NÃO NÃO NÃO. Julie and the Phantoms ganhou seu lugar não apenas na minha lista da Netflix como também na playlist do Spotify. Crítica AQUI.

Eu Nunca - Season 1


Eu não dava NADA para essa série e terminei a maratona em lágrimas. Sem perceber, me envolvi com os personagens e seus dilemas. Tem uma pegada meio 'Sex Education' com o foco mais em encontrar seu lugar no mundo mesmo no meio de uma família com uma cultura diferenciada. A série já foi renovada e ganhará sua continuação no ano que vem. Espero poder elogiá-la ainda mais em 2021. Crítica AQUI.

Outlander - Season 5


Acho que um 'melhores do ano' sem Outlander, não é melhores do ano. Vocês já sabem o quanto sou apaixonada por essa série, tanto de livros quanto de TV e esse ano foi o lançamento da quinta temporada. 'Cruz de Fogo' não é uma das minhas partes favoritas da história, confesso, mas acho que o trabalho feito pela produção do canal Starz foi impecável. Chorei em quase todos os episódios e se quiser mais detalhes, a crítica está AQUI.

Dark - Season 3


Eu não poderia ignorar o desfecho dessa série que me deixou maluquinha. E que final! Sensacional! Não desapontou e ainda trouxe um elemento surpresa que deixou os fãs de boca aberta. 

A Maldição da Mansão Bly 


Se eu esperava colocar essa série como melhor do ano? JAMAIS, mas a quantidade de lágrimas que eu derramei no último episódio não consegue ser mensurada. Ela promete um terror, mas entrega uma grande história de amor. Não fiquei com medo e já adianto que teremos uma postagem especial dela no ano que vem, para eu poder compartilhar todos os meus sentimentos, já que a assisti agora, em dezembro mesmo.

MELHORES FILMES DE 2020

Adoráveis Mulheres


O primeiro filme do ano nos cinemas foi a obra baseada em "Mulherzinhas", um clássico da literatura e que filme belíssimo! Eu não apenas amei, como também me vi obrigada a ler o original. Não me decepcionei em nenhum dos casos. Caso queira ler a crítica, clique AQUI.

Aves de Rapina


A última vez que fui no cinema esse ano foi para ver "Aves de Rapina" e foi uma experiência bem diferente. Arlequina se tornou uma das minhas personagens favoritas do mundo da DC e por mais que esperasse algo diferente do filme, foi uma boa experiência. Quer ler a crítica completa? Clique AQUI.

Onward



Esse filme, foi visto pela Amazon Prime Video e não tem crítica aqui no blog. Foi uma bela experiência, pois além de ser divertido, foi emocionante. Claro, sendo Disney/Pixar não podemos esperar nada diferente, mas a temática família é um ponto bem sensível e ver os dois jovens em busca do pai, me bateu aquela saudade do meu também. Recomendo para todas as idades!

Enola Holmes


Um filme Netflix que gerou algumas controversas. Eu, por outro lado, adorei e já quero ver os outros livros da série também sendo adaptados. Enola trouxe um tom feminista jovem tão gostoso que acho um desperdício parar por aí. Crítica AQUI.

Por Lugares Incríveis


Um dos meus livros favoritos da vida se tornou filme. Foi perfeito? Não foi, mas teve o que precisava para tocar meu coração. Relembrar essa história, por mais que tenha tantos gatilhos, me fez lembrar do quanto eu já vivi e o quão importante Finch e Violet foram para eu superar meus próprios problemas. Clique AQUI para ler a crítica.


Frozen 2


O filme em si não foi tão incrível quanto o primeiro, porém quis colocá-lo nessa lista para me lembrar da mega experiência que foi assistí-lo em XD. Foi minha primeira vez em uma sala dessas e não poderia ter escolhido filme melhor para isso. Lindo, emocionante e com personagens tão amados. Quer crítica do filme? Clique AQUI.


Agora é com vocês! Quero saber quais foram os destaques do seu ano! Deixem seus comentários, vamos trocar dicas e quem sabe seu livro favorito não vira uma meta de 2021 para mim?

E CLARO: FELIZ ANO NOVO!!!!!!!!!!!!! Nos vemos no ano que vem! 😉

- Alessandra Salvia

sábado, 26 de dezembro de 2020

Série: Bridgerton - Season 1

Olá amores,

Eu sei, a maioria de vocês está de férias do mundo blogueiro, mas eu não consigo parar e relaxar, para mim, a fuga da realidade é esse meu cantinho e o mundo cultural não dá descanso, rs! Ontem mesmo, tivemos o lançameto da primeira temporada de "Bridgerton" na Netflix e eu venho trazer para vocês minhas considerações.


Primeiramente,  quero dizer que eu li toda a série de livros nos quais essa família é protagonistas e por mais que "O Duque e Eu" seja uma bela obra, não é a minha favorita, então já vejo muito potencial na adaptação. Aqui, nesses 8 primeiros capítulos com cerca de 1 hora cada, temos a história de amor e descoberta entre Daphne e Simon. Ela, uma revelação da temporada. Ele, um duque cobiçado por todas as solteiras de Londres. Juntos, entrarão num acordo para se beneficiarem e conquistarem o que tanto desejam. 


É claro que essa história de amor rouba o coração do telespectador. O ritmo leve, descontraído e divertido, se equilibra muito com o drama da infância do duque de Hastings e críticas muito feministas e pertinentes. Além é claro de toda a produção, a fotografia, o figurino... TUDO IMPECÁVEL!!! E para conseguir expor minha opinião sobre todos os personagens e suas adaptações, resolvi fazer uma lista e assim, conto para vocês sem esquecer nenhum detalhe, pode ser? 

1) Daphne e Simon: o casal tem uma química incrível e ambos são perfeitos para os papéis. Principalmente Regé-Jean Page, o ator caiu com uma luva como Simon. Além de ser todo sedutor e apaixonante;
2) Violet: gosto da atriz e acho que ela teve pulso firme para tratar com Anthony, mas depois, no decorrer dos episódios, a personagem se apagou e acho que sua interação com Daphne deixou um pouco a desejar. Ela poderia ter sido uma mãe mais ousada como nos livros;
3) Anthony: ok, eu sei, muuuuita gente não gostou do personagem ter se tornado mulherengo, mas eu gostei! kkkkk Me julguem! Na verdade, Anthony nunca foi um personagem muito querido por mim, então ver que ele terá aquele toque clichê de redenção por amor, além de ter levantado a bandeira de que quando se ama de verdade, não é preciso mudar sua verdadeira personalidade, foi algo beeeem positivo;
3) Benedict: no começo, achava que não iria gostar dele. Estava tão apagado, tão secundário, mas aos poucos, ele desabrochou. Sua relação com Eloise é maravilhosa e seu espírito livre foi muito bem retratado;
4) Colin: meu amor, perfeito, zero defeitos, se algum dia critiquei não me lembro. Queria que ele fosse um comilão? Queria. Só que não vou reclamar, porque seu plot mostrou o verdadeiro coração puro do personagem. Animado, divertido, com frases espertas e bem humoradas. Seu plot com Marina é TOTALMENTE DESNECESSÁRIO e me faz passar muita raiva. Sorte que minha Pen estava lá para salvá-lo! ♥
5) Penelope: PERFEITA! Emponderada, faz acontecer e consegue se expressar muito com o olhar. E suas interações com o Colin fizeram meu coração ficar tão apertadinho...
6) Marina: uma personagem nova, que poderia não existir, mas que tem um plot muito relevante para a época. Ela é bem controversa, mas só por ter falado de maneira ríspida com minha Pen, eu não gosto dela.
7) Eloise: o toque de Mulherzinhas aqui é inegável, ela se parece MUITO com Jo e seus discursos feministas. Até mesmo seu relacionamento com Daphne (que parece Meg) traz relevância para sua personagem. Além, é claro, da amizade com Penelope que está bem marcada desde o primeiro episódio;
8) Francesa: igual ao livro, entra e saí sem que a gente perceba ou sinta falta, rs;
9) Hyacinth e Gregory: duas crianças que tem uma dinâmica muuuuito boa e no episódio final contrastam bastante com o 'novo' Simon que está surgindo;
10) Lady Danbury: como eu a amava no livro! Acho que ela até poderia ser mais chata na série que eu não iria reclamar, kkkk. A atriz foi usada como âncora dramática para Simon e 


IMPORTANTE: A diversidade da série merece aplausos. É trabalho da Shonda Rimes, sem dúvida alguma! E ainda existe uma cutucada por parte de Lady Danbury dizendo que o racismo existia, mas após uma rainha negra ter se casado com o rei, as diferenças sociais acabaram. Muito sensacional ver essa representatividade de maneira natural!

AH! Outro ponto extremamente feliz da série: trilha sonora! O que foi Marron 5, Ariana Grande, Taylor Swift, Shanw Mendes apenas instrumental? Esse jogo de moderno x clássico foi maravilhosooooooooo!

Agora, um pequeno ponto negativo da série: já terem contado quem era Lady Whistledown. Ficamos 4 livros na espera, na ansiedade para descobrir sua verdadeira identidade e a série já entrega logo na primeira temporada? Será que foi o medo de não ser renovada? Talvez sim, porém eu esperava um suspense a mais...


Produzido por Shonda Rimes, "Bridgerton" é uma das séries mais promissoras da Netflix. Tem meu coração e espero ansiosa por notícias das próximas temporadas, afinal, eu preciso de pelo menos QUATRO, para chegar ao meu Colin ♥ 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

Filmes Natalinos 2020 - Parte 2

Olá amores,

FELIZ NATAAAAAL! Que o Papai Noel traga muita saúde, amor e paz para todos! Desejo de coração que essa data seja celebrada em família com muito carinho e comidinhas gostosas. E claro que, como prometido, eu trago mais filmes natalinos para vocês! Minha maratona foi tão produtiva que tive dividir a postagem, então preparem-se para mais dicas temáticas!


My Christmas Inn (Disponível na Netflix)

Jen herda uma pousada no Alasca após a morte de sua tia. Lá, ela conhecerá o advogado da cidade e verá que sua vida em São Francisco não é bem um modelo de felicidade e acolhimento. Em alguns aspectos, o filme me lembra "O Café da Praia" de Lucy Diamond, no qual uma sobrinha encontra sua verdadeira vocação após o empurrãozinho familiar.

Christmas Under Wraps (Disponível na Netflix)

Novamente um filme citando o Alasca! Nessa obra, Lauren é uma médica bem sucedida que após levar um pé na bunda do namorado, procura uma experiência fora da caixa para seu currículo. Ela vai para uma cidade totalmente isolada no Alasca e lá acaba encontrando um estilo de vida próprio natalino. Por mais que seja um filme com atores reais, temos um pézinho na fantasia. 

The Trouble with Mistletoe (Disponível na Passionflix)

Baseado no livro "Onde Mora o Coração" publicado pela Faro Editorial aqui no Brasil, "The Trouble With Mistletoe" traz além daquele romance gostoso entre personagens mais velhos com um passado em comum, também temos animais de estimação que roubarão nossos corações. É um obra emocionante e por mais que eu não goste tanto do protagonista, é uma delicinha de assistir.

Lily & Dash (Disponível na Netflix)

A série também é baseada num livro homônimo que foi publicado aqui no Brasil pela Galera Record há alguns anos atrás. Confesso que achei o livro um pouco juvenil e não foi uma leitura muito marcante. Hoje, assistindo a série vejo que o tom jovem funcionou melhor nas telas trazendo um romance gradual, fofo e com representatividade. A série tem 8 episódios com cerca de 30 minutos cada, é rápida de se ver e perfeita para essa época do ano. E o clima de livraria, chocolate quente e neve faz a gente querer viver nesse mundo, no qual se corresponder com um estranho através de bilhetes, é possível.

A Princesa e a Plebeia - Nova Aventura (Disponível na Netfllix)

Vanessa Hudgens você tem meu amor todinho, porém que esse filme foi decepcionante... Ai ai ai, isso foi. Totalmente desnecessário e com um foco para a comédia pastelão que me incomodou. É uma continuação direta de "A Princesa e a Plebéia" lançado em 2018 e temos até abertura para uma terceira parte, com a entrada de uma terceira sósia na história, ela é prima de Margaret (que agora será rainha!). O ponto forte desse filme é toda a ambientação de realeza e uma participação bem pequena, mas especial na última cena (não vou contar para não dar spoilers, rs).

As Crônicas de Natal 2 (Disponível na Netflix)

Sendo mais uma continuação de um filme de sucesso, temos a versão mais focada na mamãe Noel e em suas habilidades especiais. Pessoalmente falando, não acho que o 2 supere o filme 1, mas ainda tem uma mensagem positiva para nossas crianças. É lúdico e diferente. A protagonista Kate se tornou uma chata e a nossa sorte é que o meio irmão entrou ali para salvar, porque os elfos não foram suficientes para me fazerem gostar da obra. 

Um Brinde ao Natal (Disponível na Netflix)

O clima de fazenda e uma troca de identidades são as principais características do filme. Se não tivessem marcando a quantidade de dias para o Natal, eu nem diria que era temático, porque é uma comédia romântica ok, nada de muito especial. Claro, é gostosinha e vale o entretenimento, mas pode ser um filme para qualquer época do ano. Faltou aquele toque especial para se tornar marcante, nem que fosse a presença de um diálogo mencionando a beleza e esperança do feriado.


E aproveito essa data/espaço para agradecer todo o apoio e amor que recebo de vocês! O Natal é uma data tão especial que compartilhá-la com vocês é um grande presente! Grande beijo no coração de todos!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 22 de dezembro de 2020

Filmes Natalinos 2020 - Parte 1

Olá amores,

Como já é de costume, sempre trago as obras natalinas que assisto no mês de Dezembro, então chegou o dia: hoje lhes contarei um pouco, tanto os filmes quanto as séries, que assisti esse ano com a temática para me preparar para a grande noite!



Uma Segunda Chance Para Amar (Disponível no Telecine)

Kate é uma jovem londrina que após ficar muito doente não aguenta mais a pressão da mãe e os problemas com a irmã mais velha. Ela trabalha como elfa em uma loja na qual o Natal é o foco durante todo o ano. O filme é emocionante e nos mostra o verdadeiro valor da vida, o quanto é importante sermos felizes e aproveitarmos cada instante. É muito emocionante e daqueles de chorar rios, mares e oceanos. 

Amor com Data Marcada (Disponível na Netflix)

Esse filme é um pouco mais... adulto. Com um linguajar mais ousado e cenas mais sugestivas, aqui conheceremos Sloane, uma jovem que por ter um namorado nos feriados se vê na necessidade de ter seu próprio 'ferigato', um acompanhante para não passar as datas comemorativas se sentindo humilhada pela família. É claro que tudo começa no Natal, mas percorreremos o ano todo para ver o desenvolvimento desse casal. É divertido e super animado!

Namorado de Natal (Disponível na Netflix)

Essa série norueguesa tem quase a mesma premissa do filme acima, só que sua abordagem é menos romantica... Johanne procura um namorado para levar na noite de Natal e começa a ter encontros aleatórios até encontrar o par ideal. Eu, particularmente, não gostei nada de sua visão de mundo e na primeira temporada, vi Johanne como alguém que não sabe o que quer e que não gosta de nada, nem ninguém. Foram 6 episódios com cerca de meia hora cada um e sinceramente? Foi decepcionante! Agora, a segunda temporada lançou e ao descobrir o final, o ranço se instalou. Não vou nem perder meu tempo vendo.

Missão Presente de Natal (Disponível na Netflix)

Mais que um romance, o filme que estreou esse ano é uma ótima lição sobre solidariedade, sobre empatia, sobre reencontrarmos nosso caminho. Confesso que de início, achei a história um pouco morna e o casal sem química, mas com o desenvolvimento mais focado no fator humano a obra consegue se encontrar. Quando chegamos ao final, descobrimos que a Missão Presente realmente existe e com isso, renovamos a esperança em uma data tão especial para todos. Vale dizer que existe uma cena extremamente inadequada quando a protagonista dá 'presentes' as crianças e isso pode estragar ainda mais a experiência.

Christmas Made to Order (Disponível na Netflix)

Esse sim é o velho e bom clichê natalino. Gretchen é uma decoradora de festas que ama o Natal e será a única salvação para Steven, que terá sua família em sua casa para a grande festa esse ano. Romântico e bem humorado, com todos os itens obrigatórios para um filme clássico: familiar, com biscoitos decorados e lições sobre como escolher a melhor árvore.

Christmas Wonderland (Disponível na Netflix)

Outro clichê de encantar o coração. Heidi, uma artista que foi para NY para viver de suas pinturas, tem que voltar a sua cidade natal para cuidar dos sobrinhos. O que ela não esperava era ter que preparar o baile de Natal com seu ex namorado. Puro amorzinho! Um filme que mostra que podemos nos perder, mas o que é verdadeiro permanece. 

Sintonizados no Amor (Disponível na Netflix)

Esse filme pode se encaixar mais como ano novo do que Natal, mas a pegada comédia romantica existe da mesma forma e ele merece aparecer por aqui. Senti que estava dentro de uma das minhas leituras clichês: casal de melhores amigos que se amam de maneira escondida e vão começar a fingir um relacionamento para uma serem promovidos no trabalho. ADORO e recomendo!!!


Ufa, acho que vou ter que dividir a postagem em duas partes, rs. Minha maratona Natalina esse ano foi bem produtiva e a de vocês? Já assistiram alguns dos filmes citados? Deixem seus comentários!

- Alessandra Salvia

domingo, 20 de dezembro de 2020

Livro: Doce Lar

Olá amores,

Vamos falar de "Doce Lar", o primeiro volume da série Sweet escrita por Tillie Cole e publicada pela Editora Essência aqui no Brasil.


Antes de mais nada quero deixar aqui registrado a minha insatisfação com a editora por não terem previsão de trazerem o livro 2 da série para cá. Entendo que algumas séries não são bem recebidas, mas lancem pelo menos em e-book, pois descontinuar uma série é bem frustrante para os leitores. Porém, vamos falar um pouco sobre esse primeiro livro que tem como foco o casal Molly Shakespeare e Romeu Prince. Ela, uma estudiosa universitária e ele, um astro do time de futebol americano. Clichê sim, mas quem não ama?

Já começo dizendo que esse não é a melhor obra da autora, encontrei alguns problemas em relação a romantização de atitudes que não aprovo, acho sim que existem cenas absurdas e descabidas e se fosse comigo, eu já tinha dado um pé na bunda faz tempo. Só que a forma como a Tillie nos conta essa história, é envolvente demais! O bad boy quebrado precisa de ajuda e a "mocinha estranhamente normal" será a responsável por mostrar-lhe o poder do amor. Gente, eu adoro esse tipo de coisa! kkkkkk Me julguem! 

Se fosse fazer um paralelo, acho que a Tillie tem muito do que a Elle Kennedy tem. Textos simples e viciantes. Vocês já se sentiram assim? Nossa, como eu queria não ter gostado, queria falar para vocês não lerem, mas é imposível parar! Claro que eu gosto de sofrer, mesmo vendo coisas erradas, eu gosto de ter uma opinião sobre o assunto, então quero deixar claro que não aprovo o relacionamento tóxico retratado só estou dizendo que a narrativa torna a história um pouco mais aceitável

Entretanto, "Doce Lar" não é apenas um livro sobre amor e abusos. Temos também um grande destaque para a parte familiar, tanto por Molly não ter nenhum parente vivo e fazer das amigas sua família, como por parte de Romeu que precisa lidar com a pressão e controle obsessivo dos pais. E grande parte do drama da obra é por conta dessa 'não aceitação' dos pais do protagonista masculino.

Ah, informação importante: não julgue a Tilllie Cole por esse livro. Por mais que tenha sido uma leitura rápida e fluída para mim, tenho consciência de que é um dos mais previsíveis. Gostaria sim de continuar a ler série, porque outros personagens secundários ganharão destaque e quero saber o futturo de cada um. 


Espero que tenham entendido meu ponto de vista e se quiserem ter o de vocês, se arrisquem e leiam "Doce Lar". 😉

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ (3/5) - Bom!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

Words Challenge: 3000 - O Futuro

Olá amores,

O último texto do Words Challenge 2020 está no ar e foi escrito no meio da pandemia. Peço desculpas se parece um pouco desesperançoso, mas talvez seja necessário para dar aquele choque de realidade. Minha intenção, confesso, era um texto distópico, mas acho que o meu lado dramático pesa mais na hora da escrita, rs. As palavras impostas para esse texto foram: cereja, humanidade, crença, novidade, espelho e salto. Aproveitem e leiam também o texto da Pâm no Interrupted Dreamer!



Words Challenge: 3000 - O Futuro

"Talvez a humanidade esteja realmente perdida. Talvez o ano de 2020 tenha sido decisivo para todos escolherem seus lados. Não, não estou falando de certo ou errado ou sobre política, estou falando sobre altruísmo, sobre bondade, sobre respeito. 

Fazendo uma pequena analogia, seria como se o ano de 2020 fosse a cereja no topo do bolo. Ali foi determinado se o ano de 3000 poderia ou não existir. Eu não sei se quero acreditar que a resposta seja essa, mas é isso, simples assim: o mundo que tanto amávamos não existe mais da mesma maneira.

O tempo está evoluindo aos saltos e não é novidade para ninguém que estamos a beira de um apocalipse há muito adiado, porém inevitável. O que poderíamos fazer para nos salvar já deveria ter sido feito. Não existem mais crenças ou soluções milagrosas que dariam conta da quantidade de amargura e egoísmo gerada após a primeira grande pandemia.

Nossa, minha intenção não era que esse texto se tornasse triste ou obscuro. Desculpe se está parecendo isso. Eu só queria que fosse uma retrospectiva para que, se em algum momento a viagem no tempo fosse descoberta, servisse de alerta ao passado, para as pessoas que ainda tem tempo de mudar, de fazer diferente para salvar seus filhos, seus netos, seus bisnetos, realmente aproveitassem as oportunidades. O planeta Terra é nosso bem mais precioso e a natureza está se rebelando depois de anos e anos sendo subjugada. 

Nossa vida hoje deve ser um espelho do nosso passado simplesmente por não termos a coragem de mudar? Vamos! Levante-se. Faça diferente, salve o seu futuro, o meu futuro."


- Alessandra Salvia

segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

mybest Brasil - Qual é o seu livro New Adult favorito?

Olá amores, como vocês estão?

Recentemente, recebi o convite para produzir um conteúdo para a mybest Brasil (@mybest_brasil) e hoje, vim contar um pouquinho para vocês sobre essa experiência. 


Antes de mais nada, que tal conhecer o trabalho da mybest Brasil? Presente em mais de 11 países, a mybest é uma startup japonesa que possui como principal foco ajudar os consumidores a fazerem boas escolhas na hora de suas compras online. E o site não fala apenas sobre livros não, viu? Na mybest Brasil você encontra de tudo, desde eletrônicos, carros, itens de papelaria, decoração a até mesmo alimentos, calçados, maquiagem, brinquedos... Por meio de listas e rankings, o site tem sempre a dica perfeita para você!

E como influenciadora que amaaaaaaa ler um bom new adult, tive o prazer de ser convidada para falar do meu livro favorito do gênero junto com outras blogueiras literárias que admiro bastante. Caso queira ler a postagem, isso nos ajudaria bastante, clique AQUI que você será redirecionado imediatamente. 

Ah, e se você não sabe o que quer dizer um new adult, não tem problema, eu te explico: também conhecidos como NA, são os livros para jovens adultos, com idade entre 18 a 30 anos. Eles, geralmente, tratam de temas que os leitores dessa idade passam, como por exemplo: busca por independência, encontrar seu lugar no mundo, problemas familiares, descoberta da sexualidade... É o que esse público procura e não encontra nem nos YA (young adults, livros adolescentes) e nem nos livros adultos (com cargas dramáticas mais maduras e até uma linguagem diferenciada). 


Então, bora pegar algumas dicas assim? CLIQUE AQUI e veja nossas indicações! Caso queira conferir o instagram da mybest Brasil, só clicar AQUI.

Agradeço a oportunidade a mybest Brasil e espero que vocês gostem das nossas escolhas!

 - Alessandra Salvia

sábado, 12 de dezembro de 2020

Livro: Hunter - Acerto de Contas

Olá amores,

Tudo bom? Bora para mais um romance dark publicado pela The Gift Box: Hunter da Andy Collins! Só que dessa vez, eu nem sei o que pensar... Bora explicar esse conflito de sentimentos na resenha...


Nessa obra, Faith é sequestrada para um treinamento "especial", no qual é surpreendida com traições e grandes traumas. Hunter é o responsável por esse treinamento. Ele deve quebrá-la para reconstruí-la. Porém, todas as feridas de Faith virão acompanhadas de uma atração física inegável. Será que a dor e o ódio serão mais fortes que seu desejo?

Vale adiantar que esse livro não deve ser encarado como um romance, ok? Não é um relacionamento saudável e apaixonante. NÃO NÃO NÃO. Essa história é para sairmos da nossa zona de conforto, para vermos realmente uma abordagem tóxica e extremamante inadequada. E talvez seja por isso que fico com medo de dizer que gostei, entende? É tudo tão errado que não tem como se sentir confortável lendo. Entretanto, o enredo avança de uma maneira tão rápida que a gente logo termina a obra e sente como se aquilo tivesse de alguma maneira valido a pena. Não sei se estou fazendo sentido, só que sair do mundo cor de rosa e ver outras realidades, outras situações foi... diferente. Acho que é exatamente por isso que gosto de ler Darks, porque eles me mostram coisas que aparentemente podem ser absurdas, mas que para alguém pode sim fazer sentido.

Sabe aqueles filmes de máfia ou agentes do FBI que precisam resolver problemáticas em menos de 24 horas para salvar a vida do presidente ou do mundo todo? É absurdo para nossa realidade, mas em algum lugar aquilo realmente existe. É o mesmo com darks. Não é porque você gosta de filmes de máfia que seria um mafioso. Não é porque eu gosto de ler darks que aprovo relacionamentos abusivos. E confesso que adooooro ver como a mente dessas pessoas funcionam. Andy Collins super acertou em colocar narrativas intercaladas, pois isso nos faz ver a lógica de Hunter, nos faz ficar envolvidos em como ser daquela maneira faz sentido (pelo menos, para ele). É impressionante.

E por falar sobre se sentir impressionada, eu aproveito para destacar a criatividade e originalidade da obra. Não sou uma grande conhecedora de Darks, estou começando nesse mundo, mas eu realmente me senti surpreendida. Se pudesse mudar algo, diria para ela ir com um pouco mais de calma, tudo é um pouco acelerado demais, claro que também entendo que pode ser parte da proposta, pois até parece um filme com a sua divisão de narrativas e em como cada cena é visual. 


Ah, importante: é uma obra que contém cenas pesadas, ok? Sexo e violência. Não recomendada para menores de 18 anos e/ou leitores sensíveis. Leia de maneira consciente! Aproveito para abaixo deixar os links de compra e do skoob:




O que acharam da resenha de hoje? Gostariam de ler? Sei que o darks não são tão populares, mas acho importante sempre conhecermos  outros gêneros!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 10 de dezembro de 2020

Filmes da Passionflix

Olá amores,

Como prometido, hoje vim contar um pouco dos filmes que assisti nesse meu mês de experiência assinando a Passionflix. Lembrando que todos os romances citados são baseados em livros e são para maiores de idade, ok? Todos tem cenas adultas e são legendados, não possui dublagem disponível.



Caso tenha alguma dúvida sobre a Passionflix, clique AQUI que eu fiz um pequeno tutorial para quem desejar. Agora, vamos as adaptações e o que eu achei de cada uma:

1) The Matchmaker's Playbook:



O livro lançado no Brasil como "O Manual da Conquista" da Rachel Van Dyken foi publicado pela Editora Allbook. Ian Hunter é um cupido profissional e começa a ajudar a esportista Blake, já que ela quer conquistar o coração do melhor amigo de infância. Claro que a relação evolui e o livro é puro amorzinho, já tive a oportunidade de lê-lo. Agora, em relação ao filme, confesso que de início a 'quebra da quarta parede' me irritou um pouco, é mais puxado para a comédia do que para o romance em si, porém após um tempo encontra-se um ritmo bacana e é uma delicinha de se assistir! Existe a promessa do livro 2 também ser adaptado, o chamado "The Matchmaker's Replacement" (ainda sem tradução).

2) Dirty Sexy Saint:



Baseado no primeiro livro de uma série escrita por Carly Phillips e Erika Wilde, confesso que esse filme foi... decepcionante. Um dos mais fracos em relação a atuações e química. O roteiro beirando o absurdo também não ajuda. Samantha é uma rica e mimada garota que abandona todo o luxo e privilégios para não ter que se casar sem amor. Ela acaba bêbada num bar, sem dinheiro para pagar a conta e num estado deplorável. O dono do bar a leva para sua casa e ambos acabam se envolvendo. Ridículo, eu sei. Não dá nem para defender algo assim. Não foi bom não.

3) The Protector:



Baseado no livro de Jodi Ellen Malpas que ainda não tem no Brasil, mas vale lembrar que a autora tem uma conhecida série publicada por aqui ("O Amante", "Eu, Submissa", "Desculpa, eu te amo". Agora, falando sobre a adaptação: bom, bom, bom, não é, mas é bom. rs Uma das melhores produções da Passionflix, mas mesmo assim deixa a desejar em relação a elenco e química do casal. Nessa história, a modelo Camille está sendo ameaçada por algum inimigo de seu pai e por isso, terá um novo guarda costas. Não precisa ser gênio para saber que a atração é quase que imediata. O que me atrapalhou um pouco no roteiro foi o amor ser instantâneo, mas em relação a plots e desfecho, foi um dos meus favoritos.

4) Hollywood Dirt:



Infelizmente, sem publicação no Brasil, o livro é escrito pela minha xará Alessandra Torre. E assumo que esse é meu favorito, vocês podem falar o que quiserem. É ruim? É sim! A atriz sussurrando e imitando um sotaque fajuto por uma hora e meia é péssimo, mas eu nem ligo!!!! De todos, seria esse livro que eu escolheria para devorar, porque conta a história de Cole (um astro dos cinemas que foi abandonado pela esposa após descobrir uma traição) e Summer (uma jovem que vê na oportunidade de ser atriz toda a esperança de ser livre). O filme tem uma pegada na comédia e foi um dos mais que gostei. 

5) The Will:



"The Will" por Kisten Ashley não tem publicação no Brasil, mas nos conta a história de protagonistas mais maduros e com uma bagagem maior. Esse, foi o filme favorito da minha mãe. Tem uma pegada a la Virgen River, já que Josie se muda para a cidade pequena após a morte da avó. Lá, ela precisará lidar com as questões do inventário e como um último pedido especial, sua avó lhe deixa para Jake. Sim, Josie é deixada aos cuidados de Jake, mesmo já sendo uma mulher crescida e independente. O casal começa a se conhecer e logo descobrem que estão predestinados. É um dos romances mais lentos e gostosos. 

6) A Brother's Honor:



O livro de Brenda Jackson não foi publicado no Brasil, mas podemos encontrar outras obras da autora nos clássicos de banca da Harlequin. E falando sobre a adaptação: não gostei. Jace e seus dois irmãos precisam assumir a empresa da família após a morte do avô e contratam Shana para descobrir o porquê os negócios não andam bem. Acho que a premissa tem muito potencial e infelizmente, não foi bem aproveitada. A trama se torna um monte de pontas soltas e acaba sem chegar a lugar algum. Provavelmente, a intenção era fazer a continuação com os irmãos, mas ainda não temos notícias sobre.

7) After Burn, After Shock:



O livro de Sylvia Day já foi publicado aqui no Brasil pela Editora Paralela com o título "Ardente/Em Chamas" é uma das obras mais confusas da Passionflix. Jackson tem um passado com Gia e mesmo após de dois anos, a atração entre eles é intensa. Eles terão que abrir o coração para fazer funcionar dessa vez. Confesso que tentei assistir esse filme por 3 vezes antes de finalmente terminá-lo. Não é um dos melhores novamente por conta das atuações. Vale dizer que se você deseja ler a obra, essa edição dos sapatos dourados é a que abrange tanto a parte 1 quanto a 2 da história, pois na verdade, são duas novelas (romances mais curtos) que a Paralela uniu para os leitores.

8) Driven:



A primeira série da Passionflix, contém 6 episódios e é baseada no livro "Driven" da K.Bromberg publicado no Brasil pela Universo dos Livros. Os livros 2 e 3, "Fueled" e "Crashed" também serão adaptados e estão em estágio de filmagem. A história é sobre Colton, um famoso piloto de corridas que se envolve com Rylee, uma jovem que faz trabalho voluntário com órfãos. Confesso que gostei bastante da proposta, já que amoo um bad boy em redenção por amor. A série tem alguns problemas, mas ao todo foi uma boa experiência. E aproveito para contar que infelizmente, o protagonista será trocado da primeira para as outras temporadas devido a problemas de agenda:


Agora, quero saber de vocês: qual das obras citadas vocês mais se empolgam? Já assistiram alguma? Contem-me nos comentários!

- Alessandra Salvia