domingo, 26 de janeiro de 2020

Livro: Todas as Suas (Im)Perfeições

Olá amores,

Estão bem? Hoje, trouxe um dos meus livros favoritos de 2019 que foi lido bem no finalzinho do ano: "Todas as Suas (Im)Perfeições" da Colleen Hoover publicado pela Galera Record.


Logo de início, preciso fazer uma observação em relação a temática central do livro sem spoilers: o livro foi lançado pela Galera Record, o selo jovem do Grupo Editorial Record, só que o livro não é uma temática jovem. Falo por experiência própria, se eu tivesse lido aos 15 anos, não estaria tão impactada como estou hoje, aos 28. E parte da beleza da obra, é você ler no escuro, viu? O que você precisa saber é: Quinn e Graham se conheceram quando os respectivos noivos os traíram e agora são marido e mulher passando por adversidades para formarem uma família.

Acredito que esse seja o livro mais 'calmo' da Colleen. Quem já leu algo da autora, sabe que ela usa grandes reviravoltas para impactar o leitor, porém aqui tudo é linear e ela utiliza o diálogo e a reflexão pessoal como artifício central para prender o leitor, e isso não deixa o texto ser menos emocionante ou bonito! NÃO. O drama é intenso, como de costume e a maneira sincera de nos contar o que cada um dos personagens vive é o ponto chave. A honestidade de Quinn em seus desabafos destrói. O amor reprimido de Graham nos dá esperanças. 


"Se você iluminar todas as suas imperfeições, todas as suas qualidades ficarão na sombra" 


A narrativa não cansa, mesmo com a história sendo contada a flor da pele e finalmente chegou o dia em que digo: é impossível escolher apenas uma obra da Colleen como favorita. Essa mulher é MARAVILHOSA, escreve histórias incríveis, que me deixam arrepiada, descabelada e emocionada. O mundo precisa conhecê-la. Mas, digo com sinceridade: esse livro é para poucos. A carga emocional só será sentida quando você estiver em uma determinada fase da sua vida, pois já vi sim pessoas dizendo que Quinn é chata, Graham é um bobão por continuar ali mesmo sendo tratado da maneira errada... E até dou razão, pois nada justifica esses fatos, super concordo que Quinn poderia ter agido diferente, porém o que podemos fazer se cada um reage de uma maneira frente aos problemas? Quinn precisava de ajuda e grande parte dessa jornada, é para nos mostrar isso: precisamos ter empatia, precisamos nos colocar no lugar do outro.

Ai gente, e como me coloquei no lugar de Quinn... Acho que como estou tomando a consciência de que nem tudo na minha vida sairá como o planejado, eu entendo a protagonista. De maneiras e por motivos diferentes, a frustação aparece. A diferença talvez, seja que Quinn não viu as outras oportunidades que a estavam esperando. É uma bela história sobre o poder do amor e sobre como podemos reformular nossas metas e desejos em função da nossa realidade. Nem tudo será possível, mas novas oportunidades surgirão, basta estarmos dispostos a abrir os olhos e valorizar o que temos. 


Desejo que essa resenha seja um alerta para quem a ler, sobre o quanto talvez você tenha sorte em ter aquela pessoa especial em sua vida, ou talvez, em como sua família a apoia, ou não. Você pode estar triste ou frustrado por não estar casada(o) ou por estar desempregada (o). E está tudo bem. Respire fundo, viva e sinta o que estiver em seu coração. No final do dia simplesmente agradeça quem permanece contigo e recomece. Novos caminhos aparecerão para aqueles que os procurarem.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Favorito!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Livro: Um Pai de Presente

Olá amores,

Como indicação de Verônica do Minhas Escrituras, peguei o e-book "Um Pai de Presente" da Helô Delgado que foi lançado no final de 2019 na Amazon.


A história é bem clichêzinha e gostosa: a pequena Vanessa deseja mais do que tudo ganhar um papai de Natal e isso deixa a mãe Laila aterrorizada, afinal, Murilo Dako (o famoso musico bad boy) nem sonha ter uma filha de quatro anos. Porém, eis que Dako aparece em sua simples casa querendo saber toda a verdade. Como será que Laila reagirá? E Vanessa? Conquistará o coração do musico?

Já adianto: não apenas o coração de Dako foi conquistado, como o meu também! Vanessa é encantadora! Uma criança muito esperta e educada que deixa a história ainda mais doce. Sua inocência e seus comentários engraçados nos deixam com aquele sorriso bobo nos lábios. Já Laila, a mãe da garotinha, é seu oposto, mais firme e racional é o que se espera de uma mãe solteira: a fortaleza em pessoa. E mesmo disposta a tudo para proteger sua filha, Laila tem uma bondade e humanidade perceptíveis. É uma protagonista forte, emponderada e amorosa.

Agora, Dako é o personagem que mais nos surpreende, pois por mais que nos seja vendido a imagem de bad boy, ele não é assim. Quando Vanessa surge em sua vida, toda aquela marra se torna amor. E convenhamos... Quem nunca viu um rapaz marrento se transformando ao se tornar pai? É lindo de 'ver' seu esforço para permanecer e conquistar Vanessa. E aos poucos, em pequenos detalhes, ele também perceberá o valor de Laila tornando a história ainda mais apaixonante!

Ah, e a leitura é bem rapidinha, não é um livro completo com todo um desenvolvimento e profundidade, na verdade, é uma novela, um texto mais curto e ágil, mas não menos envolvente. Faço aqui uma pequena observação a autora, que se quiser escrever mais sobre esses personagens, acho super válido, meu coração pede por mais dessa linda família.

E como eu disse acima, é clichê sim e eu nem ligo, já que foi extremamente bem executado. Helô Delgado tem uma escrita impecável, é daquelas que não queremos parar até chegar ao final. Essa é sua obra mais 'leve' e foi um acerto começar por aqui. Já conclui a leitura de 'Entre Laços e Conflitos' e logo logo discutiremos sobre a abordagem do drama em suas obras, só que por enquanto, basta vocês saberem que para lhe arrancar sorrisos, "Um Pai de Presente" é perfeito! 



Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Cinema: Frozen 2

Olá amores,

Depois de 6 longos anos, finalmente chegou o momento de dizer: Frozen 2 está nos cinemas e o filme é maravilhosoooooooooooooo!


Ok, eu ainda prefiro o primeiro filme, mas o 2 não fica atrás não. Aqui, Elsa seguirá em busca da origem de seus poderes e com a ajuda de Anna, Olaf, Kristoff e Sven muitas aventuras vem por aí e um belíssimo cenário será explorado.


O que eu mais amo em Frozen permanece nessa continuação: a mensagem sobre família, amor e união está presente da maneira mais doce possível. Elsa e Anna são exemplos do amor puro e sincero, por mais que haja a abordagem do amor romântico com Anna e Kristoff, o foco é nas duas irmãs e na amizade que ambas construíram desde pequenas. Não há medos ou receios quando se trata de uma proteger a outra, há apenas cumplicidade e zelo

Os momentos de comédia de Olaf e Kristoff são o contraponto importante para quebrar toda a carga dramática que a história da família real de Arendelle que ganha até mesmo uma discussão importante sobre política e certo x errado. Coisa que talvez só um adulto perceba ao assistir ao filme, pois a criançada está plenamente focada nas belas cores e formas que a magia nos oferece. 

Frozen 2 trouxe efeitos maravilhosos, incrívelmente coloridos e bem feitos. Assisti ao filme no 3D XD e a alta resolução só deixou o visual ainda mais perfeito. O clima do filme é mais outono do que inverno, mas nem por isso deixamos de ter gelo e cristais brilhando nas telonas, viu? Só será mais equilibrado com as folhas e ventanias, rs. Ah, fique de olho no cavalo de água, o chamado Nokk deixa a cena de luta no mar muuuuito incrível!

Como disse acima, eu ainda prefiro o primeiro filme simplesmente por achar as músicas mais icônicas, sabe? Acho que faltou um momento ápice aqui, coisa que Let It Go teve. Ok, muitos podem dizer que Into the Unknown é a nova queridinha, estou até ouvindo a trilha sonora nesse momento para tentar captar toda a mensagem novamente, mas infelizmente, não adianta forçar, as músicas não me envolveram tanto. 


Não nego que toda a construção do enredo e as surpresas que ele nos traz é um belo incentivo para te levar aos cinemas, porém o grande motivo para esse filme merecer o ingresso sem dúvida é por conta de todos os efeitos e luzes. Cenas se tornam até mais emocionantes ao vermos os pequenos flocos de neve se aproximando do público. Porque  o filme pode ter classificação indicativa infantil, porém para mim, é mais do que isso. Quer uma prova? Minha sessão tinha mais adultos do que crianças, todos super envolvidos com a história. Deu até para chorar em determinadas partes!

Ah, outra coisa. Queria destacar a crise existencial no qual Olaf está passando. Ele nos traz reflexões importantes sobre amadurecimento e transformação, mesmo sem saber o que significam tais palavras, rs. Só queria lhe dar uma dica: não são só crianças que tem medos. Adultos apenas 'vão com medo mesmo', rs. 


Delicado, belíssimo e em uma crescente. Essa é a descrição que eu daria para a sequencia de Frozen. Não sei se há a possibilidade de um terceiro filme, mas gosto da ideia. Acho que essa obra mostrou o quão grande e diversificado o universo mágico pode ser e Elsa tendo mais confiança em seus poderes, me deixa animada. E mesmo Anna sendo uma humana, sua coragem e pensamento rápido são fundamentais para sustentar o filme até o seu final.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

domingo, 19 de janeiro de 2020

Livro: Uma Mulher na Escuridão

Olá amores,

Fazia tempo que não trazia um thriller dos bons para vocês, né? Mas chegou o dia! Vamos falar de "Uma Mulher na Escuridão" do Charlie Donlea publicado pela Faro Editorial.


A obra nos apresenta duas narrativas iniciais, primeiro em 2019, conheceremos a investigadora forense Rory que acabou de perder seu pai e que precisa dar continuidade à um caso no qual ele trabalhou a vida inteira: soltar um assassino. E depois, vemos a história desse assassino acontecer no ano de 1979 por trás da jovem Angela que investiga misteriosos desaparecimentos de mulheres. Porém, com o desenrolar das problemáticas, novos caminhos surgem e teremos uma história sobre família, obsessão e crueldade

Rory tem seus conflitos psicológicos tanto por ser uma pessoa mais reclusa e não gostar de contato social, quanto por ter poucos na vida com quem pode contar. Exemplo disso é que seu refúgio (além de Lane, rapaz o qual mantém um relacionamento e aceita quem ela é) é Greta, sua tia que está internada em uma casa de repouso com demência. E ao analisarmos, Angela, não é muito diferente de Rory.  Angela é obrigada pelo marido a frequentar médicos, é afastada daquilo do qual é boa e tratada como nada, mesmo sendo inteligentíssima. E quando um misterioso rapaz aparece em sua garagem, é o estopim para Angela declinar.

Falando assim, acho que você até pode achar confuso, mas não é. O autor Charlie Donlea desenha todos os personagens, ele sabe dividir a história para nada se sobrepor e ainda não nos subestima, algo que admiro muito num escritor de thrillers, ele trata o leitor como igual e nos apresenta uma história de cair o queixo. Inteligente, interessante e envolvente.



E por mais que se torne previsível a partir do meio do livro, vemos que os indícios são muito sutis, sendo sincera, para mim, a "beleza" dessa obra, nem é a descoberta do assassino e sim toda a jornada e como Rory desvenda cada parte do passado. Como Angela é corajosa e enfrenta à todos para tentar trazer a verdade a tona. Adorei o fato das mulheres serem fortes e não esperarem o príncipe encantado para serem salvas. 

Agora, em relação a edição da Faro Editorial, só elogios novamente. Não tem um livro da editora que eu critique porque a qualidade é inegável. Até a folha utilizada é mais espessa e a diagramação confortável. Ao unirmos essa edição, com a narrativa super rápida e envolvente do Donlea, o resultado é um thriller impossível de parar de ler. Perfeito para uma tarde de domingo no qual você precisa sair da monotonia. É uma leitura que empolga!



Dos livros do autor, só preciso ler "Deixada Para Trás" e confesso estar com altas expectativas. Garanto para vocês que logo mais teremos mais resenhas de thrillers e de edições maravilhosas da Faro! Só não esqueçam de me dizer o que acharam nos comentários, hein? Querem ler "Uma Mulher na Escuridão"?

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Words Challenge: 1500 - Descobrimento

Olá amores!


Estou tão feliz! Hoje, vamos dar início ao Words Challenge de 2020 que será especialmente inspirado nessa mudança de década que acontecerá de 2020 para 2021, ou seja, vamos recriar histórias que marcam diferentes datas para a humanidade, que tal? E para quem ainda não sabe o que é o Words Challenge, eu explico: eu a Pamela do blog Interrupted Dreamer criamos textos originais com diferentes palavras que uma indica a outra, e as palavras de hoje são: sombra, dificuldade, reintegrar, coração, mente e tormenta. Espero que gostem!



Words Challenge: 1500 - Descobrimento

"Fazia meeeeses que estávamos nesse sujo e empoeirado navio de madeira. Para ser mais exato, estávamos aqui há mais ou menos 44 longos dias e desde o início eu tive dificuldades até para me manter em pé. Aff... Onde eu estava com a cabeça? Quando meu tio Pedro disse que iria me trazer para essa aventura, por um momento, achei que poderia ser divertido, mas é claro que eu estava enganado. 

Ancoramos primeiro no Monte Pascoal, ou seja lá onde estávamos. Meu coração e minha mente estavam em Portugal, onde eu teria minha própria tina e uma bela refeição preparada por nossa ama. É, eu sei, não são todos os rapazes de 20 anos que sonham com a ideia de ficar limpos e terem amas para lhe darem conforto. Esses marinheiros fedorentos estão a viagem toda sem uma bela escovada. Coitada das damas que nos esperam em terra firme....

Há poucos dias atrás pegamos uma tormenta no mar e quase não saí da minha humilde cama, então quando coloco os pés naquela vegetação, me sinto um pouco estranho. Será que é o ar puro ou o colorido das flores? Respiro fundo e observo cada detalhe. Cada árvore, cara raiz, cada bichinho nas folhas. 


Pela primeira vez em muito tempo, sinto vontade de desenhar aquilo que vejo. Pego meu caderno na bolsa que sempre levo comigo juntamente com um pedaço de carvão pequeno. Ainda não sei ao certo o motivo, só sei que me sinto melhor olhando para esse emaranhado de tons de verde oliva e verde primavera banhados com o dourado do sol. Talvez seja exatamente isso que eu preciso para me reencontrar. Para me descobrir, afinal, um artista precisa de recomeços e inspiração. Inspiração. Inspiração é o que não falta nesse lugar. Preciso me reconectar com o mundo, com a natureza e quem sabe não encontro o amor da minha vida? Essa possibilidade me faz sorrir. Sou um romântico incorrigível... 

Os rapazes sobem e descem da caravela ancorada, as sombras e barulhos que fazem me tiram do mundo dos pensamentos. Decido ir explorar um pouco o local sem avisar ninguém, já que, quem estaria interessado em mim nesse momento? Valha-me Deus. Depois de eu xingá-los a maior parte do tempo, sei que estão torcendo para um mamute me comer vivo. 

Ando devagar memorizando o caminho de volta até que meus olhos encontram um grande abrigo feito de palha no meio de uma campina. Não sei se acredito que chegamos na Índia, aqui parece um lugar mais isolado, menos civilizado. 

Penas coloridas de diversos pássaros encontram-se espalhadas pelo chão, como se alguém estivesse mexendo com elas há pouco. Será que alguém está me observando? Não seria difícil, os marinheiros gritavam "TERRA À VISTA" tão alto que assustariam qualquer um. Decido retornar, vou reintegrar a equipe e vamos juntos descobrir os mistérios desse novo e belo lugar".



- Alessandra Salvia

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

Cinema: Adoráveis Mulheres

Olá amores,

Esse final de semana tive a oportunidade de assistir "Adoráveis Mulheres" no cinema, um filme que é a adaptação do livro "Mulherzinhas", o clássico escrito por Louisa May Alcott.


Contando a vida das 4 irmãs Jo, Meg, Beth e Amy, a história se passará desde a adolescência (quando o pai parte para a guerra civil americana) até a vida adulta das garotas que precisam lidar com problemáticas sociais, principalmente por serem mulheres em uma época dominada pelo machismo e por dificuldades econômicas.


Com duas horas e quinze minutos de duração, o filme é calmo e conciso. Perfeito. O roteiro emociona com sua delicadeza e relevância. As atuações completas e envolventes. "Little Women" é muito muito muito incrível e merece ser apreciado por todos os públicos.

As mensagens deixadas pela obra foram o que mais mexeram comigo: só porque seu sonho é diferente, não quer dizer que valha menos. As mulheres não precisam se contentar apenas com um bom casamento, é possível sim realizar sonhos, conquistar seu próprio espaço, conhecer o mundo. E o mais importante de tudo: seu bom coração será recompensado. Como eu amo essa família! Claro, há divergências, há muita confusão, mas elas se amam e acima de todas essas diferenças, elas são unidas. E divertidas! É impossível não se divertir com as atrapalhadas de Jo, com as frases espertas que trocam entre si e com as peças teatrais que elas mesmas fazem. 

A bondade que o filme caracteriza é pura e única. Fazia muito tempo que não assistia uma obra tão... amável, gentil e graciosa. Tem sim cenas que nos arrancam lágrimas e por mais que logo de início apareça uma citação informando que o filme será uma história feliz, a vida é feita de altos e baixos e ao retratar a vida de cada garota, vemos o quanto o sofrimento foi o responsável para o crescimento e amadurecimento de cada uma

A fotografia do filme também é belíssima! Aliás, toda a produção está de parabéns, é encantador ver cada detalhe da época sendo retratado. Para os fãs de livros, é outro ponto que quero destacar, existem cenas e citações de deixar o coração quentinho. É uma verdadeira adaptação para os amantes literários. Confesso que AINDA não li o clássico original, mas já tenho uma edição linda da Martin Claret aqui comigo e comecei a ler assim que soube que conseguiria ir ao cinema. Logo mais a resenha fazendo esse comparativo como adaptação chega por aqui.


Dirigido e estrelado por mulheres emponderadas, "Adoráveis Mulheres" não está com a merecida distribuição nos cinemas brasileiros, mas vale a pena ser assistir. Um romance, uma mensagem de esperança. A valorização da mulher e a demonstração de força mesmo perante as adversidades, pois não importa o que você deseja, nem se possui alguns defeitos, a relevância toda está no caminho que você deseja seguir. Acredite em seus sonhos e tenha a força necessária para realiza-los. É possível. ♥

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

domingo, 12 de janeiro de 2020

Livro: Ecos do Futuro - Outlander #7

Olá amores,

Estavam com saudade das resenhas de Outlander? Vamos falar hoje sobre "Ecos do Futuro" o livro sete dessa série escrita por Diana Gabaldon e publicada pela Editora Arqueiro aqui no Brasil.


Você encontrará uma cobertura completa de Outlander aqui no blog e aproveito para deixar abaixo as resenhas já disponíveis:

Resenhas dos Livros:
Outlander 1 – A Viajante do Tempo;

Crítica das Temporadas:

A resenha deste livro 7 será feita com e sem spoilers para abranger o maior público possível, já que sou aquela leitora que tem como meta propagar a palavra de Diana Gabaldon no mundo literário. E antes de começar, vou dar uma pincelada na história para quem ainda não sabe do que a série se refere: Outlander é um romance histórico com viagem no tempo e uma trama política muito bem estruturada que fará os leitores suspirarem com as cenas de amorzinho e derramarem lágrimas com a carga dramática apresentada. Claire e Jamie inicialmente são os protagonistas e conforme os anos passam, novos personagens surgem para compor toda essa trama histórica que possui como base a realidade.

Resenha SEM SPOILER:

Após minha leitura de "Um Sopro de Neve e Cinzas" ter sido tão intensa, eu confesso para vocês que esperava um pouco mais de "Ecos do Futuro". Não é um livro ruim, longe disso, é extremamente bem executado em termos de narrativa e de conteúdo, só que foi mais calmo, mais lento do que a obra anterior. Eu tive o desprazer de pegar um spoiler sobre o rumo da história e acho que isso também prejudicou um pouco a minha experiência. 

Outlander, para mim, tem que ser lido no escuro para conseguirmos aproveitar a montanha russa de emoções que ele nos proporciona. Não é fácil de entender e ter um parâmetro para seguir é importante, mas spoiler não. Talvez valha a pena uma árvore genealógica ao lado, pois a quantidade de nomes e locais pode confundir, ainda mais se você ler cada volume com grandes intervalos de tempo. Eu fiquei um pouco perdida com os dois personagens chamados William, mesmo os dois tendo núcleos diferentes, foi complicado me acostumar com os sobrenomes. Em um determinado capítulo, tive que parar de voltar tudo porque estava pensando na 'pessoa' errada, rs.

Porém, isso são detalhes perto da grandiosidade de Outlander. Mesmo após tantos livros e tantas páginas (cada livro tem cerca de 900 páginas) ainda temos conteúdo, ainda temos reviravoltas, ainda temos o que descobrir. Estamos caminhando para a revolução americana acontecer e nossos personagens são ativos nos acontecimentos, porém a vida pessoal de cada um não é deixada de lado não. Aliás, digo até que é a coisa mais interessante, os nós formados por paixonites, assassinatos e acusações de traição só deixam a gente mais fisgado a cada capítulo.

É, eu sei que a primeira vista algumas pessoas podem não gostar da ideia de acompanhar outros personagens, até porque Claire e Jamie são os queridinhos de muitos leitores. Mas essas novas abordagens só dá mais propriedade para dizer o quão grande e consolidado Outlander é. O mundo criado por Diana Gabaldon é impressionante e está em expansão. 

O próximo livro, o chamado "Escrito com Sangue do meu Próprio Coração" (título provisório, traduzido direto do inglês), não tem data para chegar aqui no Brasil mas é de se esperar que seja ainda em 2020 já que a Editora Arqueiro está lançando um livro por ano. Entretanto vale dizer que estamos com um problema, o livro 9 (título também provisório, traduzido do inglês é 'Vá Dizer as Abelhas que Fui Embora') ainda não foi lançado lá fora, estava previsto para 2019 o que (infelizmente) não aconteceu e sabe-se que a autora demora cerca de 3 anos para escrever, ou seja, por mais que o livro 9 seja lançado em 2020 e traduzido em 2021 não temos nenhuma informação sobre o livro 10 ou o fechamento da série. Quero trazer para vocês um post contando toda a ordem da saga e também detalhes sobre as séries paralelas, gostam da ideia?



Agora, vamos para a resenha COM SPOILERS:

Ai gente, nem sei por onde começar. Acho que não conheço ninguém que está acompanhando a série no mesmo ritmo que eu e fico um pouco chateada com isso, pois não tenho com quem surtar a cada reviravolta, então, dá licença que chegou o meu momento!

"Ecos do Futuro" não possui uma história linear e mais um personagem ganhou espaço, além de Jamie, Claire, jovem Ian, Brianna e Roger, agora William (o filho bastardo de Jamie) receberá seu destaque. A narração em primeira pessoa é apenas Claire que a faz e os outros são em terceira. Em momento algum isso te deixa confuso, como disse em cima, a história aqui se torna mais lenta, mas é apenas até nos localizarmos em cada uma das situações.

Admito que não me apeguei logo de cara a William, mas ele se mostrou um bom garoto e com potencial. Por incrível que pareça, um dos personagens que mais amei nesse livro foi o Jovem Ian, ele ganhou seu merecido destaque e uma história digna de Romeu e Julieta, o que era merecido, já que há tempos ele vivia sempre a margem de Brianna e Roger, né? E por falar nesse casal do futuro, não sei se foi a série de TV ou o Roger mesmo que pisou na bola, só sei que peguei um ranço dele, aff... Brianna é muito maravilhosa para ficar com esse bundão, rs. 

Jamie e Claire... Insira suspiros aqui... Meu casal está mais vivo do que nunca, com muitos dramas, perseguições, sangue e dedos costurados. Fiz uma brincadeira no twitter do blog, mas é uma verdade: um dos motivos que me faz amar Outlander é que em uma cena há juras de amor e na seguinte dedos estão sendo amputados e a descrição é toda detalhada, rs. Não espere monotonia em Outlander. Nada, nem ninguém está a salvo, rs.

Outro ponto que queria destacar é que mesmo estando no livro 7, não dá esquecimento de personagens nesse caminho. Aqui, personagens antigos voltarão para sabermos seus desfechos, saberemos como cada um está se sentindo e já que posso soltar spoiler, digo que finalmente teremos nossa querida Lallybroch de volta, mesmo que seja de maneira rápida. Será emocionante!

Em relação ao final da obra, achei um pouco rápido demais, mas se não fosse assim, eu ficaria surtada esperando o próximo livro, então ok, não vou reclamar, rs. Há pontas soltas sim e pontas importantes. O coração do leitor fica aquecido por Ian, mas pesado por Brianna. Saiba que é essa reta final da história que mais te fará sofrer.


Vi em uma entrevista que a autora coloca a temática central desse livro como "nexo". Entendo isso como um elo, como se tudo aqui fizesse sentido. E é uma verdade, por mais que Outlander sempre tenha a trama fechada e bem amarrada, em "Ecos do Futuro" novas ligações surgem e isso pode mudar todo o rumo daquilo que pensávamos que era o certo. Nem arrisco dizer o que me espera no oitavo volume... 

Espero que tenham gostado da resenha de hoje, acho que foi bem completinha e se alguém quiser conversar comigo sobre algo mais pontual, estou à disposição. Amo demais Outlander e sempre quero passar esse sentimento à vocês!

Minha Classificação:  ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia