sexta-feira, 31 de março de 2017

Words Challenge #1

Olá amores!

Hoje iniciamos um novo projeto aqui no 'Estante da Ale', o chamado "Words Challenge" e fico muito feliz em poder compartilhá-lo com vocês. Como todos sabem, eu sonho em escrever um livro ou pelo menos colocar para fora aquele turbilhão de sentimentos que vivem dentro do meu peito. Em uma conversa com a Pâmela do Interrupted Dreamer fui incentivada a escrever, porém é complicado... Minha profissão não é ser escritora e eu não tenho todo o tempo livre para o blog, então preciso de planejamento e muita paciência. 
Com o incentivo firme da Pâm e da minha mãe, cá estou eu iniciando a publicação de pequenos trechos de possíveis histórias, rs. Algumas ideias já surgiram e seria bem legal se vocês dessem uma opinião sincera. Mas claaaaaro que nada é simples, certo? Para trazer um desafio a mais e tornar as coisas mais divertidas, nós selecionamos cinco palavras para compor cada um dos nossos textos. Ou seja, no mês de março, as palavras obrigatórias são: amor, sushi, bicicleta, ocupada e prólogo. Vamos ver como ficou?


Words Challenge #1

"Às vezes, as coisas fogem do nosso controle. Lembro que quando eu era criança, eu ia passear no parque, alugava junto com meu pai aquelas bicicletas de dois lugares. Ele ia à frente e eu na parte de trás. Recordo que eu sempre achava fácil demais, afinal, ele fazia todo o esforço simplesmente para ver o meu sorriso. Um sorriso... Como faz tempo que não sei o que essa palavra significa.


Atualmente, chego em casa do trabalho e me jogo no sofá. Não sinto vontade de fazer nada, não sinto aquela empolgação de conhecer novos lugares ou bater papo com os amigos. O mundo parece tão fútil perante a morte.

Meu celular apita. Recebo uma mensagem da minha melhor amiga, ou que antes eu considerava minha melhor amiga, afinal, quando as pessoas começam a ter pena de você, fica difícil manter um relacionamento saudável.

- Vamos comer um sushi?

- Desculpe, estou ocupada – essa é a minha resposta automática para qualquer interação social. Mal sabem eles que minha ocupação é comigo mesma, é tentar me erguer após a dor da perda.

Éramos bem unidos, digo com convicção que nunca faltou amor ou compreensão em minha família, porém, infelizmente, nem tudo é para sempre. Tive que aprender sofrendo que o mal existe e que inveja é destruidora de corações felizes.

Lembro-me de tantas aventuras a dois, eu me via como a princesinha do papai e era tão importante dizer: ‘esse é o meu pai’. Eu poderia cair, mas ele sempre me levantava. Ele estava ali. Incondicionalmente. As lembranças vêm juntamente com as lágrimas da saudade.

Fecho os olhos e procuro pensar em algo diferente... Pego um livro qualquer na estante. Abro logo no prólogo.  É um romance de época. Daqueles bem açucarados. Ótimo, vamos fugir da realidade um pouquinho..."





E o que acharam???? ♥ 
Logo logo prometo mostrar um pouco mais sobre o rumo dessa história!!!

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 29 de março de 2017

Lançamentos Abril/2017 da Editora Arqueiro e Sextante

Olá amores!


A Editora Arqueiro e Editora Sextante já soltaram os lançamentos de abril/2017, sendo assim, eu já consigo trazer as novidades em primeira mão para vocês! 






Eu nem preciso dizer que os romances me atraem, né? Já estou mega empolgada e prometo trazer mais novidades em breve! Mas me contem... Quais desses livros mais empolgam vocês? Os temas são bem diversificados, tem um pouco de tudo!

- Alessandra Salvia

segunda-feira, 27 de março de 2017

Resenha: Em Seu Coração

Olá amores!

Vocês conseguem sentir a felicidade que emana do meu coração quando eu trago livros novos da Bianca Briones? Ela é nossa parceira aqui do 'Estante' e eu não poderia estar mais feliz com o rumo desse projeto, são muitas obras maravilhosas e novidades em primeira mão. Então, hoje é dia de lançamento! "Em Seu Coração" é a continuação direta de "Em Suas Mãos", caso vocês não se lembrem, eu fiz resenha AQUI! 


Nesse novo livro, continuamos a conhecer Luíza e André, porém em outra fase de suas vidas. Ter que lidar com os problemas criados por Manuela e as dores de um passado marcado por perdas são os dois pontos mais abordados no momento.

Luíza continua aquela personagem feminista e independente. O que eu mais gosto nela é sua maturidade, em como consegue impor limites entre relacionamentos e trabalho. Claro, há sacrifícios, mas a forma como nossa Lu age e reage aos obstáculos do dia a dia sempre me faz pensar: 'quero ser como ela'. Não há perfeição, mas essa é a graça, quando a personagem explode vemos o quanto pode ser frágil e forte ao mesmo tempo. Algo mais impressionante ainda é sua humildade e objetividade. Com Luiza, não tem enrolação, ela fala o que pensa e não tem medo de arcar com as consequências de seus atos.


André está mais família. Os problemas girando em torno da irmã, sobrinha e mãe estão cada vez mais graves e adianto que quando tudo fugir do controle, a estabilidade de Luiza será importante para trazê-lo a consciência. 

Nesse livro, alguns temas já abordados pela Bianca voltam à tona. Não considero uma repetição simplesmente pelo fato dos personagens agirem de formas completamente opostas. Como por exemplo... Enquanto um busca a salvação, outro se entrega ao vício. Ou até mesmo a falta dos pais e como isso impacta cada um de uma forma totalmente diferente. 

Esse ponto específico me marcou demaaais. Como todos sabem e eu declarei diversas vezes, a Bianca me ajuda muito! Com suas obras eu consigo refletir sobre o que eu sinto e como quero conduzir minha vida. Eu sempre me identifiquei com a Vivi (As Batidas Perdidas do Coração, primeiro livro que li da autora) e hoje vejo que também tenho um pouco de Luiza dentro de mim. Coloquei-me no lugar dela e pensei o que eu faria naquela situação citada. Não me surpreendi quando a minha resposta foi bem parecida com a dada no livro. O processo de perdão e superação tem que ser feito aos poucos. Talvez a diferença é que eu não teria outra oportunidade como Luiza teve, mas sinceramente? Hoje, tenho o coração mais leve e isso faz a diferença.


Novamente, temos um livro sensível e delicado, mesmo com abordagens tão intensas. Gostei muito do relacionamento dos protagonistas ser adulto, não temos exageros, tudo é muito natural e sequencial. 

Acho que nem preciso dizer o quanto eu amei a leitura. Personagens cativantes, enredo bem construído, linguagem gostosa, tanto que acredito ter lido rápido demais, rs. Eu queria muito mais, pareceu tão pouco! Mas claro que tocou o coração. E não posso esquecer do fato de que as músicas fizeram um papel importante. Esta, abaixo citada, tenho certeza que te emocionará, afinal, um grupinho bem especial faz parte da cena suuuuuper linda!


AAAAH! E também tenho outra observação a fazer. Há 'cenas pós-créditos', rs. Quando você acha que a dose de amor acabou, vem a Bianca e destrói seu coração com uma possibilidade única de tornar as coisas ainda melhores. De coração, vocês precisam conhecer essa história!!!!

Aproveitando a oportunidade, deixo novamente o link da Amazon para vocês adquirem os livrosNem tem desculpa, o precinho é super acessível e você ficará completamente envolvida com os personagens, além do gancho para uma continuação tão esperada!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

domingo, 26 de março de 2017

Resenha: Cidade dos Etéreos

Olá amores!

Eu já trouxe para vocês a resenha do livro número 1 da série "O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares" (não leu? Clique AQUI!) e hoje eu trago o que achei do livro número 2, "Cidade dos Etéreos" que também foi escrito por Ransom Riggs e publicado pela Editora Intrínseca


Primeiramente, já adianto que se você só assistiu aos filmes talvez não entenda o que acontece diretamente nesse livro, o final do primeiro volume é um pouco diferente, porém logo de início temos algumas "fichas" que detalham os personagens e suas peculiaridades. O que já me faz destacar a belíssima edição novamente. Fico impressionada o cuidado da Editora Intrínseca com essa série, existem nas livrarias edições normais e de capa dura. Adianto que qualquer uma delas vale a pena.

Mas vamos focar no enredo? Caso você ainda não saiba se deve ou não ler a série vou explicar um pouco sobre do que se trata. As crianças peculiares precisam ser escondidas em fendas, ou seja, uma área em que o tempo se repete para sua proteção, com isso o envelhecimento dessas crianças é retardado. Quem abre as fendas e cuida delas são as Ymbrunes, nesse caso, temos a Srta. Peregrine como a responsável. 

Talvez você esteja se perguntando... "Mas Ale, do que as crianças peculiares devem ter medo?" É aí que entra a parte da ação na história. Temos os Etéreos que são ex-peculiares que querem as almas dos atuais peculiares. Caso você tenha assistido aos filmes, são aqueles monstros invisíveis. Quando um Etéreo consome muitas almas peculiares, ele pode se transformar em um Acólito (aí que ele se torna visível e com forma humana, porém com os olhos totalmente brancos), o objetivo dessa nova raça é a vingança, eles querem tomar o mundo peculiar e para isso utilizam os Etéreos como 'soldados'. 


Nesse livro, "Cidade dos Etéreos", a Srta. Peregrine se encontra ainda presa na forma de ave. Jacob, Emma e os outros peculiares precisam correr contra o tempo para poderem salvá-la. Porém, infelizmente, é necessário muita coragem para enfrentar a infestação de Etéreos

Achei a leitura (de início) um pouco mais lenta que a anterior, mas gosto do rumo que a saga toma. Quando a história engrena, há ação e aventuras que te deixam empolgado. É uma história fantástica com temas que prendem a atenção do leitor. Gosto também da confusão de sentimentos de Jacob, afinal, como um recém descoberto peculiar a escolha de permanecer com o grupo traz consequências e abordá-las era necessário para tornar o personagem convincente. 

Minha peculiar favorita ainda é a Emma, mas há um crescimento dos outros, principalmente do Millard que conquista seu coração. 


Fico bem feliz com a escrita do Ransom, ele possui uma habilidade única de tornar as coisas interessantes, construir personalidades e andar com a história tudo ao mesmo tempo para você não ficar entediado. A leitura é fluída e quando você percebe, já precisa estar com o próximo livro em mãos. 

Recomendo muuuuito que vocês leiam! O trabalho de unir um enredo inteligente com as fotos tornam a obra impactante e inesquecível, é uma experiência completa. Corram para as livrarias e adquiram o seu exemplar!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5)

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 24 de março de 2017

O que esperar de "A Cruz de Fogo - Parte 2"?

Olá amores!

Preparados para mais Outlander? Quero trazer conteúdos inéditos sobre essa série sempre que eu puder, porém vou deixar claro que eu ainda NÃO li "Outlander - A Cruz de Fogo - Parte 2", afinal, a Editora Arqueiro só irá lançar a obra em Maio/2017. Só que para quem já leu a Parte 1, sabe que muita emoção vem por aí e com isso, vou listar alguns pontos que me deixam extremamente ansiosa para uma resolução, porém não necessariamente veremos nesse próximo livro, ok?


Caso você queira ler minha resenha sobre "Outlander - A Cruz de Fogo - Parte 1" só clicar AQUI! Importante ressaltar que mesmo sendo uma série de livros extensa, a quantidade de criatividade e originalidade que a autora Diana Gabaldon traz é impressionante. De coração, está para 'nascer' livros tão bem elaborados e com uma mescla incrível de temas que agradam diversos tipos de leitores. Recomendo para fãs de aventura, história e romance.

Expectativa nº 1) Stephen Bonnet:

Stephen é o tipo de personagem que não temos muitas informações, mas constantemente é citado já que toooooodos guardam dentro de si um ódio muito forte para com ele. Confesso que gostaria muito de Jamie e Roger ficassem frente a frente com o contrabandista, tenho certeza que um duelo aconteceria e meu coração iria sair pela boca, rs. Não sei se Stephen morreria facilmente, afinal, é um personagem que pode ser sim muito explorado, como possível pai de Jemmy, principalmente. Teríamos muitos conflitos e dramas caso Stephen viesse a se aproximar do filho. Será que é possível?


Expectativa nº2) Adaptação de Brianna:

Brianna é uma moça do século XX, quando ela volta no tempo para salvar seus pais fica nítido o desconforto da personagem perante as regras sociais da época. Eu adooooro quando ela discute com Jamie! E agora, com o foco na vida e nos costumes da colônia tivemos um grande questionamento da personagem sobre ser mulher e gerar filhos. Brianna pediu ajuda a Claire para evitar a gravidez, já que fica mais do que claro que ela e Roger não serão adeptos ao celibato. O fato de Brianna levantar a hipótese de morrer no parto, me assusta. Sei que era um fato comum na época e Claire não tem muitos artifícios para ajudar a filha, mas é algo que devemos ficar de olho... Um novo bebê virá por aí?  Devemos temer pela vida da nossa querida Brianna?


Expectativa nº3) Guerra:

Algo que eu gosto muuuuito em Outlander é a realidade que ele traz para o leitor. Não é apenas o lado bonito/patriota ou feio/sanguinário da guerra, tem aquele lado psicológico em que você se questiona: quem estou me tornando? Como farei com minha família? Eu quero lutar por essa causa? E depois? Como tudo fica? Jamie é um soldado, sobreviver a batalha de Culloden tornou-o alguém mais forte, mas ele não estava com Claire e Brianna. Protegê-las é uma prioridade, porém deixá-las para trás não seria arriscar demais?  As batalhas para a independência dos EUA estão chegando e garanto que a ação será bem diferente de Culloden, já que temos personagens mais maduros e com mais coisas a perder.


Agora me diz... Você consegue arriscar o que está por vir? Diana sempre nos surpreende, mas felizmente podemos especular e criar teorias! Deixe seu comentário e claro, se ainda não conhece a série, saiba que vale muuuuuito a pena dedicar um pouco do seu tempo literário a ela.

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 22 de março de 2017

Quotes: As Batidas Perdidas do Coração

Olá amores!

Como vocês já sabem, eu sou parceira da linda Bianca Briones e um dos livros que mais mexeu comigo na vida foi: "As Batidas Perdidas do Coração". Sendo assim, eu não vou perder a oportunidade e vou mostrar a vocês um pouco dessa obra tão grandiosa. Lembrando que os temas mais abordados nesse livro são a perda, superação, perdão e o poder do amor



"Nada acontece por acaso e devemos ser capazes de perceber os sinais de que algo bom virá em qualquer situação"

"Se não acabou bem, é porque não terminou ainda"

"Meu pai dizia que, quando descobrimos que estamos apaixonados, o coração fica tão assustado que pula um batimento, como se estivesse se preparando para todas as variações de velocidade que vai ter que enfrentar a partir daí. É  o que ele chamava de 'batidas perdidas do coração'. Segundo ele, o coração nunca recupera o ritmo correto até se encontrar no peito de outra pessoa."


"Nossas dores, elas são iguais"

"O certo e o errado que se digladiam sem dar uma palavra sequer. Passionalidade contra racionalidade. Coração versus razão"

"Minha vida desmorona mais a cada dia. Se eu não me apegar ao melhor lado, não tenho mais nada. No momento, a esperança de que pode dar certo é tudo o que tenho"

"Você precisa se permitir esquecer às vezes"

"A gente vive um dia após o outro. Não tem fórmula mágica. A gente tenta, e talvez dê certo, talvez não. Quero que dê"

"Eu te amo, porra"

<3


E tem muitos mais como vocês podem perceber pelo estado do meu livro, rs. Mas não quero dar spoilers, então apenas desejo que vocês percam batidas com essa maravilha de história e caso alguém se interesse, deixo aqui abaixo a playlist especial do Rafa e Vivi, os protagonistas de 'As Batidas Perdidas do Coração":


- Alessandra Salvia

segunda-feira, 20 de março de 2017

Resenha: Pequenas Grandes Mentiras

Olá amores!

Hoje, vamos falar um pouco sobre o livro que deu origem a série que estreou na HBO há algumas semanas, "Big Little Lies" ou então, como podemos traduzir, "Pequenas Grandes Mentiras". Escrita por Liane Moriarty e publicada pela Editora Intrínseca, essa obra é tão cheia de altos e baixos que fica difícil comentá-la em paralelo com a série, ou seja, muitas vezes, vou cruzar os caminhos, mas não se preocupem, não tem spoiler!


A história acontece em Monterey, cidade litorânea dos EUA, onde um assassinato ocorreu. Porém, não sabemos quem morreu e nem mesmo quem matou. A série terá 7 episódios que brinca entre passado e futuro, mostrando como eram as vidas das pessoas envolvidas nesse crime. O foco fica, principalmente, em Madeline, Jane e Celeste. Todas são mães e cheias de problemas pessoais.

Madeline (Reese Witherspoon) está na crise dos 40 anos e está perdendo a filha mais velha para a atual esposa de seu ex-marido. 

Jane (Shailene Woodley) é nova na cidade e seu filho Ziggy é acusado de tentar estrangular Amabella, filha de Renata, uma executiva extremamente inconveniente. 

Celeste (Nicole Kidman) que tem gêmeos com um marido mais novo, precisa lidar com o fato de que o casamento perfeito não é tão perfeito assim, podendo até mesmo ser violento. 


Pelo que estou percebendo, a série está bem fiel ao livro. Gosto do fato do roteiro muitas vezes utilizar os mesmos diálogos ou frases dos personagens, isso o caracteriza como realmente a autora pretendia. Não é nada simples ou bobinho, é um enredo inteligente, com personagens complexos que te questionam a todo momento.

O que me levou a escrever esse texto antes da série ser finalizada (além do fato de eu já ter lido o livro)? É muito inquietante! Você se vicia, fui lendo conforme os episódios iam saindo e quando chegou o momento decisivo (Jane contando seu passado para Madeline) eu engoli a leitura. Confesso que demorou para a escrita da autora me conquistar, porque há alguns pontos lentos, mas seu enredo é extremamente bem desenvolvido e coerente.

Formei várias teorias, uma delas estava certa e a outra TOTALMENTE errada, ou seja, eu fui surpreendida! Não vejo a hora de ver tudo retratado nas telinhas. O elenco é impecável, Reese faz uma Madeline com maestria, achei que Shailene não iria me convencer como mãe, mas fui totalmente pega de surpresa com sua intensidade e Nicole Kidman? O dilema de Celeste não poderia ser melhor retratado, queria destacar as cenas de sexo, porque há aquela tensão que o livro (com descrições e pensamentos) consegue nos transmitir perfeitamente. Nicole usa o olhar e as expressões para nos contar o quanto dói uma relação abusiva.



Outro ponto que quero ressaltar é que a autora traz discussões muito importantes e feministas durante a obra. Jane explicando como a sociedade vive em função da beleza e do corpo ideal, Madeline confrontando o marido quando o mesmo chama uma garota estuprada de boba e principalmente Celeste com as agressões e proibições. Uma das cenas que mais me impactou foi quando Celeste diz que ama ser mãe, mas isso não a completa, ela precisa trabalhar, ser auto-suficiente, para assim poder ser plena. É sensacional a maneira como assuntos do cotidiano se tornam fundamentais para construir uma forte história. Senti que aquilo poderia ser real, na verdade, é real! Muitas mulheres passam por isso e precisamos mostrar ao mundo o quão errado pode ser o fato de uma mulher se limitar ao que o companheiro quer.

Ah! Não posso ignorar a presença das crianças na história. O fato do tema central dos pequenos ser o bullying é outra confirmação que o enredo é atual e precisa ser discutido abertamente. O mais legal  e original disso tudo é que vemos a perspectiva de uma mãe que precisa lidar com os dedos apontados para ela, o seu filho é o acusado, não a vítima. A dúvida e certeza que Jane tem perante Ziggy e como ela conduz a situação é o ponto alto desse plot. 




Fiquei apaixonada por como a HBO trouxe o melhor da obra. Estou totalmente viciada na série e assim que novos episódios são liberados, eu corro para ver (a entrada é tããão linda que é impossível pulá-la, rs). Acho que foi uma ótima iniciativa trazer a adaptação nesse momento da sociedade e já temos a confirmação de que mais livros da Liane virão para a TV. 

Já a leitura, eu super recomendo, principalmente para as mulheres. O problema da fluidez existe, mas se vencido é uma grande história. Ela te faz pensar sobre sua vida e como você gostaria de segui-la. 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

domingo, 19 de março de 2017

Cinema: A Bela e a Fera

Oi amores!

Eu não ia falar sobre "A Bela e a Fera", afinal, para qualquer lugar em que você olhe, tem alguém falando disso, certo? Porém, eu fui ao cinema ontem e é impossível se manter impassível frente a esse filme. Sério, de todo o coração. Foi um dos filmes mais lindos que eu já vi. Claro, o toque Disney encanta a todos, mas a união de uma história icônica, um elenco escolhido a dedo e uma produção impecável gera um dos filmes mais maravilhosos da história da produtora.


Claro que você já conhece o enredo, um príncipe extremamente arrogante que é enfeitiçado por uma bruxa para aprender o verdadeiro significado da palavra beleza. Para voltar ao normal, sua esperança é a doce e valente Bela, filha de um inventor que mora em uma cidadezinha do interior da França.



Antes de começar a elogiar a obra como um todo, preciso destacar algumas diferenças que tivemos da obra original para esse 'remake'. O fato da Bela ter um emponderamento feminino foi MUITO benéfico. Já vou gerar polêmica, mas existem algumas feministas extremas que criticam o fato das princesas serem todas frágeis e bobinhas. Bela chega para mostrar o verdadeiro significado de ser princesa: educação, inteligência, coragem, bondade e altruísmo. Ter um príncipe é sim opcional, porém não deve ser algo negativo, a presença masculina nessas histórias quer mostrar que existe a compreensão, o apoio e o companheirismo entre um casal

Outro ponto que quero destacar é que as relações familiares são muito bem explicadas. Eu adorei  a menção aos pais da Fera, adorei saber o que aconteceu com a mãe da Bela, o fato do pai nunca ter citado o assunto, a culpa subtendida... Realmente adorei o fato dessa dor pela falta de uma mãe ser abordada sutilmente, porém com um grande peso na construção da personagem.


Com isso, já puxo o grandioso fato: EMMA WATSON é a Bela. Não existe atriz mais perfeita para o papel. Ela tem uma força, uma sensibilidade única. Ela abraçou a causa, percebemos o quanto ela acreditava naquilo que fazia, já que atuou com maestria em todas as cenas. Seu olhar transmite tanta emoção que eu me via absorta naquelas cenas mágicas e quando dava por mim, eu estava sorrindo. 

Tudo é tão delicado! Muitas vezes a nostalgia bate no coração e você necessita cantar aquelas canções tão marcantes. Lembrando que temos algumas composições especiais para esse filme e adianto que se encaixaram perfeitamente no contexto. Letras e melodias casaram completamente com a proposta. 

E como estou elogiando as músicas, vou logo emendando no fato da grandeza das apresentações. Tudo tão belo, tão rico, tão detalhado. É um verdadeiro live action, é todo aquele sonho de infância se tornando realidade (e sonho atual também, porque aquela biblioteca fez o coração acelerar, rs).


Assisti ao filme em uma sala lotaaaaada, não tinha nenhum lugarzinho vazio, ou seja, caso queira ir, se programe, compre ingresso com antecedência. Eu escolhi o filme sem o efeito 3D e não senti falta, a imagem é tão linda que não precisa de mais efeitos, muito pelo contrário, acho que perderia grande parte do brilho da obra.

Ah, sabe algo engraçado? O filme é 'A Bela e a Fera', mas um dos personagens que eu mais amei e confesso que shippei forte foi o Gaston. Senhooooor! Ele é o máximo, realmente! HAHAHAHA Claro, é insuportavelmente egocêntrico e mau. Muito mau. Mas lindo. E bom ator. Luke Evans brilhou no papel, porque ele conseguiu conquistar o público de uma maneira inesperada.



Outras observações importantes:

  • Os pelos da Fera estavam incrivelmente bem hidratados, rs. Piadas à parte, os efeitos estão incríveis, tanto na confecção da Fera, quanto pela animação dos objetos do castelo;
  • Muito genial o fato do vestido da Bela estar sempre com uma ponta presa com as 'anáguas' aparecendo, um ponto simples que mostra a coragem da personagem;
  • O famoso vestido amarelo funcionou muito melhor nas telonas do que nas fotos, há mais detalhes, mais volume e mais brilho;
  • Tem humor!!! É sutil, mas engraçadinho;
  • Presenças ilustres de Emma Thompson, Ian McKellen e Stanley Tucci;
  • O personagem gay foi belíssimo. Muito bem apresentado, não achei apelativo, muito pelo contrário, eu torcia por ele e adorei como tudo terminou. Não acho que as mães chatas de plantão devam se preocupar com isso, tudo é inocente e próprio para os seus filhos;

Um pouco mais longo que o original, percebi várias crianças entediadas, mas todos os adultos aos suspiros. O mais bacana foi a sala toda se unir a canção "Sentimentos são.... Fáceis de mudaaaaar..." e também o fato de que bastante gente ficou até os créditos acabarem. Além das palmas ao final! *-*

Mesmo com muito material de marketing divulgado, "A Bela e a Fera" superou as expectativas, é aquele tipo de filme obrigatório, que vai aquecer seu coração e te marcará para sempre. Termino essa resenha com a playlist tocando no Spotify e com uma vontade imensa de rever, rever, rever e rever essa maravilhosa obra. (LANÇA O DVD LOGO DISNEY!).

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Perfeito!!! Não mudaria nadinha!!!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 17 de março de 2017

Especial HP: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Olá amores!

Um dos meus filmes favoritos de Harry Potter é 'O Prisioneiro de Azkaban', o livro é tão bom quanto, então precisamos falar com detalhes sobre essa obra excelente que marcou gerações!



Sinopse de "O Prisioneiro de Askaban":
Harry está de volta a Hogwarts pelo terceiro ano seguido, porém desta vez a escola de magia está infestada de Dementadores, criaturas das trevas que tem o poder de sugar toda a felicidade da alma de uma pessoa. Esses seres malignos estão lá a procura de Sirius Black, um famoso bruxo que fugiu de Azkaban. Detalhe: ninguém havia fugido antes da prisão de segurança máxima...


O porquê devemos ler o livro: 
A história começa a ganhar um tom mais sombrio. É uma aventura que cresce e torna os personagens pequenos heróis. Harry está crescendo, sabe que a maldade no mundo bruxo existe com mais frequência do que esperava e é preciso saber se defender. A aula de Defesa Contra as Artes das Trevas pode ser matéria que salvará sua vida! Além do fato de termos grandes revelações sobre a vida de Harry;


O que senti falta no filme: 
Nada! <3 Mas de novo essa resposta, Ale? SIIIIM! Eu amo esse filme, tudo o que me encantou quando eu li da primeira vez está ali: Bicuço, Vira-tempo, a coragem de Hermione e o relacionamento Harry/Sirius Black. Até porque, o Sirius é um dos meus personagens favoritos do mundo mágico, rs.



Ponto que mais amei na história:
TUDO! Como disse no tópico acima, vários detalhes me encantaram. A força da história é impressionante, porque a cada parte percebemos como tudo se encaixa e após o término da saga, percebemos o quanto esse episódio contribuiu para tudo acontecer. É nesse livro que conhecemos personagens que marcaram meu coração e me levaram as lágrimas com seus desfechos.


Quotes marcantes:

"Nos sonhos entramos num mundo inteiramente nosso. Deixe que mergulhe no mais profundo oceano ou flutue na mais alta nuvem"

"Isto sugere que o que você mais teme é o medo. Muito sensato, Harry."

"Essa é a segunda vez que a senhorita fala sem ser convidada"

"As consequências dos nossos atos são sempre tão complexas, tão diversas, que predizer o futuro é uma tarefa realmente difícil"

"Expecto Patronum"

Aiiii que amor! Que saudade desse filme! <3 Lá vou eu maratonar Harry Potter de novo... Aguardem que o próximo post da coluna vamos lembrar de 'O Cálice de Fogo'!

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 15 de março de 2017

Resenha: Três Metros Acima do Céu

Olá amores!

Hoje, eu trouxe um livro que li há 9 anos, foi um dos livros que mais me marcou em toda minha 'carreira literária', rs. Não sei se vocês já o conhecem, mas já adianto que é uma novidade aqui no 'Estante da Ale', pois é um romance italiano e foi escrito em 1992. "Três Metros Acima do Céu" foi publicado aqui no Brasil originalmente pela Editora Rocco e nem sei se vocês vão encontrar facilmente para vender, mas como tive a oportunidade de assistir a adaptação cinematográfica que está disponível na Netflix (título adaptado para 'Paixão Sem Limites'), achei interessante abordar essa história com vocês.


O autor é Federico Moccia e não era para ser uma série, porém o sucesso foi tão grande que os jovens italianos tiravam xerox dos livros para poder terem consigo. E aí com essa explosão, Federico se viu obrigado a dar uma continuação para Step e Babi. O chamado "Sou Louco Por Você" foi publicado aqui pela Editora Planeta e é encontrado facilmente. 

A grande novidade é que o terceiro e último livro da série acaba de ser lançado na Itália!!!! Estou pressionando a Ed. Planeta para informações sobre a sequência e assim que tiver, aviso a vocês. Mas enquanto isso, vamos falar um pouco sobre o que se trata?

Step é um bad boy bem complicado, ele participa de corridas ilegais e consegue ser bem mal educado e grosso quando quer. Já Babi é aquela típica garota rica, mimada e arrogante. São dois esterótipos que tem tudo para fazer uma história ser clichê. Até aí talvez você não tenha se interessado, mas é essa história clichê que te surpreende por sua verdade e capacidade de reformular aquela base já vista milhares de vezes. Os personagens são mais que o esperado, se tornam complexos e profundos.


O poder do enredo é forte. Você se envolve, vê que os personagens são errados, são inadequados, mas não consegue deixar de torcer por eles. Há vários trechos mais pesados e que te fazem pensar. O final é tão impactante que fica aquele vazio no coração. Foi o primeiro livro que me fez chorar na vida e que marcou tanto meu coração que só de lembrar, as lágrimas vem até mim. 

A continuação "Sou Louco Por Você" deixou a desejar, mas é boa. Deu para entender, rs? Não era o que todos esperávamos no sentido do rumo de cada um dos personagens, mas é muito interessante ver como a vida seguiu e que nem sempre o esperado acontece. Não posso dar spoilers, mas o surgimento de novos personagens questionam tudo aquilo que você acreditava e a protagonista de antes se torna secundária perante a riqueza que o novo Step nos traz.


Estou bem ansiosa para saber o desfecho da série. Na época em que li, nunca passou pela minha cabeça que aquele até então clichê, iria crescer tanto e me marcar. Até hoje, lembro da montanha russa de emoções que foi a leitura e indico de olhos fechados e coração apertado para todos vocês.

Um romance único, emotivo, inesperado e intenso. Marcou uma geração e pode vir a te cativar também. Federico Moccia é aquele autor que você precisa conhecer.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia