sábado, 28 de março de 2015

Cinema: Cinderela

Olá pessoal!

Ok. Duas semanas seguidas falando de cinema... eu sei, deveria mudar um pouco, mas geeeente lançou o filme da CINDERELA! E ainda quer mais? Um curta-metragem de FROZEN antes do filme! É muita emoção para meu coração. Eu sou uma viciada assumida em filmes Disney. Pronto. Assumi. E não tenho vergonha disso!

Então vamos começar com um pequeno comentário sobre Frozen - Febre Congelante? Com 7 minutos de duração, o curta traz o aniversário da Anna e um monte de mini Olaf's que foi muito divertido. Para quem quiser ouvir a música tema do curta, aqui está:



Vamos agora ao filme foco da semana? CINDERELA

E eu me recuso a dar sinopse dessa história. Todos já sabem da garota que é humilhada pela madrasta e salva pela fada madrinha. Que perde o sapatinho no baile, mas ganha o amor de sua vida. Sinceramente, pode ser uma história clichê, mas é encantadora. O filme é exatamente fiel a essa história, com a exceção de pequenos fatos como o duque ou até mesmo como a madrasta descobre que a Cinderela é a moça misteriosa do baile. Mas o roteiro é muito bem escrito, filme emotivo e com belíssimo elenco.


Cate BlanchettHelena Bonham Carter? Não tem como decepcionar. Cate como a madrasta foi impecável. Helena nos fez rir e até mesmo a acreditar que se formos gentis, a vida pode sim nos retribuir. Lily James e Richard Madden fazem um casal tão lindo e foi um dos pontos que mais se destacou para mim. Este príncipe ganhou não apenas um nome, mas também cenas complementares (e de cortar o coração algumas horas), ele se tornou humano. Demonstrou emoções e agiu. Não ficou de braços cruzados esperando as ordens serem cumpridas. 

Os cenários e figurinos são outro show a parte. O filme é todo detalhista e cuidadoso, conseguiu me emocionar e fazer com que eu me sentisse criança de novo, acreditando que o mundo pode sim vir a ser algo melhor do que realmente é.



"Ter coragem e ser gentil". 
Ser uma princesa. Sempre. <3

- Ale

sábado, 21 de março de 2015

Cinema: Insurgente

Olá pessoas,

Hoje a dica é de cinema! Acho que todos sabem que "Insurgente - Série Divergente" está em cartaz (lançamento em 19/03/2015) e eu não perdi tempo, já fui ver. E uma palavra para descrever o filme: INCRÍVEL!

Primeiro, vamos fazer uma análise comparativa ao livro: houve MUITAS mudanças. Para mim, uma das mais gritantes foi a Tris continuar a usar armas, lutar e enfrentar o "estresse pós traumático" deixado pelo final de Divergente (no livro, Tris não consegue nem tocar numa arma!). Além de outros detalhes da história serem diferentes, como a descoberta da 'mensagem' (fiquem tranquilos, não tem grandes spoilers, estou tomando cuidado para não dar detalhes demais! HAHAHA). Porém, eu não senti que perdeu a essência do livro. Claro, faltaram muitos capítulos, muitas cenas e até mesmo personagens (esperava uma maior participação da Tori no filme), mas os produtores tomaram bastante cuidado para a história ser visual, para a pessoa que assiste o filme se prender na cadeira do início ao fim.

Agora, vamos falar do filme em si.
O roteiro podia ser melhor? É uma pergunta bem relativa. Eu gostei bastante de como adaptaram a história! As mudanças existem, mas não decepcionaram. Conseguiram fazer um filme de alta qualidade, diálogos envolventes, sem perder a base do que realmente é a Série Divergente. 

O elenco é brilhante. Shailene Woodley se supera em cada filme. E confesso que tenho medo da Kate Winslet como Jeanine! HAHAHA

Em relação ao 3D: incrivelmente bem feito nas simulações. Quando Tris está saltando de prédios em chamas e tudo desmoronando... Fiquei sem fôlego. Porém devo ser sincera, e dizer que no decorrer do filme não achei tão necessário assim utilizar essa tecnologia.


Realmente, eu não esperava gostar tanto. Há um amadurecimento visível, não apenas dos personagens como da sociedade em si. Antes de assistir, ouvi um comentário: "você fã, vá de cabeça e coração abertos para assistir Insurgente". E isso me assustou bastante. Mas eu te digo, não me decepcionou. Muito pelo contrário, vale a pena!

Comparado ao primeiro filme, esse segundo possui muito mais ação, envolvimento, violência e política. Como o próprio nome já diz "Insurgente" significa se opor a autoridade estabelecida e é o que nos faz sair da sala de cinema eletrizados! 



Agora, infelizmente, temos que esperar por "Convergente"  e torcer para ser ainda mais incrível. Vale ressaltar que o terceiro livro da série (dividido em dois filmes) começa a ser gravado agora em abril. 

E você? Me conta, já foi assistir? O que achou? Se ainda vai, me conta suas expectativas!

- Ale 

sábado, 14 de março de 2015

Resenha: Desafio

Oooi pessoas!


Hoje a dica é do livro “Desafio” da C. J. Redwine publicado pela Editora Novo Conceito. Não vou mentir que escolhi pela capa sim. Achei tão incrível! Mas a história não me decepcionou!

Rachel Adams não aceita a morte de seu pai e quer sair em busca do mesmo pelas Terras Ermas. Porém, quando o Comandante do vilarejo não aceita esperar mais pelo retorno do mensageiro (pai de Rachel), o testamento é lido. Rachel é colocada sob o protetorado de Logan, o antigo aprendiz de seu pai. Isso não seria tão ruim se Logan não fosse jovem, sexy e não tivesse rejeitado seu amor anos atrás.

A imaturidade de Rachel a faz desafiar a autoridade do comandante e tudo desmorona. Não vou entrar em detalhes para não estragar o livro, a única coisa que posso dizer é que o livro é envolvente!

AH, uma informação que talvez agrade. O vilarejo é ameaçado constantemente por um ‘monstro cuspidor de fogo’ e a ação está garantida!

Vale ressaltar que “Desafio” é o primeiro livro de uma trilogia que ainda não possui continuação aqui no Brasil, porém é um livro cheio de sentimentos, força, rebeldia, superação! Com capítulos alternados entre Rachel e Logan, você consegue se identificar com os personagens e sofrer junto com cada um deles!

E aí? O que achou? Deixe seu comentário!

- Ale

Sensação Após o Término: Vai vir mais! \o/

Avaliação do Livro: ♥ ♥ ♥ ♥
  
Desafio
Autora: C. J. Redwine
Editora: Novo Conceito
Média de Preço: R$32,90

Quantidade de Páginas: 364

sábado, 7 de março de 2015

Dia Internacional da Mulher

Olá pessoal!

Para comemorar o "Dia Internacional da Mulher" vou participar de um projeto que vem acontecendo nas redes sociais: #QueridaEuMesma. Geralmente, as mulheres fazem vídeos, mas eu consigo me expressar melhor escrevendo, então aqui está a minha carta para a Alessandra de 10 anos atrás.

"Querida Eu Mesma,

Se alguém te dissesse a 10 anos atrás que você teria essa vida hoje, você não acreditaria. Você diria que essa pessoa é louca e que você não seria capaz de passar por tudo. Você nunca gostou de expor sua vida pessoal nas redes sociais, mas está na hora do mundo saber que você tem orgulho de si mesma. Você se sente feliz ao se olhar no espelho e ver que se tornou uma mulher que sabe levantar quando a vida te dá uma rasteira.

Saber que os pais não são eternos, ter que adiar seus sonhos (sim, você nunca desistirá deles e saberá disso quando tudo parecer escuro e sem saída) te fez alguém mais forte, alguém que dá valor aos pequenos detalhes, como abraços e sorrisos. Alguém que não se importa com a opinião dos outros, alguém que faz o que sente, alguém que quer ser melhor a cada dia.

Aprendeu também que se a pessoa vai embora, é porque não quer ficar. Aprendeu que tudo tem o seu momento certo. Aprendeu que Deus e Nossa Senhora estão com você a cada passo que você dá. Aprendeu que pode existir egoísmo no mundo, mas também pode haver bondade, amizade e companheirismo. 

Aprendeu a perdoar (tanto os outros quanto a si mesma). Aprendeu que o amor é o sentimento mais lindo e puro do mundo e que existem diversas formas de amar. Aprendeu a ser persistente, a levantar cedo e correr atrás do pão de cada dia. Aprendeu que chorar não te faz mais fraca e sim mais forte. 

Aprendeu a ser feliz com você mesma em primeiro lugar e a acreditar sim que o mundo pode vir a ser um lugar melhor.

'Deus prometeu o melhor para mim, e Nele esperarei. Escudo e força Ele será enquanto eu viver'.

- Eu mesma."


Feliz Dia Internacional da Mulher!