terça-feira, 26 de janeiro de 2021

Série: Fate - A Saga Winx - Season 1

Olá amores,

Recentemente, a Netflix lançou a primeira temporada de sua nova série: "Fate - A Saga Winx" e eu vim contar um pouquinho do que achei para vocês!


Se você é como eu, que já está chegando na casa dos 30, talvez não conheça, mas há um desenho animado que ficou bem conhecido nos anos 2000 (conforme pesquisas, o desenho estreou em 2004, então eu já tinha 13 anos e estava vendo Rebelde nessa época, rs), o Clube das Winx, um grupo de amigas fadas que frequentam uma escola especial mágica e que aperfeiçoam seus poderes para lutarem contra o mal. No caso da  série na Netflix, existem os Queimados, criaturas que matam sem piedade. Bloom, Stella, Musa, Terra e Aisha (que eu acho que seria Layla no original) são nosso grupo principal e juntas, construirão esse envolvente e místico mundo.


Confesso para vocês que por ser baseado em um desenho, esperava algo mais infantilizado, o que não aconteceu. Existe sim aquela pegada mais obscura e com segredos a serem descobertos a cada episósio, mas também não é uma série adulta. É algo jovem, que busca confortar aquele público órfão de 'Sabrina' (eu sei, ainda não trouxe a crítica da temporada final por motivos de procrastinação). Agora, se isso funciona é outro ponto que precisamos discutir...

Bom, uma resposta curta é que 'sim, a série funciona' e me agradou bastante. A resposta longa é que novamente temos uma protagonista egoísta, fazendo besteira atrás de besteira e o resto do elenco passando pano para ela. Paralelo a isso, a série consegue te prender no sofá e te faz maratonar os 6 episódios num suspiro. Cada um tem cerca de 50 minutos e não ficou cansativo. O elenco não é lá muito bem desenvolto só que cumpre seu papel. Minhas favoritas são Musa (com seu poder na mente) e Stella (poder da luz e por ter esse lado irônico e amável ao mesmo tempo, perfeita, zero defeitos). O casal Musa e Sam, com certeza, foi uma grande e feliz supresa, mas não tiro o brilho de Sky, não queria que ele ficasse com a chata da Bloom, mas fazer o que... Ah, e shippo muito Terra com Riven, me julguem! kkkkk

O enredo é até que previsível, mas tem bons arcos e reviravoltas. Não é aquela série que mudará sua vida, é aquela que vai te dar boas horas de entretenimento e que te fará torcer por uma renovação. Eu, particularmente, aposto que ela virá logo logo. O gancho do episódio final foi muito bom e promete 'fogo no parquinho'. E por falar em fogo... Os efeitos da série vinham tão bem e foram horríveis no 01x06, achei desnecessário...


A diversidade é um ponto a ser destacado na série, mesmo trabalhando estereótipos de uma maneira bem superficial. Aisha é um exemplo. Ela poderia BRILHAR na série e só entrou em declínio. Aliás, muitas oportunidades foram desperdiçadas aqui. Outro exemplo, é a vergonha que Terra tem de seu corpo por ser gordinha. Queria mais discussão, não apenas colocar ali como algo subjetivo.

Eu sei, estou falando muita coisa negativa, mas eu realmente gostei! kkkk Foi gostoso de ver, envolvente e eu queria entrar pela televisão para dar uns chacoalhões em todos! kkkkkkk Eu super recomendo para quem gosta do meu famoso 'é ruim, mas é bom', tá? Se joga na maratona que é rápida e deixará o gostinho de quero mais!

P.S.: Para quem acha que conhece a atriz que faz Bloom de algum lugar, ela se chama Abigail Cowen e interpreta a Dorcas, irmã de Prudence e Agatha em 'O Mundo Sombrio de Sabrina'.


"Fate - A Saga Winx" é uma mistura de romance adolescente com aventura e mistério. Uma adolescente em busca de sua origem que tem tudo para ser clichê e mesmo assim, cumpre seu papel.  Já assistiram? Estão animados para assistir? Deixem seus comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

domingo, 24 de janeiro de 2021

Livro: Quando um Amor Floresce

Olá amores, como estão?

Hoje, a resenha é de uma obra que mora no meu coração. Tive o prazer de ser leitora beta de "Quando um Amor Floresce" da Uiara Barzzotto e agora, com seu lançamento oficial na Amazon, vim contar um pouquinho sobre minha leitura...


A história que conheceremos nesse livro é sobre Heloísa e Alex. A primeira vista, um "age gap" (diferença de idade) pode chamar sua atenção, mas não é a verdadeira mensagem da obra. Aqui, falaremos sobre a trajetória de uma mulher forte e emponderada, que mesmo diante das adversidades encontra apoio e carinho em um homem que a enxerga como ela realmente é, que lhe dá exatamente o que ela precisa. É um livro sobre a coragem de Helô, que tem problemas reais e naturais, como eu, como você, como nossa melhor amiga.

E por mais que Alex tenha o senso de proteção forte, é por amá-la, não por insegurança ou posse. Ele, com certeza, seria um dos mocinhos literários que eu traria para a realidade sem pensar duas vezes. O coração desse rapaz é de um altruísmo, de uma pureza tão grande que queria ele para mim! 

Em contrapartida, assumo que se tem alguém que o merece é Helô. Eu a admiro demais e a vejo como real, sabe? Ela luta pelo que quer, ela tem uma família 'gente como a gente', ela sofre, ela sorri, ela enfrenta uma sociedade e seus padrões para conseguir viver um grande amor, ela assume não ser perfeita e dá a volta por cima. Helô merece ser chamada de protagonista. Ela representa muito.

Outro ponto abordado aqui são os relacionamentos abusivos e o quão grande e perigoso esse tipo de envolvimentoo pode vir a se tornar se você não souber a importância de pedir ajuda. Não existe culpa, temos que ter empatia e mostrar que essas mulheres não estão sozinhas.


Falando também da escrita da Uiara, vejo o claro amadurecimento e aprofundamento da história. É uma escrita equilibrada e muito fluída, com temas relevantes, mas não pesados. É algo que te traz uma esperança, um sorriso bobo no rosto. Personagens tão cativantes que conquistam o leitor desde o primeiro capítulo!

Ah, aproveito esse espaço para pedir formalmente e em público: Uiara, minha amiga querida que mora no meu coração, por favor, você pode escrever um livro completo do Pedro? Obrigada, de nada. 😌


"Quando um Amor Floresce" é uma obra que nos mostra o verdadeiro significado de amor e família. Nos mostra o que é ser mulher e ter que enfrentar os padrões impostos pelos outros e conciliá-los com os sonhos e desejos pessoais. Um romance que vai aquecer seu coração. 

 

 Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

quinta-feira, 21 de janeiro de 2021

Words Challenge 2021 - Relacionamento por Conveniência

Olá amores,

Hoje, damos o pontapé inicial no Words Challenge 2021! A temática é relacionamento por conveniência e eu usei o caminho do 'casamento arranjado', espero que gostem do meu clichê e da versão da Pâmela que já foi postada lá no Interrupted Dreamer. Ah, e as palavras impostas para esse texto foram: sorvete, carpete, dados, borracha, bravura e cinza. Espero que gostem do resultado!

Words Challenge 2021 - Relacionamento por Conveniência

"Sentei à mesa da sala de jantar com um pote de sorvete nas mãos. Eric andava de um lado para o outro citando os prós e os contras de nos casarmos de mentirinha. Ele, conseguiria acesso a herança da família e eu um status no trabalho para ser promovida. É... Eu sei, meu chefe é um idiota machista que acredita que mulheres são seres inferiores e que precisam de um homem para ter propósito na vida. Reviro os olhos só de lembrar no quanto ele é irritante.

- Ana Elisa, você está revirando os olhos para mim? - Eric interrompe meus pensamentos com o semblante irritado. 
- Não, claro que não, pode continuar sua análise, estou apenas pensando em como sorvete de pistache é maravilhoso... - minto, não estou afim de ouvir todo seu monólogo sobre o quanto o mundo corporativo é conservador.
- Sério mesmo que você está preferindo sorvete ao seu futuro? - ele realmente parece indignado.
- Não é meu futuro, Eric. Vamos casar, permanecemos assim por 1, ou no máximo 2 anos, e cada um vai para seu lado, sem ressentimentos, sem brigas ou maiores danos. 
- Nossa, como você é fria... Você não acha que pelo menos deveria conhecer meus planos para nós?
- Planos? Que planos? Não precisamos escolher se nosso carpete será cinza ou verde limão. Precisamos apenas de uma data de entrada e outra de saída. Ambos sabemos que esse relacionamento é um acordo.
- Ana... Olha, eu sei que fui totalmente insensível ao mencionar essa ideia. Peço desculpas se você se sente...
- Parte de um negócio? Um negócio totalmente inaceitável perante os olhos dos meus pais? Olha Eric, eu entendo o quanto isso será vantajoso e por isso estou aqui, preciso conseguir a promoção, mas nem por um momento pense que sou comprável ou que estamos em um ato de bravura contra o sistema. Estamos enganando a todos e se alguém descobrir, eu perco totalmente minha credibilidade como jornalista investigativa.
- Eu sei, tenho muito a perder também. E se eu pudesse passava uma borracha em tudo o que vivemos e...
- Nem venha com essa ideia de "começar do zero". Recomeços não são possíveis quando temos tanto ressentimento no coração. E por mais que eu tenha te perdoado, não tenho como esquecer, Eric. Não sou uma máquina dessas que você programa diariamente.
- Sinto muito.

É o que ele diz. Ele nem tenta se justificar. Não mais. Levanto da mesa indo até a cozinha guardar o restante do sorvete. Já não o quero mais. Quando fecho o freezer, ele está ao lado da geladeira me olhando como se precisasse que eu o respondesse:

- Eu sei que sente. 
- Por favor, Ana, vamos recomeçar?
- Claro, você quer meus dados pessoais para o contrato pré-nupcial? Estou disponivel na quinta-feira às 11h para assinar.
- Você sabe o que eu quis dizer. 
- Sei e a resposta para essa pergunta continua sendo não. Vamos casar simplesmente porque precisamos, não é por amor, Eric. Por favor, tenha isso em mente. Eu não te amo mais.

Na mesma hora em que as palavras saem da minha boca, eu sinto o coração apertar. Estou mentindo para ele ou para mim mesma? Ah, tanto faz. Eu só não posso cair nesse joguinho de palavras bonitas e olhares doces. 

- Vou te provar que mudei, Ana. Eu te prometo. - ele prende alguns fios de cabelo que insistem em cair sob meus olhos.
- Eu já ouvi isso antes.
- Seja pelo menos minha amiga, por favor. - ele suplica e se aproxima mais.
- Pelo que me lembro, você quer que eu seja sua esposa, não é isso?
- Quem disse que melhores amigos não podem ter relacionamentos amorosos?
- Amigos também podem machucar uns aos outros, Eric.   

Vejo a decepção o atingindo. Eu deveria estar orgulhosa de mim mesma, mas não estou. A dor também me invade e abaixo o olhar para ver o relógio em seu pulso. O relógio que o dei de presente há alguns anos atrás, um pequeno objeto para lembrá-lo de que sempre haverá tempo para a esperança. 

Sei que ele percebe o rumo de meus pensamentos, porque toca meu pulso com cuidado. Eu perco o ar com a corrente elétrica que sinto passando pelo meu corpo. Droga, ele também sentiu, tenho certeza. Levanto o rosto e miro sua expressão de desejo. 

- Ana... 
- Eric. 

Ele me beija e eu cedo a tentação."




- Alessandra Salvia

terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Séries Abandonadas

Olá amores,

Hoje, a postagem vai ser um pouco diferente, geralmente eu indico séries que eu gosto (ou não), mas que eu finalizei, que eu insisti e cheguei (pelo menos) ao final da temporada. Porém, tem algumas que simplesmente não dá e eu vim falar delas hoje. Engraçado que a maioria é sucesso entre o público, só que para mim, elas simplesmente não funcionaram:


1) "Lost":


Foi uma das primeiras séries que tentei maratonar na Netflix, mas algo não fluiu. Até hoje, não sei exatamente o que não me prendeu e olha que eu não tinha pego spoiler, só descobri o final porque procurei no youtube já que tinha certeza de que não conseguiria concluí-la. Nesse caso, não sai da primeira temporada, mas entendo o que a obra representa para os seriadores de plantão, aceito que ela foi um divisor de águas e que deu mais visibilidade a esse tipo de produção.

2) "Two and a Half Men":

Quando eu namorava, fui obrigada a assistir por motivos de: amor pede sacrifícios. Porém, não consegui ir até o fim de tanto ranço que eu tenho, acho a série machista e sem graça, apelativa e diversos momentos são desnecessários. Não sei onde aquilo é comédia, já que muitas vezes usa esterótipos e piadas de mal gosto para inferiorizar o outro, principalmente mulheres. É o tipo de série que se passa na Warner, eu pulo o canal só para não ter que ver o elenco. Coloquei até uma imagem da temporada com o Ashton Kutcher porque não sou obrigada a colocar o primeiro ator aqui. rs

3) "La Casa de Papel":

Sucesso com a crítica. Sucesso nas redes sociais. Sucesso entre quase todos os meus amigos. E eu não consegui sair da primeira temporada. Conforme as temporadas avançaram, eu peguei todos os spoilers possíveis e imagináveis e com isso, só tive certeza de que a série não é meu estilo. Eu simplesmente penso que "é mais do mesmo", não sinto vontade alguma de retornar, quem sabe quando o hype passar, eu volte dar uma chance...

4) "Desejo Sombrio":

Essa foi minha decepção mais recente. Eu geralmente amo suspense misturado com romance, porém infelizmente, achei todo o enredo apelativo e irritante. Ao invés de nos dar pistas ou nos fisgar pelo assassinato misterioso, a série vai a passos de formiga e usa as cenas de sexo como recurso para prender a atenção do telespectador. Os poucos episódios que vi, o elenco não me convenceu e mesmo tendo começado a ver pela Maite Perroni, não consegui persistir. Vale dizer que são 18 episódios e a série já foi renovada, caso queira assistir, vá consciente da enrolação, rs.

Agora, quero saber de vocês: qual série vocês não aguentaram e acabaram abandonando? Deixem seus comentários!

- Alessandra Salvia

domingo, 17 de janeiro de 2021

Livro: O Impulso

Olá amores,

Recentemente, fui convidada pela Editora Paralela para ler a prova antecipada do grande lançamento do ano: "O Impulso" da Ashley Audrain, seu livro de estreia que já foi vendido para mais de 25 países e será adaptado para as telonas em breve!


A história é sobre Blythe Connor: negligenciada na infância e que agora, já adulta, precisa aprender a lidar com a maternidade e seus sentimentos conflituosos. São idas e vindas no tempo para construir um enredo que traz discussões importantes, como por exemplo, relações e traumas familiares, gaslighting e abandono afetivo.

Entendo que a primeira vista não é um livro com uma temática simples, ou atrativa para todos os públicos, porém a forma como ele nos é apresentado, como os assuntos são abordados, é o que torna a obra relevante, e não apenas para as mães, mas como para as mulheres em geral e também para os homens. O enredo tem o poder de envolver e nos fazer enxergar o lado maternal de uma maneira crua e zero romantizada. Além, é claro, de trazer um suspense gradual e que prende sua atenção até o último minuto.

Confesso que grande parte desse ótimo ritmo de leitura se deve ao belíssimo trabalho da escrita da autora. Ouso dizer que ela até tem uma forma bem poética de transmitir sentimentos controversos. Ela aborda o fato de ser mãe de uma maneira direta, com fragilidades e humanizada. Até mesmo o relacionamento marido e mulher é caracterizado de uma forma bem honesta, já que a todo momento vemos que sentimentos evoluem, seja positiva ou negativamente. 

Pessoalmente, eu não gosto de Fox, o marido de Blythe, o acho um idiota alienado, enquanto a filha deles, Violet, cresce a margem, sem limites ou atenção suficientes. Bom, isso não quer dizer que isento Blythe da culpa, não. Na verdade, acredito que todos ali tem problemas e precisam de terapia urgentemente! Só assim para salvar essa família e mesmo assim, ainda tenho minhas dúvidas de que seja possível, rs.


Agora, falando um pouco sobre como me senti num âmbito geral, vejo a história bem linear e não tive aquele momento surpreendente. Não tenho nada para criticar a obra ou classificá-la com uma nota baixa, não é isso. Eu apenas não fui atingida da maneira como esperava. Vi tanta gente elogiando, dizendo que era o livro do ano, que era uma obra sensacional e tal, mas para mim foi uma boa experiência. Só. Não foi o tipo de leitura que me fez perder o fôlego, como o hype está dizendo.

Hype.. Acho que é esse o problema. Se você ler por si só, procurando um thriller psicólógico, cheio de dramas e problemáticas familiares, "O Impulso" será o livro perfeito! A partir do momento que você aposta todas as suas fichas nessa leitura, as coisas podem desandar um pouco... 

Entretanto, volto a dizer: nada desabona o livro. Muito pelo contrário. É uma obra muito boa, que deixa o leitor preso e possui um final satisfatório. Aliás, falando do final, digo que se tivesse um capítulo a mais, eu não iria reclamar, porque quando a coisa chega onde eu queria, puf, acaba. Mas entendo que o timming foi certeiro. A autora te dá a resposta e como num filme a tela escurece, informando o fim. Gostei bastante! 


Eita. Acho que já falei demais, né? rs Vou finalizar a resenha por aqui e com certeza indico a leitura para vocês. "O Impulso" é um drama psicológico perfeito para fãs do gênero e até para quem quer se aventurar em uma história ficcional que parece realidade. O livro está em pré venda e abaixo, deixo o link para quem quiser adquirí-lo:

 

Lembrem-se de deixarem seus comentários com suas opiniões. Gostaram da dica de hoje? Querem ler a obra? Ah, e também aproveito o espaço para agradecer a Editora Paralela por me enviar a prova antecipada do livro, mesmo sem ser a edição final, a capa está linda e foi super confortável de se ler.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Lançamentos Janeiro/2021

Olá amores, como vocês estão?

Hoje, vamos falar dos lançamentos de Janeiro/2021! Estou animada para contar as novidades a vocês e abaixo segue alguns dos destaques, são livros que estou de olho e que em breve, ganharão resenha completa.

Editora The Gift Box 

Ash - Jane Harvey Berrick - Data 15/01/2021

Sinopse: "DANÇA. Armas.

MÚSICA. Balas.

RITMO. Dor.

 

Música na minha cabeça, dança no meu corpo, e o ritmo do meu coração.

Até que ponto você é capaz de ruir em apenas um mês? Com que rapidez o espírito humano pode ser destruído? Onde o mal se esconde em plena vista?

Ash quer dançar. Precisa disso. Abandonar uma vida de expectativa e obrigações, libertar sua alma.

Mas a vida nunca é descomplicada. Cada passo é uma jornada em um novo caminho.

 

Para toda a ação, existe uma reação.

Toda escolha tem uma consequência.

E quando você conhece a pessoa errada, tudo pode acontecer.

Laney tolera suas limitações, pressionando devagar os limites. Mas quando Ash colide em seu mundo com raiva e violência, provoca uma reação em cadeia que nenhum deles esperava.

 

* * * * * *

 

Uma história de amor nos lugares mais sombrios, no momento mais desesperador.

 

Quando o dançarino Ash chega a Las Vegas da Eslovênia, sua terra natal, fica surpreso ao ter seu passaporte retido imediatamente pelos chefes russos. Não fazia a menor ideia de que estaria trabalhando para mafiosos sem coração e sem alma. Ele é preso, obrigado a fazer coisas desprezíveis e que o lançam em um desespero sufocante e desesperador. 

 

Laney está em Las Vegas para um fim de semana com as amigas. Ela não tem ideia do perigo em que está prestes a tropeçar. Mas quando conhece Ash, vê uma alma sofrida e decide ajudá-lo – independente do quanto isso vai custar para ela...

 

* * * * * *

Este livro contém cenas que alguns leitores podem achar angustiantes e não é indicado para menores de 18 anos.

 

Os criminosos dessa história NÃO são homens que amam suas mães, vilões nobres ou colocam a família em primeiro lugar, mas sim, monstros do crime organizado que lucram explorando a miséria da humanidade."


Link de Compra


Editora Bezz



Vicious - L.J.Shen - 08/01/2021


Sinopse: "Emilia

Dizem que amor e ódio são os mesmos sentimentos vividos em situações diferentes, e é verdade.

O homem que aparece em meus devaneios, também me assombra em meus pesadelos.

Ele é um advogado brilhante.

Um criminoso habilidoso.

Um lindo mentiroso.

Valentão e salvador, monstro e amante.

Dez anos atrás, ele me fez fugir da pequena cidade onde morávamos. Agora, ele veio atrás de mim em Nova York e não vai embora enquanto não conseguir o que quer.

 

Vicious

Ela é uma artista ávida.

Bonita e sutil como a flor de cerejeira.

Dez anos atrás, ela invadiu minha vida sem avisar e virou tudo de cabeça para baixo.

E pagou o preço.

Emilia LeBlanc não é para mim, é a ex-namorada do meu melhor amigo. A mulher que conhece meu segredo mais sombrio, é a filha dos empregados que contratamos para cuidar de nossa propriedade.

Só isso já deveria ser um enorme NÃO, mas, quem disse...?

Ela me odeia. Não estou nem aí.

É melhor que ela se acostume comigo."


Link de Compra


Editora Paralela


O Impulso - Ashley Audrain - Data 22/01/2021


Sinopse: "O que você faria se seus filhos não fossem quem você esperava? O impulso é o romance mais viciante do ano, uma leitura que irá questionar tudo o que assumimos sobre maternidade, sobre aquilo que devemos aos nossos filhos e sobre o que acontece quando deixamos de acreditar em mulheres cujas histórias são incômodas.


Blythe Connor está decidida a ser a mãe perfeita, calorosa e acolhedora que nunca teve. Porém, no começo exaustivo da maternidade, ela descobre que sua filha Violet não se comporta como a maioria das crianças. Ou ela estaria imaginando? Seu marido Fox está certo de que é tudo fruto do cansaço e que essa é apenas uma fase difícil.


Conforme seus medos são ignorados, Blythe começa a duvidar da própria sanidade. Mas quando nasce Sam, o segundo filho do casal, a experiência de Blythe é completamente diferente, e até Violet parece se dar bem com o irmãozinho. Bem no momento em que a vida parecia estar finalmente se ajustando, um grave acidente faz tudo sair dos trilhos, e Blythe é obrigada a confrontar a verdade.
Neste eletrizante romance de estreia, Ashley Audrain escreve com maestria sobre o que os laços de família escondem e os dilemas invisíveis da maternidade, nos convidando a refletir: até onde precisamos ir para questionar aquilo em que acreditamos?"




Editora Arqueiro


O Clube do Livro dos Homens (Lyssa Kay Adams) - Data 22/01/2021

Sinopse: "A primeira regra do clube do livro é: não fale sobre o clube do livro

Gavin Scott é um astro do beisebol, devotado ao esporte. No auge de sua carreira, ele descobre um segredo humilhante: a esposa, Thea, sempre fingiu ter prazer na cama. Magoado, Gavin para de falar com ela e acaba piorando o relacionamento, que já vinha se deteriorando. Quando Thea pede o divórcio, ele percebe que o orgulho e o medo podem fazê-lo perder tudo.

Bem-vindos ao Clube do Livro dos Homens

Desesperado, Gavin encontra ajuda onde menos espera: um clube secreto de romances, composto por alguns dos seus colegas de time. Para salvar seu casamento, eles recorrem à leitura de uma sensual trama de época, Cortejando a condessa. Só que vai ser preciso muito mais do que palavras floreadas e gestos grandiosos para que Gavin recupere a confiança da esposa."


Então, quais dos livros mais empolgam vocês? Logo logo já teremos resenha de "O Impulso"!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 12 de janeiro de 2021

Série: Outer Banks - Season 1

Olá amores,

Eu sei, Outer Banks já foi lançada no ano passado, mas eu só consegui assistir recentemente e por isso eu vim conversar um pouco sobre ela. Não se preocupem, não teremos spoilers!


Se você ainda não conhece, explico que o principal foco dessa temporada é em John B e a busca por seu pai que desapareceu misteriosamente, após se envolver na busca por um ouro antigo, perdido após um naufrágio. É uma sociedade dividida por classes sociais que aborda temáticas como ganância, privilégios e problemas familiares.


A série tem uma pegada teen com um elenco jovem fazendo besteira atrás de besteira, além daquele toque de romance para deixar tudo mais leve. Ou seja, é o tipo clássico de série que posso classificar como: é ruim, mas é bom. KKKKKKKKKK Ah pessoas, podem ser sinceras, eu gosto de coisa ruim e nem me importo de ser julgada! Eu adoroooo essa mistura de temas para entregar apenas uma história de amor bem melodramática. Entendo que a série tem problemas, mas eu gostei.  Simples assim.

E se querem saber quais são esses problemas, digo que muitas vezes a história peca por ficar sempre na superfície dos temas que aborda. Não tem nenhum fechamento por completo, não tem nenhum grande desenvolvimento. É para ser juvenil mesmo. Agora, o que me fez não dar nota máxima foi os furos de enredo. Isso sim é um problema, porque por mais que o público aceite algo mais leve, isso não significa que o público é burro. Tem diversos pontos que acontecem no início e do nada, são ignorados. 

Ok, você pode até pensar que na segunda temporada teremos essas respostas, mas eu duvido, porque os tais personagens que apareceram e não tiveram explicação até já morreram! A história tomou outro rumo e por mais que tenhamos a continuação confirmada, arrisco dizer que outros personagens vão desaparecer da mesma maneira. 

Meu favorito é o JJ, meu menino inconsequente tem muitos problemas familiares e eu só quero que ele seja feliz. Por favor, Netflix, nunca te pedi nada hoje! Admito que eu shippo mais JJ e Kiara do que Kiara e Pope. Ah, e falando na Kiara, gosto bastante da série tratar o relacionamento de Kiara e Sarah de uma maneira madura, mostrando que garotas não precisam ser necessariamente rivais, elas podem ter problemas, mas também pode perdoar, podem se unir


Sobre Sarah e John B? Aiiii, não vou mentir, assisto por eles sim e ao saber que os atores são um casal na vida real, só me fez surtar ainda mais por eles!


Seguindo os atores nas redes sociais, sabemos que a season 2 está por vir! Não temos nenhuma data confirmada pela Netflix, mas assim que tivermos, venho contar para vocês. 

Espero que tenham gostado da dica de hoje, mesmo sendo um pouco tardia. Acho que nos faltam séries despretenciosas assim, que a gente assiste só para aliviar a mente, aliviar a tensão do dia a dia. Já assistiram Outer Banks? Querem assistir? Contem-me nos comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia