sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Words Challenge 2018 - Rapunzel

Olá amores!

A Rapunzel é uma das princesas que nos dá diversas possibilidades de desenvolvimento. Quando a Pâm do Interrupted Dreamer propôs a personagem para nosso desafio, soube que teria que fazê-la de uma maneira diferente do que a retratam nos clássicos. Então cá está minha Rapunzel emponderada! Ah, e as palavras impostas são as seguintes: hospital, outono, lápis, Tóquio, serenidade e trombetas.


Words Challenge 2018 - Rapunzel
"Estou presa nessa torre há mais tempo do que consigo contar. Acho que só saí daqui uma vez e foi para ir ao hospital quando, sem querer (ou talvez querendo), eu caí da janela. Nesse dia não quebrei somente o braço, como também quebrei o sonho de ser livre. 

Os pássaros são os meus únicos amigos. Vejo a alegria deles em poder voar e nadar e comer e cantar. O outono trouxe tons mais escuros para as árvores, mas isso não os impede de bater as asas o mais rápido que podem e mergulhar no lago que temos abaixo do castelo.

Mamãe diz que eu sou sua frágil passarinha e que só quer me proteger do mundo afora. Engraçado... Proteger-me de que? Ou de quem? O castelo é bem afastado e nem no meu aniversário recebo visitas. 

Os lápis que uso para escrever e desenhar já estão quase no fim e parece que estou sendo limitada a isso também. Os livros mesmo, já pararam de chegar até mim há algum tempo. Será que estão tentando controlar até mesmo meus pensamentos?

Arrepio-me só de pensar na possibilidade de morrer trancafiada e ignorante. Totalmente refém dessas paredes de pedra. Sufocada. Estou sufocada. 

Ando descalça até a janela e jogo meus longos cabelos loiros para fora. Vejo o quanto cresceram desde a última vez. Se ninguém aparecer e me ajudar a escapar, eu mesma o corto e faço uma corda de fuga. Acho que o tal príncipe encantado está lá em Tóquio e não virá me salvar tão cedo, então preciso ter um plano B. Um plano que me dê serenidade para continuar a fingir que tudo está bem quando mamãe chegar.

As trombetas ao fundo indicam que uma festa está próxima de começar. O reino está em festa e eu mal sei o significado da palavra reunião íntima. Será que o povo sabe que sua princesa está aqui? Presa, infeliz e extremamente desesperada? Algo que me diz que a resposta é não, mas que em breve descobrirão."


Gostaram? Esse foi um texto bem especial para mim! Não se esqueçam de deixar seus comentários, vou adorar lê-los.

- Alessandra Salvia

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Filmes Natalinos 2018 - Parte 1

Olá amores!

Vamos começar a maratonar os filmes natalinos disponíveis na Netflix? Farei uma coluna especial de final de ano às terças-feiras aqui no blog indicando as obras que estão nesse clima de amor, união e milagres. Que tal? Hoje, a dica será de dois filmes já disponíveis no catálogo:




1) A Princesa e a Plebeia:


Desde o lançamento do trailer, eu sabia que iria gostar. Tendo Vanessa Hudgens como protagonista, "A Princesa e a Plebeia" conta a história de duas garotas que são parentes distantes, mas que não se conheciam. Uma, confeiteira que vai participar de um concurso em Belgrávia e a outra é a condessa que se casará com o príncipe do país, sem ao menos conhecê-lo. E para ter uma experiência de vida completa a condessa pede para trocar de lugar com a sósia, só o que não era esperado é que muito amor iria envolver ambas as garotas.

O enredo é aquele típico conto de fadas com um toque de emponderamento feminino, já que ambas as garotas não são submissas, elas querem mais da vida do que lhes é oferecido. Podemos até ter uma discussão sobre o dever de uma governante, porém percebi que o foco maior foi em como uma garota gostaria de ser vista perante seus súditos: generosidade, inteligência e empatia são alguns dos itens que vemos como destaque.

Romântico, divertido, encantador... O filme dá aquele quentinho no coração, porque é o clássico clichê que a gente busca para essa data. Pode até pode ter alguns erros de continuidade e o final ser um pouco corrido, mas é impossível não sorrir. Os casais se completam, o elenco tem química e Vanessa soube diferenciar bem as protagonistas. Super recomendo!




2) Crônicas de Natal:



Esse filme me deixou com um sentimento controverso e direi o porquê. Na obra, dois irmãos que acabaram de perder o pai se escondem no trenó do Papai Noel e causam um acidente. Agora, ou eles ajudam o Papai Noel a salvar a noite ou todo o mundo não terá presentes. 

Basicamente, eles justificam a presença de presentes como o espírito do Natal, porém eu não gostei muito dessa visão capitalista da história, até porque tem MUITA criança que não recebe nada e que pode assistir ao filme, certo? A mensagem final é positiva, o filme é uma graça, eu amei demais o Papai Noel meio rebelde, acho que a obra, como um todo, tinha tudo para ser sensacional se o motivo principal para tudo acontecer não fosse os presentes em si. Eles ainda tentam salvar, colocando um ponto mais sentimental na vida de Teddy (o irmão mais velho), mas é a Katy que rouba o filme. A garotinha é sensacional e sua fé inspiradora. 

A fotografia e os efeitos especiais são lindos! Fiquei extremamente APAIXONADA pelos elfos, já quero alguns para mim!!!!! E ainda destaco a cena do Papai Noel imitando Elvis na prisão como uma das melhores do filme. E por mais que tenha esse problema que falei acima, é impossível ignorar o enredo emocionante e totalmente no clima de final de ano. 




Ai. Ai . Ai. Como eu amo maratonar filmes natalinos! E vocês? Estão animados para os filmes que a Netflix vem lançando nessa época? Semana que vem, teremos mais duas dicas especiais!

- Alessandra Salvia 

domingo, 25 de novembro de 2018

Livro: Império de Tempestades - Tomo 1 - Trono de Vidro #5

Olá amores!

Com saudade das resenhas de 'Trono de Vidro'? Hoje, vamos falar sobre "Império de Tempestades - Tomo 1" escrito pela Sarah J Maas e publicado pela Editora Galera Record. E sim, este livro é publicado de forma dividida, o que é uma pena, mas acho válido mostrar minha opinião para vocês saberem o que esperar.


Para quem ainda não conhece a saga, deixarei abaixo os links das resenhas dos livros anteriores e vale lembrar que teremos a parte com e sem spoilers nessa resenha também:


SEM SPOILERS
Nosso corajoso grupo está cada vez mais perto da guerra final e por mais que sejamos a favor da paz mundial, está extremamente interessante descobrir como Aelin fará para conseguir aliados. Aprofundaremos as relações entre reinos e o jogo de poder se torna mais perigoso.

Os personagens se colocam em situações delicadas para conseguirem apoio e talvez essa não seja a melhor estratégia. Ok, gosto de ver o poder de cada um ser explorado e a forma como eles reagem a pressão, mas acho que como qualquer 'Parte 1' foi um livro de promessas. O desenvolvimento é mais lento e acho que poucas coisas realmente acontecem aqui.

Acredito que como sequência de um dos meus livros favoritos da série, essa primeira parte de 'Império de Tempestades' deixa a desejar. 'Rainha das Sombras' foi eletrizante, cheio de revelações mesmo no início da obra e este não. O ritmo caiu e foi uma leitura mais demorada. Confesso que isso quebrou minha empolgação para ler a série em sequência. Mas não vou desistir. Vejo muitos elogios ao 'Tomo 2' e é por isso que sigo firme na meta de 2018: ler todos os livros publicados da Sarah J Maas.


Agora vamos a parte COM SPOILERS, ok? Porém, não dessa obra em si, apenas dos livros anteriores. 😉 

Surpreendentemente, Manon tornou-se a melhor personagem de toda a saga! Aelin muitas vezes é insuportável com sua arrogância e presunção. Ela sumiu por vários anos e acredita que seu retorno deve ser simplesmente aceito? Vamos com calma, né? Gosto da personagem e acho que ela merece o trono por tudo o que passou, mas a forma como ela demonstra isso é diferente da forma que eu julgaria ser correta.

Já a presença de Dorian fica um pouco apagada e Chaol só é citado. Rowan poderia ser melhor também. Agora, Aedion e Lysandra me agradaram mais. A metamorfa principalmente, em uma determinada cena, ela mostra do que é capaz e da fidelidade que possui para com Aelin. Chegou a ser emocionante! 

E em relação a divisão de partes, a Editora soube ser maldosa com os leitores. A cena final é impactante e pode mudar totalmente o rumo da história. O 'Tomo 2' promete e em breve, teremos a resenha por aqui. 

Manon e as Treze foram o grande destaque do livro!

Desta forma, aproveito para perguntar o que estão achando de acompanhar minha jornada com Celaena? rs Estão ficando animados a ler as obras também? Eu sei que a série é grandinha, mas está valendo muito a pena! Não se esqueçam de deixar nos comentários a opinião de vocês, vamos bater papo!!!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia


sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Livro: Onde Mora o Coração

Olá amores,


Que eu admiro muito a Uiara Barzotto já ficou bem claro, porque 'A Rosa do Deserto' foi uma das melhores leituras que fiz em 2018, porém chegou o momento de eu falar sobre o primeiro livro dela publicado pela Editora Universo dos Livros, o chamado "Onde Mora o Coração". Conhecem?



Anne e Luke são um casal extremamente apaixonado e que por um deslize do destino acabaram se separando para o rapaz viver o sonho de se tornar um grande músico. Agora, anos depois, ambos se encontrarão em Laguna Beach e muitos segredos serão descobertos.

Esta obra é muito rapidinha, li em uma tarde de sábado totalmente despretensiosa. A narrativa é simples, gostosa, você viaja para aquelas páginas de uma maneira muito fácil. O vai e volta no tempo não confunde o leitor, pois o enredo é muito bem dividido e estruturado.

Algo que me incomodou um pouco, foi a rapidez com que tudo acontece. Não em relação ao sentimento, mas em relação aos acontecimentos do livro mesmo. Luke descobre o segredo de Anne quase que imediatamente e eu acho que queria um pouco mais de suspense. Mais desenvolvimento, sabe?  Sei que a Uiara conseguiria fazer isso tranquilamente! 



O enredo é carregado de emoção e amor. O casal é totalmente entregue um ao outro. Em momento algum, você duvida dos sentimentos e eles mesmo nem tentam negar esse avalanche. Algumas partes são bem emocionantes e trazem reflexões sobre o perdão e a perda. A maneira como Anne enfrenta a vida é algo bonito de se ver. Uma garota que tem a gratidão no coração, sabe perdoar e também sabe seguir em frente.

Alguns personagens secundários merecem destaque: o pequeno Josh que realmente nos encanta com sua inocência de criança e o meu crush Nick. Engraçado que sua história ficou bem aberta a continuações e isso já gera expectativas... Será que em breve teremos o livro do Nick? DIZ QUE SIM, Uiara!!!!!! <3 



Desta forma, super recomendo a leitura para fãs de roqueiros sexys e para quem ama uma linda história de amor e superação. "Onde Mora o Coração" é um clichêzinho para aquecer nosso coração e dar uma agilizada a lista de leituras com sua fluidez e intensidade.

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Uma Amiga Indicou: O Ódio que Você Semeia

Olá amores!

Hoje, dia 20, aqui em SP temos o feriado da Consciência Negra e este é o tema do 'Uma Amiga Indicou' do mês. Eu, a Carol do 'A Colecionadora de Histórias', a Priih do 'Infinitas Vidas', a Carol do 'Caverna Literária' e a Pam do 'Interrupted Dreamer' traremos postagens inspiradas na data e garanto que teremos ótimas reflexões. E o meu livro escolhido foi: "O Ódio que Você Semeia" escrito por Angie Thomas e publicado pela Galera Record


Nessa obra, conheceremos Starr, uma garota negra que mora em um bairro extremamente perigoso e que após sair de uma festa, vê o amigo ser morto por um policial branco. E é nesse contexto que várias questões sociais são levantadas, principalmente, sobre a verdade, honestidade e pré-conceitos

Primeiro, acho importante dizer que tenho consciência de quem eu sou e de que sou uma privilegiada. Sei que ultimamente existe uma grande discussão sobre apropriação cultural e não quero fazer um discurso aqui que pareça algo que não é. Eu tenho consciência de que estudei em instituições particulares e de que nunca precisei aprender a me portar perto de um policial, mas existem pessoas que vivem em um mundo assim. Em um mundo extremamente imprevisível e perigoso. E eu não posso fechar meus olhos para isso. 

Starr é uma dessas pessoas. Ela é obrigada a estudar fora do bairro em que mora para poder ter uma educação diferenciada e lá, ninguém tem a mínima ideia de quem ela é ou onde vive, e isso me faz pensar: o que faz a história de Starr ser diferente da história de alguma garota que estudou comigo? Nenhuma. Starr é real. Starr é uma garota que pode realmente existir e vou te confessar que isso não me assusta, pois ela é uma garota extremamente forte e emponderada. Me assusta o fato de que possa vir a existir um Khalil, uma pessoa sem oportunidades, sem esperanças que pode morrer só porque se preocupou com o outro


Que os preconceitos existem, é um fato, mas o que podemos fazer para que todos tomem consciência da igualdade e da responsabilidade que temos como sociedade? "O Ódio que Você Semeia" é um tapa na cara do leitor. Ele usa de uma história chocante para mostrar a nós que as coisas estão erradas sim. Que até mesmo a mídia mais íntegra pode distorcer os fatos porque algumas questões estão enraizadas na sociedade. E não deveriam. O fato dos meios de comunicação noticiarem que Khalil era um traficante se torna mais importante do que um abuso de poder, já que o garoto não fez nada para levar os tiros que o mataram. Isso me surpreendeu, porque é exatamente o que vemos na mídia hoje. Nós não sabemos a verdade, não conseguimos distinguir o que é certo ou errado porque as informações muitas vezes não nos chegam imparciais.  

A narrativa é cheia de referências pop e analogias que colocam o leitor para pensar. É pesado, é forte, é intenso. Não foi fácil concluir a leitura e entendo que esse é o objetivo da obra: incomodar. Vamos mostrar que o medo não pode vencer, temos que abrir o coração e fazer com que a justiça seja feita


"O Ódio que Você Semeia" é uma obra que critica o sistema, que critica a sociedade e que nos mostra que temos voz. O mundo está em nossas mãos. Se nos calarmos, as coisas só tendem a piorar. Starr se torna inspiradora a partir do momento em que assume seus erros e que os conserta. Afinal, ela mesmo escondia de onde vinha para os amigos de escola. Starr amadurece e quer fazer a diferença nesse mundo louco e desigual

Para quem gostou da temática, mas acha que a obra literária será um pouco pesada demais, arrisco indicar o filme antes mesmo de eu ter a oportunidade de conferir. A adaptação chegará em dezembro aos cinemas e está sendo bem elogiada por quem já assistiu. Então, não perca essa oportunidade de reflexão e quem sabe, se tornar alguém melhor? ;)


Ah, e garanto que algumas lágrimas rolarão, porque aquele epílogo arrepia só de lembrar. 

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Necessário para nos abrir os olhos!

- Alessandra Salvia



domingo, 18 de novembro de 2018

Cinema: Animais Fantásticos - Os Crimes de Grindelwald

Olá amores,


Falar sobre "Animais Fantásticos - Os Crimes de Grindelwald" pode ser um post polêmico e eu até entendo os motivos pelos quais o filme pode ser condenado, PORÉM essa é MINHA opinião, ok? Pessoal e intransferível. Peço que tenham respeito e paciência para eu demonstrar os meus pontos de vista. Ah, e não se preocupem, pois não haverá spoilers sobre as grandes reviravoltas dessa obra!



Nesse segundo filme, o grande foco é Newt tentando (ou não) fazer o que Dumbledore pede e a busca pela origem de Credence. Inicialmente, nos é apresentada a teoria de que o garoto pode vir a ser um Lestrange, mas apenas no final tudo é esclarecido. 



Como eu já cansei de falar aqui, admiro demaaaaaaaaaaais o trabalho da J. K. Rowling e entendo o desespero de alguns fãs pela desconstrução cronológica que Animais Fantásticos demonstra. Agora, se isso atrapalhou minha experiência no cinema? Vou estar mentindo se disser que sim. Na hora H, eu estava tão imersa naquilo que me era proposto em tela que não pensei nos paralelos que os livros do Potter pré-determinaram. Claro que a gente fica ansiosa vendo Dumbledore, Hogwarts, Nicolau Flamel, a pedra filosofal... Mas gente, a história é tão grande, tão complexa que essa falha na linha do tempo não me fez amar menos a série ou o filme em si. E outra coisa, ainda não foi confirmado que houve uma falha, né? JK não se pronunciou sobre o assunto e as coisas podem mudar. Tenho para mim que Grindelwald está mentindo, então vamos ficar um pouco mais calmos antes de sair xingando todo mundo nas redes sociais. 

Ah, aproveitando a oportunidade, o povo falou taaaanto sobre a Nagini e ela nem teve uma grande participação. Vejo muitas acusações da saga estar tornando-se uma fan-fic e isso só me dá preguiça. O povo adora apontar críticas, mas inovar em um mundo tão bem criado quanto o mundo mágico foi, não é fácil. Esperem para ver o que o futuro reserva. Só que é importante dizer que: você tem o direito sim de não gostar, mas eu também tenho o direito de gostar


Acho que a construção do filme é muito boa, começa bem impactante, depois cai um pouco o ritmo para desenvolvimento de personagens e novamente sobe até atingir o ápice. Alguns podem reclamar de sono, como foi o caso de uma senhora na minha sessão, rs, mas eu fiquei vidrada. Eu queria analisar cada detalhe, cada cantinho da tela. O 3D valeu a pena (e olha que eu não gosto desse recurso), tem cenas belíssimas e acho que grande parte da minha satisfação é pela fotografia e efeitos especiais do filme. Detalhes muito bem feitos e colocados de uma maneira impactante.

Alguns personagens cresceram muito e outros tornaram-se mais apagados. (Credence, cresça e apareça, meu amigo, eu estou apostando em você!) Jacob foi um pouco decepcionante enquanto Queenie tomou uma posição mais ativa. Ver a relação de Newt com Theseus (seu irmão) foi algo bacana ainda mais quando colocam Leta Lestrange como empecilho. Acho que Leta foi a grande surpresa do filme até porque Zoë Kravitz fez um excelente trabalho com a tristeza e obscuridade da personagem.



E o que falar de Johnny Depp? Gente, ele é um idiota, mas um idiota que sabe o que faz. Ele é o Grindelwald. É inegável. O vilão forte, necessário para a trama, extremamente poderoso e persuasivo. Em contrapartida, acho que esperava um pouco mais de Dumbledore. Vejo um grande potencial para o futuro da saga com esses dois no protagonismo, só que ainda não chegou lá. Principalmente com Ed Redmayne na retaguarda. De elenco, o filme está muito bem servido.



Uma coisa que queria perguntar para vocês é: só para mim essa questão dos 'Animais Fantásticos' ficou secundária? Achei que Newt ia ter um posicionamento mais ativo em relação ao circo de Paris e ao uso de animais de forma inadequada. Não senti que os bichinhos tiveram um grande impacto como foi no filme 1 e sinto um desperdício, afinal, o filme leva o título em homenagem ao que Newt mais ama no mundo.

Algo que preciso expor aqui é que algo no trailer havia me incomodado muito e no filme foi explicado: o motivo pelo qual Dumbledore não pode lutar contra Grindelwald. Isso fez a total diferença para mim, porque acabou com uma antipatia que eu estava gerando contra o até então professor de Hogwarts. E por falar em Hogwarts... Como foi bom retornar àquele castelo! Foi pouco, foi rápido, mas aqueceu o coração



Sobre o final... Foi um pouco confuso... A parte do cemitério principalmente, mas depois tudo 'explode' na sua cara e você fica chocada. É um filme para fãs, mesmo com a aparição indevida de um personagem, mesmo com a mudança de função de Dumbledore. Eu gostei demais, foi uma experiência super positiva e que me deu ainda mais esperanças para o capítulo final, já que nos foi prometido a grande batalha no filme número 5. E também vou informá-los de que foi confirmado: 'Animais Fantásticos 3' terá cenas no Brasil, RJ para ser mais específica!!!!!!!! \o/ Tomara que esse elenco lindo venha para cá e conheça nossos pães de queijo, rs. 

Agora, é com vocês, o que acharam do filme? Estão tão animados quanto eu? Deixem seus comentários!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥  (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Words Challenge 2018 - Grilo Falante

Olá amores!

O Challenge dessa sexta é inspirado no personagem Grilo Falante, a consciência do Pinóquio, lembram? Eu e a Pam do Interrupted Dreamer postamos nossa versão da história com a imposição das seguintes palavras: cansado, aventura, marinheiro, doçura, reciprocidade e pinceladas. Vamos ao resultado final?


Words Challenge 2018 - Grilo Falante

"Às vezes, eu gostaria que minha aparência fosse diferente. Não. Eu gostaria só de ser mais alto, afinal, estilo é uma coisa que eu tenho de sobra com essa minha cartola azul e meu guarda-chuva vermelho. Miro no espelho o meu próprio reflexo e gosto do que vejo. Não preciso de mais nada para ser bonitão. O distintivo de ouro em meu paletó reluz tanto quanto meu sorriso. 

Meus olhos estão um pouco cansados, porque ontem fiquei lendo até tarde da noite, mas não me arrependo. Conhecimento nunca é demais, ainda mais quando se vive as aventuras que meu melhor amigo Pinóquio vive... Eu preciso ser sua consciência em tempo integral, já que aquele garoto muitas vezes é inconsequente e Gepeto confia em meu trabalho.

Ontem mesmo, fomos brincar de marinheiros a beira da praia e quase Pinóquio se afoga. Talvez ele tenha se acostumado a ser de madeira e esqueceu que não boia mais. Mas eu estava presente e consegui salvá-lo. Meu peito se enche de orgulho e rezo para que a Fada Azul esteja nos observando. Ela com sua doçura e gentileza me concedeu a honra de ser uma 'Consciência Oficial' e não irei decepcioná-la.

Quando Pinóquio foi levado para o teatro do Sr. Stromboli achei que o havia perdido. Mas se tem algo que sou é persistente. Prezo muito minhas amizades e jamais o abandonaria lá. Gepeto costuma dizer que a lei da reciprocidade vai me compensar um dia por ser tão boa consciência para seu menino. Espero que essa tal lei, dá próxima vez, me traga um beijo da Fada Azul. Pisco de forma marota para o espelho.

Grilo, o que está fazendo? 

O garotinho de chapéu amarelo e suspensórios vermelhos me encara curioso. Suas sobrancelhas ainda se parecem as pinceladas de antes. E eu simplesmente lhe respondo:

- Sendo sua consciência, ora bolas." 


O que acharam??? Estou empolgada para saber a opinião de vocês e esperem que desafios especiais virão nesse final de ano!!!

- Alessandra Salvia

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Quotes: A Rosa do Deserto

Olá amores,

Hoje, o post é daqueles que aquece o coração ao lembrarmos de uma leitura que realmente valeu a pena. Aquela leitura que fez a gente querer ser uma pessoa melhor. "A Rosa do Deserto" é cheia de encantamentos, dentre eles várias frases marcantes e cheias de amor. Então, eu resolvi selecionar algumas das minhas favoritas para mostrar a vocês, vamos lá?


"O tempo simplesmente deixa de existir. é como se o mundo tivesse parado para nos assistir. Demorei demais para tomar uma atitude e todos os sentimentos reprimidos estão agora escancarados"

"Não sei explicar, mas ao mesmo tempo em que Ethan é calmaria, ele é um furacão"

"- Eu sei, mas o que quer que seja, vamos descobrir. Juntos"

"E cada palavra que saiu da minha boca é verdadeira, eu salvarei Kiara, buscarei minha Rosa do Deserto nem que para isso, eu precise explodir o mundo, nem para que seja necessário matar ou morrer"

"(...) Rosa do Deserto combina muito com você, pois é a flor mais teimosa que conheço. É a única planta que tem a ousadia de crescer e florescer até mesmo nos piores solos e nas situações mais adversas"

"Finalmente todo o peso que carregava em meu peito desde ontem se esvai. Eu até então não sabia, mas foi disso que eu senti falta esse tempo. Do seu belo e sincero sorriso"

"Estamos cercados de guerras silenciosas. Mas o que podemos fazer para mudar a situação é exatamente o que estamos fazendo. Sair do nosso conforto, dar assistência àqueles que mais precisam"

"Você é preciosa para mim e eu vou mover terras e céus para te trazer volta"

"Um par perfeito como tinha que ser, onde a dureza encontra a leveza e se fundiam e se encaixavam perfeitamente"


Link da Resenha completa e sem spoilers: AQUI
Link de Compra da obra: AQUI
Link do Skoob: AQUI


"A Rosa do Deserto" com toda a certeza é um dos livros que mais amei esse ano. É mais que um romance dramático, é uma história que inspira, que emociona, que faz o leitor ter a vontade de ser a diferença na vida de alguém. Uma obra delicada e sensível, mas ao mesmo tempo forte, intensa e com temas muito relevantes. O tipo de livro que deixará um sorriso e olhos marejados ao final. 

- Alessandra Salvia

domingo, 11 de novembro de 2018

Livro: O Caos

Olá amores!

Hoje, a resenha é especialíssima, pois é uma continuação muito muito muito aguardada por mim. Venha conhecer "O Caos" da Nohane Carvalho publicado na Amazon.com.


Se você ainda não conhece, o primeiro volume é o chamado "A Ordem" que já ganhou resenha no blog (clique AQUI para ler) vou dar uma pequena repassada: Arissa é uma princesa forte e corajosa que vive sob a ameaça de uma revolução, afinal, o mundo no qual vivi não parece ser o que é. Abaixo, deixarei um vídeo especial da Nohane apresentando o início de tudo:


Porém, hoje o foco é falar sobre o desfecho dessa duologia que te rouba o ar. Confesso para vocês que há tempos eu não lia uma distopia que me cativasse tanto!!! Nohane soube muito bem manter o ritmo eletrizante do final do livro 1 e ainda torná-lo mais desesperador. A obra é cheia de adrenalina, ação e reviravoltas! A revolução está mesmo acontecendo e ser parte da resistência é algo muito delicado, a imprevisibilidade existe e Arissa precisa compreender que aquelas pessoas que estão ao seu lado podem ter pontos de vista diferentes do dela, mas isso não quer dizer que queiram coisas diferentes para o futuro.

Acredito que a obra te faz questionar: os fins justificam os meios? Até que ponto estamos dispostos a lutar pelo o que acreditamos ser o certo? E também, o que eu estou fazendo para mudar o mundo? Os personagens passam por cenas realmente aterrorizantes e é palpável o desespero. A guerra não é suavizada. Guerra é guerra, vai ter combate, vai ter bombas, vai ter consequências. Em alguns momentos, você fica desconfortável com a possibilidade daquilo se tornar real.

Tem um fundo de crítica política? Tem. É impossível não fazer paralelos e não enxergar algumas verdades no texto de Nohane. Ela foi muito ousada em se posicionar dessa maneira e acho que você só vai entender quando ler a obra.


"O Caos" veio para desconstruir a imagem que tínhamos da autora sendo meiga e escrevendo romances açucarados como a série Devaneios é. Nohane mostra uma maturidade na sua escrita. O texto é muito forte e pesado, não no sentido ruim, é porque a temática pede algo mais marcado e impactante. Temos momentos de esperanças e de sentimentos bons? Claro que temos e são esses momentos que te fazem ir até o final, você deseja de todo o coração que Arissa encontre o melhor caminho para sair da zona de guerra. Você quer que a população melhore a vida, que a liberdade e a paz sejam conceitos básicos nos reinos. 

Se você é de SP, aproveito a oportunidade para te convidar para o evento de lançamento da obra. Será na Unibes Cultural, dia 25 de novembro às 15h. Vem ver o convite da própria autora:


Se você está esperando uma história para te deixar vidrado, impactado, no chão. É ESSA. São muitos detalhes, são muitos plot twists que te deixam impressionado! Eu amei demais, considero uma das melhores obras da Nohane, com toda a certeza e quando você chega na reta final, é impossível parar de ler. Você fica presa esperando a próxima cena bombástica acontecer. Ah, e ela acontece. Mas sempre num nível maior que o esperado. 

Espero que vocês tenham gostado da dica de hoje, não se esqueçam de deixar seus comentários e para adquirir o livros, vou deixar os links abaixo:


Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (5/5) - Maravilhoso!

- Alessandra Salvia

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Série: O Mundo Sombrio de Sabrina

Olá amores,


Como já havia conversado com vocês, minha experiência com a nova série da Netflix, a chamada "O Mundo Sombrio de Sabrina" foi muito positiva e venho explicar os motivos disso com a crítica completa da temporada 1 que já está completamente disponível no serviço de streaming.


De início, para alguns pode surgir o estranhamento, afinal, essa série é um remake da "Sabrina, a aprendiz de feiticeira" que existia lá nos anos 90 só que a proposta foi renovada e com isso, um mundo mais dark nos é apresentado. Sabrina continua uma bruxa que mora com as tias Hilda e Zelda e tem um gatinho preto chamado Salem, mas suas preocupações são muito mais atuais e relevantes para a sociedade atual.

Com 10 capítulos sendo cada um com cerca de 1 hora de duração, vemos uma Sabrina adolescente que busca a liberdade e o poder. Sim, os dois juntos. Algo impossível para os feiticeiros que assinam o livro do diabo. E só por essa sinopse percebemos o quanto a história se torna sombria e mais rica em elementos do ocultismo.


Acho que a grande diferença dessa série para a antiga é que o mundo das bruxas é transcrito para nossa realidade. Lá atrás, tínhamos um gato que falava, magia acontecendo para todos os lados com um balançar de dedos e aqui não. Parece mais uma religião diferenciada. Sabrina faz conjurações e pequenos feitiços, mas nada muito declarado, ela vive como uma garota normal e não utiliza do fato de ser bruxa para facilitar a sua vida, coisa que a antiga Sabrina fazia direto. E para mim, esse grande detalhe não é um problema. Assim como o Salem não falar, não me atrapalha em nada. Até porque o Salem é um grande personagem na série (nos primeiros episódios pelo menos, ele mostra relevância, depois é um pouco esquecido). 

Agora, se você ficar fazendo esses paralelos o tempo todo, talvez "O Mundo Sombrio de Sabrina" não funcione com você. Pense nisso como uma história totalmente independente e verá que o roteiro e os personagens tem seu brilho próprio. Posso pontuar em quais episódios fiquei entediada: foram 2 e logo no começo da série, porque depois o ritmo se encontra e você entende facilmente os plots de cada personagem. E parando para analisar, um dos episódios que me deixou entediada foi o do demônio do sono, mas foi esse o episódio que ajudou a desenhar as personalidades de Tia Hilda, Zelda e do primo Ambrose. Ou seja, nem de todo perdido foi. Acho que a série soube balancear suas histórias e trouxe uma relevância com um discurso feminista, diversificado e respeitoso.


O personagem Harvey ainda existe, mas foi acrescido mais duas melhores amigas para Sabrina, Rosalind e Susie. Garotas com potencial de desenvolvimento e que mostraram a sororidade tão necessária nos dias de hoje. E falando em personagens novos, destaque a Prudence, uma bruxa que de início aparece como maléfica e que pode ser um grande problema para a protagonista, mas que no decorrer dos episódios se mostra alguém mais justa. Ela ainda é imprevisível e não sabemos se a amizade dela com Sabrina permanece, afinal, depois de tudo o que aconteceu com a Aghata, não sabemos o que o futuro reserva as garotas.


Um ponto que preciso falar que me incomodou, foi o plano de fundo meio embaçado, às vezes. Não sei se é coisa da minha Netflix, mas a fotografia mais anos 90 estava tão bonita, não tinha motivo para borrar algumas coisas. Fora isso, acho que a produção não deixou a desejar, houveram alguns sustos, mas nada que me impedisse de continuar, mesmo eu sendo uma medrosa assumida.

A menção ao diabo ou a demônios existe e a presença deles também. Meio fraco a caracterização? Talvez sim. Só que, para mim, isso é extremamente positivo pois me fez continuar a ver a série. Não fiquei impactada, sabe? Não foi difícil assistir como algumas séries da temática são.

E além dessas ameaças, temos a professora da escola e o padre que tentam a todo custo trazer Sabrina para o lado sombrio. Achei muito interessante a construção de ambos, pois muitas vezes, não sabemos qual a intenção deles, principalmente, por estarem do mesmo lado mas não trabalhando juntos. Interessante, né? O episódio final tem um arco muito interessante e o desfecho deixa várias pontas abertas para continuações.



Agora, em relação aos crossovers com Riverdale, algumas coisas já começaram a aparecer. Um personagem apareceu e menções a cidade ocorrem, nada muito declarado ou significativo, mas é um começo. Vamos aguardar para ver o rumo que as séries tomam. 

Desta forma, eu super indico "O Mundo Sombrio de Sabrina" para vocês. Fui realmente surpreendida, não esperava uma série que desse para maratonar e nem com personagens icônicos como esses. Alguns diálogos foram bem marcantes e que geraram reflexão. Espero que gostem da dica tanto quanto eu!

Minha Classificação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ (4/5) - Muito bom!

- Alessandra Salvia