domingo, 2 de junho de 2019

Livro: O Diário de Anne Frank

Olá amores,

O clássico em destaque deste mês é "O Diário de Anne Frank", uma obra icônica, real e extremamente sensível escrita por uma criança judia que realmente viveu o período nazista e nos mostra as dificuldades da época em um relato sincero e sem expectativas.


Minha edição é a demonstrada na foto acima, uma réplica do diário original e foi publicada pelo Grupo Editorial Record. A capa é acolchoada, tem diversas fotos e explicações sobre como o livro tornou-se o que é hoje. Já estando na 70º edição, "O Diário de Anne Frank" pode ser considerado um livro atemporal e um retrato vivo da época obscura que a Alemanha (e o mundo) viveu. E por mais que nada seja muito explícito, Anne e sua inteligência nos deixam com o coração apertado na maior parte da leitura.

Para quem ainda não a conhece, Anne Frank nasceu em 12 de junho de 1929 e viveu parte de sua adolescência escondida em uma casa apertada junto com sua família, pois eles precisavam fugir dos nazistas. Infelizmente, ao serem descobertos, Anne foi levada para campos de concentração e descobriu-se que ela morreu em Bergen-Belsen com quase 16 anos (três meses antes de seu aniversário). O pai de Anne foi um único sobrevivente da família, morrendo apenas em 1980. 


O diário foi um presente de aniversário e Anne o utilizou de 1942 a 1944, quando simplesmente parou de escrever, pois o esconderijo havia sido descoberto. A obra foi encontrada anos depois e sofreu diversas edições até conseguir ser publicada na íntegra, afinal, muitas das coisas que Anne relata não condiziam com o decoro da época. 

Confesso para vocês que ler palavras de uma garota tão nova e cheia de vida não foi fácil. Saber o quanto ela sofreria e infelizmente, não sobreviveria, só me deixou mais deprimida e inconformada. Não posso fingir que não sabia o quanto os nazistas eram perversos, porém acho que nunca peguei um relato tão honesto em relação ao período da Segunda Guerra Mundial, afinal, aqui não vemos as armas, tiros, ou sangue derramado. O que vemos é o medo, a angustia e o aprisionamento de uma mente brilhante que tinha tudo para ganhar o mundo

As narrações são simples e cotidianas, só que carregam com si grandes reflexões e nos mostram o amadurecimento de Anne. Nitidamente vemos uma criança se tornando adolescente, até mesmo a visão que ela tem dos garotos nos é mostrado, rs. Anne é espirituosa, inteligente e ela mesmo revisita as páginas já escritas para acrescentar comentários


Classificar esse livro com estrelinhas é um processo bem delicado, já que ele é totalmente pessoal e não foi escrito com o intuito de ser um best seller. Então, em alguns momentos, a narrativa se torna entediante sim, mas é o esperado, não é? Anne colocou ali seu coração e sua vida, e eu realmente não acho justo avaliá-lo. Considero um livro muito necessário, só que todos precisam ter consciência da carga pesada que ele deixará com o leitor, principalmente após o final.

E para finalizar, gostaria de saber de vocês, o que acharam da obra? Já leram? Existe um filme bem antigo retratando a vida da garota, mas nada chega aos pés das verdadeiras palavras de Anne Frank.

- Alessandra Salvia

34 comentários:

  1. Oi, Ale!
    Eu amo esse livro! Anne conseguiu me tocar uma forma que até hoje nunca consegui resenhá-lo.
    A minha edição veio direto do Anexo que ela viveu. Um amigo visitou e comprou por lá um volume pra mim
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. esse livro é msm maravilhoso, eu li na adolescencia e é um livro mt bom e sensível que td mundo deveria ler

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Olá, Ale.
    Toda vez que eu vejo essa edição na livraria eu fico babando nela. É tão linda, mas tão cara hehe. Eu li esse livro quando era adolescente e foi minha primeira leitura sobre a Segunda Guerra. Mesmo sabendo o que ia acontecer eu fiquei torcendo por um final feliz. Concordo muito sobre suas palavras de não achar justo avaliá-lo. Uma vez eu vi uma menina no face falando que não gostou do livro porque não gostou do final. Cuma? A pessoa lê um livro com uma história real e não gosta do final. Aff.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NÃO ACREDITO. SÉRIO? Acho que ela não entendo, Sil. Só pode.

      Excluir
  4. Realmente Ale, é meio estranho avaliar esse livro
    É muito pesado ao mesmo tempo que ela trata coisas muito cotidianas... É denso como o livr vai ficando pesado ao longo das páginas e acaba tão !!!
    do nada!!!!!!!!
    ach que a sua edição tem mais coisas e deve ser muito mais bonita.. E realmente, é triste demais
    Fico feliz e triste que tenha terminado rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você viu um pouco da minha sofrência para ler, rs. Demorou mas foi!

      Excluir
  5. Oi Alê,
    Quero muito conhecer essa obra!
    Imagino o quão difícil deve ser organizar as palavras e escrever após a leitura.
    Leio essas coisas e fico de cara como tem gente, atualmente, tentando apagar as coisas que faziam pra defender um lado escroto.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso, nada parece certo ou faz jus a história.

      Excluir
  6. Sempre tive curiosidade de ler esse livro! Ótima indicação!

    Ótimo post!
    Blog da Juh
    Instagram @julianasrabelo
    Facebook

    ResponderExcluir
  7. Tentei ler o livro uma vez e não consegui chegar até o final, infelizmente acabei sendo levada pelos momentos em que a narrativa se tornava um pouco tediosa e acabei abandonando a leitura.

    www.estante450.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Ale, tudo bem?
    Minha mãe é fã desse livro, um dia pretendo ler pra conhecer também.
    Mas imagino o quanto tenha sido dolorido ler essa obra. Essa fase da história mundial é tão cruel e desumana... Me enche de desgosto saber que tantas pessoas ainda tem essa mentalidade hoje em dia. :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  9. Oi Alê, a gente sabe o horror das guerras, mas um relato próximo ainda vai nos chocar, infelizmente! É um tipo de livro que não consigo ler duas vezes, forte e pesado demais, mas necessário tb!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  10. Oi, Alê

    Só recentemente comprei minha edição do livro. Meu pai está lendo aos pouquinhos e mais pra frente eu lerei. Imagino que será uma leitura bem marcante e tenho que me preparar pada fazê-la.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pela resenha Alê! Estou ansiosa para ler O Diário de Anne Frank! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  12. Oiiiii,
    Eu já li o livro e confesso que sofria junto.
    Concordo com você que não existe uma classificação para ele. É uma leitura sofrida de uma menina que passou por tudo que passou. Muito triste!
    Bjos
    Mamaci

    ResponderExcluir
  13. Você acredita que tenho esse livro há mais de três anos e mesmo amando a história ainda não parei para ler? Não sei porque.. vou colocar ele perto da cama para ver se começo ler hoje!

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  14. Minha mãe me deu ano passado esse livro de presente, mas ainda não consegui ler. Quero muito!

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  15. Ah esse livro é maravilhoso e muito necessário mesmo, fico feliz que tenha tido uma boa experiência com ele. Concordo também com a parte da avaliação, é impossível dar uma nota para algo extremamente pessoal. Adorei a resenha <3

    Beijo
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  16. Oi
    ainda não li esse livro, tenho muita vontade de ler e sei que posso me revoltar com a leitura, por saber que tudo foi real, mas deve valr muito a pena a leitura desse diario. Que bom que gostou dessa obra.

    http://momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi Ale ♥
    Eu AMO esse livro e é isso, sem mais. Já é o melhor de 2019 pra mim!
    Bjs
    A Colecionadora de Histórias - Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo! Não foi o melhor para mim, mas significou bastante.

      Excluir