terça-feira, 16 de outubro de 2018

Livro: A Chama Dentro de Nós

Olá amores!

Que eu amo os livros da Brittainy C.Cherry não é muito segredo. "Sr. Daniels" é um dos meus livros favoritos da vida e essa série elementos me chama muita atenção. Eu já fiz resenha do livro número 1, "O Ar que Ele Respira" e chegou o momento do 2, o chamado "A Chama Dentro de Nós", publicado pela Record. Vale ressaltar antes de mais nada que todos os livros são romances independentes, então pode ler sem ordem, ok?


Nesse livro, conheceremos a amizade de Logan e Alyssa. Mesmo sendo totalmente opostos, há várias ligações entre eles que os ajudam a sobreviver em meio as complexidades. Logan é pobre, tem problemas com drogas e uma família desestruturada. Já Alyssa tem de tudo, sonha em ser uma musicista famosa e tem uma mãe controladora. O sentimento de solidão é afastado quando ambos se unem. Só é necessário uma mensagem, um telefonema. O mundo se torna um lugar melhor só por eles poderem estar perto. 

Porém, nem tudo são flores. Logan tem sérios problemas e um acontecimento fatídico o afasta de Alyssa. É nesse contexto que 5 anos se passam. Ah meus amores... É doloroso. Muito triste. Dá uma vontade de abraçar os personagens... Mas também dá uma pequena irritação... Acho Alyssa muito fraca e sem iniciativa. Ela perdoa Logan por tudo muito facilmente, ela não dá um choque de realidade nele, é aquele típico de relacionamento: o amor tudo suporta, tudo conserta. 


Não que eu seja contra essa afirmação, mas sei lá... Logan precisa crescer e Alyssa podia ajudá-lo sendo menos molenga. Estar sempre ao lado de alguém, não é sempre concordar/aceitar o que a pessoa faz. 

Acho que Kellan e Erika (irmaõs dos protagonistas) tornaram-se mais marcantes para mim. Até porque, o grande drama envolve a família como um todo, não apenas o casal principal. Parando para pensar, acredito que a grande reviravolta com ambos é logo no início, porque depois o enredo segue um caminho mais familiar. Logan precisará aprender a lidar com os problemas da mãe e com a idiotice do pai. 

A obra me fez pensar bastante e não tenho como dizer que é ruim. Não é! É gostosinha, bem escrita, mas não tocou meu coração como os outros livros da autora. Fiquei com dó de Logan em diversos momentos e sofri sim com todos os problemas que ele passou, mas faltou emoção. Faltou algo a mais que fizesse eu estar ali dentro e realmente sentir a história.


Já tenho o terceiro livro da série comigo e em breve, trago resenha para vocês. Espero que vocês tenham compreendido o porquê essa obra não atinge as 5 estrelinhas, Brittainy fez um excelente trabalho, mas podia ter sido melhor.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5)

- Alessandra Salvia

sábado, 13 de outubro de 2018

Série: Elite

Olá amores!


Recentemente, a Netflix lançou mais uma série de origem espanhola, porém dessa vez a intenção era atingir um público mais adolescente (ou jovens adultos como eu que amam um drama). A chamada ELITE já possui toda a primeira temporada disponível no serviço de Streaming e conta com 8 episódios com cerca de 45 minutos de duração cada um deles. 


Após um desabamento da escola pública, 3 alunos são transferidos e se tornam bolsistas em um colégio de elite. Porém, os conflitos entre classes sociais surgem e precisaremos desvendar um misterioso assassinato que ocorre no dia da formatura. 


Não tem como eu negar que Elite é tudo aquilo que a gente gosta, né? Tem suspense, adolescentes problemáticos, muita representatividade, gente ryca esbanjando dinheiro para mostrar o quanto nós somos pobres, afinal, não temos bailes de gala toda semana... É um vício. Simples assim. Impossível parar de ver e quando a temporada acaba você fica sentindo aquele vazio no coração.

Tem falhas de roteiro sim, não vou dizer que é uma série impecável. Dá para desconfiar do (a) assassino (a) nos últimos episódios (mais precisamente no penúltimo e último), mas achei a escolha inteligente, o (a) personagem ficou com cara de psicopata mesmo, descontrole total e teve uma justificativa coerente, porque em todo momento, esses adolescentes são inconsequentes. O que não gostei foi de quem morreu, porque eu gostava de ver o (a) personagem fazendo besteiras a todo momento e talvez se a série for renovada, ele (a) faça falta. 


Já vi milhares de pessoas comentando que a série é o novo RBD na Netflix. Eu discordo, porque de Rebelde só o uniforme mesmo, porém isso não é algo ruim. Eu classificaria como um "Riverdale" com "Gossip Girl" mais pesado e parte do elenco de "La Casa de Papel". Há até um toque de "How To Get Away With Murder", por como a obra nos é apresentada. Com o vai e volta no tempo no decorrer dos episódios, descobrimos pequenas dicas do que aconteceu para a grande revelação ocorrer no final. 

Ainda não temos notícias de renovação, porém realmente acho que seria um desperdício não renovar. O elenco é maravilhoso! Eu adoro essa nova geração de séries que sai da mesmice Hollywoodiana. Ok, a premissa pode ser clichê, só que temos que fazer um levantamento de quais séries estão passando que agrada esse público e a resposta não será positiva. Ou seja, se souber fazer, Elite veio para ficar

Meus personagens favoritos são a Nadia e o Guzman. Ela, uma muçulmana, pobre, cheia de preconceitos por conta da religião e que busca a libertação para descobrir quem realmente é. Enquanto ele, é o rapaz rico, também com preconceitos e que muitas vezes toma decisões erradas por estar vivendo em uma sociedade cheia de padrões. Acho muito interessante vermos o quanto ambos precisam se desconstruir para se encontrarem. E nem sempre o final pode ser feliz. #VemSeason2

Nadia e Guzman
Marina é aquela garota que você vai simpatizar desde o primeiro episódio só que no decorrer da história só te decepciona pelas impulsividades. Não dá para não gostar dela, mas a gente sente pena. Detalhe: parabéns a caracterização da personagem, pois é visível o quanto o cabelo, o estilo, a maquiagem mudam de acordo com as transições pessoais da garota.

Outro personagem que me impactou muito foi a Carla. Ela é filha de uma marquesa e já tem toda sua vida planejada com Polo, o melhor amigo de Guzman, afinal, eles namoram desde pequenos e toda a família está envolvida no relacionamento. Carla é uma garota que cresce muito na trama já que quando você percebe o plot inicial dela, pode ficar um pouco confuso. A atriz deu um show nas cenas dos últimos episódios ao demonstrar sua frieza e sua impassibilidade.

Aiiii, outra observação! Sabem quem está na série? A Amy! A menina da Mochila Azul, ou Maria Belém, vocês lembram??? São novelas mexicanas que passaram há muitos anos atrás no SBT protagonizadas pela Danna Paola. Hoje, a Danna é cantora e vive a personagem Lucrecia (Lu) em Elite, uma garota mimada, inteligente e que está disposta a tudo para conseguir aquilo que deseja. 

Marina, Lu e Carla
Agora, não posso esquecer de falar da diversidade e ousadia da obra, pois, a forma como nos é apresentada a sexualidade dos personagens, as drogas e até mesmo a violência é muito direta, sem polidez alguma. E isso pode gerar desconforto para o telespectador mais conservador. Para mim, não é uma crítica negativa, pois acho que essa abordagem torna a obra mais impactante, real e diferenciada. O período da adolescência pode ser conturbado e para esses jovens que não tem limites ou regras, é pior ainda. Então, sempre é bom avisar que as cenas serão explícitas, ok?

Desta forma, acabo minha crítica torcendo para que novos episódios cheguem logo na Netflix e se você já viu a série e gostou, indico seguir o elenco no instagram, porque eles são bem amigos e viajam juntos sempre. Ah, e não se esqueçam de deixar um comentário para eu saber o que acharam da dica de hoje, hein?

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - A série que me faltava!

- Alessandra

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Conto: A Rosa Perfeita

Olá amores!

Hoje, trouxe para vocês uma excelente dica de conto para ser intercalado com leituras longas ou para uma depressão pós livros, "A Rosa Perfeita" é da Cristina Valori e encontra-se disponível na Amazon.


O conto nos mostra a vida de Sara após a perda do avô. A garota faz tudo para manter as expectativas do último familiar que a restava, mas agora precisará lidar com a questão pessoal de quem ela é e o que fará de seu futuro. 

O que mais me impressiona na obra é a delicadeza das palavras colocadas pela Cristina. A construção da narrativa é muito pensada, bem desenvolvida. E por mais que pequenas coisas me incomodem no enredo, o que me faz amar tudo é a narrativa. Por exemplo, eu acho que o envolvimento amoroso foi muito rápido pela intensidade do sentimento entre o casal, mais até da parte do Igor do que da Sara, mas a forma como isso foi demonstrado e como isso reflete positivamente nas escolhas da protagonista me encantou.

Igor é um rapaz sedutor e esforçado. Amante de música que se encaixa perfeitamente na vida bagunçada de Sara, a amante de flores. Duvido você não chegar ao final da obra aos suspiros e com um lindo sorriso no rosto. A carta do avô consegue emocionar o leitor e faz de todo o conto uma excelente e doce experiência.


Para quem quiser adquirir o seu, deixo AQUI o link para a compra do conto com um preço bem acessível. Espero que tenham gostado da dica rápida e gostosinha de hoje, em breve, teremos mais! ;)

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

domingo, 7 de outubro de 2018

Série: The Alienist

Olá amores!


Como estão? Vamos falar de mais séries incríveis que estão disponíveis na Netflix? Hoje, é um dia mais sombrio, falaremos sobre The Alienist, uma adaptação do livro homônimo escrito por Caleb Carr publicado pela Editora Única.


Para quem não sabe, no século XIX, os médicos que cuidavam de pacientes com doenças mentais eram chamados de Alienistas e nessa obra, conheceremos o Laszlo Kreizler (Daniel Brühl) que pede ajuda ao melhor amigo e ilustrador John Moore (Luke Evans) para desvendar o assassinato de um garoto que vivia em um bordel. E após termos certeza de que nada é coincidência e de que a polícia é corrupta, Sara Howard (Dakota Fanning) se une a equipe para desvendar os mistérios do caso.


Eu não sou uma pessoa que lê muito suspense, mas em relação a séries é uma temática que me atrai. Principalmente, quando a premissa é desvendar a mente de um psicopata (alô fãs de Mindhunter, clique AQUI se não conhece), e nesse caso, um serial killer. Porém, é importante dizer que naquela época, o titulo ainda não era conhecido e existia muitos pré-conceitos sobre a ciência da mente humana, principalmente por parte da polícia que fazia de tudo para proteger os mais ricos da sociedade.

A série basicamente utiliza a ciência forense juntamente com esse estudo da psicologia para desvendar os misteriosos assassinatos, mas o brilho da série, por incrível que pareça, não é o alienista em si, mas os amigos dele. Lazlo é extremamente chato e irritante. Um sem noção, zero habilidades sociais, só que a amizade e generosidade de John está sempre ali, não deixando o médico sozinho. John é inserido nesse mundo obscuro por ser ilustrador. Ele é o primeiro a analisar um cadáver e dar detalhes das atrocidades feitas ao médico.



Sara Howard é minha personagem preferida! Ela já conhece John do passado, suas famílias eram próximas, porém agora, ela é a primeira mulher a trabalhar do departamento de polícia e precisa enfrentar o machismo de NY de 1895 para provar o quanto é inteligente e forte. Totalmente emponderada e corajosa, Sara traz discussões relevantes sobre o papel da mulher na sociedade e destaco que a atriz Dakota Fanning fez o papel com maestria! O envolvimento amoroso da personagem é tãããão secundário que torna-se irrelevante na hora de falarmos sobre seu percurso na obra. Até porque, ela mesma levanta a bandeira de liberdade e igualdade entre os sexos, e não necessariamente a mulher precisa ser esposa e mãe para ter o respeito da sociedade. 



Há a presença de dois detetives também, Theodore e Marcus, dois gêmeos que são brilhantemente inteligentes, corajosos e que infelizmente não ganham o destaque merecido, pois nem são citados nas sinopses encontradas da série. Todavia, ao analisarmos o papel deles nas descobertas, perceberemos que ambos realmente fizeram a diferença com a descoberta da arma utilizada, com a descoberta das digitais e também a coragem de correr atrás de suspeitos, colocando-se muitas vezes em risco.



Agora, em relação ao caso de serial killer em si, a obra dá um show. O roteiro é maravilhoso, tudo muito bem colocado, há análises do comportamento humano, críticas sociais, percebemos o quanto a medicina evoluiu e o quanto ganhou credibilidade com o passar dos anos. Algo importante a se dizer é que a história não tem a intenção de te fazer de trouxa, ou de punir o culpado, você sabe tanto quanto os personagens e fica no escuro muitas vezes. O foco é a própria vida do assassino, Lazlo não se preocupa em identificá-lo e sim entender suas motivações e prazer em cada ato. O que o leva cometer os crimes? Como talvez podemos prever o próximo passo e impedir de que aquele ser humano faça algo errado? O papel do Alienista aqui é ajudar essas pessoas perturbadas ou pelo menos tentar ajudar para que elas possam seguir em frente, prova disso é a existência de Mary e de Cyrus na vida de Lazlo.

A fotografia e figurino são impecáveis. O final é fechado e dispensa continuações, porém a série foi renovada e a temporada 2 virá em breve, com um novo caso para ser desvendado. Alguns vão dizer que acharam o final ruim ou rápido. Eu discordo. Acho que a relevância da série é em sua construção, o episódio final foi coerente, gostei do que aconteceu (SPOILER: achei muito interessante o assassino morrer antes de Lazlo ter a resposta que tanto esperava, sobre as motivações e o porquê de tudo, é a frustração médica ali visivelmente real, pois muitas vezes, pacientes com esse nível de psicose não consegue fornecer respostas). Gostei muito muito muito mesmo. E recomendo super para quem gosta dessa temática!



Ah, se você tem o estômago um pouco fraco, deixo aqui o aviso de algumas cenas fortes. Eu consegui ver tranquilamente, só achei que deveria avisar, rs. Espero que tenham gostado da dica de hoje e lembre-se de deixar aqui seu comentário se quer ver ou se viu a série, ok? Contem-me tudo!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhosa!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Words Challenge 2018 - Caçador

Olá amores!


Preparados para mais Words Challenge? Eu e a Pam do Interrupted Dreamer com certeza! Hoje, é dia de caçador da Branca de Neve, mas com uma pegada mais de soldado, sabe? Espero que gostem! As palavras são: anel, competências, capital, graciosidade, turbante e música



Words Challenge 2018 - Caçador 


"Ergui a espada com toda a força que ainda me restava. O aço brilhava contra a luz do sol e o suor escorria pela minha têmpora enquanto sentia os olhares atentos ardendo em minhas costas. Odiava que me aplaudissem por eu fazer o que considerava certo. Talvez se a bruxa má soubesse que descumpro suas ordens, as coisas não seriam assim, mas quem se importa? Dizimar populações ou matar uma garota por sua beleza não são tarefas que considero corretas. 

Aprendi desde cedo que deveria ser justo e que todas as minhas competências seriam em prol do bem maior. E hoje, com a espada em mãos sei que é o meu destino, mesmo longe da capital, local em que nasci, sei que estou onde tenho que estar. Minha família são essas poucas pessoas que me acompanham nas missões pelo reino. E claro, os pequenos animais que cutucam minhas botas atrás de atenção, carinho ou talvez, comida.

Ando devagar em busca de água e descanso. Os soldados que estavam ao meu redor também se movimentam sem graciosidade alguma, o barulho de suas armaduras chega a ser irritante e doloroso. Minha cabeça está prestes a explodir...

- Querido, gostaria de um pouco de vinho?

Uma mulher de turbante colorido se aproxima com um jarro de barro. Eu sorrio agradecido pela sua generosidade enquanto o líquido vermelho escorre por meus dedos. Ela treme tanto que não consegue acertar o cálice que me entregou. Com delicadeza, seguro suas mãos e a olho nos olhos sussurrando:

- Fique calma, senhora. A batalha já acabou. Podemos respirar aliviados.

Mas o meio sorriso que aparece em meus lábios não a conforta. Sei que ela deve ter perdido entes queridos e nada do que eu lhe fale substituirá o peso em seu coração. Que desgraça, meu Senhor! Quantos será que partiram deste mundo desta maneira? Alguém deveria parar aquela mulher... Ela e aquele espelho maldito...

Música começa a ser tocada em algum lugar do acampamento. Procuro o responsável por aquela melodia animada enquanto a senhora se afasta com lágrimas nos olhos. Algo que nunca vou me acostumar é que a tristeza de uns corresponde a alegria de outros. Muitos morreram nessa madrugada para outros verem o novo amanhecer. Sei que devo ser grato por estar entre os vivos, mas confesso que faria de tudo para apagar a dor da perda naqueles olhos. Daria todo meu dinheiro, daria minha vida se isso significasse a paz entre nós." 



AAAAA, um texto que me deixou bem animada! Deixem seus comentários que quero saber as opiniões, hein?

- Alessandra Salvia

terça-feira, 2 de outubro de 2018

Primeiras Impressões: A Rosa do Deserto

Olá amores!

Fui convidada pela Uiara Barzzotto a participar do projeto de primeiras impressões do seu novo livro, o chamado "A Rosa do Deserto" que será lançado em breve na Amazon e claro que eu já fiquei nervosa, pois vocês sabem que eu não sei fazer posts de primeiras impressões, né? rs Porém, a história é tão encantadora que foi impossível não me empolgar.


Sinopse: Kiara Johnson é uma médica infectologista de sucesso. Filha do renomado cirurgião Harris Johnson, foi criada para assumir a direção do hospital da família, mas seu coração deseja mais que isso. Ela não enxerga a profissão da mesma forma que o pai. Kiara vê na medicina uma forma de levar esperança e ajuda aos mais necessitados. E esse sentimento a leva a se alistar no programa dos médicos sem fronteiras.

Ethan Kyle é capitão do exército americano. Em mais dez anos de serviço militar, aprendeu que qualquer distração pode ser fatal. Um homem para qual a ordem e a disciplina estão acima de tudo. E isso, muitas vezes, faz com que as pessoas o achem arrogante. 

Os dois são enviados para Cinburker, um pequeno território no oriente médio. Ali existem duas nações, Toren e Kahya, que foram divididas recentemente. O local foi um dos que mais sofreu no período de confrontos, mas depois do cessar fogo, foi entregue à própria sorte. E é nesse cenário que a vida deles se cruza.
Duas pessoas completamente diferentes, que nas areias do deserto terão que lidar com as mais dolorosas situações de um local que tenta se reerguer depois da guerra. E que aprenderão que o amor pode surgir mesmo em meio a diferenças e dificuldades.



GEEEENTE, QUE SINOPSE! Quando eu recebi por e-mail já pensei: tem tudo para ser um dos meus livros favoritos! E só por esses primeiros capítulos, vejo que tenho razão, pois foi uma leitura tão rápida e deliciosa que acabei em um dia mesmo! Os personagens já nos trazem reflexões logo de início e admiro a força e os valores que a Kiara possui. Ela enfrenta a família para viver um sonho muito nobre e complexo, a coragem e dedicação dela são muito bem colocadas para a construção dessa protagonista emponderada.

E em relação ao capitão Ethan Kyle só tenho uma palavra para descrevê-lo: sexy. O humor dele, a forma como ele 'implica' com as situações apresentadas podem ser chatas para alguns, mas eu o achei sedutor e protetor. Confesso que baguncei um pouco os nomes dos homens nessa primeira fase, mas no decorrer da leitura tudo foi se encaixando. Até porque, é impossível confundir Kyle com outra pessoa. A presença do capitão é maravilhosa, há aquela tensão no ar, sabe? *SUSPIROS*

O cenário da obra, fugiu completamente do esperado e do óbvio. Dá para perceber que a autora precisa de uma grande pesquisa para dar embasamento ao enredoAchei tudo detalhado e visual, a escrita da Uiara facilita as coisa para leitor, mesmo tendo essa questão política e cultural como ponto decisivo na construção da história. E por mais que essas 'tensões' sejam muito presentes, a visão da Kiara nisso como médica é algo que traz esperança, aquece o coração do leitor por vermos que existem pessoas que pensam e agem em prol do bem maior.


Espero que em breve eu possa trazer a resenha completa, pois estou louca para ver a paixão tomar conta desse casal! ♥ Assim que os links para venda saírem, trago a vocês, mas fiquem ligados que posto antes nas redes sociais do blog, ok? Algo me diz que lágrimas e mais suspiros vem por aí...

- Alessandra Salvia

domingo, 30 de setembro de 2018

Livro: A Herdeira do Fogo - Trono de Vidro #3

Olá amores!

Eu disse que voltava com as resenhas da série Trono de Vidro e era verdade. Eu não desisti!!! E hoje, vamos falar um pouco sobre o volume 3, o chamado "Herdeira do Fogo" escrito por Sarah J Maas e publicado pela Galera Record.


Antes de mais nada, é importante dizer que a resenha vai ser dividida em duas partes: com e sem spoilers, ok? Acho que tenho muito a dizer mesmo para quem ainda não começou a ler a série, mas tem dúvidas por não gostar do estilo ou porque as obras são muito longas e sem um final ainda. Porém, caso queiram dar uma olhada nas primeiras resenhas que fiz, deixarei os links abaixo:




Sem Spoilers: 
Se você conseguir ler toda a série sem pegar nenhum spoiler, é o que eu recomendo, pois a escrita da Sarah sempre tem algo a mais para te surpreender e chocar. Ela não é o tipo de autora que enrola ou faz mais do mesmo. E olha que eu já li a série ACOTAR e agora estou resenhando o volume 3 da série Trono de Vidro hein? Sei do que estou falando. Os livros podem ser enormes, mas te garanto que tem conteúdo para sustentar cada capítulo. Sarah J Maas é um ícone quando se trata de criatividade e bom desenvolvimento, sua escrita é perfeita, ela não subestima o leitor em momento algum! Tudo é desenhado, colocado ali com algum propósito e se você ainda não entendeu os motivos, espere que no futuro descobrirá.

Eu sinto que a história evolui. Ela consegue traçar caminhos como a própria vida o faria. Os personagens não ficam na mesmice ou estão certos logo de início. Tudo é uma construção, percebemos os pontos de vistas e as fraquezas de cada um com a narrativa em terceira pessoa. Mesmo a protagonista, ela não é todo certa. Principalmente pelo fato de ser uma assassina. Acho incrível como as obras se tornam complexas pelo fato de não serem politicamente corretas e ao mesmo tempo proporcionar ao leitor uma reflexão moral, posso exemplificar isso com a questão do Rei de Adarlan e suas prisões, escravos e até mesmo missões que Celaena ganha no decorrer dos livros 1 e 2. 

Nesse volume, temos a introdução dos capítulos das bruxas e conheceremos melhor a Manon. Ainda não sei exatamente onde iremos chegar com a abordagem desses clãs, mas achei que deveria destacar aqui o motivo pelo qual esse livro não ganha nota máxima na classificação. Essa parte ficou um ponto solta na história, muitas vezes estávamos no ápice de algo acontecendo com Chaol, Dorian ou Celaena, mas tínhamos que quebrar esse clima com a Manon. Não que ela ou seu plot sejam chatos, só achei que poderia ser inserido de uma outra forma.



E é aqui que começo a parte COM SPOILERS, ok? Se você ainda não leu até o livro 2, peço que pare por aqui para não ter informações que talvez estraguem a experiência de leitura.

Se você está se perguntando se Chaol e Dorian iriam sumir após Celaena ser levada para uma missão longe do Rei de Adarlan, fique sossegado (a). Os capítulos continuam intercalados e saberemos quais rumos esses personagens tomaram. Destaque especial ao Dorian que me surpreendeu MUITO ao fazer questionamentos importantes a Chaol. Um capítulo específico abriu meus olhos em relação ao capitão da guarda e fiquei bem impressionada como tudo pode mudar ao aprofundarmos um pouco no que cada um acredita. 

Confesso que já tinha me decepcionado um pouco com a cara que Chaol fez quando descobriu o lado féerico de Calaena, mas tinha esperanças de que o amor pudesse falar mais alto. Uma pena... Porém, isso abriu meus olhos para eu conseguir aceitar a presença de Rowan. O tal Príncipe Rowan. Ai. Ai. Ai. (Ainda prefiro o Rhys de ACOTAR, mas Rowan pode ser beeeem interessante, rs). Só que preciso ser sincera e dizer que algo me incomodou muito de início, pois as atitudes de Rowan com Aelin foram muito infantis. Faltou conversa e muitas das coisas poderiam ser minimizadas se ele não fosse tão idiota. A sorte que a imbecilidade dele foi justificada com as mentiras e omissões de Maeve. 

E por falar em Maeve... UAU, dá para perceber o quanto esse enredo cresceu? Gente, vocês não tem noção da profundidade dessa história até se jogar nas obras. Faça isso sem medo que se surpreenderá. É uma série muito completa e que agradará muitos públicos diferentes, falo isso porque eu mesma não era uma fã de fantasias até conhecer Sarah J Maas.



Agora, me contem. O que acharam da dica de hoje? Conhece ou leem as obras? Querem ler? Deixei seus comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!!!

- Alessandra Salvia