terça-feira, 29 de novembro de 2016

Resenha: The Kiss Of Deception

Olá amores!

Esse é um dos livros que estava na minha lista de desejados há algum tempo e confesso que não foi tudo aquilo que eu esperava, mas ok... "The Kiss Of Deception - As Crônicas de Amor e Ódio" da autora Mary E. Pearson publicado pela Editora Darkside é a resenha da vez!


A história é sobre como Lia, uma Primeira Filha da Casa Real foge de um casamento arranjado, o príncipe (deixado no altar) vai atrás de Lia e um assassino também a segue, então fica aquela dúvida: quem irá encontrá-la primeiro? Ou melhor, quem é quem? Sim! É meio louco, mas temos dois personagens (Kaden e Rafe) e não sabemos quem é o príncipe e quem é o assassino. Ou seja, é uma leitura extremamente diferente e que vale muito a pena pela experiência que ela te dá. Como leitora, nunca havia passado por essa situação e foi muito difícil conter a ansiedade e entender que eu podia aproveitar a história sem todas as informações.

O livro demora muito para acontecer e isso talvez tenha me desanimado. Gosto da protagonista ser uma girl power, ela é bem forte e quer ser independente, a luta de toda a história é pela liberdade da Lia, mas ela não consegue me fazer acreditar nela. Complexo, mas é verdade. Não houve um carisma a ponto de me conquistar e me fazer pensar: 'eu quero ser ela'. 

Um problema de narrativa? Talvez, não foi fluido. A premissa tinha tudo para me agradar e a forma como foi conduzida não funcionou. O triângulo amoroso também me decepcionou, foi desnecessário! 


Infelizmente, não consigo pensar em muitos pontos positivos, talvez seja a experiência de leitura que foi ótima por eu não saber quem era quem e também vale lembrar da edição. QUE EDIÇÃO MARAVILHOSA! Darkside arrasando!!! Paguei R$ 29,90 em um livro capa dura, com marcador de página e uma poster lindo com o mapa do local por onde os personagens passam. 

Pelo que sei, a saga "As Crônicas de Amor e Ódio" irá continuar, é uma trilogia e o livro 2 já foi lançado pela Darkside, mas não consigo me animar muito para a leitura. Vou pensar bastante antes de dar continuidade.


E você? Gostou da dica de hoje? Queria muito ter uma opinião diferente para conseguir entender o livro de outra maneira. Me conta nos comentários o que achou e se quer ler.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ (3/5)

- Alessandra Salvia

domingo, 27 de novembro de 2016

Série: Gilmore Girls - Um Ano Para Recordar

Olá amores!

Quando a Netflix deu a notícia: "Gilmore Gilrs vai voltar" choveram comemorações pelas redes sociais, inclusive eu mesma fui daquelas que estava mega ansiosa. Nunca escondi que sou uma grande fã e faço parte daquela geração marcada pelas Gilmore, aquela que assistia "Tal Mãe, Tal Filha" nos domingos de manhã no SBT, rs. Com isso, maratonei a série e já trago uma crítica sincera e sem spoilers!


Lorelai e Rory Gilmore voltam para 4 episódios especiais. Cada um representando uma estação do ano e com uma duração maior que o normal (90 minutos, o que é típico da Netflix). Infelizmente, algumas vezes achei que o episódio se estendia mais que o necessário e a história não evoluía. Porém, ao todo, foi uma temporada cheia de nostalgias e é para fãs! Os personagens possuem aquela essência que tanto amamos e os diálogos são tão maravilhosos como na season 1. Diversas vezes me peguei sorrindo ao ver que nada mudou com as Gilmore, rs. 


O que eu mais gostei foi como Rory (mesmo aos 32 anos) tem problemas como qualquer pessoa normal. Nem sempre temos aquela vida que idealizamos depois da faculdade, é uma luta constante para conquistarmos nossas próprias coisas, além de provar nossa capacidade a cada dia. O que me incomodou muito foram as viagens da personagem. Não esperava que ela permanecesse em Star Hollow durante os 4 episódios, porém a mudança de cenários e viagens de avião para alguém que nem uma casa tem ficou meio estranho e irritante. 

Um ponto que me emocionou foi como a série abordou a falta do personagem Richard, afinal, o próprio ator Edward Kirk Herrmann morreu há alguns anos. As cenas do funeral e como cada personagem reagiu a perda foi algo que eu queria ver. 


Já a Lorelai continua com seus diálogos maravilhosos. Eu amo a sua relação com o Luke e fiquei muito feliz com a permanência deles na série. Porém, para mim, o grande foco do revival é Rory e sua vida adulta. O enredo é MUITO feminista e tem um roteiro inteligente, marcado por fortes opiniões e agilidade (como sempre, rs). Além das lindas referências do mundo atual, isso te transporta ainda mais para aquela história.

Mas o que mais me deixou perplexa foi o final. Eu via tantas críticas e... EU ADOREI! HAHAHA Oi? Sério mesmo? SÉRIO! QUE FINAL ÓTIMO! Não, não acho que deva ter uma continuação, eu gostei da proposta e fiquei feliz com a jornada. (NÃO ME BATAM!) Um final realista para uma série realista, com problemas realistas para personagens realistas. Importante lembrar que a última temporada de Gilmore Girls (a sétima) não foi a criadora da série que escreveu o roteiro, então este é o verdadeiro final que ela queria dar para as Gilmore. Não se tem informações de renovação até então, até porque a proposta era apenas um revival. Claro que com a avalanche de pedidos dos fãs, talvez a Netflix mude de opinião, mas nada se sabe ainda.


Sendo assim, para resumir tudo... Foi bom? Foi, mas podia ser melhor, foram altos e baixos que cativaram o coração. O que a maioria vê como ponto negativo (o final), eu vejo como o ponto alto. Não podemos ignorar que tivemos problemas como personagens apagados e várias ações que não convenceram, porém a essência estava ali. Foi tão bom matar a saudade de Lorelai e Rory que são duas das melhores personagens que existem no mundo das séries, impossível copiá-las!

Ah, e quero lembrar que a atriz Lauren Graham escreveu um livro, o chamado "Falando o Mais Rápido que Posso" (Editora Record), nos contando sobre suas experiências como Lorelai Gilmore, inclusive ela fala como foi voltar a um papel que a consagrou. É uma não-ficção e iremos conhecer várias histórias hilárias da atriz. E para quem não sabe, Lauren já escreveu "Quem Sabe Um Dia" (2013), um best-seller que aborda as aventuras de uma jovem e atrapalhada atriz tentando fazer sucesso em Nova York. Ambos os livros estão na minha lista de desejados e espero que em breve, eu traga resenha para vocês!


Agora é com vocês, me contem... O que acharam desse retorno de Gilmore Girls? Foi tudo que esperavam? Deixem seus comentários! E uma última pergunta que quero fazer a vocês: como reagiram as "quatro palavras finais" da temporada?

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5)

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Série: Outlander - Temporada 2

Olá amores,

Como prometido no post especial sobre Outlander na Netflix (aqui), farei também uma análise sem spoilers da temporada 2. É aquela baseada no livro "A Libélula no Âmbar" (publicado pela Ed.Arqueiro) que já foi resenhado aqui no blog, só clicar AQUI. Caso você ainda tenha alguma dúvida sobre assistir ou ler a série, espero que eu acabe com elas nesse post, porque realmente vale muito a pena! 


E se você já assistiu a season 1, deixo aqui o trailer legendado da season 2:


Então 'bora' selecionar os 5 melhores episódios da segunda temporada? Repito: se você ainda não conhece a série, não tem problema, porque é livre de spoilers!

1 - Episódio 02x01 - Through a Glass, Darkly:

Acho que todos vão pensar a mesma coisa quando começarem a assistir ao episódio: o que foi que eu perdi? Calma, calma, a fidelidade aos livros continua e você precisa passar por essa experiência. Garanto! É um exercício para sua ansiedade e a construção do enredo fica muito mais interessante quando a linha temporal é desconstruída. Outlander é uma montanha russa de sentimentos!


2 - Episódio 02x04 - La Dame Blanche:

Agora na França, os dramas continuam, porém com um toque impressionante de nobreza. A qualidade da série consegue superar o lindo trabalho feito na season 1. Os cenários dos bailes e jantares são incríveis, o figurino todo delicado e detalhado deixa qualquer um de boca aberta! E destaque para Claire que aparece cada vez mais linda com sua simplicidade no meio da sociedade toda espalhafatosa! Ah, um paralelo rápido... O famoso vestido vermelho aparecerá no 02x02;


3 - Episódio 02x07 - Faith:

Seleciono esse episódio como o que mais me fez chorar na vida de seriadora. Eu começo chorando e termino chorando. A intensidade do acontecimento principal aliada a belíssima atuação de Caitriona Balfe faz esse ser um dos melhores episódios já feitos antes. A carga emocional é forte demaaaaaais e eu consegui sentir cada dor da protagonista. É nesse momento em que você descobre que Outlander é uma das melhores séries que você pode vir a assistir (e ler!);


4 - Episódio 02x10 - Prestonpans:

Lembra a tão famosa guerra de Culloden? A guerra que massacrou os clãs escoceses? Sim, é um fato histórico citado que realmente aconteceu e chegou o momento da verdade para Outlander: seguir os fatos reais ou mudar todo o rumo da história e levar para o lado da fantasia/ficção. É nesse episódio que vemos o quanto a guerra pode mudar a vida de alguém. Ah, e também ocorre uma morte que vai doer no seu coração, aposto nisso!


5 - Episódio 02x13 - Dragonfly in Amber:

A season finale tão esperada! Respostas são dadas e novas perguntas surgem, assim como novos personagens que dão abertura para novas histórias, sem deixar Claire e Jamie de lado, fiquem tranquilos! É um final de temporada bem difícil pelo fato daquela linha temporal desconstruída que comentei com vocês que surgiu no 02x01, mas é extremamente interessante como tudo se fecha. Novamente, a fidelidade do livro traz a satisfação para o coração dos fãs!


Ansiosos para a temporadas 3 e 4? Eu estou mega empolgada e como já li os livros, sei o que nos espera... Você não se anima a ler enquanto espera mais episódios? Vou deixar os links das resenhas aqui embaixo! Vem me contar o que está achando desses posts especiais de Outlander em comemoração a entrada da série na Netflix!


- Alessandra Salvia

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Resenha: Novembro, 9

Olá amores!

Hoje a resenha é de uma querida autora que consegue tocar meu coração em qualquer circunstância: Colleen Hoover. Ganhei "Novembro, 9" no meu aniversário de alguns amigos de infância (obrigada a Lais, Bruna e Dimitri <3) e trouxe a minha mais sincera opinião para vocês, afinal, não é a primeira vez que Collen me derruba, rs.


Siiiim, quanta emoção! A história é sobre Fallon (uma garota que foi vítima de um incêndio na casa de seu pai e tem metade do corpo cheia de cicatrizes) e Ben (um garoto extremamente divertido e fofo). O livro é sobre o amor? Sim, mas é mais que uma história de amor entre homem e mulher, é sobre aprendermos a amar nós mesmos, independente de estética ou da culpa. É sobre o perdoar o outro e a si mesmo. É sobre entender que nem tudo está a nosso alcance para ser consertado, as pessoas tomam as próprias decisões e nós precisamos aprender a lidar com as consequências.


Ben e Fallon se conhecem em um 9 de novembro de uma maneira bem diferente. Ele finge ser namorado da garota que sonha em ser atriz para defendê-la do pai e é nesse momento que percebemos que vai ser uma loucura chegar ao final do livro sem nos desesperarmos: os nossos protagonistas decidem se encontrar apenas uma vez no ano, já que eles são muito jovens e Fallon está de mudança para Nova York naquela noite. Talvez isso tenha te lembrado a história de "Um Dia" de David Nicholls? Também pensei nisso, mas a grande diferença é que Emma e Dex mantem contato nesse um ano separados, já Fallon e Ben não. Eles não tem telefone, e-mail, endereço... NADA um do outro. Apenas sabem onde devem se encontrar no próximo 9 de novembro. E isso se estende por 5 anos!!! (Não é spoiler, é o trato que eles fazem).

A angústia que senti durante a leitura é constante. Como o livro é dividido por cada 9 de novembro, nós já começamos cada parte com uma dor no coração torturante, afinal, sabemos que a separação está próxima... O grande problema é que durante um ano muitas coisas podem mudar e lidar com a vida seguindo pode não ser uma tarefa fácil para corações apaixonados, porém separados. Cada adversidade, cada passo dado pode mudar todo o futuro e nem sempre o outro pode estar preparado para isso.


Foi uma avalanche de sentimentos, pois eu queria entender certas atitudes, mas não conseguia. A raiva que senti foi tão palpável que parecia que tudo estava realmente acontecendo comigo! Colleen nos faz apaixonarmos por aqueles personagens e depois mostra que também podemos nos enganar. E que também devemos perdoá-los. Eu estava naquelas páginas. Eu consegui ser Fallon. Eu consegui ser Ben. Eu senti tanto a história de Ben que foi difícil me separar dele ao final do livro. E foi exatamente na reta final que eu não conseguia mais segurar e desabei. Chorei como se visse a minha vida ser retratada. 

Colleen Hoover é uma autora que pode escrever qualquer coisa que dará certo. Nunca será uma simples história, ela dá um toque seu e tudo se torna especial. A narrativa é uma delícia! Além da edição que está linda, adorei a Editora Galera Record manter a capa original. Ah, e por falar em original, vocês já sabem da parceria da Colleen com o cantor norte americano Griffin Peterson, né? Então, tem uma música feita para "November, 9" *-----* Vamos ouvir?


Tão amor!!! Meus olhos se enchem de lágrimas só de lembrar. Super recomendo a leitura e com toda a certeza, se tornou um dos meus livros favoritos! Você conhecia o livro? Já leu? Deixe seu comentário!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - FAVORITO!

- Alessandra Salvia

domingo, 20 de novembro de 2016

5 Motivos para ver "Animais Fantásticos e Onde Habitam"

Olá amores!

Esse final de 2016 está bombando!!!! Tivemos outra mega experiência no mundo mágico, "Animais Fantásticos e Onde Habitam" e meu coração está dando altos pulos com a quantidade de informação absorvida. O filme estreou nos cinemas brasileiros dia 17 de novembro e estamos aqui para contar os principais motivos pelos quais você deve correr para o cinema agora mesmo!


Importante ressaltar antes de mais nada é que você não precisa ter assistido a todos os filmes do Harry Potter para entender esse lançamento, e claro não teremos nenhum spoiler (nem de HP, nem de Animais Fantásticos), podem ler tranquilos e animados com o que está por vir.


EUA, década de 20. A história é sobre Newt Scamander e sua maleta que guarda vários animais extremamente interessantes. Ao 'colidir' com um no-maj (trouxa na Inglaterra), alguns animais fogem e é assim que iniciamos nossa busca. Claro que temos outras histórias paralelas que ajudam esse novo mundo a se desenvolver, temos o 'ministério' americano e uma família de no-majs que não aceita a bruxaria muito bem... Na realidade, é toda a sociedade que repudia o mundo bruxo, tanto que uma possível guerra está iminente. 

Acho que já deu para entender toda a complexidade do enredo, certo? Sendo assim, vou começar com os meus motivos para amar o filme:

1 - É J. K. Rowling:

É o primeiro roteiro assinado pela autora e ela fez um excelente trabalho. A história começa com pequenos passos e quando ganha confiança, há uma explosão do mundo bruxo nas telonas. Contexto interessante e diálogos estruturados construíram um filme envolvente e emocionante. Claro, além das atuações, mas isso é outro ponto que temos que discutir mais adiante. Tivemos o mistério e ação, uma aventura digna de J. K. Rowling;


2 - Atuações:

Eu disse no tópico anterior, mas esse aspecto merece aplausos de pé. Primeiramente, Eddie Redmayne fez um Newt IMPECÁVEL! Até sua maneira de andar foi diferente, seu olhar, sua emoção... Fiquei com os olhos marejados em uma das cenas com um animal específico, atuação brilhante! Mas outro ator que merece atenção é Ezra Miller (Potterhead <3), o menino trouxa (ops, no-maj) chamado Credence. Contracenando diretamente como Colin Farrell (um grande e famoso ator que interpreta Percival Graves), Ezra dá um show, ele conduz com maestria a dor e revolta de seu personagem que quer ser um bruxo mesmo no meio de uma família cheia e preconceitos;


3 - Os animais:

Quanta criatividade! Quanto amor! Os animais fazem o filme ficar ainda mais incrível... As cores, as habilidades, o carinho e as gracinhas que cada um tem faz o filme ser mais lindo. Dá até para dar risada com alguns deles. Difícil escolher um favorito, mas elegeria o Tronquilho, Pickett nesse primeiro momento. Mas o Pássaro-Trovão (Frank) tem todo um charme especial, rs;


4 - Personagens:

Aponto "Animais Fantásticos" como o filme com mais diversidade: temos bruxos britânicos e americanos, que aceitam e que não aceitam no-majs, temos até no-majs ativos na história! Um pouco de tudo traz a riqueza de pontos de vista. Duvido você assistir e não torcer para o Jacob conseguir abrir sua padaria ou não se encantar pela doce Queenie e sua habilidade de ler mentes. Eu, particularmente, adorei a Porpentina (Tina <3), uma auror que trabalha no Congresso de Magia Americano, ela comete erros sim, mas é sempre tentando ajudar e o mais importante, ela aceita que errou e tenta consertar as coisas. (Uma ressalva apenas: só eu fiquei com TOC em relação a lapela dela no início do filme? Graças a Deus, ela arrumou no decorrer das cenas, rs).


5 -  Abrangência da história:

Quem já leu os livros do Harry Potter pode entender um pouco melhor sobre isso, mas ao ver nas telonas nosso amado mundo crescer é impactante. Diversas vezes me peguei de boca aberta com referências já conhecidas, como a Hogwarts, Dumbledore ou o famoso Grindelwald (principalmente a este último que promete aparecer muito mais nos próximos filmes). Ver outros cenários, mais feitiços (além daqueles que conhecemos) e varinhas por todos os lados realmente aquece o coração, dá aquela nostalgia boa e para mim, que sou da geração Potter é realmente mágico (sem piadinhas bobas, porque realmente é sensacional!);


Bônus!

Já temos algumas teorias de como "Animais Fantásticos" se cruzará com "Harry Potter", caso vocês se animem farei um post explicando tudo direitinho da teoria e podemos discuti-la. O único problema é que teremos spoilers do filme, mas talvez valha a pena se a maioria já assistiu ou pretende assistir nos próximos dias!


E é isso pessoal! Post gigante, eu sei, mas não tenho dúvidas que o filme valha o ingresso. Eu assisti sem ser 3D e não me arrependo, não há a necessidade do recurso. Acho até que há um excesso de 3D no mundo, viu? Parece que eles te obrigam a pagar mais caro no ingresso para ficar com dor de cabeça depois, rs. Minha sala estava LOTADA, não tinha nenhum lugar vago, então isso já mostra o sucesso das bilheterias.

Super recomendo e já estou mega animada para 'Animais Fantásticos 2' que foi prometido para 2018. E vocês? Já foram conferir o filme? Deixe um comentário!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito! 

- Alessandra Salvia

sábado, 19 de novembro de 2016

Resenha: Como Folhas Secas

Olá pessoas!

Quem aí é fã de nacionais? "Como Folhas Secas" é um doce e amargo romance de Júlia de Oliveira publicado pela Novo Século com o selo Talentos da Literatura Brasileira. Com um preço super acessível no site da Saraiva, comprei o exemplar na pré-Bienal do Livro e consegui ler recentemente. Bora para a resenha?


Ambientada no interior de São Paulo, em Santa Heloísa para ser mais específica, conhecemos a história de Ana Carolina e Antônio Guerra. Com capítulos alternados, os acompanhamos desde a infância quando Antônio (o garoto da cidade grande) se muda para a pequena cidade onde todos se conhecem. Uma linda e pura amizade surge, mesmo com toda a maldade e adversidade da vida, vemos a evolução dos personagens unidos.

Quando descobri que a autora tinha apenas 15 anos, fiquei impressionada pela complexidade da história criada. De verdade, há muito sentimento e não é algo bobo, percebemos o trabalho e dedicação da Júlia e isso torna a obra especial.


Infelizmente, o que me incomodou muito foi o fato de ter grandes textos de descrições e detalhamento de tudo. Ok, isso torna o livro mais visual? Sim, torna, mas me atrapalhou no ritmo da leitura. Algumas vezes fiquei empacada e sem vontade de continuar, sabe? Uma pena, porque eu realmente achei a história interessante e original. Apenas não é fluída.

A edição está linda, a capa é maravilhosa. A única coisa que achei que poderia melhorar era o espaçamento entre as linhas, como a letra é menor que a usual, parece que o texto era muito grande para o tamanho do livro. 

Mesmo com essas pequenas falhas, acho que a leitura pode ser proveitosa para você. Vale a pena dar uma chance, afinal, os problemas que tive com a obra não são aqueles problemas fatais, são pequenas opiniões pessoais. ;)

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ (3/5)

Você já conhecia a obra? Vai dar uma chance? Deixe seu comentário!

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Resenha: Labirinto de Ilusões

Olá amores!

Alguém lembra de "Labirinto de Espelhos"? É da nossa autora parceira aqui do 'Estante da Ale', a Bárbara Negrão! Faz algum tempo que eu li o livro 1, porém só agora consegui ler a continuação, não por falta de animação, mas por falta de tempo mesmo. Mas finalmente, nesse feriado dei um basta e tirei um dia para ler "Labirinto de Ilusões" e confesso que me arrependi. Sim, me arrependi de não ter lido esse livro antes. ;) 


Não se preocupe que não terá spoiler nenhum do livro anterior, apenas preciso colocar para fora esse turbilhão de sentimentos e te convencer a correr para ler. Caso queira conhecer melhor a história, só clicar AQUI que teremos um resenha completa do primeiro volume da trilogia.



Minha leitura já começou agradando quando li a sinopse: "Com as revelações feitas recentemente Eva se sente em um labirinto de ilusões sem ter certeza de qual será seu próximo passo." Ou seja, já deu para perceber que seria um livro cheeeeio de emoção e com uma intensidade fortíssima. BINGO. Nós continuamos acompanhando Eva e Willian nessa jornada de sobrevivência, porém com muito mais agilidade, não sei se por eu já conhecer a premissa e os personagens ou porque senti a animação da autora em cada página. Uma viagem para o outro lado do mundo e novos personagens trazem uma excitação ao leitor e com as várias reviravoltas você se vê preso até terminar aquela história. Ou como no meu caso, já querendo o livro 3 para ontem. Que final!

Nunca escondi meu amor pelo Will, é um grande crush literário e mesmo com a presença de Lucius (sexy!), Will me conquistou ainda mais. #TeamWill até o final! Adorei conhecer a sociedade do personagem e até a presença de Edgar agregou positivamente a história. Outro ponto importante, é a presença de uma protagonista honesta com seus sentimentos, mesmo não sendo compreensiva muitas vezes, gosto da Eva como ela é, principalmente a questão das rosas (não vou citar o que é, porque viraria spoiler, rs). 


Sendo assim, acho que vocês perceberam o quanto eu amei essa experiência! Ler "Labirinto de Ilusões" me transportou para um mundo mágico e diferente do que eu esperava, confesso. Os segundos livros nem sempre conseguem manter um bom nível quando o primeiro agrada muito, mas a Bárbara fez um trabalho tão incrível que merece aplausos. Fico triste por não tê-la encontrado na Bienal desse ano, mas já vamos marcar para 2018, porque preciso parabenizá-la pessoalmente.

Ação e romance na medida certa, "Labirinto de Ilusões" é uma chuva de sentimentos, é uma aventura que conquistará você. Vem conhecer a obra, tem um preço super especial no site da Amazon para você não ter desculpas, hein? 


Conhecia a obra? Ficou animado (a)? Me conta nos comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5)

- Alessandra Salvia

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Resenha: Harry Potter e a Criança Amaldiçoada

Olá amores!

Essa talvez seja a resenha mais difícil que eu farei na minha vida. É exagero? Drama? Não, não é. Só quem ama Harry Potter entenderá o que estou dizendo. Foram anos de sofrimento e espera de um próximo livro e quando o último foi publicado em 2007, a dor ficou mais forte, afinal, não teríamos outra continuação da saga mágica. Ok, mas tínhamos os filmes, já era um consolo, certo? Errado! 2010 foi o ano que nos despedimos de Harry, Rony e Hermione nas telonas. Depois daquele momento épico divido em duas partes nada foi igual, J. K. Rowling soltava várias informações no Pottermore, mas esporadicamente e nada aquecia o coração do Potterhead. Até que surgiu a notícia mais incrível que poderíamos ter: "Harry Potter e a Criança Amaldiçoada"


A história que acontece 19 anos após a batalha de Hogwarts foi escrita originalmente para um teatro, tanto que o livro não possui uma narrativa comum, não temos a famosa e gostosa escrita de J.K, temos a essência sim, mas não a fluidez e detalhamento típico da autora. O livro funciona porque você já tem em mente como tudo é, a base lhe foi dada, agora você mesmo utiliza a sua imaginação para construir os cenários e características de cada personagem. Muitos não gostaram e não nego que eu gostaria de um livro mais extenso e completo, mas achei uma experiência bem diferente. Faltou ligação entre cenas e alguns fatos passaram rápido demais, porém eu, como uma leitora ávida, acho que a proposta que nos foi apresentada funcionou. E vou dizer mais, se tivesse mais pensamentos talvez eu começasse a sentir raiva de Alvo, o filho de Harry e Gina.


Bom, vamos falar um pouco sobre o enredo em si? Temos nossos queridos personagens de volta e essa emoção é única. Eles estão fieis àquilo que foram, não temos uma mudança de personalidade e talvez seja essa coerência que fez a diferença para o livro me emocionar. Vi aquelas crianças se tornarem adultos, eu cresci com eles, sinto-me parte da aventura e saber que eles tiveram um futuro de sucesso me empolga ainda mais.

Os protagonistas desse novo capítulo são Alvo Severo Potter e Escórpio Malfoy. E eu nunca pensei em dizer isso, mas eu gostei de um Malfoy mais do que um Potter, rs. Ambos vão para um aventura baseada no passado, os garotos encontram um vira-tempo e voltam para tentar salvar Cedrico Digory. Com isso, já deu para perceber que teremos muitas referências da história original e é aí que você se prende. É impossível se manter  impassível.


Cai de cabeça naquelas páginas. Devorei cada palavra e cheguei ao final ao meio de lágrimas. Não tenho como não classificar a leitura como FAVORITA! É envolvente, emocionante, é nostálgico. Não queria me despedir novamente e por mim, a saga seria eterna. <3

Sendo assim, eu dou início a uma nova série de postagens aqui no 'Estante da Ale'. A próxima será sobre "Animais Fantásticos e Onde Habitam" já que o lançamento está próximo, porém farei a resenha de TODOS os livros de Harry Potter, acho que será bem bacana para os fãs conversarem sobre e para quem ainda não conhece se animar a ler também! O que acham?


Escrito por J.K. Rowlind, John Tiffany e Jack Thorne, "Harry Potter e a Criança Amaldiçoada" veio para coroar e matar a saudade do mundo mágico. Não seja trouxa, corre para ler! (Ok, péssima piada, rs). Deixe seu comentário e me conte se você é apaixonado pelos bruxos!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia

sábado, 12 de novembro de 2016

As Melhores Frases das Séries

Olá pessoas!

Quem nunca assistiu uma série e percebeu que uma frase específica ficou marcada? Fico pensando se fosse para descrever nossas séries favoritas com poucas palavras, seriam essas frases que usaríamos. Então, resolvi selecionar algumas falas de personagens que caracterizam muito bem aquilo que eu assisto... 

1 - Pretty Little Liars utiliza a palavra 'bitch' (vadia) para tuuuudo e o famoso - A caracteriza todas as temporadas:


2 - The Vampire Diaries tem uma cena específica que marcou os fãs. Elena pode não estar mais na série, mas ela retrata o desespero nessa última temporada:



3 - Stranger Things pode ser caracterizada pelo sorriso do personagem Dustin, mas essa frase se tornou única:



4 - Mr. Robot e seu famoso texto inspirador de Fucky Society:



5 - Em Arrow, poderia citar o 'My name is Oliver Queen', porém acredito que temos outro clássico:



6 - Em Game of Thornes não tem nem discussão, não é?



7 - E a de Friends?



8 - Em Teen Wolf, não escolhi uma frase, mas sim uma cena icônica que se repete diversas vezes e é sinônimo de grandes problemas: Lydia gritando!



9 - Orphan Black tem uma palavra que deve ser a que mais amo quando é dita:



10 - E para fechar com chave de ouro: Sense8 que não é frase, nem palavra e sim uma música:


E o que acharam? Deixe nos comentários quais séries faltaram no post e como vocês a caracterizariam. Vou adorar receber mais dicas!

- Ale