sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Words Challenge 2018 - Fadas

Olá amores!


Hoje, escolhi a temática fadas para dar a vocês um texto com mais abertura a interpretações, afinal, a temática do Words Challenge de 2018 foi os contos de fadas, né? Então, as palavras escolhidas pela Pam do Interrupted Dreamer foram: procurando, zero, disse, lago, boca e silêncio. Vamos ver o resultado?



Words Challenge 2018 - Fadas


"O mais comum é eu levar a culpa por tudo o que acontece nesse mundo. As pessoas costumam dizer que são os meus contos que as fazem perder a fé na vida, pois após conhecerem minha idealização de amor verdadeiro, descobrem que a realidade é bem diferente. Puff... Azar o delas que não acreditam realmente no que digo... Afinal, o primeiro passo para você obter algo na sua vida é acreditar, porém esse é um segredo que ficará escondido, em silêncio no meu coração.

Para quem ainda não nos conhece, somos popularmente conhecidas como fadas, os tais pequenos seres de asas que brilham quando somos vistas entre os arbustos. Claro, gostamos de nos esconder, esse é um costume tão velho quanto nossa origem. E ouso dizer que é o que nos mantém vivas até hoje já que muita gente sai pelos bosques nos procurando e dizendo que acreditam em nosso poder. Felizmente, aprendemos que esse discurso é pura balela, sempre acabaremos em potes de vidro na estante de alguém. 

Agora, se você já nos viu, sem pretensões de nos achar, tenha a certeza da pureza de sua alma. Você foi abençoado com o poder da visão plena e se quer um conselho de amiga, te digo que deve tomar muito cuidado para não se corromper nessa sociedade em que a maldade e inveja reinam. 

Hoje, resolvi sair um pouco para observar o início da primavera, não há nenhum rastro de gelo por perto e fico feliz em dizer que os zero graus só voltam ano que vem... Voo alto e bato sem querer minhas asas em uma borboleta colorida. Dou um grito pedindo desculpas, mas não paro. Não, não agora quando algo está mexendo com meus sentidos... Um cheio doce e amargo... Um cheio de conquista e excitação... Há um toque de medo também... Vejo as margens do lago, um casal sentado sob uma toalha cor de rosa. O garoto sorri para a garota e sussurra algo sem ouvido. Os olhos dela brilham em resposta. E é nesse momento que eu sinto o calor nas minhas faces, esses humanos acreditam no amor. Se eu dissesse algo, o clima se acabaria, mas não preciso de mais nada... Eu sei. Eu sinto. Eles acreditam em mim. Eles acreditam nos contos de fadas. 

Saio voando com toda a força e rapidez que possuo em direção a eles. Paro bem em cima de suas cabeças e jogo meu pó mágico ali. É esse o momento que quero registrar. As cabeças se inclinam e suas bocas se tocam. Vejo pequenos pontos brilhando sobre o casal e tudo vale a pena. Eles acreditam e reconhecem o amor um no outro." 


Confesso que esse foi um texto delícia de escrever. E me senti feliz ao terminá-lo dessa forma. Espero de coração que vocês também tenham gostado!!! Deixem seus comentários, hein? <3

- Alessandra Salvia

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Leitura Coletiva: Sob A Luz da Escuridão

Olá amores!


Vim contar para vocês a super novidade desse final de ano: vou participar da leitura coletiva de "Sob a Luz da Escuridão" que a Ana Beatriz Brandão e a LC Agência estão organizando!


Para quem ainda não conhece, deixarei abaixo a sinopse e os links de compra (lojas físicas e online). Mas indico vocês a acompanharem as redes sociais do blog e hashtags: #LeituraColetiva #AnaBeatrizBrandão #LCAgencia #SobALuzDaEscuridão, pois faremos várias postagens sobre o andamento da leitura, inclusive, uma competidão de quotes super legal!

Sinopse: O mundo não está a salvo dos humanos. Da autora de o garoto do cachecol vermelho Guerras e destruição, causadas pela ganância de um homem, quase levaram a raça humana à extinção. Com a radiação das bombas nucleares, o DNA humano sofreu mutações e uma nova espécie surgiu: os metacromos, seres especiais, com poderes extraordinários. Em meio ao caos de um mundo pós-apocalíptico, Lollipop e Jazz são resgatadas do instituto onde eram mantidas prisioneiras. Com as memórias apagadas, elas não sabem por que estavam ali nem quem as libertou. E, enquanto buscam respostas sobre suas origens, só lhes resta lutar pela sobrevivência. Evan, um vampiro milenar, lidera com mãos de ferro uma das mais poderosas áreas do planeta. Mas quando, por obra do destino, ele reencontra a mulher que pensou estar morta há décadas, tudo desmorona e ele é obrigado a enfrentar o passado. Ana Beatriz Brandão apresenta um mundo totalmente novo ao leitor em Sob a luz da escuridão. A raça humana não é mais a mesma, novas espécies foram criadas e agora é cada um por si. Uma história eletrizante, cheia de ação, tensão e romance, que vai provocar fortes emoções no leitor. Prepare-se e escolha seu lado nessa guerra: você é um metacromo ou um Deles?

Link para compra na Amazon: AQUI;
Link para compra na Saraiva: AQUI;
Link para compra na Livraria Cultura: AQUI;
Link do Skoob: AQUI;
Instagram da Ana Beatriz Brandão: AQUI;
Facebook da Ana Beatriz Brandão: AQUI;
Instagram da LC Agência: AQUI;
Facebook da LC Agência: AQUI;

Abaixo, vou colocar fotos do super kit que recebi com livro autografado, marcador que brilha no escuro, marcador de tecido, botton e cards especiais:






Não percam essa oportunidade, vai ser uma troca super bacana e os blogs participantes estão muito animados. A leitura começará dia 17, então dá tempo de você comprar seu exemplar hein? ;)

Vocês estão prontos, metacromos?

- Alessandra Salvia


domingo, 9 de dezembro de 2018

Livro: As Mil Partes do Meu Coração

Olá meus amores,

Como é de se esperar, sempre que a Colleen Hoover lança um livro aqui no Brasil, eu corro para ler. Ela é sem dúvidas uma das minhas autoras internacionais preferidas e hoje vamos conversar sobre seu último lançamento aqui no Brasil, o chamado "As Mil Partes do Meu Coração" publicado pela Editora Galera Record.


Antes de mais nada, acho que você já deve ter ouvido falar que esse não é o melhor livro da autora, certo? Alguns até o consideram ruim. E em até certo ponto eu concordo. "As Mil Partes do Meu Coração" ou "Without Merit" (como é chamado originalmente) deixa um pouco a desejar no início da obra, temos uma demora para engatar a história, porém quando engata... Meus amigos... Os diálogos e reflexões propostas são sensacionais!

Ops, mas eu nem dei uma sinopse para vocês, né? Bom, vamos lá: a história é sobre Merit, uma adolescente que coleciona troféus de outras pessoas e que precisa guardar vários segredos de sua família. O grande problema é que ela se sente sozinha e parece que ninguém vê o mesmo que ela. A irmã tem um sério problema por se apaixonar apenas por doentes terminais. O pai traiu sua mãe e mora com a madrasta na mesma casa que toda a família. A mãe recém curada do câncer vive no porão, pois tem fobia social... Resumindo? É uma família muito diferente e complicada! rs

Então, Merit pode ser considerada quase uma bomba relógio e quando ela explodir, vários serão os atingidos. Porém, esse enredo não chega a ser confuso, acho que o problema inicial dele é o quanto as situações parecem absurdas. Eu demorei para entender onde Colleen queria chegar com os detalhes da família Voss. E posso ter demorado, mas eu entendi e o mais importante, eu consegui absorver a complexidade dos ensinamentos da história.


Nem todo erro merece uma consequência. Às vezes, a única coisa que ele merece é o perdão.

A temática central é a depressão. E quando você toma consciência disso, começa a analisar cada detalhe, cada relacionamento que é abordado. Você passar a enxergar coisas que antes não eram tão visíveis. Você começa a fazer paralelos com a sua realidade. Como por exemplo, a conversa que Merit e Sagan tem sobre como tudo nessa vida é uma competição e não é porque uma situação te impacta de uma forma, que ela terá o mesmo peso para mim. Tudo depende das experiências vividas, depende do momento em que as coisas acontecem. Depende de quem você é e do que cada coisa significa para você. 

A presença de Sagan é outro ponto que preciso destacar. O garoto é muito inteligente e gentil. Sua história de vida é forte e que poderia muito bem ser real. Acho que ele é o personagem mais sábio e impactante de todo o livro. Impossível não suspirar com os diálogos dele com Merit.

Agora, em relação a narrativa, eu não tenho o que falar. Colleen Hoover faz parecer tão fácil escrever um livro, rs. Você não se cansa, só quer ler ler ler e ler. A edição também está bonita e destaque para a parte final onde tem um roteiro para 'clube do livro', achei a ideia sensacional e por mais que eu não tenha ninguém que leu essa obra para conversar comigo, eu mesma fiz uma análise sobre cada item apontado. Gostei muito, é uma coisa que mais obras deveriam ter!



E posso te garantir que se pudesse falaria mais um montão sobre "As Mil Partes do Meu Coração". Uma obra sensível, forte, com excelentes quotes e que se faz necessária por sua mensagem. Colleen Hoover nunca me decepciona!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Filmes Natalinos 2018 - Parte 2

Olá amores!

Vamos conhecer mais filmes natalinos disponíveis na Netflix? Essa é a coluna especial de final de ano, e todas as terças-feiras aqui no blog indico as obras que estão nesse clima de amor, união e milagres. 


1) O Feitiço de Natal:


Talvez vocês já conheçam a atriz protagonista, Kat Graham fez a Bonnie em The Vampire Diaries e agora veio nos contar a história de um calendário mágico que sua personagem ganhou do avô. A garota chamada Abby é frustrada na carreira recebe dicas diárias sobre qual o caminho seguir e encontrar a felicidade.

Originalmente chamado de "The Holiday Calendar", o filme possui um ritmo gostoso e apaixonante. Sua mensagem principal é que devemos abrir os olhos para todas as possibilidades que a vida nos apresenta, devemos ser corajosos e ver além das aparências. É clichê e previsível, mas qual filme natalino não é? A relação familiar é outro ponto a parte, porque por mais que a família 'condene' o estilo de vida de Abby (ela é uma fotógrafa que sonha alto, mas não tem coragem para se arriscar a abrir o próprio estúdio), vemos uma união muito forte entre as irmãs e neta/avô. 

Confesso que o final deixou a desejar. Achei meio 'corrido' e fácil demais, não teve um momento específico que Abby percebeu que amava o melhor amigo. Foi fraco e em alguns momentos, até as atuações deixaram a desejar. Mas é aquela coisa: é um filme obrigatório para essas maratonas, rs.



2) Paisagem de Natal:

Baseado em um livro da Harlequin, outro filme lançado esse ano é o "Christmas With a View" e posso te falar que só o fato da protagonista gerenciar um restaurante e o mocinho ser um chef valeu o tempo dedicado a obra. Para quem ama um Masterchef e sente que falta um romance ali, bora se jogar esse filme! A atriz Kaitlyn Wong faz a Clara e você já a conhece de Heartland, Clara é uma corajosa e dedicada profissional, ela também é meio frustrada, pois sua tentativa de abrir o próprio negócio falhou, mas ela não perde as esperanças. A ambição da personagem pode ser um grande empecilho para sua vida pessoal, só que o fato dela ser esperta a ajuda a desvendar os mistérios do grande hotel no qual trabalha.

Um ponto negativo do filme é que o elenco não tem ligação. Não entendi a Clara ser filha de Lydia, porque elas não tem NADA parecido (fisicamente falando) e até o primeiro beijo do casal principal não foi algo 'encaixado', rs. Mas com o desenrolar da história, as coisas melhoram e você começa a shippar. Destaque para a melhor amiga de Clara que nos faz dar altas risadas!

Como mensagem, "Paisagem de Natal" nos mostra que precisamos estar ao lado de quem nos quer bem, precisamos estar atentos e nunca desistir dos nossos sonhos e por mais que a verdade, às vezes, seja dura, o melhor é sempre abrir os olhos para as diversas possibilidades que a vida nos oferece. 


Ai gente, como eu amo falar sobre esses filmes! Por mais que eles não sejam os melhores do mundo, você acaba de assisti-los com aquele quentinho no coração e um sorriso bobo no rosto. E terça-feira tem mais duas dicas especiais para vocês, hein? Fiquem ligados!

- Alessandra Salvia

domingo, 2 de dezembro de 2018

Livro: O Príncipe Cruel

Olá amores,

Minha paixão por livros de fantasia está crescendo e nada como um ótimo lançamento para avançar nas leituras, não é mesmo? Hoje, apresento a vocês o "O Príncipe Cruel" da autora Holly Black, publicado pela Galera Record.


Na obra, conheceremos Jude, uma humana que após o assassinato dos pais, vai para o mundo das fadas com as irmãs. Lá, ela precisa aprender a se adequar e (sob o olhar atento do príncipe mais cruel, Cardan) sobreviver. 

Que a capa é maravilhosa, todo mundo já sabe, mas e a história? Será tão boa quanto os últimos livros do gênero que li? A resposta é siiiiim! Infelizmente, tive um grande problema no início da trama com a lentidão em que tudo acontece. O prólogo é bem forte, mas a partir do momento em que Jude vai para o mundo feérico o enredo fica mais devagar, entendo que precisamos ser apresentados aos novos personagens, a nova sociedade, as regras do local, só que as coisas podiam ser um pouco mais agitadinhas, rs. E o grupo do Cardan é um pouco extenso demais, o que me deixou confusa com tantos nomes. Mas tudo se ajeita, não se preocupe, não leve isso como algo que complique a leitura!


Conforme Jude ganha responsabilidades do Príncipe Dain, a história deslancha, pois foi ali que eu comecei a entender as tramas e a profundidade da obra. Tudo é um jogo de poder e para ser aceita, Jude precisa jogar. Só que como jogar de igual para igual quando um feitiço pode vir e hipnotizá-la? Como ser aceita quando nem a mesma comida, ela pode comer? Dain dá uma solução e talvez essa também seja sua perdição.

Jude se envolve com as maquinações do reino. Ela descobre segredos obscuros e isso pode lhe custar a própria vida. A sorte é que ela não costuma abaixar a cabeça. Pensa em uma protagonista emponderada, que deseja fazer o certo e que sabe se posicionar. Jude não tem medo, ela quer ser uma guerreira e essa "briga" interna dela de ser frágil por ser humana e forte porque tem coragem é interessantíssima de se ler

Em determinado momento da leitura, me questionei sobre o príncipe Cardan. Eu realmente não entendia como ele, tão secundário poderia ser o personagem que intitularia a obra. E eis que vem a resposta. Quando Cardan realmente aparece, ele se torna mais que sua crueldade ou sua arrogância, ele se torna um feérico com sentimentos, desejos e obrigações reais



Da metade para frente, o livro é cheio de reviravoltas e surpresas. Os personagens tornam-se mais complexos e imprevisíveis. Eu suspeitava que algo assim pudesse acontecer no final, mas não da maneira como foi. O livro realmente superou as expectativas, principalmente, ao compararmos com o início da obra. Acho que a autora estava tentando se encontrar no meio de tantos detalhes, afinal, é um mundo completamente novo e cheio de possibilidades.

Mundo este, que me surpreendeu. Afinal, quando você fala de fadas ou feéricos, eu imagino algo com cores pastéis, muitas flores, o povo dançando feliz... E não, não, não. Aqui, podemos dizer que os feéricos são monstros ardilosos, cheios de artimanhas para conquistar aquilo que desejam e que na maioria das vezes é o poder. A realeza torna-se o foco de diversas tramas que buscam atingir o mesmo fim. Destaque para a presença de Madoc, um dos personagens mais ambíguos e difíceis de decifrar. Ele matou os pais de Jude, mas a cria como se fosse da própria família, um personagem maquiavélico que deseja ter a família perfeita perante a corte. 

O final foi aberto a continuações e não se tem uma previsão de lançamento, mas já questionei a editora e qualquer novidade conto aqui em primeira mão, ok?



Portanto, posso dizer que a experiência de leitura foi muito satisfatória, não acho justo compararmos a obra com os livros da Sarah J Maas, pois ainda estamos bem no início da trama e há muuuito potencial para o futuro. Para aqueles que querem começar a se aventurar nesse mundo de feéricos e tem preconceito com os mesmos, digo: venha desconstruir sua imagem das fadasVenha surtar com as estratégias e surpresas que a obra nos apresenta!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia


Observação: As fotos foram retiradas do Pinterest, se souberem quem as fez, favor avisar para os créditos serem colocados.

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Words Challenge 2018 - Rapunzel

Olá amores!

A Rapunzel é uma das princesas que nos dá diversas possibilidades de desenvolvimento. Quando a Pâm do Interrupted Dreamer propôs a personagem para nosso desafio, soube que teria que fazê-la de uma maneira diferente do que a retratam nos clássicos. Então cá está minha Rapunzel emponderada! Ah, e as palavras impostas são as seguintes: hospital, outono, lápis, Tóquio, serenidade e trombetas.


Words Challenge 2018 - Rapunzel
"Estou presa nessa torre há mais tempo do que consigo contar. Acho que só saí daqui uma vez e foi para ir ao hospital quando, sem querer (ou talvez querendo), eu caí da janela. Nesse dia não quebrei somente o braço, como também quebrei o sonho de ser livre. 

Os pássaros são os meus únicos amigos. Vejo a alegria deles em poder voar e nadar e comer e cantar. O outono trouxe tons mais escuros para as árvores, mas isso não os impede de bater as asas o mais rápido que podem e mergulhar no lago que temos abaixo do castelo.

Mamãe diz que eu sou sua frágil passarinha e que só quer me proteger do mundo afora. Engraçado... Proteger-me de que? Ou de quem? O castelo é bem afastado e nem no meu aniversário recebo visitas. 

Os lápis que uso para escrever e desenhar já estão quase no fim e parece que estou sendo limitada a isso também. Os livros mesmo, já pararam de chegar até mim há algum tempo. Será que estão tentando controlar até mesmo meus pensamentos?

Arrepio-me só de pensar na possibilidade de morrer trancafiada e ignorante. Totalmente refém dessas paredes de pedra. Sufocada. Estou sufocada. 

Ando descalça até a janela e jogo meus longos cabelos loiros para fora. Vejo o quanto cresceram desde a última vez. Se ninguém aparecer e me ajudar a escapar, eu mesma o corto e faço uma corda de fuga. Acho que o tal príncipe encantado está lá em Tóquio e não virá me salvar tão cedo, então preciso ter um plano B. Um plano que me dê serenidade para continuar a fingir que tudo está bem quando mamãe chegar.

As trombetas ao fundo indicam que uma festa está próxima de começar. O reino está em festa e eu mal sei o significado da palavra reunião íntima. Será que o povo sabe que sua princesa está aqui? Presa, infeliz e extremamente desesperada? Algo que me diz que a resposta é não, mas que em breve descobrirão."


Gostaram? Esse foi um texto bem especial para mim! Não se esqueçam de deixar seus comentários, vou adorar lê-los.

- Alessandra Salvia

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Filmes Natalinos 2018 - Parte 1

Olá amores!

Vamos começar a maratonar os filmes natalinos disponíveis na Netflix? Farei uma coluna especial de final de ano às terças-feiras aqui no blog indicando as obras que estão nesse clima de amor, união e milagres. Que tal? Hoje, a dica será de dois filmes já disponíveis no catálogo:




1) A Princesa e a Plebeia:


Desde o lançamento do trailer, eu sabia que iria gostar. Tendo Vanessa Hudgens como protagonista, "A Princesa e a Plebeia" conta a história de duas garotas que são parentes distantes, mas que não se conheciam. Uma, confeiteira que vai participar de um concurso em Belgrávia e a outra é a condessa que se casará com o príncipe do país, sem ao menos conhecê-lo. E para ter uma experiência de vida completa a condessa pede para trocar de lugar com a sósia, só o que não era esperado é que muito amor iria envolver ambas as garotas.

O enredo é aquele típico conto de fadas com um toque de emponderamento feminino, já que ambas as garotas não são submissas, elas querem mais da vida do que lhes é oferecido. Podemos até ter uma discussão sobre o dever de uma governante, porém percebi que o foco maior foi em como uma garota gostaria de ser vista perante seus súditos: generosidade, inteligência e empatia são alguns dos itens que vemos como destaque.

Romântico, divertido, encantador... O filme dá aquele quentinho no coração, porque é o clássico clichê que a gente busca para essa data. Pode até pode ter alguns erros de continuidade e o final ser um pouco corrido, mas é impossível não sorrir. Os casais se completam, o elenco tem química e Vanessa soube diferenciar bem as protagonistas. Super recomendo!




2) Crônicas de Natal:



Esse filme me deixou com um sentimento controverso e direi o porquê. Na obra, dois irmãos que acabaram de perder o pai se escondem no trenó do Papai Noel e causam um acidente. Agora, ou eles ajudam o Papai Noel a salvar a noite ou todo o mundo não terá presentes. 

Basicamente, eles justificam a presença de presentes como o espírito do Natal, porém eu não gostei muito dessa visão capitalista da história, até porque tem MUITA criança que não recebe nada e que pode assistir ao filme, certo? A mensagem final é positiva, o filme é uma graça, eu amei demais o Papai Noel meio rebelde, acho que a obra, como um todo, tinha tudo para ser sensacional se o motivo principal para tudo acontecer não fosse os presentes em si. Eles ainda tentam salvar, colocando um ponto mais sentimental na vida de Teddy (o irmão mais velho), mas é a Katy que rouba o filme. A garotinha é sensacional e sua fé inspiradora. 

A fotografia e os efeitos especiais são lindos! Fiquei extremamente APAIXONADA pelos elfos, já quero alguns para mim!!!!! E ainda destaco a cena do Papai Noel imitando Elvis na prisão como uma das melhores do filme. E por mais que tenha esse problema que falei acima, é impossível ignorar o enredo emocionante e totalmente no clima de final de ano. 




Ai. Ai . Ai. Como eu amo maratonar filmes natalinos! E vocês? Estão animados para os filmes que a Netflix vem lançando nessa época? Semana que vem, teremos mais duas dicas especiais!

- Alessandra Salvia