domingo, 30 de outubro de 2016

Resenha: O Coração da Esfinge

Olá amores! 

Hoje, trago a resenha de "O Coração da Esfinge", o segundo volume da série "Deuses do Egito" escrito pela Colleen Houck e publicado pela editora Arqueiro. Caso você ainda não conheça o livro 1, peço para clicar AQUI! e ler a resenha de "O Despertar do Príncipe", não sei se conseguirei fazer uma resenha livre de spoilers, até porque temos que conversar sobre a evolução (ou não) da protagonista.



Mesmo após os últimos acontecimentos do livro anterior serem bem ousados, esse novo enredo continua com a mesma base e sem muitas mudanças. Lily precisa superar a perda de Amon e as lendas egípcias continuam a persegui-la. O mundo humano ainda está exposto ao poder maligno de Seth e a garota se vê obrigada a ajudar os irmãos a se reunirem para fortalecer a proteção novamente. 

O que mais gostei foi a questão das esfinges serem abordadas, porque eu nunca imaginei que elas tivessem o significado que tem e como todos os personagens se encaixam em lendas clássicas. Porém, devo dizer que escrever sobre a Colleen Houck está sendo complicado... Eu até gosto da sua escrita e admiro a forma como ela organiza os fatos e sua criatividade de uma forma condizente. Mas algo não funciona completamente. Talvez seja a protagonista? Sim, pode ser. Lily não me convence. Ela está mais forte e decidida nesse segundo volume, mas mesmo assim não é uma personagem que eu queria ver. Para mim, falta pimenta para ela ser uma verdadeira heroína. Uma história tão forte e boa merecia uma Lily melhor, rs.



Não, não acho que isso estrague o livro, acho que é um ponto que pode vir a melhorar com a sequência da série, o amadurecimento é gradual e a obra tem potencial, principalmente com a presença dos deuses. <3 

Posso dizer que é um livro rico. Quando terminamos de ler pensamos: como assim tudo isso aconteceu? A Colleen cria um emaranhado de personagens e sentimentos que me deixou bem tensa e sinceramente, não tenho muitas ideias de como será a solução de tudo isso, rs. Temos que aguardar o próximo volume da série, Reunited (a capa promete ser rosa *-*).




A edição está maravilhosa! Essa capa dourada deu um toque místico único e merece estar na estante, viu? É apaixonante! 

Mas e você? Já leu essa série? Está animado para conhecer? Deixe seu comentário! Me conta se as lendas egípcias te agradam!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5)

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Halloween: Scream

Olá pessoas!

Como prometido os posts de "Halloween com Scream" continuam! Esse mês tivemos a crítica da série (aqui) e os livros que os personagens leram (aqui), porém chegou a hora de falarmos sobre os episódios especiais lançados semana passada e já disponíveis na Netflix. Calma, é sem spoilers! ;) 


O enredo desse especial é meio paralelo a tudo que aconteceu anteriormente. Temos uma consequência da temporada 2, porém o foco é quando os sobreviventes de Lakewood decidem viajar para uma ilha, onde Noah e Stavo pesquisarão um assassinato para o próximo livro. Abaixo, temos o trailer para quem já está atualizado com a série, caso ainda não tenha assistido e queira apenas saber se os episódios são uma boa opção para o Halloween, vá direto para o texto abaixo que é livre de spoilers:


Antes de mais nada: deu medo? Deu, mas podia ser pior, rs. Sim, Scream utilizou vários clichês para construir sua própria identidade, fato que acontece por ter personagens como Noah e Emma. E se você assistiu as duas primeiras temporadas deve se perguntar: "Emma? Uma boa personagem?" É, eu sei, isso é estranho, mas esse especial veio para mostrar uma nova protagonista, houve a superação de todos os traumas passados ao percebermos que ela quer viver novamente e que tem força para isso.

Brooke ainda continua minha favorita, mas gostaria de uma participação mais ativa da personagem. Audrey, por sua vez, continua tomando a frente das acusações e está disposta a defender todos aqueles que ama, ainda mais com um novo assassino a solta... A máscara de Anna Hobbs será a estrela da vez


Um cenário diferente com o mesmo roteiro. Há perseguição, há desconfiança, há medo. O fato do ápice do episódio acontecer durante uma tempestade à noite faz o clássico filme de terror acontecer. Ainda mais pelo fato de tudo se passar em uma ilha desconhecida. Vários personagens novos surgem e nossa desconfiança aumenta para com todos! Ninguém fica imune e confesso esse especial atendeu minhas expectativas. 

A série foi renovada para sua terceira temporada e pelo visto manterá o foco nos mesmos sobreviventes, até porque, o fato que ocorreu logo no início do episódio irá determinar o rumo da história. Não espere um episódio totalmente aleatório, nos últimos instantes teremos algumas respostas. E respostas coerentes com o enredo apresentado até então, eu gostei muuuuuito das escolhas tomadas e já estou mega ansiosa pelo o que está por vir.

Agora, e você? O que fará para comemorar esse Halloween? Deixe seu comentário!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Resenha: Talvez Não

Olá amores,

Quem aqui adora Colleen Hoover? Faz algum tempo, eu resenhei para vocês um dos melhores livros que eu li, o chamado "Talvez Um Dia" e hoje eu vim contar para vocês que há um conto paralelo a essa história, o "Talvez Não", que ainda não foi publicado aqui no Brasil. Ah, não se preocupe não tem spoilers do livro anterior!


A história não é sobre Ridge e Sydney, apesar de vermos os personagens nessa obra também. Mas o foco principal é em Bridgette e Warren. Duvido que você tenha lido "Talvez Um Dia" e não ficou (no mínimo) curiosa sobre a estranha relação que os dois possuem.

Nesse pequeno conto, podemos saber mais sobre o passado de Bridgette e o porquê a garota ficou tão fria e durona. Já Warren é só amor, percebemos o quanto o personagem consegue ser maduro mesmo no meio de tantas brincadeiras e trotes. 

Confesso que estava com saudades da escrita da Colleen. Ela consegue nos prender com poucas palavras, faz com que um texto seja pouco para o coração, mas suficiente para sua mente. Ela acaba quando precisa acabar, mesmo com você querendo mais, entende? É uma leitura tão gostosa e envolvente que te faz sorrir. 

Se você ainda não leu "Talvez Um Dia", acho melhor esperar para ler esse conto.Ele estragaria um pouco a surpresa que a Colleen te reserva. Caso tenha ficado interessado, clique AQUI! que tem resenha completa e sem spoilers, ok? 

Não se esqueça de dar uma chance aos livros, valem a pena! Colleen e sua maestria na escrita vão te cativar! Você já conhecia esse livro? Fico interessado (a)? Deixe seu comentário!

- Ale

domingo, 23 de outubro de 2016

Resenha: A Rainha Normanda

Olá amores!

Hoje a resenha é de "A Rainha Normanda" da autora Patrícia Bracewell e publicada pela Editora Arqueiro. Essa leitura estava na minha lista de desejados há muito tempo, afinal, estou em uma fase onde História e ficção se cruzam.


O enredo conta como Emma (uma nobre de 15 anos) se tornará a rainha da Inglaterra. Porém, ela ainda tem alguns problemas para enfrentar, como um rei extremamente insuportável e muito mais velho que ela, enteados que temem perder o trono caso Emma tenha um filho homem e uma rival que deseja sua coroa e seu marido... Ou seja, haverá muitas pedras no caminho da nova rainha que vê a ameaça viking surgir junto com a desconfiança da corte inglesa. 

Baseada em fatos reais registrados na "Crônica Anglo-Saxã", a história é muito rica em detalhes e na cultura da época, lembrando que o livro se passa a partir de novembro de 1001, governo entre Rei Arthur e Rainha Elizabeth I. Eu nunca li nada parecido e foi extremamente interessante! Abaixo, temos uma imagem que retrata Emma enquanto rainha com seus filhos (não é spoiler, porque isso realmente aconteceu e não sabemos como a autora dará continuidade a história, o livro não é 100% fiel a realidade):


intrigas, segredos, valentia, Emma amadurece durante a evolução da história, ela aprende a se virar e o que deve fazer para sobreviver na corte. Até porque, a presença de Elgiva (filha do conde Northampton) se torna uma ameaça constante. E esse é o grande ponto que me agradou, há um jogo de poder, é inteligente. Não é uma simples história para se passar o tempo.

Acredito que o único ponto negativo que devo considerar é o ritmo da leitura. Lento e muitas vezes difícil de compreender. Talvez seja pelo fato de eu não estar acostumada com os nomes e tanta expressões complexas de monarquia, mas aí que entra o fato da preocupação da Editora Arqueiro com o seu leitor: logo de início há um glossário com as principais palavras que precisaremos ter em mente para dar continuidade a leitura, um exemplo? Ælfred que quer dizer "merecedor do trono". 

Também teremos uma descrição dos líderes da nobreza e do clero, assim como as famílias reais da Dinamarca e da Normandia. Além do mapa, claro! A edição é impecável, é aquela que você lê e aprecia enquanto se perde no meio daquelas páginas envolventes.


Importante dizer que é uma trilogia e ainda não temos o segundo volume publicado aqui no Brasil, mas realmente acho que vale a pena a leitura pela sua complexidade. Há uma mistura de sentimentos, personagens e verdade que te prende na história. Ainda mais por Emma ser uma heroína forte em uma obra intensa!

Já conhecia o livro? Ele não é muito divulgado e eu realmente acho uma injustiça! Deixe seu comentário e me conta se ficou interessado em ler.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5)

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Série: Outlander

Olá amores!

Estou sumida, eu sei, me desculpem, mas estou melhorando... Prometo que semana que vem a frequência dos posts será normalizada. E para provar isso, hoje tem um post suuuuper especial: OUTLANDER! \o/


Ok, você deve estar cansado de ler sobre a Claire viajando no tempo e indo parar no século XVIII, no meio de uma Escócia em guerra com a Inglaterra. Porém, eu nunca trouxe os reais motivos pelos quais você deve assistir a série que acaba de ter sua primeira temporada incluída no catálogo da Netflix


Sendo assim, vou fazer algo diferente para mostrar alguns pontos diferenciados da história. Vou selecionar os 5 melhores episódios da primeira temporada (sem spoilers!!!), ou seja, aquela baseada no livro "A Viajante do Tempo". Vamos lá?

1 - Episódio 01x01 - Sassenach:

O episódio em que somos apresentados aos personagens e a viagem no tempo. O piloto tem a principal meta de fixar a imagem de Frank Randall para os telespectadores e mostrar as diferenças entre passado e presente. A dinâmica entre personagens e a presença de fatos históricos enriquecem a trama, além da belíssima fotografia. A Escócia nos será apresentada de uma maneira única!


2 - Episódio 01x06 - The Garrison Commander:

Acho que eu nunca odiei tanto um vilão como eu odeio Black Jack Randall. Palmas para o excelente trabalho de Tobias Menzies (o grande injustiçado do Emmy, na minha humilde opinião). Eu tenho que destacar o quanto a perversidade do personagem é explorada, é impossível se manter inerte enquanto Randall descreve suas atitudes e como enxerga a si mesmo. Uma das cenas mais marcantes de toda a série acontece no 01x06;


3 - Episódio 01x07 - The Wedding: 

Como o próprio nome diz, teremos um grande casamento nesse episódio, porém não é apenas isso que me chama a atenção, acredito que é nesse momento em que questionamos o descontrole emocional de Claire e vemos que ela está sendo abraçada pela sociedade escocesa. Um episódio cheio de sentimentos controversos pode se tornar o estopim para tudo realmente acontecer e os protagonistas descobrirem quem realmente são;


4 - Episódio 01x08 - Both Sides Now:

A principal discussão dos fãs de Outlander ocorrerá nesse episódio. Quem leu o livro ficou extremamente feliz em como determinada cena foi retratada. Foi respeitosa simplesmente por ser fiel aos costumes locais da época. E é nesse momento em que avaliamos a diferença de culturas e aceitamos atitudes consideradas erradas atualmente. A narração de um personagem masculino (Jamie, no caso) faz toda a diferença também, afinal, estávamos acostumados com a melancolia e impulsividade da Claire.


5 - Episódio 01x15 - Wentworth Prison:

Outro episódio extremamente forte, intenso e que nos deixa chocados! Sinceramente, só de lembrar de tudo o que aconteceu eu já sinto a dor surgir. Alguns dirão que a série foi muito ousada e não precisava de tanto, eu já acho que faz parte da proposta, o livro é assim. Os produtores foram fiéis àquilo que Diana Gabaldon criou e não adianta sermos 'politicamente corretos', já que maldades assim realmente acontecem na vida real e precisamos ter coragem para lidar com isso, é preciso vencer os obstáculos que algumas pessoas cruéis colocam em nosso caminho;


E claro, a cena final do 01x16 (season finale) também marca o coração e nos faz querer emendar logo a temporada 2, não é mesmo? Infelizmente, ainda não temos uma previsão da estreia na Netflix, mas eu já assisti e confesso que chorei ainda mais que na temporada 1, ou seja, preparem-se! Em breve, vou trazer os 5 melhores episódios dessa nova temporada também!


Ah, e vale a pena dizer que a série tem a terceira e a quarta temporada confirmadas!!!! Eu já li os livros e super recomendo, vem muita coisa boa por aí... Quem quiser, vou deixar os links das resenhas dos livros publicados pela Editora Arqueiro aqui embaixo, as resenhas são sem spoilers, podem ficar tranquilos. Mas antes... Deixe nos comentários se já assistiu ou leu Outlander, ou se pelo menos se animou a conferir essa história!


- Alessandra Salvia

domingo, 16 de outubro de 2016

Resenha: Dez formas de fazer um coração se derreter

Olá amores!

Mais uma vez peço desculpas pela ausência durante a semana, eu cai da escada da casa da minha avó e estou passando por um período conturbado, mas não posso ignorar o fato que li um dos melhores livros do ano! "Dez formas de fazer um coração se derreter" da Sarah MacLean e publicado pela Editora Arqueiro veio para disputar a liderança no meu coração na categoria 'melhor série de romance histórico' (cuidado Julia Quinn, os Bridgertons estão sendo ameaçados!).


A história é sobre o irmão gêmeo de Gabriel, lorde Nicholas St. John, o conhecemos em "Nove regras a ignorar antes de se apaixonar", ele é um rapaz que faz sucesso entre as jovens solteiras e quando sai de Londres para se livrar do assédio, acaba encontrando Lady Isabel Townsend, uma moça que perdeu recentemente o pai e precisa vender suas esculturas para manter a propriedade. Como um dos melhores especialista em antiguidades, Nicholas se aproxima de Isabel e um grande romance surge para aquecer nossos corações. 

Acho incrível a habilidade da Sarah de construir personagens femininas únicas. Isso aconteceu com Callie (Nove regras a ignorar antes de se apaixonar) e agora com Isabel. Está na moda termos girl power nos livros, porém fazer uma protagonista intensa em um romance histórico é bem complicado. No caso de Isabel, usar calças e consertar telhados é algo corriqueiro, ela não tem filtro, fala o que pensa e tem diálogos extremamente engraçados e sinceros. 


Sobre o enredo e suas temáticas, vou adiantar que o amor é um foco importante sim. Porém, gostei muito do destaque que a autora deu para o trabalho que Isabel faz. O altruísmo é um ponto que me tocou nessa leitura e me fez refletir que nem sempre um romance histórico precisa ser fútil e clichê. 

Talvez até mesmo a escrita da Sarah ajude, mas o ritmo da leitura é fluído demais, é prazeroso, você não consegue parar até saber como os personagens vão fazer para aceitarem as diferenças e assumir que não são auto-suficientes. 

Sendo um dos meus livros favoritos, Nicholas e Isabel me fizeram acreditar em seus sentimentos. Até mesmo Rock e Lara tiveram um papel importante para construir essa linda história. Sei que existe muito preconceito com romances históricos, mas acho tão viciante e amorzinho. Consigo sentir a diferença entre os livros e cada casal me marca de uma maneira diferente. Lorde Nicholas mesmo, não quero dar spoilers, mas a forma como ele acredita e persiste no que sente me deixou encantada... Mais pessoas deveriam ser assim, com certeza. 


Ah, é importante dizer também que a série Números do Amor (que pode ser lida sem sequência, porém você terá alguns spoilers referente a alguns casais, claro), terá uma continuação em breve com o livro "Onze leis a cumprir na hora de seduzir", cuja protagonista será Juliana Fiori, a irmã italiana de Gabriel e Nicholas. Caso você tenha lido algum desses livros, já sabe que a garota é um problema para a sociedade londrina, então vem muitas risadas por aí...


Agora me contem: o que acharam da dica de hoje? Faz seu estilo? Se não faz, você não acha que pode dar uma chance? Venha acreditar no poder do amor você também!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Ale

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Livros da Série Scream

Olá pessoas!

Preparados para mais um post dos livros citados em séries? Hoje, vou citar as obras que Scream, a série baseada nos filmes Pânico (exibida pela MTV/Netflix) citou no decorrer de sua primeira temporada. Lembrando que a crítica está AQUI! Vale muito a pena conferir a série que já está com duas temporadas completas e seu retorno está marcado para outubro. Bora ver as dicas de livros da série?

1 - Já começo com o professor de literatura indicando "O Castelo de Otranto":


2 - Nas aulas de literatura, há grandes discussões sobre o gênero gótico. Detalhe que a legenda está errada, é George Romero, mas não encontrei uma legenda certa, rs. Desculpe!


3 - Um dos meus grandes shippers é Jake e Brooke. E nesse episódio em especial, eles fazem muitas referências a '50 tons de Cinza':


4 - '50 Tons de Cinza' novamente sendo citado, porém dessa vez também temos o clássico 'Game of Thrones':


5 - 'A Culpa é das Estrelas' já era? Será Emma?


6 - Riley e Noah tentando entrar em acordo para a aula de literatura:


A maioria das séries cita Shakespeare, não é? Porém, devo dizer que Scream tem muitas dicas de filmes também. Principalmente de terror que influenciam a obra. Se quiserem, podemos fazer um post especial com os filmes também! O que acha? Deixe seu comentário, me conte se está gostando da coluna!

- Ale

domingo, 9 de outubro de 2016

Resenha: O Despertar do Príncipe

Olá amores!

Estou sumida, pois peguei uma gripe muito forte que me deixou sem ânimo para qualquer coisa, porém como o prometido, aqui está a resenha do livro recebido em parceira com a Editora Arqueiro, "O Despertar do Príncipe" da autora Colleen Houck.


Eu já conhecia a Colleen pela série "A Maldição do Tigre", ainda não tive a oportunidade de ler, mas tenho várias recomendações positivas da história. Por isso, quando vi o lançamento do novo livro, precisei solicitar para a Arqueiro. 

A história utiliza a cultura egípcia como base, até porque a série chama-se 'Deuses do Egito' e hoje vamos começar a falar sobre o livro 1 da série. A protagonista é a Liliana (Lily, na maioria das vezes), uma garota extremamente rica que visita regularmente o Metropolitan Museum of Art de Nova York. Em uma dessas visitar, a adolescente encontra uma múmia recém desperta. Com vários poderes e meio confuso com o atual mundo real, Amon é um príncipe que precisa impedir a volta do deus maligno Seth.


Posso adiantar que os pontos que mais me surpreenderam foram: a riqueza de detalhes perante a cultura egípcia e a questão da ação do livro. Não é apenas uma história de amor entre uma garota de 17 anos e um deus de mil anos atrás, é uma aventura. Há uma grande complexidade por trás de tudo, gostei muito da maneira como Colleen nos apresentou as lendas e como o enredo foi criado sempre ligado àquela premissa básica de 'salvar a humanidade de Seth'. 

O que me incomodou e não posso ignorar isso, é o fato da protagonista ser aquela típica adolescente que só se preocupa com o 'beijo de amor' no final do filme. Não posso ser totalmente contra, afinal, eu mesma adoro clichês norte americanos (estilo 'Meninas Malvadas'), mas eu queria algo maior para a Lily. Ela poderia ser parte ativa da luta de Amon, mas não, ela sempre se mostra fragilizada. Outra coisa... Acho meio impossível, mesmo para alguém rico, sair do país com um cara que acabou de conhecer e se diz uma múmia. Ok, há magia, há uma ligação entre os personagens e blá-blá-blá. Eu entendo isso, mas não quer dizer que eu me convenci. 


A edição está liiiiiiinda! A capa é metalizada e há uma divisão em partes que trouxe um bom ritmo a leitura. O final foi bem feito, eu já tinha um spoiler, pois li a sinopse do livro 2 (por favor, não façam isso), mas mesmo assim gostei da construção e como há uma boa abertura para a continuação da história. 

Foi uma leitura mais complexa, demorei um pouco por não estar acostumada com tantos nomes egípcios, mas há algumas crenças e citações que me deixaram encantada. Ao todo, foi um livro muito bom e deixa uma curiosidade sobre o próximo, chamado "O Coração da Esfinge" que ganhará resenha aqui no 'Estante' no mês que vem, prometo!

Mas agora é com você, me conta o que achou da dica de hoje e se está animado para ler "O Despertar do Príncipe", acho uma boa novidade já que não é em todo lugar que podemos nos aprofundar no Egito, não é?

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5)

- Ale

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Resenha: Querer Amar

Olá pessoas!

Hoje a resenha é de outro nacional, mas que não foi tão UAU como eu esperava. É... Vocês devem ter percebido que houve uma avalanche de autores nacionais por aqui nesses meses, né? A Bienal aconteceu e encheu meu coração de amor por nossa literatura. Porque sim, tem MUITA coisa boa e pouco reconhecida. Então aproveitando as promoções, comprei 'Querer Amar' da Rose Andrade por um preço bem bacana na Saraiva.


Publicado pelo selo 'Talentos da Literatura Brasileira' da Novo Século, o livro conta a história de Lize, uma médica que fica noiva de Thomas, porém acaba se apaixonando pelo futuro cunhado, Richer, um militar bem sedutor. Eu até gosto dessa mensagem que a capa do livro traz: 'até que ponto o limite da razão sobrepõe o coração?', porém não foi isso que foi entregue ao leitor.

Com uma narrativa extremamente corrida, Rose (a autora) não consegue desenvolver os personagens. Não consigo me prender e vejo algumas passagens com um tom de falsidade, como se aquilo fosse impossível acontecer, sabe? Uma grande tristeza, porque a história tinha potencial, a premissa realmente me agrada (não me julgue, eu amo um clichê).

Vi um comentário no skoob (eu tive que pesquisar se isso era um problema apenas meu, ou se tinha mais alguém achando isso) que ressalta a inexperiência da autora. Talvez seja realmente isso... Precisamos de mais paciência e treino até Rose se destacar, até porque a capa linda ela já tem!

E você? Conhecia esse lançamento? "Querer Amar" continua com um preço bem acessível na Saraiva, caso você queira conhecer por si mesma esse lançamento.... Deixe seu comentário me contando o que achou!

Minha Classificação: ♥ (1/5)

- Ale

terça-feira, 4 de outubro de 2016

Resenha: O Pássaro

Olá amores!

Eu disse que iria ter mais Samanta Holtz não disse? Pois bem, hoje a resenha é de 'O Pássaro' um livro publicado pela Novo Século em 2014, porém que só tive a oportunidade de lê-lo agora. Na verdade, ele furou fila sim, não vou negar que estava ansiosa para continuar meus suspiros nas páginas de um romance da Samanta.


A história é sobre Caroline Mondevieu, uma doce e corajosa garota que sonha em ser livre. O livro se passa na época feudal e nossa protagonista é filha de um poderoso e malvado barão. Todos no feudo o temem, inclusive sua família, mas nada impede Caroline de seguir seu caminho e conquistar o próprio destino. 

A obra não é um romance de época normal, a premissa é sobre ser aquilo que você quer ser. É vencer na vida de acordo com seus sonhos e não com o que planejam para você. Caroline é intensa e luta para atingir aquilo que deseja: liberdade. Ao ser obrigada a se casar com um homem que não ama, a moça se rebela e decide fujir do feudo. 


Uma linguagem gostosa e fácil, o livro é narrado em terceira pessoa, então conseguimos ver o que está acontecendo em diversos cenários e com outros personagens, apesar de Caroline e Bernardo serem o foco da história. 

Bernardo é um domador de cavalos que ajuda Caroline a sair do feudo e sobreviver na floresta. Algo que queria destacar é a presença da cultura cigana no livro, foi muito interessante essa abordagem e deu um toque todo especial em um enredo que já estava sendo agradável.

Porém, o que mais me surpreendeu foi o uso de clichês para inovar. Deu para entender, rs? Há alguns fatos que são corriqueiros em romances, porém teve uma ousadia que emociona. Sinto que Samanta saiu da zona de conforto com o rumo da história e arriscou. Deu super certo, foi maravilhoso! O modo como o título se encaixa a personagem é outro ponto que queria parabenizar a autora, me enche os olhos de lágrimas só de lembrar... Além dessa capa incrível... 


Li o livro em ebook, mas já coloquei na lista para comprar o físico também. É uma história delicada, sensível, mas ao mesmo tempo forte e que marca o coração. Chego a ficar sem palavras para dizer o quanto aquele final mexeu comigo. Recomendo muito a leitura e te peço para vir surtar comigo depois de ler, ok? Mas se você ainda não leu, me conta se ficou animado (a) para conhecer a coragem de Caroline!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5)

- Ale

domingo, 2 de outubro de 2016

Série: Luke Cage

Olá amores!

Quem está fazendo maratona do lançamento da semana? A Netflix em parceria com a Marvel lançou outra série que tem tudo para ser sucesso: "Luke Cage" que se passa no mesmo universo de "Demolidor" e "Jessica Jones". Não se preocupe, hoje a crítica da primeira temporada será sem spoilers!


A história foca principalmente no personagem que dá nome a série. Luke Cage é um homem gentil que após um passado traumático adquiri habilidades especiais, como por exemplo, super força, corpo impenetrável e rápida regeneração. O enredo se inicia quando um roubo de armas dá errado e o vilão "Boca de Algodão" precisa reaver seu dinheiro. A partir daí é uma chuva de ameaças e sangue.


Com 13 episódios na temporada, cada um tem cerca de 1h de duração. Eu já vou logo falando que alguns são pura enrolação. Geralmente, nos 15 minutos finais que tudo acontece e você fica: "MEU DEUS, eu preciso saber como termina". Isso nem sempre é um ponto positivo, porque te deixa cansado. De início, não foi uma maratona fácil de fazer, acredito que a série deu um grande UP a partir do episódio 8 ou 9.

Mesmo com a personalidade fechada, Luke consegue ser um bom protagonista e tem sua simpatia. Coisa que Mitsy deixou a desejar, ela é uma policial que tinha tudo para ser minha queridinha (afinal, ela tem um ótimo discurso feminista), mas não foi, pois quis dificultar as coisas e nem sempre fez a escolha certa. Todo o 'girl power' da série pode ser remetido a Claire. Sim, Claire! A enfermeira que surgiu em "Demolidor" pode ser vista agora com sua própria história e definitivamente cresceu no projeto.


Já vi algumas críticas positivas por "Luke Cage" nos apresentar vilões mais realistas e com esterótipos mais claros, como corruptos e máfia de armamento. Porém, confesso que eu não senti nenhuma presença forte em relação aos vilões, acho sim Boca de Algodão e sua prima Mariah personagens interessantes, mas não tão marcantes quanto o amado Killgrave e o temível Fisk. 


O enredo é ousado sim, eles não tem medo de colocar e tirar personagens da trama. E com isso, logo no segundo episódio, a série já me arrancou lágrimas. Então, eu não posso ignorar o fato que me envolvi.  A Netflix, nunca decepciona e dizer que não gostei de Luke Cage está longe de ser verdade. A série é forte, faz seu trabalho de fortalecer Luke no universo que a Marvel está montando para os Defensores e também para preparar o território para o que está por vir, afinal, Luke precisou amadurecer e aceitar quem ele é. Destaque para o episódio de flashback e resolução de como o protagonista adquiriu seus poderes, eu realmente queria saber daquilo.

A qualidade da série é indiscutível! Fotografia, atuações, cenários... Mais uma produção que veio para ficar. Com o final já propício para continuação, eu fico me perguntando... Netflix, cadê minha Jessica Jones? Ainda não superei a falta do meu Killgrave!

E agora chegou a sua vez de me contar o que achou da série ou se está empolgado para assistir. Ah, não se preocupe se você não assistiu a "Demolidor" e a "Jessica Jones", dá para entender a história perfeitamente!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5)

- Ale